E quando o trabalho deixa de ser prazeroso e passa a ser uma obrigação

O texto relata casos que transforma um colaborador promissor em um robô de linha de produção

E quando o trabalho deixa de ser prazeroso e passa a ser uma obrigação o que fazer?

Fazer ou trabalhar com o que gosta é o sonho de todas as pessoas que galgam pelo mercado de trabalho onde nem sempre temos essa felicidade por diversos motivos que vai desde chefe chato à excesso de trabalho que gera fadiga e desanimo e etc.

O que ocorre em várias empresas é o não investimento no bem-estar de seus colaboradores ou funcionários, não há a preocupação com o estado físico e emocional, não questionam a satisfação do colaborador de estar ali, apenas delegam tarefas, cobram resultados, monitoram acessos, ligações e-mails, proíbem e mais uma serie de coisa que coloca o colaborador dentro de um tubo de ensaio e ainda o comprime tentando em vão tirar o máximo do indivíduo que já não tem mais essência e prazer para exercer sua função, as empresas fazem isso focando apenas na produção e não no produtor como bem relata o filme Tempos Modernos onde Chaplin que encenava como operador de uma linha de produção que não conseguia parar de apertar parafusos.

Nos dias de hoje isso ainda é comum o colaborador por estar sobre pressão com o excesso de tarefas e funções que só se acumula sobre sua responsabilidade que o mesmo chega a sonhar que fazendo tarefas do seu ambiente de trabalho mesmo quando está fora dele.

E aí vem a pergunta quando o trabalho deixa de ser prazeroso e passa a ser uma obrigação o que fazer?

Participe respondendo nos comentarios.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento