Empreendedorismo e visão do futuro

<b> O desenvolvimento da visão de longo prazo é um dos principais fundamentos do processo de formação de empreendedores.</b>

A educação empreendedora se diferencia da educação tradicional pela sua forte atuação no campo das atitudes.Ela visa desenvolver pessoas visionárias, planejadoras, decididas e focadas na criação de novos empreendimentos. A educação empreendedora lida com o desenvolvimento da criatividade, da iniciativa, da liderança, do trabalho de rede e da visão de longo prazo.

O desenvolvimento da visão de longo prazo é um dos principais fundamentos do processo de formação de empreendedores. Quem inicia um novo negócio terá que trilhar um caminho sujeito às surpresas e incertezas que sempre estarão depositadas num futuro desconhecido e ameaçador. Inúmeras questões, dúvidas e incertezas costumam assaltar a mente e tirar o sono de quem assume o risco de colocar suas economias e reputação profissional num novo empreendimento. Costumam surgir indagações como estas: Quando terei clientes em número suficiente para cobrir os custos e começar a gerar lucro? Será que os futuros clientes vão gostar dos produtos ou serviços? Conseguirei custos e preços competitivos? Quantos concorrentes ocultos ou desconhecidos aparecerão? Que fará a concorrência quando eu começar a incomodá-la? E se a minha tecnologia ficar obsoleta? E se a legislação do setor mudar? E se o dono pedir de volta o imóvel que alugarei?.

É impossível prever o futuro com precisão. Mas é possível que o empreendedor use as técnicas disponíveis para desenvolver e ampliar a sua visão de longo prazo. Ele precisa aprender a jogar mais luzes no cenário onde o seu negócio irá atuar. Precisa visualizar melhor como a futura empresa irá se adaptar ou se proteger da forças dominantes. Como escolherá novos caminhos. Como resistirá num cenário futuro tão hostil quanto possa ser imaginado hoje. A metodologia de visualizar cenários futuros foi desenvolvida pela Força Aérea dos Estados Unidos, logo após a segunda Guerra Mundial. No final da década de 1950, o atraso dos americanos em relação aos soviéticos na corrida espacial fez surgir a Rand Corporation, um dos maiores centros de estudos futuros do mundo. Nos anos 60, Herman Kahn adaptou a metodologia para uso empresarial. A Shell foi pioneira no uso da técnica de cenários. Ela era a mais fraca entre as sete maiores empresas de petróleo do mundo.A crise do petróleo de 1973 só não pegou a Shell de surpresa. Depois da crise, ela se posicionou como a mais rentável e uma das três maiores.


Trabalhar com cenários é diferente de fazer previsões esotéricas. É diferente de consultar estatísticas e projetá-las. Trata-se de uma metodologia mais intuitiva, analítica e muito mais qualitativa do que quantitativa. Ela parte do princípio de que não existe somente um futuro, mas vários. Que as decisões estratégicas tomadas hoje se encaixam num amplo leque de futuros possíveis. Significa usar a técnica do E se...?. Significa estar preparado para o que der e vier. Podendo influenciar no que vier, através das decisões que a empresa toma antecipadamente.

Todo ato empreendedor está intrinsecamente ligado ao porvir. A formação de uma mente planejadora passa pela ampliação da visão de longo prazo. Pelo desenvolvimento de uma atitude em prol da criação constante e consciente de cenários futuros. O empreendedor precisa conhecer o enredo da história futura do negócio. Precisa ensaiar sua atuação em todas as situações imaginárias possíveis, sejam boas ou péssimas. Precisa conhecer os cenários com antecedência para evitar surpresas. Precisa entrar no palco dos negócios preparado para proporcionar um espetáculo vencedor.

Eder Bolson, empresário e professor universitário, autor de Tchau, Patrão! www.tchaupatrao.com.br



Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Eder Bolson

    Eder Bolson

    Empresário, fundador de cinco empresas e professor universitário. Engenheiro formado pela Universidade Federal de Santa Maria, RS com mestrado pela North Dakota State University dos Estados Unidos. Sua experiência prática empreendedora é interessante e diversificada. É um estudioso do empreendedorismo que sempre estimula as pessoas a planejarem e implantarem seus próprios negócios. É membro brasileiro da World Future Society. É autor do livro “Tchau, Patrão!” - Editora SENAC.



    café com admMinimizar