Comunicação corporativa

Importância da Comunicação corporativa realizada de forma eficaz

A necessidade de comunicação está entre nós, humanos, antes mesmo de nossa ``boas vindas`` ao mundo, momento em que ainda nos encontramos no ventre de nossas mães. Um mundo que é nosso e do qual os outros começam a falar; recebemos nossos nomes e muitos já falam sobre nós sem ainda terem tido a oportunidade de nos ver ou tocar. É a comunicação externa sendo inundada pelo interno que ainda nos encontramos. E mesmo lá dentro do ventre iniciamos nossa forma de comunicar; que muitas vezes se traduzem em chutes na barriga de nossas mães, comunicando que sim, estamos ali e em movimento!

E continuamos o processo de comunicar após o nascimento, desenvolvendo-se dos gestos ao choro, à fala e à escrita. Assim, para além de estar inerente ao humano sua necessidade de comunicar-se socialmente, também existe a comunicação ocorrida nos espaços de trabalho, a qual precisa ser eficaz, de modo que possa colaborar com o bom desenvolvimento das atividades além do bom relacionamento entre a equipe!

Abordar a questão da comunicação dentro das empresas é algo de extrema importância, haja vista que pesquisas relatam que um dos maiores problemas dentro das corporações é a questão da comunicação, seja pelo fato dela ser realizada de modo inadequado ou estar ausente. Pode-se aqui mencionar o Estudo realizado pelo Project Management Institute Brasil (PMI), o qual informa que, para 76% das empresas, problema com a comunicação é o principal motivo para os projetos fracassarem.

Vive-se uma realidade em que muitas pessoas ainda têm medo de dizer que não entenderam ou sentem vergonha de perguntar novamente! E esse medo vem dos remotos tempos da infância, basta nos lembrarmos da criança sentada na sala de aula e que não faz uma pergunta por medo, sendo que teria a chance de se desenvolver melhor se tivesse feito a pergunta, sanado a dúvida que ficou ali instalada, virando uma ``pedrinha`` a qual pode transformar-se numa ``grande rocha``, se continuar nesse passo da ausência de indagação; sufocando a comunicação que não deveria nunca ser asfixiada!

Acontece que o óbvio tem que ser dito e nenhuma pergunta deve ser considerada idiota! Se existiu a pergunta, é porque requer uma resposta e merece atenção e respeito; afinal não devemos nos esquecer que somos sujeitos multifacetados e com histórias e construções diferenciadas, de modo que assim surgem as várias formas de interpretação, pois cada ser humano interpreta uma comunicação de acordo com sua percepção, a qual foi construída no desenvolver de sua vida.

E porque é importante a compreensão dessa percepção? Porque é ela quem determina o comportamento, motivo pelo qual o mais adequado seria dizer: ``Você foi interpretado`` e não: ``Você foi mal interpretado``. Daí a necessidade da comunicação ocorrer de forma clara, objetiva e de, após passar a informação, checar se o receptor entendeu a mensagem, compreendeu a demanda ou informação que lhe foi passada. E como posso checar? É simples, basta perguntar: Entendeu o que eu falei/ pedi? Então me explica o que você compreendeu. Assim, quando ouvir a resposta do seu receptor, terá a chance de verificar se a mensagem realmente chegou como deveria. Quem confia, confere! E quem não confia, sequer repassa demanda ou qualquer informação.

Já dizia Mario Quintana:‘’É uma barbaridade o que a gente tem de lutar com as palavras, para obrigar as palavras a dizerem o que a gente quer.”. E é fantástica essa frase do Quintana, porque é exatamente assim, parece algo simples, mas dá tanto trabalho: O emissor, além de preocupar-se com as palavras que irá utilizar, com a forma como irá se comunicar ou que instrumento será utilizado para tal (oral, escrita, etc) deve levar em conta que a responsabilidade maior da comunicação é sua - do emissor - e não do receptor. Apesar disto, não deve o receptor sentir-se isento de qualquer responsabilidade, pois, como dito acima, se não compreendeu, pode perguntar novamente, evitando que a ``vergonha`` ou timidez o impeça.

É importante estar ciente de que a responsabilidade da comunicação é do emissor, porque o que mais se percebe é que aquilo que é ``responsabilidade de todos`` acaba virando ``responsabilidade de ninguém``, ou seja, acaba por ficar sem execução. Assim, torna-se importante que cada pessoa compreenda seu papel e tenha esclarecidas suas responsabilidades.

Comunicação é resultado, então, ao comunicar é preciso ter em mente o que se quer alcançar e acompanhar o processo, a fim de garantir a sua efetividade e qualidade.

A melhor forma de comunicar-se é comunicar-se com Assertividade, mas sobre ela - a Assertividade - , pode-se deixar para um outro momento; porque também merece um texto que a abranja com maior especificidade!

Para que a comunicação corporativa ocorra de forma eficaz é preciso, então, analisar um conjunto de fatores, que serão eles relevantes para a qualidade da transmissão da informação, a fim de que as pessoas trabalhem juntas de forma bem sucedida e obtenham o resultado pretendido!

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Flavia Passos

    Flavia Passos

    Profissional Flavia Barcellos de Passos, atuante na área de Consultoria/ Assessoria Empresarial (RH). Instrutora de treinamentos empresariais.
    café com admMinimizar