Cultura psicopática

Artigo que trata sobre a degradação do valores morais e o engrandecimento da cultura psicopática pela sociedade

As vezes fico imaginando se realmente precisamos de tudo aquilo que possuímos? Me pego pensando se realmete nossa cultura dos três I’s não estaria nos trasnformando em semples comsumidores, mas em comsumidores psicopatas. Vivemos em um mundo onde o imediatismo, o individualismo e o instrumentalismo se fazem presentes como uma fórmula mágica para alcançar o sucesso, daí esta que vos falar chamar nossa cultura de cultura dos três I’s.

Como individualistas estamos sempre buscando o máximo que a vida possa nos oferecer, ressalva para este nós que na verdade quer dizer única e exclusivamente eu, é fato hoje em dia que a sociedade se torna cada vez mais individualista, fechada e voltada para dentro de sí mesma num espiral que não tem fim, fato compravo pelas construtoras que entenderam esse movimento e estão se especializando em criar apartamentos para apenas uma pessoa, quando muito uma pessoa e um animal. Palavras como AUTOdesenvolvimento, AUTO-realização, AUTO-satisfação, nunca estiveram tão na moda.

Como imediatistas queremos tudo para ontem, o celular lançado ontem, não satisfaz minhas necesidades de hoje, talvez eu espere pelo modelo que será lançado amanhã, onde com apenas mais um digito do tipo 4.1.1.1 será melhor do que o 4.1.1 afinal possui um dígito a mais, e faz as mesmissimas coisas que o anterior, mas possui um dígito a mais e não faz nada mais além de possuir um dígito a mais.

Como instrumentalistas resumimos os seres humanos de acordo com os valores do que eles podem fazer por nós, quem me é útil vale seu peso em outro, quem não me serve é apenas um pesado fardo para a sociedade...

A bem da verdade tudo está completamente implicito na primeira caracteristica da nossa cultura, tão prezada pela sociedade o individualismo. Sendo assim, nosso foco principal voltou-se para a satisfação pessoal aliada a realização de nossos desejos. Sendo relegado para segundo plano a obrigações para com o semelhante, nossa úncia obrigação é conosco mesmo.

Opa vejo aí traços de personalidade e estilo de vida psicotapa, pois de que maneira nós seres humanos que trasnformamos as outras pessoas em simples degraus para alcançarmos a satisfação plena e total de nossos desejos, como reza a cartilha da ideologia moderna, entretanto me pergunto, como vamos definir limites, valores e comportamentos éticos a uma sociedade que apenas sabe viver para sí?

Lembro-me que na época que minha mãe fazia faculdade em licenciatura, as professoras eras disputadas a tapas pelos rapazes, aquela geração, era uma geração que valorizava o ser, o saber e não o ter, que diferença da geração de hoje.

Admito que a sociedade precisa avançar e não sou contra tudo que conquistamos até hoje, a tecnologia aproximou as pessoas que estão longe, pena que com isso afastou as que estão perto, marido e mulher saem para jantar e nem seque conversar ele mostra algo no seu celular a ela e ela por sua vez faz o mesmo, chegam ao absurdo de um na sala e o outro no quarto mandarem mensagens pedindo um copo com água.

Só que esse dezenvolvimento moderno fundamentado na crença cega de que não podemos parar nunca; existindo sempre o aprender mais, possuir mais, descobrir mais, comprar mais...

Onde nada nem ninguém é capaz de satisfazer essa fome voraz que nos consome por dentro, a cultura do individualismo e o desejo do mais a qualquer custo tem provocado a destruição das relações afetivas dentro da sociedade em que estamos inseridos, Virtudes como honestidade, bondade, responsabilidade estão sendo substituidas por tecnologia, o que faz com que cada mais fiquemos mais sozinhos e valorizemos menos nosso semelhante.

Sem sombra de dúvida ste cenário apocaliptico dos nossos tempos espõem e até mesmo favorece o estilo de vida psicopata, esse estilo de vida voltado para os “novos homens” ou “homens do seculo XXI” voltado para si mesmo, precoupado excessivamente consigo mesmo e totalmente desvinculado da realidade vital dos que compõem a vida ao seu redor.

A expansão dessa cultura moderna de muitos traços psicopáticos, modificou e vem modificando a cada dia de forma dramática a forma como nos relacionamos com as pessoas ao nosso redor. Estamos perdendo pouco a pouco o senso de responsabilidade, e ponto de vinculo nas relações interpessoais. Não seria então o aumento implável da violência uma resposta lógica e mais que previsível a toda essa situação?

É hora de pararmos para analisar e refletir sobre essa situação, é preciso que seja definido em que proporções essa cultura na qual estamos submerssos vem contribuindo para o desenvolvimento de perfis psicopáticos.

Precisamos reestruturar, e com urgência os processos de educação e consumo de nossas crianças e jovens, para que eles aprendam valores e comportamentos sociais, que hoje estão se tornando cada vez mais raros ao ponto de em uma entrevista de emprego honestidade ser considerada uma qualidade e não um dever inerente ao ser humano.

É preciso que seja feita uma educação em moldes altruístas para poder fazer surgir uma ética social nova que seja capaz de conciliar direitos individuais com responsabilidades coletivas.

ExibirMinimizar
aci baixe o app