Como falar bem inglês: 5 ideias para destravar e mandar bala

Sugestões para quem está buscando evoluir no inglês e quer destravar de uma vez

Você considera que tem inglês, mas acaba tendo dificuldades em conversar tranquilamente com um estrangeiro ou colega de trabalho? Você vem estudando inglês há algum tempo e mesmo assim trava quando precisa usá-lo numa reunião com o “pessoal de fora”? Você quer aprender como falar bem inglês, e tem dificuldade em montar um plano de estudo que te permita evoluir satisfatoriamente neste processo?

Pois aqui seguem 5 ideias para você destravar e solidificar seu caminho para finalmente falar bem inglês:

1) Administração do tempo

Não se iluda: sem dedicar tempo e energia, você não consegue evoluir depois de certo ponto. Você precisa de disciplina e, mais que nada, identificar claramente quais são as suas prioridades nesta vida. Se você entende que precisa melhorar seu inglês para conseguir seus objetivos profissionais e pessoais, você precisa urgentemente colocar atividades de exposição e prática do idioma na tua agenda semanal.

Façamos uma conta breve: a semana tem 168 horas. Destas, você passa 56 horas dormindo (e realmente deveria dormir isso mesmo, pois já foi demonstrado cientificamente que uma boa noite de sono é imprescindível para melhor performance mental/cerebral).

Das 112 restante, você provavelmente passa 45 horas semanais no trabalho (com algumas variações pra mais ou pra menos, dependendo da tua atividade). E se você mora em uma grande cidade, provavelmente perde mais 14 horas no mínimo nos trajetos casa-trabalho-casa, totalizando 59 horas. Sobram 53 horas na semana para fazer outras coisas que não sejam trabalho e dormir.

O que você faz nestas 50 horas “livres” é determinado de acordo com as tuas prioridades. Quem está em um relacionamento sabe que uma boa parte dessas horas são disponibilizadas para sua “cara-metade”, certo? Se tem filhos, uma parte ainda maior vai para o relacionamento com os pequenos. E como nesta vida nada é simples, temos ainda que achar tempo para nos exercitar, buscar especializações, trabalhar nossas inspirações espirituais/intelectuais… não tá fácil pra ninguém, né?

Por isso digo que se você realmente percebe que falar bem inglês é necessário para sua evolução na vida profissional e pessoal, você precisa se convencer da importância disso e fazer um esforço grande de incluir na tua agenda semanal atividades que te permitam se expor e praticar o inglês. Não pode ser “vou fazer minhas aulinhas duas vezes por semana e já está bom”! Tem que ser mais que isso.

Olhando para as “50 horas” restantes, quantas destas podem ser alocadas para este tipo de atividade? Será que é humanamente impossível agendar 6 horas da semana, 1 hora por dia e tirando um de “folga”? No trajeto para o trabalho, ouvir um podcast ou usar um aplicativo no celular? Meia hora em casa depois do trabalho vendo um vídeo interessante na internet, ouvindo algumas músicas enquanto acompanha as letras? Vendo e revendo filmes ou seriados? 6 horas por semana é o triplo de tempo em relação às 2 horas por semana de aula.

Pense nesta matriz de administração de tempo, que mostra a relação urgência x importância, com relação às atividades que você escolhe fazer.

Quanto tempo você perde vendo TV? O que é mais importante? Tua evolução no inglês ou ver a novela para saber o que vai acontecer com a mocinha? Mais e melhores oportunidades profissionais ou ver jogo de futebol? Lembre-se: a escolha é tua! Tenha claro quais são as tuas prioridades e organize a tua vida de acordo com elas.

Vale a pena. É necessário. Você precisa fazer esse planejamento. Hoje!

2) Especifique objetivos atingíveis

Faz diferença olhar pro final da escada para dar o primeiro passo?

É preciso entender o seu nível de inglês atual e quais são os teus objetivos no processo de desenvolvimento. Se você tem conhecimentos intermediários, não é uma boa você ter como meta imediata falar fluentemente como um nativo. É um salto muito grande, e virtualmente impossível de conseguir rapidamente. Você primeiro vai ter que passar por um nível mais avançado para depois, com bastante esforço e dedicação, chegar à competência plena do inglês.

Você precisa conversar com seu professor, ou se estuda sozinho, estabelecer você mesmo algum objetivo específico e atingível, no nível imediatamente superior ao que se encontra. Se você estima que entende 70% de um podcast em inglês, teu objetivo pode ser entender 80% em uma semana. Se você entende 10 de cada 15 palavras que lê, teu objetivo pode ser entender 13 a cada 15. Se você consegue falar um pouco com um gringo pelo Skype, siga praticando para falar um pouco mais, sempre incrementando pouco a pouco. Não espere falar fluentemente na semana seguinte. Teu cérebro se ressente de não atingir objetivos assim, e isso desmotiva.

