Comunicar-se - aprendendo com uma criança de 4 anos

Aprendendo com uma criança de quatro anos o que muita gente passa a vida inteira sem conseguir fazer: comunicar-se de maneira simples, clara e objetiva. De maneira eficiente

Meu filho mais novo tem quatro anos. O Geraldo Neto me supreendeu querendo cortar o cabelo igual ao do irmão. O Paulo Henrique, estuda no colégio militar, ou seja, por obrigação está sempre com a cabeça raspada. Procedimento que se repete quinzenalmente.

Fiquei impressionado com a capacidade de argumentação e pensei como nós adultos podemos aprender com uma criança de quatro anos de idade. A clareza das suas intenções e a forma objetiva e educada com as quais se dirigiu a mim foi de colocar muitos adultos por aí no chinelo.

Vejamos o pedido ipsis litteris: “Papai, por favor, me leve no Tio Fred. Ele deixou meu cabelo grande. Eu quero o meu cabelo igual ao do meu irmão. Por favor, papai.”

Vejamos a melhor comunicação possível. Primeiramente pedindo “por favor”. Em segundo lugar – apesar de ter somente quatro anos – a decisão: “Eu quero o meu cabelo igual ao do meu irmão.”

Ele tinha ído ao Tio Fred no dia anterior com a mãe e estava com o cabelo cortado “bonitinho”, mas ele não ficou satisfeito. O cabelo foi cortado como a mãe dele quis e não como ele gostaria. Tentei de todas as formas convencê-lo que o corte que o Tio Fred havia feito no cabelo dele no dia anterior estava bom. Tentei mudar sua atenção. Levei-o para passear na praça. Levei a bicicleta. Levei a bola. E por várias vezes ele me pediu “por favor, papai, quero cortar meu cabelo.”

Argumentei com ele que raspar a cabeça dele seria (para a mãe) como lançar a terceira bomba atômica (e desta vez no interior de Goiás). Falei para ele que a mãe não iria gostar de vê-lo careca. Ele concordou que a mãe não ía gostar nada, mas ele queria o cabelo igual ao do maninho.

Depois desta argumentação toda o resultado não haveria de ser outro: levei a criança na no Tio Fred para atender seu pedido. Depois de já estar admirado pelas certezas da criança e sua capacidade de comunicação impecável ainda ouço o muito obrigado. Foi de cair o queixo.

Quantos adultos conhecemos não tem muito o que aprender com uma criança de quatro anos? Quantos adultos nunca pronunciam “por favor” ou “obrigado”? Quantos de nós que ainda não tiveram a oportunidade de descobrir o que querem na vida? Quantas pessoas desistem quando não tem sua opinião levada em conta? Quantas vezes nos falta a coragem de insistir, a humildade de pedir por favor e a gentileza de agradecer?

Fiquei emocionado com a certeza que ele demonstrou. Com a coragem de insistir no que queria. Pediu por favor várias vezes e conseguiu.

A terceira bomba atômica explodiu aqui no interior de Goiás, mas o Geraldo conseguiu raspar a cabeça para ficar igual ao seu irmão. Ele, com quatro anos fez “a coisa” certa. Comunicou de maneira invejável e conseguiu o que queria.

Aprendendo com uma criança de quatro anos o que muita gente passa a vida inteira sem conseguir fazer: comunicar-se de maneira simples, clara e objetiva. De maneira eficiente.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento