Dúvida cruel: fazer o que gosta ou ganhar dinheiro?

É fato que necessitamos de dinheiro, pois neste mundo capitalista não podemos viver sem ele, precisamos suprir nossas necessidades e atender nossos caprichos. Mas exercer uma profissão que não suportamos, que nos estressa e nos faz mal só de pensar em ir para o local de trabalho, é uma tortura e ninguém merece e precisa passar por isso. Fazer o que gosta é mais importante do que o dinheiro no fim do mês, afinal os melhores profissionais são aqueles que fazem o que gostam. Diversas vezes encontramos profissionais mal educados, estressados e totalmente sem perfil para a função exercida e a explicação é uma só: é um profissional infeliz.

Há muito vinha pensando nessa pergunta e mesmo depois de tanto tempo ainda não sabia o que responder quando era questionada.

Acredito que a resposta mais sincera do que queremos ser realmente é respondida quando ainda somos crianças, porém na maioria das vezes somos desmotivados por nossos professores, parentes e até mesmo por nossos pais, que julgam estar fazendo o melhor para nós e não incentivam nossos sonhos, focando sempre que determinada função não fornece o futuro promissor que eles sonham para nós.

Mas afinal de quem é o sonho? Por que nossos pais querem para nós o que julgam o melhor e não o que queremos? Quem não conhece pessoas que estão em uma profissão sem a mínima vontade? Quantas vezes ouvimos pessoas falarem que trabalham por dinheiro e não por prazer?

É fato que necessitamos de dinheiro, pois neste mundo capitalista não podemos viver sem ele, precisamos suprir nossas necessidades e atender nossos caprichos. Mas exercer uma profissão que não suportamos, que nos estressa e nos faz mal só de pensar em ir para o local de trabalho, é uma tortura e ninguém merece e precisa passar por isso.

Fazer o que gosta é mais importante do que o dinheiro no fim do mês, afinal os melhores profissionais são aqueles que fazem o que gostam. Diversas vezes encontramos profissionais mal educados, estressados e totalmente sem perfil para a função exercida e a explicação é uma só: é um profissional infeliz.

Nunca se esqueça que o mundo de hoje tende a nos tornar pessoas fúteis, com grande dependência do dinheiro, fazendo com que muitas vezes anulamos nossos sonhos e desejo de ser feliz.

Quando for escolher uma profissão, lembre-se que poderá atuar na mesma por longos anos e esse fato com certeza o ajudará a tomar a melhor decisão. Jamais comprometa sua carreira com serviços de má qualidade, por não gostar do que faz. Seja ético em sua profissão e consigo mesmo.

Afinal uma pessoa realizada no que faz independente do salário, é uma pessoa feliz e com certeza invejada por muitos, não só pelo fato da felicidade, mas sim pela coragem, força de vontade e esforço, pois ninguém chega onde quer com facilidade.

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.