Empreendedor educado financeiramente é bom negócio

Gerir qualquer empreendimento é um desafio, mas existem muitas ferramentas que ajudam o empreendedor a reduzir os riscos. Dentre elas, a educação financeira

Gerir qualquer empreendimento é um desafio, mas existem muitas ferramentas que ajudam o empreendedor a reduzir os riscos. Dentre elas, a educação financeira.

Ao se educar financeiramente, o empreendedor estará preparado para enfrentar o primeiro grande desafio: separar as contas pessoais das contas da empresa. Isso deveria ser uma prática comum entre os donos de empresas, no entanto, a realidade mostra que não é tão assim.

Ao se tornar dono de empresa, muitos acreditam que ela será obrigada a sustentá-los. Sem dúvida, o objetivo de qualquer empreendedor é de se sustentar com o lucro da empresa, porém muitos se esquecem que a própria empresa pode necessitar de parte desse lucro para continuar funcionando.

O primeiro erro consiste em carregar a empresa com todos os custos pessoais dos proprietários. Com um agravante: na maioria das vezes, esses empreendedores não controlam suas finanças pessoais e, portanto, acabam tirando da empresa montantes que podem ser necessários para que ela funcione corretamente e manter a geração de lucro.

O segundo erro é de o empresário não controlar suas finanças pessoais/familiares. Qual é o padrão de vida do empresário e da sua família? Ou seja, quanto dinheiro precisa por mês para pagar todas suas contas? A maioria não conhece esse número.

É muito importante que o empresário saiba quanto dinheiro precisa para suas despesas pessoais, pois assim poderá conhecer se a empresa está em condições de oferecer esse valor mensalmente e se ela não estiver em condições de oferecer esse montante, é necessário conhecer quais despesas pessoais serão reduzidas ou eliminadas para poder viver com o que a empresa pode oferecer no momento sem se endividar.

O terceiro erro é não conhecer o lucro real da empresa. Se o empresário não conhece qual é este valor, como decidir qual será sua retirada mensal (participação nos lucros) ou seu pró-labore?

Após calcular o lucro líquido, é necessário separar os fundos para pagar as parcelas do endividamento da empresa e criar uma reserva para investimentos. Depois de fazer estas reduções ao lucro líquido é que o proprietário conhecerá quanto poderá retirar.

A educação financeira junto com uma correta administração das finanças da empresa é imprescindível para não sobrecarregar o negócio com demandas financeiras pessoais que podem levar à morte da “galinha dos ovos de ouro”.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento