Delivery online: a última fronteira do e-commerce
Delivery online: a última fronteira do e-commerce

Delivery online: a última fronteira do e-commerce

Restaurantes e pizzarias pioneiras no uso dos aplicativos reportam que os pedidos online já representam de 30% a 60% das suas encomendas

Roupas, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos, livros, perfumes, material escolar e de escritório, itens de supermercado, ração para animais de estimação, ingressos para cinema e teatro, cursos de idiomas, carros usados. Hoje é possível comprar quase de tudo no e-commerce. Em 2014, 51 milhões de e-consumidores realizaram 103 milhões de pedidos via web, gerando R$ 36 bilhões em faturamento para as lojas online. Mesmo com a estagnação da economia, a previsão é de que o setor continue crescendo a taxas de 20% ao ano nos próximos anos.

Diante desses números, é inegável que o e-commerce está mudando a forma como o consumidor brasileiro pesquisa, escolhe e compra produtos e serviços e o caminho natural é abranger cada vez mais o segmento de restaurantes, pizzarias, bares e lanchonetes através dos pedidos online, ou delivery online.

Um fator que vem contribuindo para impulsionar esta que é a última fronteira do comércio eletrônico é o crescente uso dos smartphones e tablets. Mais da metade dos acessos à internet no país já é feita por meio destes aparelhos e, graças aos aplicativos, fica cada vez mais fácil e prático pedir a pizza, yakissoba ou hambúrguer online do que fazendo uma ligação telefônica.

De acordo com a iFood, os pedidos online tiveram faturamento de R$ 160 milhões em 2012 e a previsão é de que esse valor dobre até o final de 2015. São números expressivos, mas ainda não fazem cócegas aos R$ 8 bilhões do mercado de delivery.

A diferença mostra não só o enorme potencial que o segmento tem para crescer no Brasil como também a oportunidade para as empresas de food service conquistarem clientes por meio desse novo canal de vendas. Restaurantes e pizzarias pioneiras no uso dos aplicativos reportam que os pedidos online já representam de 30% a 60% das suas encomendas.

Mas da mesma forma que abre oportunidades, os pedidos online também possuem os seus riscos. É preciso entender como funciona a parceria com os aplicativos, perfil dos clientes, como dimensionar o atendimento para manter o nível de satisfação. O objetivo desta série de artigos é fornecer orientações para que os empresários possam planejar sua entrada no mercado online de forma a explorar todos os benefícios que ele oferece.

No próximo post, vamos apresentar mais informações desse mercado, perfil dos usuários e qual a sua expectativa quando fazem pedidos através de um aplicativo e não pelo telefone.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento