Custeio por absorção ou custeio variável?

Qual sistema de custeio escolher: variável ou por absorção. Este artigo retrata as características destes dois modelos na gestão da empresa.

Custeio por Absorção é a forma de custeio que apropria todos os custos em todos os produtos ou seja, é uma forma de rateio dos custos em todos os produtos da fábrica.

Exemplo: Meus custos fixos são de 10 mil. Produzo dois produtos. Produto A, consome 40% de todas os custos fixos. Já o produto B, consome 60%. Então ao produto A atribuo o valor de 4.000 e ao produto B será atribuído o valor de 6.000. Fácil ne?

Pois infelizmente não é tão fácil assim. A lógica da coisa, realmente é essa: Alocar todos os custos (fixos, variáveis , diretos e indiretos) em todos os produtos. Agora vem a problemática da história. Como chegar nesse percentual? como estipular um indexador para o rateio (ou seja, a divisão) destes custos em cada produto?

O desenvolvimento deste critério de rateio é o mais complicado. O Controller, Contador ou Administrador Financeiro não poderá fazer isso sozinho até porque ele não tem conhecimento suficiente do processo produtivo para desenvolver estes indexadores.

Então, o profissional terá que ter ajuda de outras áreas como forma de subsídio ao seu estudo – os engenheiros de produção, por exemplo.

Se for escolhido um critério de rateio errado, as informações ficarão inverídicas o que prejudicará a análise e consequentemente a tomada de decisão.

Decisões sobre por exemplo que produto estocar mais, que produto reduzir a fabricação, que produto necessita de maior atenção nas vendas, que produto eliminar em um momento de crise.

Estas e outras perguntas só poderão ser respondidas eficazmente se o critério de rateio estiver correto e com o mínimo possível de margem de erro.

O outro método de custeio é o custeio variável.

Esse método é mais simples e eu particularmente prefiro na maior parte das vezes.

Significa atribuir o custo fixo somente no final. No final? como assim?

Isso mesmo, vou explicar: Primeiro eu separo tudo que é variável e tudo que é fixo. Quando eu digo variável , me refiro a todo custo que varia de acordo com a produção vendida. Por exemplo: imposto sobre as vendas, comissões, matéria prima na produção, fretes, etc.

Quanto mais eu vender, mais estes valores aumentarão. No caso do custo variável, é possível estabelecermos um percentual exato indexado sobre as vendas.

Após conhecido o custo variável é hora de achar o resultado bruto, que é a subtração do custo variável do total de receita de vendas.

Tendo o valor do resultado bruto, agora sim utilizamos o custo e despesa fixa. Subtraímos do resultado bruto , o montante do custo e despesa fixa e assim finalmente encontramos o resultado líquido do período.

Custeio por absorção ou custeio variável são os métodos de quantificação e gestão de custos que o administrador têm disponíveis para escolher qual utilizar. Ele realmente deve ter o livre arbítrio para decidir qual a melhor técnica utilizar, porém, para cada situação uma será mais eficiente do que a outra.

Não se engane: Nunca generalize. Nos negócios tudo é relativo, a depender da ótica do administrador, do contexto situacional e dos objetivos a curto ou longo prazo.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento