Educação vs Mercado de Trabalho???

A educação no Brasil está cada dia que passa sendo menos valorizada pelos estrangeiros porque não acreditam que o no nosso método de ensino é eficaz. Pelo o desenvolvimento do processo histórico o nosso país passa por diversos tipos de dificuldades econômicas e sociais. Desde o tempo da escravização até dias atuais, como seria se nós tivéssemos sido colônia dos Estados Unidos? Claro que não estou aqui para responder essa pergunta e sim para demonstrar porque que o nosso ensino está passando por dificuldades. O mercado de trabalho está seletivo, competitivo selecionando aquele profissional que é qualificado mas como podemos fazer isso se não temos muito incentivo empreendedor que possibilitasse o acesso a informações seguras. O método de ensino do Brasil mostra que temos que decorar textos, para sair bem numa prova e não nós prepara para o mercado, coisas que precisavam ser revistas nas escolas. Por isso que está atrasado, agente sempre copia alguma coisa de fora e nunca temos alguma novidade nesse setor para mostrar que podemos nos destacar na educação. Os políticos não são principalmente os culpados dessa situação desfavorável. Nessa parte o nosso país é democrático, podemos sim escolher nossos governantes ponto para nós. Mas agente não acompanha o que acontece realmente no senado ou até na câmaras municipais ponto para eles. Começando a exigir trabalho de pequenas peças da política como são os vereadores e prefeitos traremos não só uma política diferenciada mas sim uma cidade bem administrada, que sabe melhorar as condições de vida de sua população, onde o as conseqüências seriam positivas. Começando por aí, cobrando desses que nós representam concerteza muitos problemas poderiam ser sanados. As grandes exportadoras e multinacionais vivênciam esse problema por oferecer bastante vagas de empregos e não terem profissionais para oculpalas por falta de qualificação ou por não saberem falar alguma língua estrangeira, dados mostram que pelos menos o Inglês é o básico mas para entrar nesse mercado e o nível de conhecimento de cultura tem que ser abrangente. O voluntáriarismo, ser empreendedor, saber pelos menos três línguas diferentes é o essencial. Nas grandes capitais a concorrência é desumana, onde pelos menos os cursos de ciências contábeis, direito, administração estão saturados. Se formos avaliar as cidades do interior entramos num paradigma porque o empresário talvez precise de um administrador mas acaba dando preferência para seus filhos fazerem seus trabalhos e não deixam aquele profissional que estudou pelos menos quatro anos de sua vida ocupar aquela vaga na empresa. Na mãos de familiares se concentram os serviços, gerência por muitas vezes não possuem potencial igual a de um profissional eficaz. Nem o capital do Banco conseguimos, por terem uma rigorosa burocracia e se conseguir é pouco ainda mas com juros muitos elevados. Falta de incentivo e empreendorismo por parte do Governo, onde a maioria das empresas fecham no primeiro ano, é um dado do Sebrae que nós mostra que 70% delas acabam fechando nos primeiros dois anos com causa disto a falta de administração ou uma burocracia do Governo rigorosa até demais. Para pensarmos nisso estudamos para termos um futuro melhor, quem pensa que fazer curso superior é o bastante está se enganando, porque hoje em dia ele é considerado curso técnico cientifico ou terceiro grau mesmo. O próprio governo mostra nas suas propagandas que é direito de todos fazerem faculdade. Fazer o nosso diferencial é a palavra chave para solucionar nossos problemas que pelo fato de termos atitudes empreendedoras ocuparemos um espaço nesse mercado de trabalho tão exigente que temos.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.