Dívidas em 3D

Que tal colocar um óculos especial e conhecer os 3D das dívidas?

Conversar sobre dinheiro é sempre muito interessante. Há sempre dois públicos para o assunto: um que aparenta sucesso financeiro, que fala de investimentos, aplicações, ações e bolsa de valores. Há também outro grupo que silencia, sem coragem de expressar que se encontra endividado.

Esse artigo é especial para quem está no segundo grupo, o grupo do silêncio. Falo em silêncio porque normalmente as pessoas que se encontram em dívidas tem vergonha de comentar sobre o assunto, acreditando que são incapazes de gerir suas contas, que tiveram insucesso profissional ou simplesmente pelo fato de não saber o que os outros vão pensar.

Existe contudo alguns motivos que levam as pessoas ao endividamento e que nem sempre são discutidos abertamente. Convido você a colocar seus óculos 3D e olhar para as três situações clássicas de endividamento:

1 * Divórcio

2 * Desemprego

3 * Doença

Bom, pelas palavras você já deduz que não precisará de óculos especiais para enxerga-las com clareza. Basta entender um pouquinho mais sobre cada um dos assuntos para descobrirmos como as situações descritas levam a contratação de dívidas.

1 * Divórcio: o vilão aqui não é o ex-marido ou a ex-mulher. O vilão principal é o custo de vida que aumenta após a separação. O que era junto será separado. Aluguel, prestação de carro e outros itens que antes se diluíam no salário conjunto do casal, passam a ser de cada um dos cônjuges.

2 * Desemprego: perdeu o emprego? A vida continua e as contas continuam também! Pela falta de reserva financeira, em algumas situações é neceessário contratar algumas dívidas para subsistência pessoal e/ou familiar, até conseguir um novo trabalho. E aqui entra também a famosa "crise". Para quem é empreendedor, um período escasso de vendas pode gerar as mesmas contas, sem o mesmo faturamento.

3 * Doenças: ninguém está preparado para elas. Não as esperamos. Elas entram sem ser convidadas. Gastamos tudo o que temos e até o que não temos para nos livrarmos das doenças e obter nossa saúde de volta.

E você, o que tem feito para fugir dos 3D das Dívidas? Acompanhe as três dicas de ouro:

1a dica - Casamento: Se a última opção for o divórcio, será necessário acordar com antecedência a separação e os dois cônjuges devem se preparar para o processo. Ainda assim, vale lembrar que na maioria dos casos é bem mais econômico dividir o espaço com alguém. Que tal casar de novo, com a mesma pessoa?

2a dica - Trabalhe com prazer: Fazer aquilo que gosta deixará você feliz e animado para a jornada. Mostre seus talentos e tudo aquilo que você é capaz de fazer. Trabalhe com zelo e dedicação, independentemente se você é funcionário ou o dono do negócio. E então?

3a dica - Cuide de você: Você é a única pessoa que pode fazer alguma coisa por você mesma, começando por atividades físicas, cuidados com alimentação e redução de estresse. Você já está se cuidando?

E, ainda que tudo isso esteja em perfeita harmonia, o cuidado central para não cair em nenhum dos 3Ds das dívidas é constituir reserva. A reserva de emergência, como é conhecida, deve ter de 03 a 06 meses do seu custo de vida mensal. Deixe-a em algum investimento disponível, como poupança por exemplo.

Comece hoje! Se você está com dívidas, seu primeiro passo deve ser o planejamento para eliminar cada um dos valores contratados. O segundo passo (ou o primeiro para quem não está endividado) é traçar objetivos financeiros, como a constituição dessa reserva de emergência.

Muitos outros passos ainda virão e o mais importante deles é pensar que você é capaz de mudar sua história futura, inclusive a financeira.

Decida-se por você!

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento