É muito cócócó pra pouco ovo

Como está o seu marketing pessoal? Você tem atuado mais como a Flô ou como a Nina?

Em uma fazenda no Rio Grande do Sul, Plínio era o responsável pela produção de leite e ovos e também cuidava dos animais. No galinheiro, tinham duas galinhas com características opostas que ora o deixavam intrigado, ora confuso e irritado. Ele conversava com os animais, conhecia todos pelo nome e incrivelmente parecia notar realmente a diferença entre um e outro.

A galinha Flô, ele já ouvia a metros de distância, bem antes de chegar ao galinheiro ela fazia um barulho danado e ele normalmente ia nela primeiro com a expectativa de colher mais ovos. No entanto, na maioria das vezes ele a levantava e tinha pouco ou nenhum ovo. Flô realmente sabia como chamar a atenção.

Trazendo isso para nossa realidade, quantas pessoas vocês conhecem que são muito cócócó para pouco ovo? Eu tinha um chefe, em uma das empresas que trabalhei que chamava as pessoas com esta característica de papudos. E quando se referia a eles, batia a mão embaixo do queixo bem no papo mesmo, umas duas ou três vezes rapidinho e dizia: Olha os papudos aí. Às vezes nem falava, porque o gesto ficou tão marcado que todo mundo já sabia do que ele estava falando. São pessoas e profissionais que muitas vezes prometem, mas não entregam. Ou não entregam tudo que prometeram. Ou ainda primeiro “se vendem” e depois vão ver se é possível dar o resultado que falaram.

A Flô era a galinha que tinha mais visibilidade, a que atraia mais atenção para si. Cócócó.

Neste mesmo galinheiro, tinha a galinha Nina que Plinio não se recordava de ter ouvido nenhum tipo de som dela desde que nasceu na fazenda. Nina era bem silenciosa e botava muitos ovos, mas acontecia de Plinio na correria de suas tarefas e de ter que cuidar de todos os animais, esquecer-se dela e ao invés de colher os ovos deixar por tempo demais e nascerem pintinhos. A Nina era o oposto da Flô: Muito ovo pra pouco cócócó.

Voltando para o nosso dia a dia, vocês se identificam ou percebem pessoas ao seu redor com este comportamento? Também não adianta muito ser um profissional extremamente dedicado e produtivo e ninguém ficar sabendo disso. “Quem não é visto não é lembrado”. Pode parecer um pouco duro, mas é a realidade e é preciso encontrar uma maneira de achar o equilíbrio entre Flô e Nina.

A Nina era a galinha que tinha mais credibilidade. Ela realmente entregava os resultados. Sem cócócó.

O marketing pessoal é essencial para todo profissional e abrange vários pontos. Aqui gostaria de destacar dois: visibilidade e credibilidade. Visibilidade está relacionada com o quanto a pessoa aparece, é lembrada, tem uma rede de relacionamentos ativa, é comunicativa e articulada, tem presença e deixa sua marca. Por outro lado, a credibilidade é o que dará uma espécie de selo de qualidade e garantia ao profissional em sua área de atuação. O que vai diferenciar se ele será recomendado e lembrado por fatores positivos. Sério, e ético em suas atividades, entrega os resultados e tem bom desempenho.

A fórmula de sucesso é uma combinação entre os dois. Se escolher atuar muito como a Flô e toda vez pouco ou nenhum ovo, cedo ou tarde vai para panela. Se escolher ser muito como a Nina e muito ovo, mas ninguém se lembra que você existe, corre o risco de ficar ali até empoeirar. Será que uma galinha pode empoeirar? Rs

Na dose certa, abusando de seus pontos fortes e desenvolvendo seus pontos fracos essenciais e que estão impedindo você de evoluir na carreira, você consegue encontrar o ponto de equilíbrio.

Assim sejam: um pouco de cócócó e muito ovo!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    café com admMinimizar