Curitiba desponta na tendência de coworking

Essa otimização de local de trabalho é conhecida pelo termo em inglês coworking.

Cada “habitante” em um espaço de coworking pode representar uma nova oportunidade de negócios.
No caso de profissionais atuando em um espaço de coworking, vale até uma conversa sobre como aproveitar melhor o ambiente e o potencial de todos.

A tendência surgiu, com esse nome, por volta de 2005, nos Estados Unidos, mas certamente, de maneira não tão profissional, já acompanha a humanidade desde sempre.

De modo geral, as unidades de coworking são ambientes em que vários profissionais dividem não só o espaço, mas também as despesas.

Dependendo da abrangência, o compartilhamento pode ser apenas de sinal para internet ou também de mais serviços, como telefone, atendimento de secretária e impressão, e outras áreas, a exemplo das salas de reunião.

Há duas principais vantagens nessa metodologia de trabalho.

A primeira delas é exatamente a possibilidade de contar com um ambiente adequado para o início da empresa por um custo bem mais acessível.

A outra é um fator crucial para o desenvolvimento de qualquer negócio: relacionamento (ou networking).

A primeira experiência oficial desse sistema surgiu no Brasil em 2010, exatamente em Curitiba, com a Aldeia Coworking

A reunião de profissionais de diversos segmentos trabalhando de forma independente acabou provocando, naturalmente, a integração e a realização de ações conjuntas.

A Aldeia está se tornando uma franquia e levando sua expertise para outras cidades. Hoje, a cidade já conta com diversas opções de coworking.

Para que os “empreendedores” aproveitem ao máximo seu potencial, é indispensável que a infraestrutura atenda às necessidades de todos. Criar um espaço de coworking também depende de planejamento.

É importante prever o número de pessoas que ocupará o espaço e o que vai fazer, para que seja possível prever a instalação de mobília e equipamentos.

Iluminação também faz parte do projeto, que tem de levar em consideração espaços exclusivos e comunitários.

Vale aproveitar o ânimo deste início para já preparar possíveis e desejáveis ampliações.

Quem sabe não há alguém de arquitetura entre os novos empresários que pode colaborar neste ponto de partida?

E ter – de uma maneira ou de outra – a devida remuneração, claro.

Dica importante para todo e qualquer início de empreendimento é contar com a ajuda do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, o Sebrae.

Uma rápida consulta pode fazer grande diferença em questões fundamentais.

Publicado originalmente em http://blogmarketingonline.com.br/o-caminho-para-ser-um-empreendedor-de-sucesso/

ExibirMinimizar
aci baixe o app