Como manter as finanças pessoais em dia perante a crise?

Sem mais mistérios. Aprenda algumas dicas que poderão ser eficientes para enfrentar a crise de peito aberto

Crise. Seja ela pessoal, profissional ou econômica, sempre nos remete a algo negativo, que nos tirará cada centavo do bolso sem dó nem piedadade. A inflação parece se tornar um bicho de sete cabeças que nos deixa sem saída e sem poupança.

Mas como tudo nessa vida é relativo, podemos aproveitar o momento para investir em algo que possa nos oferecer um bom retorno no tão afoito curto/ médio prazo.

1- Tem algum talento que todos elogiam? Tem algum hobbie que pode ser rentável? Agora é a hora de colocar as ideias em prática!

É isso mesmo. Se você cozinha, tem domínio sobre algum idioma, software ou conhecimento técnico sobre algum tema, não há razão para reter seus talentos! Coloque suas ideias no papel, mesmo que seja aquele "papel de pão" num momento ocioso (lembre-se do ócio criativo) e mãos a obra.

Pergunte se:

O que eu sei fazer bem?

Defina neste momento quais são suas principais habilidades, aquilo que você sabe fazer, ama fazer e pode barganhar por aí.

Como posso despertar o interesse das pessoas?

Se você é estudante, com certeza tem um convívio social com dezenas de pessoas e este é certamente o caminho mais fácil para agir. Se você trabalha no RH de uma grande empresa e nela pôde/ pode adquirir conhecimentos valiosos sobre a área (dentro dos padrões éticos e compliance), pode oferecer apoio técnico para alguém a quem falta conhecimento sobre comportamento, como causar uma boa impressão e como tornar-se notável (usando o LinkedIn, criando uma página profissional) e até mesmo como formular um currículo campeão!

Se minha situação profissional melhorar, se a crise cessar, devo parar de negociar minhas habilidades?

Depende. Essa é uma questão de equilíbrio que deve ser muito bem pensada com base no contexto de oportunidades disponíveis.

2- Invista!

Todos os meses, a mesma promessa não se cumpre: poupar. Parece que sempre surge uma conta extra, sempre há uma festa não esperada, o casamento daquele amigo de infância...tudo parece ir contra a formação do hábito.

Porém, um pouco de disciplina é imprescindível para que esse hábito se perpetue. Talvez guardar R$2,00 por dia, ao fim de cada mês depositar o valor total na poupança e aplicar a cada semestre o montante resultante em títulos públicos por exemplo não pareça algo eficiente hoje, mas e daqui a 5 anos?

Pague seu dízimo próprio e defina uma meta. A cada vez que for num fast food por exemplo, pague-se 10% do valor do lanche. Mais uma vez abordamos aqui a importância da criação do hábito!

Um hábito é uma resposta que foi aprendida e que se tornou automática por meio da repetição. Uma vez assimilados, os processos mentais pelos quais um hábito é executado tornam-se subconscientes. Para a maioria das pessoas, os hábitos mentais de diversas origens, que consistem na formação básica de cada um, levam infinitamente mais a prejuízos do que a lucros. (TIER, Mark; 2005).

Tesouro Direto, poupança (apesar da baixa rentabilidade),CDB...existem diversas opções. O importante é criar o hábito de pensar no amanhã. E não se esqueça: diversificar é importante!

3- Estude

Essas são apenas algumas dicas do que pode ser feito para manter seu balanço pessoal em dia, mas existem diversas opções que te levarão a criar uma ótima consciência financeira e ter uma vida confortável, como o cursos abaixo:

Como organizar o orçamento familiar

Como fazer investimentos

Como planejar a aposentadoria

Agora é sua vez! Não se esqueça de que nossa vida pessoal diz muito sobre o tipo de profissional que somos. Confira a seguir uma planilha disponibilizada pela Bovespa para controlar os gastos pessoais: Planilha orçamento pessoal- BM&F Bovespa

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento