Empreendedorismo no agronegócio

<b>Os empreendedores brasileiros estão em ótima posição para largar na frente em termos de novos e promissores agronegócios, principalmente daqueles com potencial exportador.</b>

O Brasil já conquistou muitas copas. Agora o agronegócio brasileiro está conquistando também as cozinhas do mundo. O agronegócio compreende toda a cadeia de produtos e serviços que atua antes, durante e após a produção nas fazendas. Os números do agronegócio brasileiro evidenciam sua importância: um terço do PIB, 40% do valor das exportações e geração de empregos para mais da metade da população economicamente ativa. O mais importante não são os números atuais, mas o enorme potencial de crescimento do setor. A área cultivada com grãos pode ser triplicada. Temos terras disponíveis, tecnologia tropical, sol e muita água. A água é o grande diferencial do Brasil em relação a países como China e Índia, por exemplo. Para produzir um quilo de milho são necessários 1.500 litros de água. Um quilo de carne bovina exige a conversão de 25.000 litros de água.

A produção de alimentos, fibras e biocombustiveis experimenta uma evolução tecnológica rápida e revolucionária. A biotecnologia de última geração é a plataforma para solucionar a difícil equação que consiste em produzir alimentos saudáveis, preservando o meio-ambiente. Esses avanços vão implicar em mudanças radicais na maneira tradicional de se produzir, processar e conservar os alimentos. Na agricultura, a todo o momento surgem novidades técnico-científicas em máquinas, sementes, mudas, fertilizantes, defensivos e práticas culturais. Na pecuária, são os novos avanços genéticos, rações, vacinas, remédios e métodos inovadores de manejo e criação de animais. O Brasil tem que produzir alimentos e fibras para um mercado interno de mais de 180 milhões de consumidores e ainda manter o ritmo crescente das exportações de produtos como cereais, frutas, fibras, carnes e seus derivados. Afinal, a população mundial continua crescendo cerca de 90 milhões por ano.


As oportunidades para empreendimentos em novos e criativos agronegócios são excelentes. As novidades tecnológicas para produzir, processar , conservar e, sobretudo, comercializar alimentos geram inúmeras oportunidades para novos negócios. A atenção dos empreendedores nas mudanças de comportamento e nos hábitos alimentares das pessoas também pode trazer idéias criativas e inovadoras. Em poucos anos a Starbucks, uma pequena cafeteria de Seattle, expandiu-se para mais de mil lojas. Ela reinventou o varejo de cafés. Ela ganhou o mundo porque soube inovar e criar ambientes mágicos para vender cafés finos com nomes sofisticados como expresso macchiato, cappuccino e caffé latte.

Quando analiso o conceito de empreendedor, sempre lembro do perfil do produtor rural brasileiro. Ele possui todas as características desejáveis para quem empreende. Planeja a aquisição de insumos, o preparo da terra, sonha com uma boa colheita e joga as sementes na terra. Depois fica olhando para o céu a espera das chuvas e rezando para não aparecerem pragas ou doenças. Poucos negócios correm riscos comparáveis aos das atividades agropecuárias. Se assumir riscos é a principal característica das pessoas empreendedoras, a figura do agricultor representa um grande exemplo de empreendedor.

Os empreendedores brasileiros estão em ótima posição para largar na frente em termos de novos e promissores agronegócios, principalmente daqueles com potencial exportador. As vantagens competitivas do agronegócio brasileiro em relação aos demais países exportadores de alimentos são enormes. O Brasil tem tudo para tornar-se celeiro do planeta na próxima década e, muitos agronegócios criativos e inovadores, com certeza, acompanharão essa tendência. É tempo de sonhar, visualizar e pesquisar idéias para agronegócios. É hora de começar um bom plano de agronegócio. Boa sorte.

Eder Bolson, autor de Tchau, Patrão! Editora SENAC www.tchaupatrao.com.br


ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.