Demissão, dor e oportunidade
Demissão, dor e oportunidade

Demissão, dor e oportunidade

Atue para evitar mas, se não for possível, transforme a dor em oportunidade em sua vida profissional

Em minha carreira profissional, passei por pelo menos oito empresas, algumas delas ao mesmo tempo, pois trabalhava como CLT no horário comercial e ministrava cursos à noite e aos sábados. Neste período, recebi diversas promoções e experimentei duas demissões. A primeira eu ainda era bastante jovem, sem muitas responsabilidades financeiras e morava com meus pais. Já na segunda experiência...

Maio de 2009, cheguei na empresa como de costume, tentei logar em meu computador e recebi a mensagem que o mesmo havia sido bloqueado pelo administrador e eu sabia bem o que esta mensagem significava. Tentei novamente, olhei para meus amigos e disse que tinha sido demitido. Todos acharam que era uma brincadeira minha e logo em seguida vejo meu chefe entrando no departamento por um corredor de cerca de 30 metros e, aqueles poucos segundos me pareceram uma eternidade pois estava com certo receio de olhar pra ele. Quando finalmente olhei, ele estava se aproximando de uma sala que usávamos para reuniões e me parecia tenso e constrangido e um filme de anos passou em minha cabeça em alguns segundos.

Entramos na sala e quando sentamos para conversar sua voz quase não saía. Me disse que a empresa precisava reduzir custos e o critério para cortar as três pessoas que estavam sendo demitidas naquele dia, havia sido salário. Lembro de termos conversado por um momento, pedi um feedback, saímos da sala, fui abraçado por todos e comecei recolhendo minhas coisas. Nenhum segurança me acompanhou, fiz a entrevista de desligamento, onde agradeci a oportunidade de ter trabalhado na empresa e elogiei meu gestor. Pensei em me despedir dos amigos de outros departamentos que lá trabalhavam, mas disse que não gostava de despedidas e voltaria lá outro dia, mas eu estava envergonhado mesmo.

Saí de lá sem saber o que fazer. Liguei para um amigo para já tentar uma outra oportunidade que acabou não dando certo, mas recebi muito apoio naquele momento. Mas o mais difícil era chegar em casa. Como falar para minha família que não estava mais empregado, para ser mais polido, pois estava desempregado e consequentemente, sem renda.

Alguns meses se passaram e para voltar a ter uma renda, e ao mesmo tempo mudar de área que já era meu desejo, aceitei ganhar metade do que ganhava sem registro em carteira.

Hoje, mais experiente e podendo ver todo o trajeto 10 anos depois, posso dizer que ainda que doloroso no momento, ser demitido naquele dia foi ótimo para minha carreira, pois além de fazer hoje algo que tenho paixão por fazer, a adversidade provocou aprendizado, evolução e crescimento, que provavelmente não teria desenvolvido no contexto em que estava.

Por isso, gostaria de compartilhar algumas lições que aprendi com esta experiência:

Faça valer aquilo que você ganha

Já vi diversos casos de demissões onde a justificativa foi redução de custo, cortando aqueles que possuem o salário mais alto. Ainda que algumas vezes esta justificativa não passe de uma desculpa da organização, não é incomum empresas realmente optarem por trocar profissionais melhor remunerados “caros” por estagiários ou profissionais mais “baratos” e por isso é fundamental agregar valor ao que você entrega. Se você olhar atentamente para aquilo que você faz e achar que poderia ser substituído por um profissional menos experiente com poucos prejuízos é provável que isso realmente aconteça. Para se proteger de momentos assim é preciso se manter alerta e atento ao mercado. Verifique de tempos em tempos, qual o salário médio de seu cargo em outras empresas, os requisitos para o mesmo, peça por novas responsabilidades e tarefas e mantenha o foco na excelência. Se ainda assim, você for trocado, suas possibilidades de recolocação no mercado serão muito maiores.

Não se sinta incompetente ou inadequado

Infelizmente, tenho visto muitos profissionais estacionarem em seu processo de desenvolvimento e serem atropelados pelo mercado. Porém se esse não é seu caso, ser demitido não deveria causar constrangimento principalmente em momentos de crise ou ainda de fusão ou aquisição de empresas, pois pode ser uma questão de estratégia ou, ainda, uma necessidade de redução dos profissionais que lá prestam serviços. Por isso seja resiliente e mantenha-se em movimento, ampliando seus conhecimentos e habilidades o tempo todo, principalmente as comportamentais ou soft skills, que de "soft" na verdade não têm nada. Segundo o Fórum Econômico Mundial as soft skills mais requisitadas até 2022, serão:

  1. Pensamento inovador e analítico
  2. Aprendizado ativo e estratégias de aprendizado
  3. Criatividade, originalidade e iniciativa
  4. Tecnologia, design e programação
  5. Pensamento crítico e analítico
  6. Resolução de problemas complexos
  7. Liderança e influência social
  8. Inteligência emocional
  9. Racionalidade, resolução de problemas e ideação
  10. Análise e avaliação de sistemas

Foque naquilo que deseja

Tudo muda o tempo todo e não adianta ficar pensando apenas no que poderia ter sido feito, é preciso imprimir aquilo que você deseja e pode fazer! Todos possuem capacidades e estilos únicos, use isso a seu favor e coloque sua mente para trabalhar para você usando sua fisiologia, verbalizações e alterações de suas crenças. É o que sugere Tonny Robbins, um dos mais famosos coaches de todo o mundo, tendo trabalhado com personalidades como: o ex-presidente Bill Clinton, a tenista Serena Williams, a apresentadora, atriz e empresária Oprah Winfrey, André Agassi, entre outros, mude aquilo que você diz pra você mesmo, mude aquilo em que acredita e mude a forma como se comporta diante da situação, pequenas alterações produzirão impactos gigantescos! Para ter mais clareza do que estou dizendo veja algum vídeo na internet que ele fale sobre isso.

Esteja pronto para mudar de carreira

Ainda de acordo com o Fórum Econômico Mundial, a divisão de trabalho entre seres humanos e a tecnologia está mudando rapidamente. Enquanto em 2018, 71% do total de horas de trabalho presentes no relatório sobre o futuro do trabalho era realizado pelo ser humano e 29% de forma automatizada, em 2025 espera-se que 48% do trabalho seja realizado por pessoas e 52% de forma automatizada. Esteja preparado para mudar e aprender durante toda a vida - lifelong learning - pois as mudanças continuarão acontecendo e com impactos cada vez maiores, gerando frustrações para alguns e oportunidades para aqueles que se manterem em desenvolvimento permanente. Para dar algumas ideias de como adquirir conhecimento, que possa se traduzir em habilidades, existem diversos cursos online e gratuitos.


Essas são apenas algumas dicas simples, mas de grande impacto. Quais dicas ou lições você pode compartilhar?

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.