Como os ricos se tornam ricos

Muito além de hereditariedade financeira, vemos casos de ascensão de todas as variedades

Para termos uma base sólida de referência, é ideal que busquemos referências no passado. Histórias de prosperidade, consolidadas no empirismo e no sucesso de seus praticantes. Muito da Arte da Guerra envolve conhecer-se a si mesmo, pois aquele que derrota a seus próprios vícios e falhas submete qualquer obstáculo.

Aprendendo com Theodore Roosevelt, um dos antigos presidentes dos Estados Unidos, e portanto, um case de sucesso:

1.“Acredite que você pode, e você já está na metade do caminho”;

2.“Nós devemos ousar ser grandes; e devemos perceber que a grandeza é o fruto do esforço e do sacrifício e de muita coragem”;

3.“Muito melhor é ousar grandes feitos, ganhar triunfos gloriosos, mesmo que marcados pela falha..do que se alinhar com aqueles pobres espíritos que nem se alegram nem sofrem muito, porque vivem em um crepúsculo cinzento que desconhece tanto a vitória quanto a derrota”.

Os Estados Unidos, em si, são um exemplo de sucesso. Apesar dos problemas que o país possa enfrentar (dos quais, aliás, nenhum país é isento de), não é ausente de sentido o fato de que ele pertença aos ditos países de Riqueza Protestante. Lutero atribui um caráter de missão religiosa ao trabalho. Ou seja: nos Estados Unidos, a religião se aliou ao capitalismo, ao senso de trabalho e de progresso como dever moral. Isso incitou no povo um espírito de crença no trabalho e atribuição positiva à ideologia de trabalho, progresso e prosperidade. Não é como outras crenças religiosas, que pregam a riqueza como imagem da ganância e avareza. A riqueza é fruto do trabalho e do esforço, e é dever do homem se inclinar para tal. Um exemplo de como crenças movem o mundo.

Fé e paixão sempre foram idênticas em natureza, diferentes em terminologia. A energia e tendência de movimento que elas insuflam é o que produz a mudança, e não a ideologia, em si. Quando um líder conquista o povo pelo seu carisma, ele insufla nas massas a sua confiança, e isso lhe atribui poder – o que pode levar tanto a fins positivos quanto negativos, dependendo do líder que conduz esse movimento. Vemos por Gandhi e Hitler, extremos opostos da mesma moeda que tem como elemento o carisma.

O que estes exemplos vem a confirmar é o fato de que crenças movem o destino do mundo e dos indivíduos. A partir do momento em que concebemos um pensamento, este é transmitido por impulsos neuronais a partir do cérebro, e todo o organismo fica ciente dessa programação mental. É assim que a Programação Neurolinguística desenvolve novos parâmetros para o desempenho - pois, a partir do momento em que a mente toma algo como padrão, esse padrão se multiplica em infinitas intensidades. Tudo que existe foi concebido na mente. Assim é com a riqueza.

Claro que não se trata apenas de uma questão mental. Entretanto, alterando o padrão de pensamentos, e, mais importante ainda, o padrão de crenças - porque a mente nem sempre é fiel à realidade (ela cria problemas pois é sua missão resolvê-los), mas as crenças são padrões mentais fortificados de longa data - você começa por alterar todo o curso de sua vida: dinheiro, trabalho, relacionamentos, amor, saúde (..).

Napoleon Hill, em seu livro, Pense e Enriqueça, explica como conceitos como desejo, confiança, auto-sugestão, o subconsciente e o a força mental influenciam na obtenção e multiplicação da riqueza. Novamente, um homem influente, assessor de presidentes do passado. Dizem que pessoas se medem por seus atos, e não por suas palavras. Embora a palavra seja a exteriorização da mente, novamente, a mente é traiçoeira, e pensa de modo próprio. Os atos são a concretização da personalidade do indivíduo.

No desenvolvimento do livro, o autor estudou mais de quinhentos milionários, pelo período de vinte anos. Em síntese, os 13 segredos do sucesso de pessoas ricas:

1.Desejo: pedir grandes presentes à vida (sonhar grande) desencadeará no fluxo de acontecimentos a possibilidade de recebê-los. É uma questão de expectativa: qual o tamanho dos seus sonhos? O desejo é uma força motriz que impulsiona os sonhos e as ações necessárias para concretizá-los.

2.Fé e Confiança: a fé com direção e sentido é sinônimo de autoconfiança - esta, por fim, é sinônimo de poder. Não é apenas a aparência que torna uma pessoa atraente, é o modo como ela se projeta. Indivíduos autoconfiantes inspiram confiança nos demais. Eles fazem acontecer, porque, antes de tudo, não duvidam de si mesmos, nem de que algo seja possível. Esse é um dos mais importantes passos no caminho da realização.

3.Auto-sugestão: como mencionei anteriormente, mente e alma muitas vezes são distintos (para maior aprofundamenteo, consulte as obras de Eckhart Tolle). A mente opera, formula, projeta. Se você sugerir, e sugerir com constância e intensidade, a ponto da mente trabalhar a seu favor, você aliará persuasão e concretização simultaneamente.

4.Conhecimento especializado: simples, em suas escolhas de busca por conhecimento você determina suas possibilidades. Quanto maior o conhecimento (ou mais especializado, pois generalizar aumenta a abrangência, entretanto, diminui o escopo de retenção), maiores as possibilidades e os caminhos que se disponibilizarão. O conhecimento precisa ser dirigido, e nessa questão observamos a necessidade de foco.

