COMO REDUZIR OS CUSTOS E DOBRAR SEUS LUCROS.

O dono da empresa deve investir em uma boa equipe de vendas e ter a certeza de que seus vendedores passam o tempo maior com seus clientes, e não executando tarefas administrativas ou outras coisas que não o “Foco com o Foco no Cliente.”

Uma empresa foi feita para gerar lucros, como disse o grande pensador da administração contemporânea, Peter Drucker: “ Dentro da empresa só existem custos, o lucro está no cliente, nas necessidades do mercado’”. Cabe ao vendedor encontrar as oportunidades e atender as necessidades dos clientes. O vendedor tem uma necessidade inata de vender, que o faz sair à rua, almoçar com os clientes e oferecer o produto ou serviço para gerar vendas.

O vendedor rem que ser o “CARA” que gera lucros, focado na capacidade de aumentar as receitas e gerar lucros mensais, e não simplesmente conhecer a respeito dos produtos ou serviços da empresa.

Regra de Ouro: contrate vendedores que saibam como vender, e não aqueles que conhece muito bem o produto, que aprendeu a tirar pedidos e abandona o cliente quando ele mais precisa. Qualquer pessoa pode se familiarizar com uma linha de produtos e uma oferta de serviços. O dono da empresa deve investir em uma boa equipe de vendas e ter a certeza de que seus vendedores passam o tempo maior com seus clientes, e não executando tarefas administrativas ou outras coisas que não o “Foco com o Foco no Cliente.”

Qual é o vendedor que gera mais lucros?

O primeiro vendedor passa somete 30% do tempo com os clientes, enquanto que o segundo vendedor , aquele da concorrência, passa 90% do seu tempo com os clientes É claro que os clientes vão dar preferência ao vendedor da concorrência . Nada vai proporcionar um retorno tão grande quanto o seu investimento em uma boa equipe de vendas, bem preparada, experiente e com perfil motivador, para cumprir as metas da empresa. É de responsabilidade do proprietário da empresa criar a cultura de reduzir os custos, pois todo custo não estratégico pode ser reduzido.

No dia a dia da organização, devemos ver todo custo como um obstáculo a ser vencido, ou melhor, encontrar um meio de eliminá-lo. Exemplo de custos não estratégicos; os espaços vazios em um escritório, um computador que não é utilizado ou uma recepcionista que passa o dia todo vendo TV ou lendo mensagens no Facebook. Quando você elimina todos aqueles custos que não produzem lucros, vai sobrar dinheiro para alocar em despesas verdadeiramente produtivas.

Comentários

Participe da comunidade, deixe seu comentário:

Deixe sua opinião!  Clique aqui e faça seu login.
    Rosival Fagundes

    Rosival Fagundes

    Formação/capacitação: de Rosival Moreira Fagundes

    • Mestrando em Desenvolvimento e Gestão Social-UFBA;
    • Especialista em Gestão Empresarial – Universidade São Gonçalo-RJ;

    Pós-graduado em marketing pela FTE_Salvador-Ba
    • Especialista em Marketing – FTE/Faculdade de Tecnologia Empresarial Salvador/BA;
    • Administração de Empresas - UNIFACS;
    • Programa de Extensão em Formação de Consultores – UNIFACS/BA;
    • Coordenador e Professor das disciplinas : Mercadologia 1 e Mercadologia 2 do curso de Administração das Faculdades Integradas de Jequié.



    Contribuções no mercado:

    • Ocupou o cargo de Coordenador do Curso de Administração da FTC – Jequié/BA
    • Educador e Palestrante nas áreas de Empreendedorismo e Marketing
    • Coordenador e Professor das disciplinas Administração Mercadológica I e II no curso de Administração em Gestão de Negócios da FIJ/BA – Faculdades Integradas de Jequié
    • Analista do SEBRAE/BA
    • Possui artigos publicados em jornais e revistas como: A Tarde, Gazeta Mercantil, Gazeta da Bahia, Revista Atualidades, Revista Extra, Cidades em Foco, Letras Contábeis, dentre outros
    • Autor do Livro: “Empreendedorismo e Gestão Mercadológica”





    café com admMinimizar