É dada a largada… mas o que você está fazendo com seus propósitos de ano novo?

"Eu tenho lido algumas teorias comportamentais sobre por que nós, seres humanos lutamos para manter os propósitos de Ano Novo"

Você sabe o que você quer fazer, sabe como fazê-lo, mas de alguma forma fica preso em traduzir isso do conhecimento para a ação?

Para explicar isso, alguns especialistas têm usado a metáfora: “Por que lutamos contra nós mesmos ou parecemos duas pessoas diferentes?”.

Uma das nossas pessoas interiores, o "deve" quer manter o propósito (diz que quer alcançar nosso propósito), enquanto a nossa outra pessoa interna, o "querer" auto quer desesperadamente descançar (e deixar para depois).

Olhando para o desafio desta forma, oferece estratégias diferentes: usando um auto para definir planos para controlar o outro (por exemplo: discutir e acordar entre si mesmo o que realmente é importante e o quanto você fazer agora irá chegar mais próximo do que prometeu-se? Além disso, o que você ganha se fizer isso?".

Enquanto isso, o seu querer interior, por exemplo, concorda com você mesmo que você vai fazer depois o que é pra ser feito agora, mas o seu “quer” deve se controlar para as outras vezes que isso acontecer.
Isto é tudo muito bom, mas a pesquisa sugere que estamos bastante iludidos quanto à probabilidade do nosso 'deve' querer ganhar a batalha para o auto-controle do momento (ou seja, qual a probabilidade de fazer o que prometemos no momento certo e não “querer” deixar para fazer depois? O quanto isso nos aproxima do nosso propósito?).

Ceder à tentação, para que possamos colocar em prática algumas das estratégias interiores parece suavizar a chegada ao nosso propósito, mas e você, o que acha?

Para saber mais sobre esta e outras pesquisas intrigante e gerir o nosso próprio comportamento, eu recomendo Judgment in Managerial Decision Making, Max H. Bazerman e Don A. Moore.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.