Café com ADM
#

Empreendedorismo, uma Questão de Atitude


Alguns homens vêem as coisas como são, e perguntam: "Por quê?" Eu sonho com as coisas que nunca existiram e pergunto: "Por que não?" Bernard Shaw

As palavras de Bernard Shaw traduzem a essência do espírito empreendedor, que correlaciona com a definição de Filion (1993), um dos principais pesquisadores sobre empreendedorismo no Canadá, de que empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões.

Percebe-se nesta definição uma ampliação do conceito de empreendedor como uma pessoa que inicia projetos sociais e comunitários; um colaborador que desafia seu próprio tempo e recursos, introduzindo inovações e provocando a expansão da empresa; um gestor público que mobiliza sua equipe ou gera novas políticas governamentais; e mesmo aquela pessoa que gera um auto-emprego como profissional autônomo.

O senso comum afirma que ‘os empresários nascem, não se fazem’. De forma geral, a noção de empreendedorismo é associada com as noções de ter ou desenvolver um empreendimento e de ser um empresário.

Aspectos positivos e negativos são associados à imagem do empreendedor, como por exemplo, o lado positivo é ser audacioso, persistente e visionário; e o lado negativo é ser uma pessoa que gosta de correr riscos e que se ocupa só consigo mesmo e com o dinheiro.

Contrapor o senso comum e afirmar que ‘empreendedores nascem e se fazem’ é uma grande discussão atual. Tornar-se empreendedor é o desafio de ser responsável pelo próprio futuro e pelo futuro da comunidade em que vive.

Por isso, existe empreendedor criando empresas e gerando empregos, participando dos processos de governo com responsabilidade, realizando atividades sociais, enxergando oportunidades nos momentos de crise, desempenhando seu trabalho com altos níveis de inovação, gerenciando programas educativos e de conscientização ambiental, promovendo uma melhor qualidade de vida nas organizações, entre outras atividades.

Portanto, pode-se perceber que o empreendedor é um agente de mudanças, onde quer que ele esteja, não somente quando criam novas empresas. Ser empreendedor é uma atitude, uma postura diferenciada diante das situações da vida.

Assim, o empreendedor pode ser visto como um estado de espírito que motiva e impulsiona para sonhar e agir, para ser agente de mudança e de transformação e consciente do seu papel na comunidade.

Ser empreendedor é desenvolver um potencial que todo ser humano possui, independentemente se a pessoa é um empresário ou não.

Ser empreendedor é fundamental de qualquer maneira para se ganhar a vida, seja como empregado ou como dono de empresa.

Ser empreendedor não é uma questão de talento só para alguns escolhidos; é uma qualidade em potencial que, ao contrário do que se pensa, é muito comum entre a população em geral e em determinadas culturas.

Para se definir o perfil empreendedor, a profissão é um critério irrelevante. Toda pessoa - desde que se oriente pela ação e por resultados, que perceba o mundo como um imenso e inesgotável espaço de possibilidades, que tenha visões, imaginação e que, ao longo de sua existência, construa um histórico de realizações - pode ser considerada um empreendedor.

Quaisquer que sejam as fontes de referência a figura do Empreendedor está relacionada a alguém inovador, inquieto, criativo, planejador e sempre de olho no futuro.

Enquanto muitos deixam os seus sonhos reféns das dificuldades do momento atual (às vezes até perdendo a capacidade de sonhar), o Empreendedor procura agir sobre a realidade presente afim de transformá-la ou adequá-la a serviço do seu futuro ou dos seus objetivos. (PORTAL DO EMPREENDEDOR, 2004)

Empreendedorismo tem a ver com o fenômeno humano e compreende uma maneira própria de estar e agir no mundo. Essa atitude compreende três capacidades básicas:

- A capacidade de observação diferenciada do mundo - a capacidade de tomar a iniciativa, buscar soluções inovadoras e agir no sentido de realizar objetivos pessoais ou comunitários. Essa capacidade está marcada por um sentimento de ‘querer fazer’ antes mesmo do fazer propriamente dito.

- A capacidade de realizar ações significativas - uma vez instalado o ‘querer fazer’, empreender também compreende o ‘sentido de realização’, de realizar as ações, sem o qual o sentimento anterior do querer, da atitude, se tornaria inócuo.

- A capacidade de gerar resultados úteis para a sociedade - observação privilegiada e ações significativas não bastam por si só.

Empreendedorismo também requer a geração de resultados úteis para a sociedade, nesse sentido, é uma questão de consciência social.

Que tal pensar um pouco sobre as questões abaixo e elaborar um texto intitulado EU SOU............. (seu nome).

Escreva quem você é, onde você trabalha, o que você faz, de onde vem, que experiências teve no passado, o que lhe inquieta atualmente, quais são suas aspirações, que objetivos persegue na vida, que possibilidades você considera que poderia ser para os demais, dentre outras características e atributos que, na sua percepção, definem quem você é.

E complementem:
Que tipo de empreendedor você acredita ser?
Quais características empreendedoras você acha que possui?
Você já pensou em desenvolver o espírito empreendedor para enfrentar os desafios deste século?

Eliana Pessoa elianapes@gmail.com
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.