Como livrar meu contracheque?
Como livrar meu contracheque?

Como livrar meu contracheque?

O crescente endividamento do funcionalismo com prazos longos gera uma sensação no servidor de que ele está ganhando mal, porque seu líquido de salário está contaminado pelos consignados. Assim, ele já não olha mais para o salário bruto e passa a pedir aumento de salário com frequência

O título deste artigo, que foi a inspiração para desenvolver este tema, chegou até mim por meio de uma pergunta enviada ao SOS Educação Financeira, serviço gratuito do site da Abefin – Associação Brasileira de Educadores Financeiros (http://abefin.org.br/sos/). O internauta relata que possui dois empréstimos consignados que comprometem seu líquido de salário e pergunta o que deve fazer para livrar seu contracheque destas parcelas. Porém, antes de tentar responder esta questão é fundamental identificar e entender o que levou a pessoa a buscar esta modalidade de empréstimo. Ou seja, é preciso analisar primeiro as causas para depois atacar os efeitos.

Em julho de 2014, o portal Meu Bolso Feliz realizou uma pesquisa que revelou que cerca de 34% dos brasileiros já contrataram empréstimo consignado em algum momento de sua vida financeira. Os principais motivos apontados pelos entrevistados foram: para pagar dívidas de outros empréstimos como a de cartão de crédito 47%, para comprar eletrodomésticos e móveis 15%, e para pagamentos de contas de serviços, como aluguel, condomínio, luz, telefone e escola 14%.

Penso que uma pesquisa feita exclusivamente com servidores públicos, por exemplo, certamente apontaria percentuais maiores, uma vez que a estabilidade no emprego acaba incentivando o endividamento de longo prazo. O motivo mais apontado é relevante e, neste caso, o empréstimo consignado é tido como solução, pois é a melhor alternativa para trocar uma dívida cara de curto ou curtíssimo prazo com juros mensais, como o cartão de crédito ou o limite do cheque especial, por uma dívida de longo prazo, com juros mais baixos e prestações fixas. Os juros do empréstimo consignado são os mais baixos do mercado por conta da garantia do desconto em folha de pagamento, que no caso do servidor se soma à estabilidade no emprego.

O problema é que esta procura aumenta a cada dia e a principal causa é a falta de educação financeira. Isso ocorre porque o empregador, muitas vezes não atua de forma preventiva. No caso do setor público, o crescente endividamento do funcionalismo com prazos longos gera uma sensação no servidor de que ele está ganhando mal, porque seu líquido de salário está contaminado pelos consignados. Assim, ele já não olha mais para o salário bruto e passa a pedir aumento de salário com frequência. No setor privado, além deste efeito colateral, há outro igualmente preocupante: o trabalhador endividado passa a pedir adiantamento de férias e também pede para ser demitido para poder quitar as dívidas com a indenização, porém, como não há educação financeira, em pouco tempo ele estará novamente endividado.

Tenha um relacionamento sério com o seu dinheiro e não dependa de empréstimos para realizar sonhos.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento