Desvendando a gestão por competências

A pluralidade de concepções e abordagens práticas próprias do conteúdo da Gestão por Competências, favorece a utilização de filmes, um modo necessário para alcançar os construtos teóricos a ilustração da realidade. Na construção de um conceito da Gestão por Competências, vamos conhecer os diversos conceitos de vários autores que consideramos essenciais em termos de aprendizado

Ministrando aulas no curso de Administração, gosto de trabalhar com o uso de filmes, o que possibilita a construção do conhecimento de forma coletiva, levando à uma melhor compreensão da temática e nível crítico nas discussões. O uso do filme “Nenhum a Menos”(1998), sob a direção de Zhang Yimon, contribui para desvendar os conceitos da Gestão por Competências.

A pluralidade de concepções e abordagens práticas próprias do conteúdo da Gestão por Competências, favorece a utilização de filmes, um modo necessário para alcançar os construtos teóricos a ilustração da realidade. No filme Nenhum a Menos, existe uma rica conexão entre as diversas definições de competências individuais, os diálogos e o desenrolar da trama.

Na construção de um conceito da Gestão por Competências, vamos conhecer os diversos conceitos de vários autores que consideramos essenciais em termos de aprendizado.

McClelland (1973), discute a competência como uma característica relacionada com o desempenho superior na realização de uma tarefa, alguma cosia denominada como “estoque’ ou repertório individual. O CHÁ da competência: Conhecimentos (técnica e informação), Habilidades (técnicas e humanas) e Atitudes (Pró-atividade).

A transformação dos elementos do CHÁ da competência vai definir o reconhecimento da Competência. Lenzi (2008), menciona que o conhecimento é representado pelo nível de informação que se tem em relação ao negócio, a empresa e a carreira.

As informações sobre o ramo de atividade, o mercado e o setor devem ser perseguidos o tempo todo. Fleury e Fleury (2001), define competências como a habilidade encontrada nos diversas saberes: “Saber agir”. “Saber mobilizar-se”. “Saber comunicar” “Saber aprender”. “Saber comprometer-se”. “Saber assumir responsabilidades”

São as chamadas competências do profissional que irão agregar valor econômico à organização social do indivíduo. No filme Nenhum a Menos, a professora apresenta seus saberes a partir de ação concretas . “ O Saber agir”, quando ela toma a decisão de ir buscar o estudante na cidade. “O Saber mobilizar”, quando mobiliza recursos dela e do grupo para conseguir o objetivo de pagar o ônibus. “O Saber comunicar”, na forma de interação que estabelece a partir do conflito em classe, transforma-se em um novo vínculo a partir da construção de uma linguagem comum aos estudantes. “ O Saber aprender” ao construir o conhecimento com os estudantes na equação matemática e raciocínio lógicos. “ O Saber comprometer-se “, buscando alternativas para conseguir ir para a cidade , comprometendo-se a não perder um estudante”. “O Saber assumir responsabilidades” quando assume o risco de ir à cidade buscar o estudante, e ao retornar, ser reconhecida pelo ato e benefícios adicionais à escola. Outros autores importantes destacaram a importância da gestão por competências. Bittencourt (2001) em sua tese de Doutorado:

A Gestão das Competências Gerenciais- uma contribuição da aprendizagem organizacional, define as competências com uma menção aos saberes: Saber- conhecimentos e conceitos. Saber fazer—Habilidade e Princípios. Saber Agir ( Atitudes e Práticas).

Le Boterf (2001), afirma que a competência implica autonomia e auto mobilização, e que a formação não pode ser sinônimo de adestramento, nem pode ser reduzida à simples transmissão de conhecimentos e informações.

Ducci (1996), destaca a importância das competências como um processo de desenvolvimento econômico e social no ser humano, como agente e beneficiário da mudança e reforça a ideia de que a competência significa aquela capacidade do indivíduo em enfrentar as incertas situações no trabalho, a partir de sua formação e experiência anteriores.

Dutra (2004), destaca a concepção de entrega no debate sobre competências, como a capacidade de entregar-se à organização, avaliando-se aspectos individuais como a formação, experiência, modo de atuar, maneira de realizar o trabalho solicitado e a entrega das realizações.

Para nós professores, quando utilizamos filmes na sala de aula temos a convicção de que a realidade e ficção aproximam-se, e na busca por semelhanças e divergências entre ambas pode ser uma estratégia útil para levar os estudantes a uma reflexão mais profunda sobre o seu posicionamento profissional, e a melhor forma de compreender os modelos de Gestão por Competências nas organizações.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento