Desafio: como remarcar os preços sem espantar os clientes?

É importante analisar a cadeia de composição do preço final do produto a ser praticado na gôndola para tornar mais fácil a decisão de para remarcar os preços ou substituir por produtos similares

Com o cenário econômico que o Brasil está vivendo atualmente: inflação em alta, reajustes na taxa de juros, na conta de energia elétrica, na conta de água – mesmo com a crise hídrica, sem contar o aumento do combustível que acaba refletindo diretamente no frete de entrega de produtos.

Juntando todas as novas despesas, o primeiro questionamento do empresário é de quando e como repassar estes custos sem espantar os clientes da loja. E a resposta para essa dúvida é fácil: planejamento!

É importante avaliar analisar a cadeia de composição do preço final do produto a ser praticado na gôndola para tornar mais fácil a decisão de para remarcar os preços ou substituir por produtos similares.

A cadeia de composição é composta por condições dos fornecedores para preço, bonificações, negociações, entrega e pagamento; despesas operacionais de infraestrutura, manutenções, pessoais e facilities (serviços terceirizados); condições de estoque e margens dos produtos por Grupo A, B e C.

Portanto, o primeiro passo para remarcar o preço é calcular quanto o produto custa, em seguida, levar em consideração as despesas resultantes da venda dos produtos, como impostos, despesa com entrega, entre outros.

Os gastos fixos não podem ficar de fora dessa conta, mesmo se o volume das vendas for baixo, como é o caso da manutenção, contas de água e luz, salário dos funcionários, entre outras. Por fim, o empresário deve colocar na conta a margem de lucro que deseja ter.

Além de todo esse cálculo, para realizar a precificação, o empresário precisa planejar muito bem a ação, levando em consideração, inclusive, o preço dos concorrentes, pois ao aumentar demais os preços, pode-se perder uma grande parcela de clientes para a loja do lado. Por isso, é importante se manter competitivo. “Soluções tecnológicas, como as que temos na WCA podem facilitar o processo de precificação”, acrescenta o CEO da WCA Inteligência de Negócio, Wan Ming Chung.

Competitividade no varejo
Ao aumentar os preços, o empresário encara um novo desafio, o de manter os clientes fiéis. Para isso, entram as ações de fidelização, como promoções, entrega de brindes, flexibilização das formas de pagamento e qualquer outra ação de marketing que possa ajudar a manter o cliente envolvido com a loja.

Estar atento às novidades do mercado e procurar saber o que seu cliente busca pode auxiliar na hora de oferecer determinados produtos. Realizar pesquisas na boca do caixa sobre o que o consumidor não encontrou pode facilitar o reconhecimento dos itens que merecem investimento.

ExibirMinimizar
Digital