E outra coisa: analise a fundo os teus objetivos. Será que é necessário falar inglês como um nativo para poder se comunicar com eficiência? Qual é o sentido em buscar a perfeição ao falar inglês? Qual é o mínimo aceitável para que você consiga falar bem inglês, de maneira que você se sinta confortável?

Não tem milagre. Não tem como dar saltos qualitativos depois de um certo estágio. Pratique. Muito.

3) Técnica de estudo/prática: Pomodoro

A técnica Pomodoro!

Uma dica boa é usar uma ferramenta conhecida como Técnica Pomodoro. O nome vem do italiano (tomate) e a origem é devido ao timer de cozinha em forma de tomate, que é usado para cronometrar o tempo de preparo da comida.

A ideia aqui é estabelecer um tempo de foco no estudo ou na prática, sem interrupções, de maneira que você seja produtivo e não se estresse. E logo depois tome um tempo para si mesmo, para fazer outra coisa (acessar facebook, tomar um café, o que seja).

O padrão desta técnica é fazer esse esforço concentrado em 25 minutos. Muitas pesquisas demonstram que este tempo de 25 minutos é o ideal para que você tenha a concentração necessária para reter o conteúdo e não se sentir sobrecarregado com informações e sinta vontade de se distrair ou procrastinar.

A sugestão é que você baixe um aplicativo para o celular que especificamente sirva pra isso. Eu tenho um app (Android) chamado ClearFocus que simplesmente abre um temporizador que começa com 25 minutos e ao zerar, emite um alarme. Ao final deste tempo, ele pergunta: “Quer fazer um intervalo de 5 minutos?”

Tela do App ClearFocus

Programe-se para suas atividades semanais e abra o aplicativo. Desta forma, você manda um comando para sua mente dizendo que durante esse período você não deve ser interrompido, nem por alguém conhecido, nem por você mesmo.

Baixe o aplicativo hoje. 25 minutos e só!

4) Estude algo de seu interesse online

Você conhece os chamados MOOC’s? O termo em inglês vem de “Massive Open Online Courses”. São cursos abertos (qualquer pessoa pode fazer e quantas pessoas quiserem) e GRATUITOS. E alguns MOOCs são originários das melhores universidades do mundo!

Eu particularmente sugiro o Coursera e o edX. Ambos tem uma gama imensa de cursos grátis, a gigantesca maioria deles em inglês, e muitos deles com tradução (legendas) em português.

Essa é uma maneira muito boa de melhorar o inglês, pois você estará fazendo um curso em um assunto que te interessa, usando o idioma, e tendo que entender o conteúdo enquanto em paralelo é exposto ao inglês. E você pode se atrever a trocar ideias com os colegas que estão fazendo o mesmo curso nos fóruns!

Você pode fazer o curso no seu ritmo, e não há obrigação de concluí-lo oficialmente. Você poderá parar quando quiser, e em muitos voltar quando quiser para ver o material (sem poder fazer os testes).

Você quer falar bem inglês? Faça um favor a si mesmo! Entre agora mesmo no Coursera e no edX e veja o mundo de opções de cursos que existe lá. Com certeza há cursos sobre assuntos que você curte e se interessa e muitos deles são gratuitos.

5) Pratique

Esse é o mais óbvio, mas ao que parece, o mais difícil de conseguir. Entenda uma coisa, meu caro amigo: você precisa achar maneiras de praticar o que aprende (ou aprendeu) nas aulas.

Não tem como chegar a um nível de competência linguística que pode ser chamado de “ser fluente” se você não praticar nunca. Você sempre será afetado pelo medo e pela falta de prática, e isso criará um loop de mal-estar que vai te afastar cada vez mais das oportunidades de prática.

Procure um espaço de co-working que tenha práticas semanais de inglês. Procure um curso ou canal online que ofereça encontros presenciais para pessoas praticarem. Procure alguém que conheça um americano, inglês, canadense, australiano ou sul-africano. Indiano dá também, mas você deve saber que é difícil entende-los. Procure oportunidades no seu trabalho de interagir com gringos que se disponham a te ajudar nesta prática. Se você não fizer isso, ninguém vai fazer por você.

Duas sugestões:

Hottopics:

Evento organizado mensalmente na Casa 216 em Pinheiros, SP, que reúne interessados em praticar inglês em grupo com outras pessoas que estão aprendendo e buscando se desenvolver, com mediação de professores de inglês. Mais informações, veja no site da Casa 216 ou na página da CDE – Career and Development in English no Facebook.

Encontros CouchSurfing Brasil:

O CouchSurfing é um site que permite achar um lugar para dormir nas suas viagens, e que você pode abrigar um viajante em sua casa também.

Eles também promovem eventos que fomentam a prática de idiomas. Uma vez por semana eles fazer em São Paulo o CS English Conversation Group. Mais informações no site do CouchSurfing Brasil.

Procure. Não deixe pra depois. Procure agora. Faça acontecer.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento