Cuidado com o que você lê nas redes sociais

Neste artigo será mostrado para você a importância do cuidado com o que você lê nas redes sociais! Porque nem sempre quem escreve esses artigos são especialistas no assunto. E as otimizações forçadas para que os mecanismos de buscas encontrem os posts podem ranquear bem os sites/blogs nas primeiras páginas dos buscadores. Mas será que esses posts que estão nas primeiras páginas desses buscadores são, realmente, os melhores?

Tudo o que fazemos e escrevemos é marketing. Será???

Estamos vivendo a era do Marketing Digital – também conhecido como a era do marketing 4.0 – e, principalmente, os jovens estão surfando nessa onda. Escolhem um tema e criam os seus Blogs; e estão em praticamente todas as redes sociais, tais como: facebook, instagram, twitter, linkedin, youtube, etc.


Também realizam cursos rápidos de SEO, copywriting, growth hacking, storytelling – não se assustem com os nomes – que são um conjunto de práticas e técnicas para melhorar o posicionamento de um site/blog, para que fiquem nos primeiros resultados orgânicos dos mecanismos de buscas, na internet, como o Google, Bing e outros.

Porém, é aí que reside o problema, uma vez que ao utilizar essas técnicas, tais como a inclusão de palavras-chaves em post, para melhorar as visitas aos sites/blogs a todo o custo, para que as postagens sejam encontradas, não estão se preocupando se, realmente, é isso que o usuário está buscando.

Essas otimizações forçadas para que os mecanismos de buscas encontrem esses posts podem ranquear bem esses sites/blogs nas primeiras páginas desses buscadores. Mas será que esses posts que estão nas primeiras páginas desses buscadores são, realmente, os melhores?

Dessa forma, com a chegada do Marketing Digital – que é uma ferramenta sensacional e se bem aplicada poderá trazer bons frutos – os blogueiros ou os proprietários de sites se esqueceram ou não sabem da verdadeira essência do marketing que é o foco no cliente; e se isso não ocorrer pode se chamar de qualquer coisa, mas menos de marketing.

Certo dia, ao navegar em uma rede social encontrei um título de um artigo que me chamou a atenção: “Tudo o que fazemos e escrevemos é marketing. Resta saber se você está fazendo isso bem”.

Como assim? Tudo o que fazemos e escrevemos é marketing. Marketing é algo muito específico e não pode ser generalizado.

Como sou especialista em marketing isso saltou aos meus olhos! Sabe aquela professora de português quando encontra um erro grosseiro de ortografia, me senti na mesma situação.

E, por falar em professor, eu tive um de Geometria Descritiva que quando o aluno cometia algum erro grosseiro ele escrevia na prova heresia da seguinte forma: “erezia”, para chamar atenção do aluno.

Assim, fiquei curioso para saber o que o autor queria dizer com esse título e procurei ler o artigo no qual é citado o nome de Jeff Goins e por meio do Google cheguei ao artigo do Jeff, cujo título é: O que é marketing? No qual o autor se “baseou” para escrever o seu artigo. Detalhe estava todo o texto em inglês! Mas tudo bem!

E nesse texto encontrei a frase: Tudo o que fazemos (como escritores e artistas) é marketing. Observe que na frase Jeff colocou que tudo o que fazemos como “escritores e artistas”.

Também, não concordo com o Jeff Goins, porque tudo o que as pessoas fazem como escritores e artistas é arte e não marketing, até pode ocorrer um ou outro casos pontuais, mas não é generalizado.

Agora você imagina se uma pessoa qualquer escreve um monte de besteiras sobre política em uma rede social, outro enche a cara e bate o carro, discuti com o policial e é preso por desacato de autoridade. Isso é marketing? Obviamente que não!

Continue lendo este artigo que irei explicar o que é, realmente, marketing.

Quem é Jeff Goins

Como o Jeff Goins foi citado no artigo – que eu li em uma rede social – escrevo um pouco sobre ele. Nasceu em 1982, na cidade de Chicago, Illinois, é um autor americano, blogueiro e palestrante. Ele é o fundador da “Tribe Writers”, uma comunidade online para escritores.

Em seu artigo, cujo título é: o que é marketing? Transcrevi alguns trechos:

“... Então, quando dizemos que não gostamos de marketing, como muitas vezes ouço muitas pessoas criativas proclamando, temos que nos perguntar: Que tipo de marketing? O tipo que leva as pessoas a fazer coisas que não querem fazer? O tipo que pressiona as pessoas a comprar coisas das quais eles se arrependerão rapidamente? O tipo de marketing como spam?

Bem, eu não gosto desse tipo de marketing também. Mas isso não é marketing. Pelo menos, não como isso é efetivamente feito hoje.

Eu proponho uma nova definição de marketing, que eu tenho certeza que em algum momento eu herdei de Seth Godin, como é o caso da maioria das minhas ideias sobre este assunto:

Marketing é a disseminação de ideias. Claro e simples. Se você divulgar ideias, é um profissional de marketing. Você também pode ser um CEO ou um artista ou um encanador. Mas você também é um comerciante. Então, também pode fazê-lo bem.

Tudo o que fazemos (como escritores e artistas) é marketing.

Por muito tempo, eu desprezei o marketing. Não aguentei. Parecia pura desonestidade. Eu me senti assim muito antes de me tornar um escritor. Mal sabia eu que quase tudo o que fiz foi marketing.

Ocupei um emprego de meio período como operador de telemarketing, onde telefonava para cem pessoas todos os dias e tentava vender uma caixa de CDs.

Agora! Pensei isso era marketing. Mas apenas isso, a ideia de forçar alguém a fazer algo que realmente não queria fazer e lucrar com isso. Essa ideia foi marketing para mim ...”.

Pois é meu caro leitor isso que o Jeff Goins relatou e realizava estava longe de ser marketing, porque no marketing o foco é o cliente e se uma empresa empurra mercadorias para os clientes ela não está praticando o marketing e sim está tão somente pensando em seus lucros, no qual o foco é o produto e não o cliente.

Quem é Seth Godin

Como Jeff Goins, em seu artigo, citou Seth Godin, também, irei falar sobre ele. Que nasceu em 1960, na cidade de Mount Vernon, Nova Iorque, EUA.

Seth é um dos nomes mais notáveis do marketing contemporâneo, empreendedor, autor de best-sellers e palestrante. Além de lançar um dos blogs mais populares do mundo, ele escreveu 18 livros best-sellers sobre negócios, entre eles Marketing de Permissão e Tribos.

Além disso,fundou e se tornou CEO de uma das primeiras companhias de marketing online, a Yoyodyne, que mais tarde vendeu à empresa Yahoo!

E uma das ideias que defende é que as empresas nas comunicações – para divulgar os produtos delas – com os seus clientes não exagerem, isto é, não lotem as caixas de entradas dos e-mails de seus clientes. Isso se torna maçante e bastante desagradável que o cliente acaba denunciando a sua propaganda como spam.

Por isso, Seth Godin escreveu o seu livro Marketing de permissão na qual propõe uma abordagem diferente para os consumidores em que o primeiro passo é conseguir do cliente potencial a autorização para a comunicação dos seus produtos, e, a partir daí, estabelecer um relacionamento e só, então oferecer os produtos e serviços.

E explica que o consentimento do possível consumidor em receber a comunicação e somado a criação de um relacionamento de mão-dupla resulta na conquista da fidelização.


Conceito do Marketing

Existem vários conceitos de marketing como, por exemplo: “satisfazer às necessidades e os desejos dos clientes”. Atualmente, a AMA – Associação Americana de Marketing – definiu o conceito de marketing como: “Marketing é a atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, distribuir e efetuar a troca de ofertas que tenham valor para consumidores, clientes, parceiros e a sociedade como um todo.”

Mas, eu tenho preferência por este: “São profissionais de uma empresa que terão que prospectar tendências para atender às necessidades e os desejos dos clientes”, ou seja, as empresas terão que permanentemente buscar a inovação para satisfazer e encantar o cliente para que ele retorne a comprar e se torne um cliente com fidelidade, em suma, inovar sempre com produtos e serviços que tenham qualidade e é importante lembrar que essa qualidade seja percebida pelo cliente.

Assim, marketing significa gerenciar os negócios tendo como foco o cliente e não o produto, isto é, o cliente em primeiro lugar e depois o produto ou serviço.

O marketing muitas vezes é confundido como propaganda; mas, na realidade a propaganda é uma ferramenta do marketing, na qual está inserida na promoção, que, por sua vez, faz parte do composto de marketing, também, conhecido como “mix” de marketing ou 4P’s que significam: o produto, preço, praça e promoção de uma empresa.

