Café com ADM
#

Critério de Seleção de Ferramentas para Governancia em T.I.

Tenho a percepção que o Bug do milênio ainda não foi completamente digerido pelos investidores, que após as avaliações constatou-se que aproximadamente 70% do que foi gasto nos projetos do Y2K, foram destinados apenas para identificar os ativos de TI e seus relacionamentos. Na pratica, mostrou-se que a maioria dos investimentos foi desnecessária, pois empresas com orçamentos muito menores, mas com gestão mais focada em TI utilizando-se de metodologias consistentes puderam administrar os riscos sem significativa interrupção nos seus serviços (SLA compatíveis com suas realidades). Provando que o discurso calamitoso / terrorista era infundado e caro. E nem todas as empresas que passaram pelos processos de avaliação do Bug Y2K conseguiram aproveitar posteriormente o levantamento realizado e ainda poucas mantiveram estes dados atualizados, por pura falta de implementação de Metodologias e Processos eficientes na gestão de TI. A histeria estava disparada e a busca para a correção se tornou mais que necessária, mas uma questão de vida para a área de TI, a busca do Santo Graal da Ferramenta, Metodologia e Processo ideais. Avaliando as dificuldades que o CxO encontra hoje no mercado com relação à gestão de TI (Governaça) e quais as opções que ele possui, observamos uma verdadeira babel de informações formando uma intricada sopa de letrinhas (ISO90001/2000, ISO9126, BS17799, COBIT, ITIL, MOF, PMI, Prince2, COSO, Six Sigma entre outras). Tudo isso atrelado aos questionamentos: Porque os projetos falham ? - Foi falha no Cronograma (Planejamento)? - Foi Alta Expectativa (Falha na definição de Escopo)? - Foi falta / falha de Comunicação? - Foi falta de Treinamento (Capacitação)? - Foram dificuldades na mudança Cultural (Legado de Cultura)? - Foi falta de Compromisso do Staff (Liderança)? - Foi falta de Autoridade dos Gestores / Líderes (Autonomia)? - Foram Ferramentas incapazes de suportar os processos (Suporte de Negocio / Processos)? No Brasil, a Metodologia de Gestão em projeto tomou como base de representação o PMBOK do PMI como sendo a bíblia do Gerente de Projeto, mas na Europa temos como co-relação o Prince2, também muito útil e sério na sua abordagem. Mas ainda ficam pendentes os processos. Para atender a necessidade do suporte aos processos existe atualmente uma seleção de metodologias para processos como o ITIL, (que é a sigla para a Information Technology Infrastructure Library), uma coleção de Melhores Práticas integradas, baseada em processos, para o gerenciamento de serviços em TI, O ITIL foi desenvolvida pelo United Kingdoms Office of Government Commerce (OGC). O ITIL esta alinhado com a ISO para certificação das empresas sendo publicado o BS15000 ano que vem (2006). Podemos generalizar que o ITIL é focado na melhoria continua dos processos de TI para atender aos negócios da Empresa. Grafico do Framework do ITIL Fonte OGC / ITsmf-Br Temos também o COBIT (considerado o melhor modelo de referência de Governança em TI), fomentado pelo IT Governance Institute (ITGI), alinhado aos objetivos do negócio. O COBIT tem sido desenvolvido como um modelo geralmente aceito para boas práticas de controle de segurança da Tecnologia da Informação, servindo de referencia para gerentes, usuários, auditores de sistemas e especialistas em controle e segurança de informações. O COBIT divide área de TI em 4 domínios, 34 processos e 318 objetivos de controle. Podemos generalizar que o COBIT é focado na Métrica, no Controle e Auditoria dos processos de TI. Segue abaixo um Framework Esquemático das Principais Ferramentas, Metodologias e Processos para a Governância Corporativa e suas correlações de PDCA. Fonte Sincrono / SP Com a utilização deste ferramental de processos aliado a uma boa ferramenta de gestão é possível obter e avaliar esse retorno, observando os pontos: Nas Falhas 30% de redução de falhas 50% de redução no tempo de solução Na Capacidade 15% de redução da capacidade excedente Em Disponibilidade 10% a mais na disponibilidade dos sistemas No Tempo de Reparo / Correção 80% de redução no tempo de reparo Nas Mudanças / Alterações 25% de redução no tempo de conclusão de mudanças 50% de redução de alterações urgentes e dispendiosas TCO 10% de redução do custo total de propriedade Fonte: Quint Wellington Redwood Mas ainda fica a grande questão da ferramenta que ira suportar toda essa metodologia e por ordem em todos esses processos, como fazer a correta escolha dela. O como fazer? Acreditamos que a abordagem a ser feita deverá obedecer a critérios que sejam flexíveis o suficiente para se moldar a grande maioria das ferramentas disponíveis hoje e fácil o suficiente para com base em pesos que variam de acordo com a necessidade de cada empresa; com seu perfil tecnológico e seus recursos de investimentos apurarem um leque de opções que tenham a aderência necessária a um custo e tempo de implementação justo. Após um período em deliberações e questionamento o Grupo de Estudos de Ferramentas de Gestão de Projetos (GET Ferramentas GP - PMI São Paulo), foi gerada uma planilha onde pode ser identificar o produto com detalhes suficientes para auxiliar a tomada de decisão de adquirir a ferramenta no tamanho da sua necessidade. Focamos nos itens de atributos e requisitos: Colaboração; Projetos; Planejamento; Recursos; Controles; Segurança; Tecnologia; Suporte; Treinamento e Comercialização. - Detalhe de cada um dos itens acima. Grafico com os itens Entendemos que os pesos que definem a necessidade de cada empresa devem ser apurados e fornecidos por especialistas que conhecem a realidade da empresa e informados nos campos da planilha onde designem a prioridade / necessidade. A apuração da media é obtida com a observação da existência ou não dos atributos e requisitos, e pontuados conforme a importância / necessidade da empresa que esta procedendo à avaliação. Os resultados obtidos são os produtos que possuem a melhor aderência com as necessidades informadas pelo responsável da definição dos requisitos da empresa. O GET Ferramentas GP - PMI São Paulo não assume a responsabilidade das informações presentes dos produtos, apenas disponibiliza a planilha como forma de consulta e ferramenta para facilitar a escolha e definição dos requisitos necessários à empresa. Acreditamos que não existe o produto ideal, pois a realidade de cada empresa é única e somente o trabalho, o esforço de quem realmente conhece o negocio da empresa e a curva de evolução da Gestão da área de TI (maturidade) poderá avaliar e definir qual a ferramenta ideal para a sua realidade. Espero ter contribuído e facilitado um pouco mais a vida do CxO na sua tomada de decisão da ferramenta ideal. Que possa com nosso auxilio alcançar o espírito de Gestão mais iluminado e transparente possível, de forma a poder ser previsível o seu crescimento. Aguardamos a sua visita no nosso Grupo de discussão, GET Ferramentas GP - PMI São Paulo.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.