Café com ADM
#

E se não houver amanhã?

E se não houver amanhã? Você seria feliz hoje? O que você pode fazer de diferente para aproveitar melhor a jornada. Esteja onde seus pés estão.

Numa manhã de sábado, Flávia e Rafael, estavam na praia aproveitando o final de semana com seus dois filhos pequenos Paola e Gustavo. Todos adoravam o mar, cada um a sua maneira. Gustavo corria atrás dos pássaros para vê-los voar, Paola gostava de fazer castelinhos de areia, Flavia gostava de observar o mar e Rafael adorava nadar e surfar. E faziam um pouco de tudo isso e depois se juntavam e caminhavam de mãos dadas pela areia. Durante a caminhada, Paola estava olhando para areia e observando as pegadas de todos e de tempos em tempos o mar vinha, cobria e apagava as pegadas da família. Até que ela falou para mãe chateada: o mar está roubando nossas pegadas. E também roubou meu último castelinho de areia. Levou tudo pra dentro dele! Flavia sorriu para a filha: Ainda bem que podemos fazer tudo de novo.

Pode ser que para você, nunca passe pela cabeça uma sensação de finitude. Para que pensar nisso? Ou que você esteja cheio de planos para o futuro, alguns até adiando há tempos porque diz não ter tempo ou estar cheio de trabalho. Talvez você já tenha até programando sua felicidade para o mês de setembro ou para o ano que vem: quando eu tirar férias eu vou ser feliz. Quando eu casar eu serei plenamente feliz. Se eu for promovido e reconhecido aí sim serei feliz. No momento que eu tiver na minha conta aquele montante que acho ideal, estarei feliz. No dia que eu tiver o emprego dos sonhos serei feliz. Só quando eu emagrecer me sentirei feliz. Quando eu tiver tudo que eu quero poderei celebrar e ser feliz. O dia que eu pagar minhas contas serei feliz.

E se não houver amanhã, você foi feliz hoje?

De repente esse futuro que você está sonhando e planejando, talvez nem exista. E hoje, o que você está fazendo? E mesmo que exista, talvez não seja exatamente como e quando você decidiu que seria. Nem tudo está sob controle. Aliás, o que você poderia afirmar que está sob seu total controle?

Com o passar do tempo, podemos perceber que nada está sob controle. Controle é ilusório. Há momentos em que nenhum de nossos esforços é capaz de manter as coisas como queremos, ou desejamos.

Dizem que aprendemos as coisas na vida de duas maneiras: pelo amor, quando somos proativos e buscamos desenvolver e aprimorar algo que consideramos importante, ou pela dor quando um problema inesperado aparece e somos obrigados a lidar com ele sem nenhum preparo para isso. Racionalmente, deveríamos escolher aprender pelo amor, mas, na maioria das vezes, não é isso que acontece.

Às vezes só é possível perceber e sentir isso diante de um problema de saúde com você ou com a sua família. Ou ainda pior, diante da perda de alguém próximo e importante para você. As fichas podem começar a cair e a partir dai reflexões a mil, e a percepção de que não sabemos de nada e não temos realmente o controle.
Tudo está exatamente onde precisa estar.

E se não houver amanhã? Você poderia agir com coragem e se abrir para um novo amor. Quem sabe se perdoar ou perdoar as pessoas que ainda guarda mágoa. Dizer que ama e demonstrar seus sentimentos. Dedicar seu tempo, seu bem mais precioso às pessoas mais próximas e queridas. Fazer um trabalho social. Olhar a vida como mais que trabalhar, pagar contas e morrer. Aproveitar a jornada e viver melhor o presente.
Não espere a dor para demonstrar amor. Não deixe nada para depois. Não deixe o tempo passar.

Como disse Flávia para pequena Paola, ainda bem que podemos fazer tudo de novo. Novas pegadas e novos castelinhos de areia. A cada novo amanhecer: gratidão por tudo e por todos.

Somente por hoje, como você pode ser e fazer feliz?

“É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Por que se você parar pra pensar
Na verdade não há”. Legião Urbana

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.