Café com ADM
#

Como funciona a utilização cotidiana do fluxo de caixa

​Muitas empresas fazem o "velho" controle de caixa, anotando sistematicamente em um livro de capa dura tudo aquilo que entrou e saiu de sua empresa

Alguns autores dizem que o fluxo de caixa é a espinha dorsal de uma empresa, outros dizem que seria o sangue que corre nas veias de uma corporação, e você, o que pensa a respeito do Fluxo de Caixa?
Muitas empresas fazem o "velho" controle de caixa, anotando sistematicamente em um livro de capa dura tudo aquilo que entrou e saiu de sua empresa. Este controle parece ser bom, útil, até você realmente precisar dele.
Algumas empresas com sobra de caixa (o que não significa necessariamente lucrativas) não dão a devida atenção para o controle, projeção e adequação de caixa, mas só descobrem isso quando a sobra vira falta, e o livro se torna seu inimigo pessoal número um. Contas a pagar inesperadas, contas a receber atrasadas e o livro não sabe mais dizer do amanhã, muito menos do restante do ano.

Registrar entradas e saídas deve ser algo habitual dentro de uma empresa, como amarrar os cardaços após colocar os sapatos, deve ser cultural, algo que não precisa ser dito, e sim, sempre ser feito.
Voltando a falar do "velho" controle de caixa (o livro), vejo-o como algo bom, mas ultrapassado, algo melhor que nada, mas que não sacie as necessidades de informações que as empresas modernas precisam. Em todas as áreas temos que planejar estrategicamente, temos que ter informações para pensarmos a respeito. Saber o quanto gastamos não é mais tão interessante.

Precisamos de mais, muito mais. Precisamos saber o quanto disso é operacional, o quanto disso é extra-operacional, quais são as despesas financeiras que estamos gerando, e comparar uma a uma, mês a mês, para que possamos assim gerir a "coluna dorsal", "o sangue que corre nas veias", de nossas empresas.
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.