Crise ou momento de mudança?

O artigo apresenta cinco características capazes de fazer com que o profissional supere a crise

Nos últimos meses, os meios de comunicação insistentemente destacam em suas manchetes: “o mercado está estagnado”, “empresas com estoques altos demitem funcionários”, “taxa de juros elevadas, prejudicam o consumo”, “projeções indicam que no próximo ano o país continuará passando por turbulências”, etc.

Neste contexto, as notícias enaltecem o termo CRISE e minam as perspectivas pessoais e profissionais. E quais atitudes deveremos adotar perante tanta negatividade?

A seguir apresentaremos cinco características que acreditamos serem fundamentais aos profissionais que buscam remar contra as instabilidades do mercado.

Em torno às adversidades mercadológicas e econômicas, a primeira, é a mudança de pensamento e comportamento perante a situação que nos encontramos, isto é, enquanto as projeções e visões de futuro demonstram recessão e quedas, devemos estar dispostos a nos tornarmos agentes de mudanças, isso significa contornarmos as dificuldades e criarmos oportunidades. Será que você já parou para analisar o que pode surgir daqui pra frente com essa instabilidade?

A segunda estratégia se direciona ao poder criativo. Em tempos de estagnação, torna-se imprescindível a originalidade a partir das idéias, perpassando pelas atitudes, com metas e resultados pré estabelecidos. Para tal objetivo, observar o cliente e a concorrência, analisar o mercado e os novos comportamentos humanos, antenar-se à tecnologia e a vida cotidiana, podem se configurar um diferencial importantíssimo. Se você não considera criativo, que tal desenvolver essa habilidade?

O terceiro passo, que complementa o item anterior é a inovação. Embora, muitos confundam criatividade e invenção com inovação, é necessário compreender que o processo de inovação, se dá com o lançamento do “novo” no mercado, visto que, a invenção e criatividade são elementos intangíveis, pois, partem do intelecto humano, enquanto, a inovação reverte-se ao tangível, ao físico, seja, através do surgimento/melhoramento de um produto, até a geração de um novo método e processo de trabalho. Desta forma, ser inovador é ter em mente que seu processo criativo deve ser revertido em valores tanto no âmbito de qualidade profissional e empresarial, assim como financeiros, com geração de lucros. Você está disposto a quebrar os paradigmas a cerca da inovação?

O quarto passo é ser empreendedor. Ainda que a pretensão deste texto não seja mergulhar em teorias e referências sobre empreendedorismo, recomendamos a você leitor que estude sobre o tema, uma vez que, o mercado em turbulência exige empreendedores com capacidades de tomadas de decisões rápidas, precisas e principalmente assertivas. Desta maneira, entende-se que saber planejar, organizar, dirigir e controlar, não se limita ao contexto empresarial e da teoria clássica de Fayol, mas, na atuação diária dos profissionais que buscam se diferenciar. Em suma, o empreendedor, deve ser capaz de enxergar o que os outros não vêem e fazer o que a maioria não faz, assumindo riscos calculados e assumindo papéis decisórios. E você está preparado para se tornar um empreendedor?

E o quinto e último passo desse artigo é acreditar que suas intuições, respaldadas com estudos e pesquisas acerca do idealizado poderão trazer resultados opostos à crise. Quando se tem em mente que um sonho pode se tornar realidade e que você possui os elementos necessários para conseguir seu propósito, nada mais justo do que colocá-lo em prática e ir à busca do sucesso, sempre considerando que deverás ter planejamento, prudência e atitude. E ai? Está disposto a acreditar em si e criar um negócio de valor ou uma profissão de sucesso?

Por fim, os impactos da recessão econômica que tanto se ouve pela mídia, e que vivenciamos em nosso dia a dia, representado pela alta taxa de desemprego, preços elevados em todos os tipos de produtos e serviços, consumo e poder de compra em baixa, dentre outros fatores atrelados à crise, não podem ser encarados como algo desesperador e sem solução, pelo contrário, deve ser analisado e interpretado à luz de novas possibilidades. Estamos passando por um momento oportuno e profundo de mudanças, cabendo a cada um assumir novas posturas. Qual a sua opinião?

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento