Dar o peixe ou ensinar a pescar?

Dar o peixe ou ensinar a pescar? Esse é um falso paradoxo, pois diante de problemas sociais tão complexos não bastam soluções simplistas, não cabe a escolha entre duas opções, é necessário assumir uma política de transferência de renda para impedir, de forma estratégica, os processos de desintegração dos ambientes familiares e consequentemente da sociedade. Assistencialismo, filantropia são válidos em situações de desespero, pobreza extrema, mas criam dependência e reduzem a auto-estima. E, uma cesta básica, alguns litros de leite e poucos reais por mês não transformam a realidade de uma família carente. A educação é fator determinante para promover a mudança deste quadro. É preciso atacar as causas e não apenas fornecer soluções imediatistas. Ensinar a pescar é oferecer educação, emprego de qualidade, estimular o cooperativismo e o micro crédito, é libertar das humilhações das esmolas. Essas oportunidades valem muito mais do que qualquer doação, porque servem como subsídios para que o indivíduo construa um futuro mais sólido. Entretanto lamento advertir que boa parte dos nossos problemas sociais não será resolvida em sala de aula, através de algum emprego ou crédito. Sendo assim, a solução é continuar prestando assistência ao idoso, ao tetraplégico, ao doente e também investir em crianças e jovens. Manter o equilíbrio para que o neoliberalismo social não sobrepuje o humanismo cristão.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.