Porém, existe um detalhe muito importante, o que for anunciado na propaganda terá que ser cumprido pela empresa, porque se ela não cumprir deixou de existir o marketing, uma vez que o marketing tem que ser totalmente focado no cliente e se a empresa deixou de cumprir o que anunciou na propaganda ela não está satisfazendo às necessidades e os desejos dos clientes. Dessa forma, deixou de focar o cliente e perdeu a sua razão de ser.

Nas empresas a aplicação das ferramentas do marketing é uma questão de sobrevivência para as mesmas; uma vez que com o advento da globalização e a rapidez do avanço tecnológico estão fazendo com que as empresas fiquem muito semelhantes entre si, pois é por meio do marketing que elas irão se diferenciar, porque tecnologia, mais cedo ou mais tarde, todas terão, o que realmente irá fazer a diferença são aquelas que aplicarem corretamente o marketing.

Dessa forma, para que você possa entender melhor o que é marketing irei citar o “case” do motorista de táxi Renê descrito pelo consultor Sérgio Almeida, na revista Você s/a, de janeiro de 2003; que, apesar de ser um artigo antigo, é muito legal e prático para exemplificar como o marketing agrega valor à prestação de um serviço profissional.

Verifica-se que, baseado no artigo do Sérgio Almeida, no qual descreve que utilizou dois táxis diferentes e embora, ambos profissionais, estivessem na mesma cidade; na mesma semana; e no mesmo segmento de prestação de serviço; no entanto, um profissional estava em crise e o outro, cujo nome é Renê, com os seus negócios de vento em popa.

Renê não poupou esforços para prestar um excelente serviço: foi gentil, ofereceu ar-condicionado regulado ao gosto do freguês, deixou o cliente escolher entre o rádio ou CD, emprestou o seu celular quando o do cliente não funcionou, ofereceu bombons, etc.

Por que isso aconteceu? Porque na primeira situação o taxista se preocupou tão somente com o serviço de transportar sem agregar nenhum valor a esse serviço, ao passo que o taxista René, ao invés disso, teve como foco o cliente; executou um excelente serviço de atendimento e relacionamento, dessa forma agregou valor ao serviço e, com esses procedimentos, acabou surpreendendo e encantando o cliente; e o nome de tudo isso se chama marketing.

O Philip Kotler – um dos principais gurus do marketing – nos ensina que o marketing digital é a perfeita combinação dessa modalidade com os elementos do marketing tradicional.

Segundo ele, o marketing continuará sempre baseado em três pilares: o foco no cliente, a entrega de valor para o cliente e a satisfação e encantamento do cliente como resultado.

Assim, o marketing teve a sua evolução e já se encontra na sua 4ª era, porém, para que seja verdadeiramente marketing há a necessidade de que as empresas respeitem os clientes, ou seja, que o foco seja o cliente, afinal de contas é ele que irá pagar os salários de todos os funcionários de uma empresa.

Portanto, ao navegar em uma rede social encontrei um título de um artigo, sobre marketing, que me chamou a atenção, mas como sou especialista nessa área isso saltou aos meus olhos e fui investigar; e nessa pesquisa, partindo do pressuposto sobre os fundamentos do marketing, descobri que a informação não estava correta.

Esse tipo de situação poderia ter ocorrido em qualquer segmento do mercado, e o que é pior esse tipo de artigo se viralizar na internet com os fundamentos de certa área divulgados de forma incorreta. Por isso, cuidado com o que você lê nas redes sociais! Nem sempre quem escreve esses artigos são especialistas no assunto.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Roberto Batista

    Roberto BatistaAdministrador Premium

    Roberto Morais Batista realizou vários cursos, entre eles: MBA em Marketing e Mestre em Operações Militares. E, atuou nas áreas de Marketing, Gestão da Qualidade, Finanças, Auditoria, Contabilidade e Orçamento Público Federal. Autor dos seguintes livros: APOSTILA DE MATEMÁTICA PARA CONCURSO DE ADMISSÃO AO 6º ANO DOS COLÉGIOS MILITARES: http://hotmart.net.br/show.html?a=Q4635093T; E dos livros de empreendedorismo: MONTANDO E MANTENDO O $EU PRÓPRIO NEGÓCIO: em atualização; e MEU PEQUENO NEGÓCIO: https://go.hotmart.com/T9857307B
    café com admMinimizar