Diário do Empreendedor (II)

Todo começo é difícil, portanto, é necessário muita disciplina para não perder o foco e conquistar uma posição na mente do seu potencial cliente

Quando você começa a empreender, as percepções se voltam para o seu negócio, pelo menos no seu círculo de relacionamentos. Alguns pensam e até dizem que você é doido, outros dizem que está nadando em dinheiro; alguns torcem pelo seu sucesso, outros duvidam, mas não dizem nada. O fato é que, quando você decide, não tem mais como voltar atrás.

Os primeiros trinta dias são tensos. Dá vontade de desistir, mas o orgulho não deixa. Empreender requer um esforço razoável para manter o foco e seguir otimista em todos os sentidos. É melhor nem pensar em desânimo. Nossas dúvidas são sempre traidoras...

No início é assim mesmo. Você alterna entre picos de tensão e de êxtase. Envia cinco propostas, fecha uma; envia dez, fecha duas; envia vinte, não fecha nenhuma. Você se questiona: onde está o erro? O que você viu que o seu potencial cliente ainda não viu?

Não basta ter um produto ou serviço que você considera a maior maravilha já lançada nos últimos tempos. É necessário avisar o cliente, desbancar a concorrência, torcer para que alguém acredite nisso. E a concorrência não vai ajuda-lo. Há sempre alguém disposto a fazer o dobro do que você faz pela metade do preço. O mercado é cruel. Para alguns, é questão de sobrevivência.

Ao iniciar qualquer empreendimento, o interessante é que algumas pessoas acreditam mesmo no negócio, a ponto de querer uma sociedade ou uma parceria contigo. Negócio é bom quando é bom para ambos, entretanto, se os dois lados tem apenas conhecimento e vontade, mas não tem capital, precisa ser avaliado com mais carinho.

Como fazer, então, para não perder o foco e seguir em frente? Isso requer doses de reflexão diárias a respeito do seu produto ou serviço e, principalmente, do seu público-alvo. Em primeiro lugar, as quatro perguntas do seu modelo de negócio devem ter sido muito bem respondidas:

1) Em que negócio você está?

2) Qual é o seu público-alvo?

3) O que você realmente vende?

4) Qual é o seu diferencial competitivo?

Em segundo lugar, ainda que você tenha isso muito claro na mente, lembre-se de que qualquer negócio demanda investimento em posicionamento de mercado e tempo de maturação. Trinta dias é muito pouco para entender e conquistar a mente do consumidor. Ele sabe que você existe, mas vai esperar para ver até onde você aguenta.

Ao empreender, principalmente se você saiu da renda fixa, é necessário reconstruir a curva de aprendizado e enfrentar uma nova batalha pela mente do seu potencial cliente. Não importa se você presta um excelente serviço ou tem um excelente produto. Essa percepção será sempre do cliente. Empreender vai além das ideias. Empreender requer esforço, otimismo e um desejo irreversível de se fazer por conta própria.

Pense nisso e empreenda mais e melhor!

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.