5.Imaginação: como já dizia meu professor de yoga (Rafael Gattino), “tudo que hoje existe foi antes concebido na mente.” Se a sua mente pode conceber certa idéia, é porque, de algum modo, ela apresenta-se como uma possibilidade. Não podemos conceber com precisão a Deus, por exemplo. Os homens atribuíram durante milênios ou eras significados e imagens a uma presença que é natural, a origem de todas as coisas. Essas atribuições são vinculadas ao apego ao suporte e à incapacidade de concepção de sentido. Não podemos criar Deus, este seria um caminho unidirecional de sentido inferior-superior, e o caminho inverso de origem do Universo já foi concebido por essa mente natural até hoje inconcebível para nós. Mas podemos criar tudo que nossa mente é capaz de imaginar, e nesse sentido, somos deuses, expressando-me em um modo prático.

6.Planejamento Organizado: Atribuir direção ao desejo. Nortear os objetivos e metas. O desejo é uma grande força motriz, mas tem de ser propelido em direções e focos, de caso contrário, se dispersa.

7.Decisão: a todo momento fazemos escolhas, optamos por um caminho ou outro. A indecisão é indexadora do fracasso. O indeciso é fraco; a sua personalidade não tem poder de expansão a ponto de expressar e concretizar o seu ego. Quaisquer que sejam suas escolhas na vida, coloque decisão nelas. A dúvida pode ser útil como precaução, em um primeiro momento, mas demasiadamente prolongada, é fator de insucesso.

8.Persistência: por quanto tempo você é capaz de resistir? O seu poder é forte a ponto de manter-se constante ou elevar-se frente aos obstáculos, ou esmorece às primeiras dificuldades? Gutta cavat lapidem, non vi, sed saepe cadendo (Ovídio),que pode ser traduzido literalmente por: “a gota escava a pedra não pela sua força, mas por cair com frequência”.

9.Poder da Mente Superior: o poder, por definição do autor, é “conhecimento organizado e inteligentemente dirigido”, palavras que estão intrincadas de significado. Conhecimento é poder, aquele que domina a consciência dos fatos não é facilmente subjugado - por isso se visa alienar as grandes massas, para dominá-las com facilidade (pão e circo). A organização é a base da direção e sentido da força, sem organização o poder é disperso, pois deve ser retido, controlado, de caso contrário, é fugaz. E por último, dirigio de modo inteligente. Conhecimentos sobre as situações permitem a projeção de estratégias; estas devem ser veiculadas de modo inteligente, do contrário fracassam, tanto pelos fins quanto pelos meios. Encontramos questões de dispersão e de meios não-condizentes (lidar com mentes complexas requer profundidade cognitiva e complexidade de nível igual a superior) atravancando a direção intelgente do poder.

10.Mistério da Transmutação Sexual: a energia sexual e a passional são grandes fontes de impulso. Enquanto a passional é mais fugaz, intensa em picos, contudo, de duração efêmera, a sexual é capaz de manter maior constância. Essa energia desencadeia a emoção, e essa um estado de espírito, estado este em que possibilidades aparecem e apresentam-se mais tangíveis – porque ela incita diretamente a autoconfiança e asserção. Essa energia é um estímulo mental; uma fonte que, controlada e transformada em ação (não se refere no caso à sua expressão física de modo dissipante), é propulsora de ações e sucesso. Esta diretamente envolvida com o magnetismo pessoal, o carisma e, por consequência, o sucesso nas vendas. Pessoas que detém essa energia sexual expressam-se com maior desembaraço, tomam ações com decisão, são zelosas por sua aparência, portam-se e expressam-se com distinção.

11.O Subconsciente: essa é a parte submersa de nossa personalidade e experiências que mais influencia em nossa vida. Carl Jung dizia que: “Até que você torne o inconsciente consciente, ele dirigirá a sua vida, e você o nomeará de destino”. Novamente, padrões que aprendemos pelas experiências que passamos e influências que tivemos. O subconsciente é a malha de todas as suas ações e orientações. É o complexo submerso que guia seu modo de agir e suas motivações.

12.O Cérebro: o cérebro é órgão da mente. Por ele atravessam caminhos neuronais e impulsos nervosos, originados de nossos pensamentos e do modo como reagimos a estímulos. Se o cérebro controla o organismo, não faria sentido controlar os pensamentos? Tudo que é pensado de uma forma ou outra é entregue ao seu corpo. Logo, pensamentos positivos não podem ser tomados como mera teoria abstrata de realização - são o comando primário que você envia a si mesmo.

13.O Sexto Sentido: por último, o princípio que constitui a melhor defesa de um indivíduo – ao qual nomeamos instinto. Por experiência pessoal, posso confirmar que o dito instinto, doravante denominado feeling, nunca me enganou. Em diversas situações o instinto me poupou de fatos que eu sentia pré-arranjados. Nos momentos em que o negligenciei, sofri consequências profundamente negativas e outras de alto risco. Digamos que o mundo tem uma história desde o seu princípio, e que nessa malha de teias se entremeiam fatos do passado e pensamentos e intenções do futuro. O instinto é um modo peculiar de defesa que a natureza desenvolveu com fins de autopreservação. Siga a sua racionalidade, mas sempre escute o seu instinto – em você jaz a capacidade de distinguir a verdade da irrealidade.

ExibirMinimizar
Digital