Como não se tornar refém do cartão de crédito
Como não se tornar refém do cartão de crédito

Como não se tornar refém do cartão de crédito

Os cartões são aliados de todos nós na hora da necessidade, mas também podem se tornar grandes vilões da nossa saúde financeira

Os cartões de crédito se tornaram indispensáveis para qualquer pessoa atualmente. Já é raro encontrar negócios que ainda não aceitem o cartão como forma de pagamento (por menor que seja) e pessoas que não o possuem. Também é muito comum encontrarmos pessoas que possuem não um, não dois, mas sim vários cartões de diferentes bancos. Sabendo disso, as empresas trabalham seu marketing e vendas com isso, com as famosas suaves prestações que cabem no bolso de qualquer um. Porém, da mesma forma que cresce o número de pessoas e empresas que adotam o cartão de crédito, também cresce o número de pessoas e empresas entrando na “bola de neve” que são os juros dos cartões, e se endividando.

Segundo especialistas, o ideal é você não comprometer mais do que 30% da sua renda com empréstimos e financiamentos, e aqui vamos incluir as faturas de cartão, afinal, elas nada mais são do que um dinheiro que emprestamos do banco. Por exemplo, se você ganha 2 mil reais, saiba que não poderá gastar mais do que R$ 600 com empréstimos e financiamentos. Se você tem parcelado um carro, por exemplo, com prestação de R$ 400, sobram ainda R$ 200, que não poderão ser ultrapassados com a fatura do cartão.

Confira vídeo com dicas para gestão das suas Finanças Pessoais:

Como comentei, as lojas se utilizam dos parcelamentos do cartão de crédito para atrair mais compradores, e oferecem parcelas suaves, porém extensas, para qualquer produto. Portanto, tome muito cuidado na hora de parcelar alguma compra, analisando três coisas:

  1. Se o valor não ultrapassará o limite que comentei acima;
  2. Se a quantidade de parcelas não é extensa demais (Exemplo: 2 anos parcelando um eletrodoméstico);
  3. Se a compra é realmente necessária.

Vamos continuar com o nosso exemplo do cidadão que ganha 2 mil reais e tem uma prestação de 400 reais com seu carro, sobrando 200 reais para os demais financiamentos. Ele tem parcelado em seu cartão R$ 50 de um fogão, R$ 80 de uma TV e agora planeja trocar o guarda-roupa de seu quarto. Seguindo esse pensamento, ele poderá comprometer no máximo R$ 70 por mês com essa compra, mas também precisará analisar se enquanto não terminar de pagar o guarda-roupa ou as outras compras, não precisará adquirir mais nada.

Viram como é importante ter o controle do cartão de crédito? Por isso que anotar e contar tudo o que você gasta com seu cartão de crédito é primordial. Utilize planilhas do Excel, aplicativos de gestão financeira ou mesmo os aplicativos dos bancos para realizar esse controle constante. Mas lembre-se de controlar sempre.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento