Dívida pessoal

Neste momento de final de ano, as pessoas recebem mais, mas o que fazem, compram mais ou pagam dívidas?

Neste momento do ano, as pessoas começam a receber o justo reconhecimento de um ano de trabalho, e o que as leis do trabalho lhes garantem que é o 13o salário, o salário de Dezembro, para as empresas que praticam, o 14o, quando o caso e aos que vão tirar férias no início de ano, recebem suas férias antecipadas. O leão agradece, mas mesmo assim, sobra muito mais do o mês normal. Mas o que as pessoas fazem, torram em compras de Natal, afinal ninguém é de ferro ou pensam no futuro e pagam as suas dívidas do cartão de crédito?

Eu já passei muito por esta questão, quando trabalhava no mundo corporativo, e era um sentimento dúbio, porque ao mesmo tempo sentia alívio para pagar as dívidas e por outro lado de poder ter um Natal, férias com os filhos de muitas alegrias e satisfação. Acontece que cada ano que passava o dinheiro dava menos para pagar as dívidas, que rolavam para o ano seguinte, e as férias ficavam cada vez menos aproveitadas, porque viajávamos menos.

Por isso, este artigo se propõe não ajudar, porque muitos consultores tentam isso, mas para alertar a todos que como eu era, estão gastando mais do que ganham, sempre contando com empréstimos fácéis, facilidades de vários cartões de crédito e "empurrando com a barriga", o problema das dívidas e não achando justo não ter dinheiro para viver, como acha que merece. Acreditem, esta vida não é digma de vocês, precidam sair desta ciranda e dançar outra música, dentro de seus padrões financeiros, ou então vai procurar outro trabalho para ganhar correspondente ao que gasta, mas aí é tema para outro artigo.

A dívida pessoal, vem aumentando muito pelo mundo, em forma de cartão de crédito, financiamentos, empréstimos bancários e até de consórcios de carros e imóveis, transformando a vida das pessoas presas a estes montandes contraídos, nem se sabe bem porque, e o que é pior, não sabem como sair deles depois de algum tempo lá dentro.

As pessoas se alçam a padrões muito acima do permitido pela renda que tem de seu esforço no trabalho, atraído pelas facilidades do crédito, pelas campanhas estrondosas do comercio, que para sobreviver fazem campanhas de marketing, empurrando seus produtos para consumidores não preparados para analisar as condições de compra.

A consequencia disso são as preocupações constantes das pessoas, se prejudicando no trabalho, na vida familiar e social, podendo chegar a miséria, para os que perdem o controle e não conseguem pagar, quando chega a determinado ponto de dívida. Por isso resolvi escrever este texto, para alertar e aconselhar de forma resumida, como retomar o controle de sua situação financeira.

Os créditos e empréstimos são fáceis de conseguir, os bancos atraem seus correntistas para "juros baixos", prazos alongados, para facilitar o valor da prestação, as operadoras dos cartões, enviam cartões de crédito para a casa do cliente, já com crédito aprovado, senha gerada e tudo mais. Mas este mecanismo de crédito são os piores que tem, e não sabendo usá-los, são a guilhotina de seu pescoço, porque facilita muito a falta de controle do que gastou.

1a dica. Pague tudo em dinheiro ou cartão de débito, ao invés de cartão de crédito. Assim saberá quanto gasta. Desta forma o seu controle principal fica na sua conta corrente e o limite é o seu dineiro e não o limite do cartão, que geralmente é maior do que o seu salário. Mas cuidado, porque na conta corrente, tem o limite do cheque especial, que é um juros menor, mas é juros.

2a dia. Para congelar suas dívidas, congele seus gastos. É dolorido, mas é necessário, para o seu proprio bem e de seus familiares. Você não pode viver achando que tem padrão de seu limite de cartão de crédito + limite de cheque especial + seu dinheiro na conta, isso é = falência e desespero.

3a dica. Antes de comprar, pense se pode comprar, se tem dinheiro na conta e se precisa dessa compra. Pense em quantos sapatos, camisas, bermudas, bolsas ou sei lá mais o que, que está de olho e com a mão na massa para comprar. Você realmente precisa do que está comprando?

Aperte o cinto, não dizem que o País está em crise, neste momento acredite e lembre das dificuldades que tem para ganhar o seu dinheiro. Reduza seus gastos para o que precisa e pode pagar. Não entre de cabeça no mundo consumista. É certo que temos que fazer a economia girar, mas você não precisa fazer esta parte sozinho, deixe a sociedade te ajudar.

Uma vez me falaram um ditado, que se você falha em planejar, você planeja falhar. Planejamento é tudo de bom. Faz você refletir, organizar as ideias e dá sentido na vida.

4a dica. Sente e liste todo o seu dinheiro, tudo que entra mensalmente em sua conta, seja salário de um , dois empregos, seja mesada, pensão, etc. Veja tudo que entra e que sai, e analise como está gastando. Assim permitirá observar para onde a maioria do dinheiro vai e como pode reduzir.

Não adianta ter orçamento se não estiver preparado para segui-lo. Muito bonito seu orçamento, pendurado na parede, você o olha todo dia, mas se não acompanhar, se não fizer ajustes durante o período, nada adiantará. Viver sem dívidas vale a pena e é bom demais, acredite, porque hoje eu não tenho mais isso, e posso confirmar os dois lados da moeda.

5a dica. Não pagar fatura do cartão de crédito atrasada. Tem muito juros embutido neste ato, e os bancos e financeiras torcem por isso, porque é onde eles ganham e onde a campanha de marketing, confirma que deu certo nas ações. Este atraso também afeta sua taxa de crédtio, que precisando numa emergência, vai ficar mais cara, porque você será encarado como mal pagador e com riscos grandes nas próximas dívidas.

6a dica. Assim como acima, não entre no processo de pagamento mínimo, porque a dívida só continuará crescendo, assim como seu desespero de continuar pagando, e principalmente se continuar comprando, pare de comprar. Para reduzir a dívida, liquide com esta dívida, porque é a mais cara. Pague tudo já!

7a e última dica. As taxas de cartão de crédito são as mais altas, então pague elas primeiro, porque elas é que vão consumindo sua receita ao longo do tempo, sem você perceber, se não houver obediência as dicas acima.

Primeiro as dívidas mais caras, depois as demais.

Seguindo essas recomendações, você começa na direção certa, a melhor maneira de não ter dívidas é não entrar em uma.

ExibirMinimizar
aci baixe o app