CRIATIVIDADE, DESENVOLVA ESTA PRÁTICA NA SUA EMPRESA

CRIATIVIDADE, DESENVOLVA ESTA PRÁTICA NA SUA EMPRESA A criatividade embora presente na maioria das pessoas necessita ser estimulada, motivada e induzida. As organizações têm a responsabilidade de treinar e exercitar esta criatividade para ter um grupo criativo; nem todas as organizações desempenham igualmente bem esse papel e, por outro, nem todas se encontram dispostas a aceitar as conseqüências de ter pessoas criativas na sua organização, na medida em que se associa frequentemente indivíduos mais criativos a posturas avançadas, conflitantes à cultura da empresa, a comportamentos de irreverência face à autoridade e aos procedimentos instituídos. Citamos abaixo algumas opiniões e definições de estudiosos e experientes no assunto. Criatividade é a obtenção de novos arranjos de idéias e conceitos já existentes formando novas táticas ou estruturas que resolvam um problema de forma incomum, ou obtenham resultados de valor para um indivíduo ou uma sociedade. Criatividade pode também fazer aparecer resultados de valor estético ou perceptual que tenham como característica principal uma distinção forte em relação às "idéias convencionais". (Sergio Navega) É mais fácil mencionar os bens que se podem ver, de maneira direta, enquanto o capital intelectual tem que ser medido indiretamente por meio de resultados conseguidos com a ajuda de cursos que a pessoa tenha feito, de seminários de que tenha participado de palestras a que tenha assistido, de congressos a que tenha ido etc. A Universidade, em sua função de ensino, mede seu capital intelectual pela produção acadêmica: livros, artigos, palestras, participações em congressos, encontros, jornadas, artigos escritos, seminários, reuniões etc. A empresa deve medir seu capital intelectual pelos resultados apresentados. ( Professor Luiz Machado, Ph.D.) Podemos concluir que, uma vez que todos nós, humanos, temos a capacidade de processar imagens e sons de formas variadas na mente, todos nós temos a capacidade da criatividade pura. Você é criativo por definição, por construção. E quanto às criatividades aplicadas, temos aquelas para as quais nos preparamos, em termos de conhecimentos e habilidades. Um exemplo de criatividade aplicada muito desenvolvida na nossa cultura é a lingüística; todos praticamos desde criancinhas a combinação de palavras, usando regras, para atingir objetivos do tipo comunicar idéias e influenciar pessoas para conseguir o que queremos. Sendo potencialmente criativos, talvez as únicas coisas que nos impeçam de criar mais sejam não acreditar nessa possibilidade ou simplesmente não ter um motivo para fazer isso. Ou desejo. (Virgílio Vasconcelos Vilela) Criatividade é como ginástica: quanto mais se exercita, mais forte fica.(Walt Disney) A criatividade nas empresas é a ferramenta mais prática, adequada e barata para encontrarmos maneiras de fazer mais com menos, de reduzir custos, de simplificar processos e sistemas, de aumentar lucratividade, de encontrar novos usos para produtos, de utilizar melhor suas máquinas e equipamentos, de encontrar novos segmentos de mercado, de desenvolver novos produtos e outras inúmeras coisas mais. Muitas empresas já se conscientizaram de que utilizar o potencial criativo de seus funcionários é mais adequado. O problema é que elas não sabem como organizar, como aproveitar todo este potencial criativo que está disponível. Isto é comprovado pela qualidade das idéias inesperadas que surgem de vez em quando. Por que então esperar as idéias "de vez em quando?" Por que não estimular a produção destas idéias no dia-a-dia? Este é o melhor caminho. Muitas empresas já estão criando o seu Departamento ou equipe de Criatividade e Inovação. Criatividade é uma maneira de ser, de viver. O primeiro passo é exercitar todo o seu potencial de gerar idéias. Acostumar-se a criar a maior quantidade de idéias sem pré-julgar nenhuma. Lembre-se de que você só conseguirá chegar a uma excelente idéia se você tiver muitas outras para optar. Infelizmente ainda existem empresas obtusas, centralizadoras, dominadoras e opressivas, fazendo com que seus funcionários sintam medo de dar sugestões e idéias para soluções de problemas; esta atitude deixa os funcionários inseguros, desmotivados e de baixa produtividade. Empresas inteligentes já estão criando grupos de trabalho onde se juntam pessoas dotadas de muita fantasia com pessoas muito concretas, nesses grupos nasce a faísca ou a inspiração da criatividade e, ao invés de gênios criativos, teremos grupos criativos. Hoje as empresas só contratam pessoas concretas que se perdem na burocracia, mas sentem necessidade da criatividade e colocam-nas em cursos de criatividade, é como se alguém preferisse mulheres louras, mas casa-se com uma negra e depois a leva ao cabeleireiro para trocar a cor do cabelo. O segredo está na humildade e no bom senso, o que ainda precisa ser trabalhado nas empresas, deixando de lado a arrogância empresarial que tem levado boas empresas ao caos. Autor: Cláudio Raza; Administrador de Empresas, Economista, Contador, Pós-Graduado em Gestão de Pessoas para Negócio, Professor Universitário, mais de 35 anos assessorando empresas. Site: www.razaconsultores.com.br. e-mail: c.raza@terra.com.br;

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Claudio Raza

    Claudio Raza

    Autor: Cláudio Raza; Economista, Contador, Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Pessoas para Negócio, Palestrante, Mestrado em Educação, Administração e Comunicação, Professor Universitário Uninove, mais de 35 anos assessorando empresas.
    site: www.claudioraza.com.br. E-mail: c.raza@terra.com.br


    café com admMinimizar