Como e por que deixei meu "emprego seguro" para abrir um negócio e fazer o que gosto

Foi assim que dei adeus à CLT

- Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui? - perguntou Alice ao gato.
- Isso depende muito de para onde queres ir. - respondeu o gato.
- Preocupa-me pouco aonde ir. - disse Alice.
- Nesse caso, pouco importa o caminho que sigas. - replicou o gato.

Essa passagem de Alice no País das Maravilhas lhe parece familiar? Há algum tempo eu poderia dizer que era familiar para mim. Não mais.

Uma simples pergunta mudou toda a minha vida.

Aos 18 anos fui morar sozinho e comecei a trabalhar, enquanto entrava na universidade.

Naquela época, a vida era trabalhar, estudar e curtir o tempo de descanso. Eu ainda não tinha percebido que estava apenas reproduzindo o que a maioria das pessoas faz: estudam, se formam, arrumam um emprego e esperam chegar sexta-feira para "curtir a vida".

A ideia era arrumar formas de ganhar mais para poder gastar mais. Até que eu resolvi prestar um concurso. Imagina aos 23 anos ter um emprego estável e com vários benefícios? Passei.

Cinco anos depois já tinha mudado de cidade três vezes e estava exercendo um cargo gerencial, quando percebi que estava fazendo a mesma coisa que boa parte dos meus colegas de trabalho: aceitando cargos apenas pelo salário, enquanto a insatisfação crescia. Lembro-me de ouvir, muitas vezes, colegas de trabalho dizendo: "as cobranças são as mesmas, então é melhor ganhar 20 mil do que 2 mil". E eu, por um tempo, aceitei isso como verdade. Só que poderia ser a verdade de outras pessoas, não a minha.

Foi assim até que eu me perguntei: "é isso mesmo que eu quero para minha vida ou estou apenas fazendo o que as outras pessoas fazem?".

Aqui ficam algumas perguntas para você: o que você acredita é seu mesmo ou é uma crença de alguém que você ouviu? O que você faz é o que você quer fazer ou é o que você viu alguém fazendo e está reproduzindo?

Essas perguntas mudaram totalmente o rumo da minha vida. Aprenda a fazer perguntas, que você encontra as respostas. É tipo aquele velho ditado: quem procura, acha. Nesse momento, estava aberta a minha empresa.

Aí eu tinha um dilema: como eu ia deixar um cargo para perder 70% da minha renda (ainda não tinha pedido demissão), para procurar algo que eu não sabia ainda bem o que era? Nesse ponto já comecei a ser chamado de louco.

Só que as pessoas que me chamavam de louco já tinham me dito que queriam fazer algo da vida bem diferente daquilo que estavam fazendo. Ficavam reclamando do trabalho, dizendo que queriam sair dali e me chamando de louco porque eu estava fazendo exatamente o que me diziam que queriam fazer? Não entendi.

Eu ainda não estava satisfeito. Essa simples pergunta me trouxe dezenas de outras perguntas, que me levaram a encontrar muitas pessoas e que me abriram mais uma série de opções. Parece complexo, né? Mas é simples.

Eu mal sabia que era o início da realização de um sonho que eu não lembrava que tinha até então.

Aqui fica uma dica: decida o que você quer e comece agora. Faça agora o que você pode com o que você tem e o que te deixa mais próximo do objetivo. Em pouco mais de um ano foram muitas mudanças, muito estudo e muito aprendizado. Meus objetivos hoje são bem diferentes dos iniciais, mas se eu não tivesse começado por um caminho, não saberia o que fazer.

Essa busca me trouxe inúmeros aprendizados. Dentre eles posso citar:

1- A vida vale muito mais que o meu salário;
2- A vida não começa após o trabalho. O trabalho é vida, ou a vida é trabalho;
3- Se estou vivendo os dias sem percebê-los, é hora de parar por um minuto para questionar o que estou fazendo;
4- Se há dúvida em relação ao que estou fazendo, preciso procurar alternativas para ter certeza do caminho que quero seguir;
5- Ser vendedor é uma das atividades mais prazerosas que existem. Se você não gosta de vender o que vende é porque está vendendo algo em que não acredita.

Antes de encerrar, quero deixar bem claro que não há nada de errado para mim no trabalho com carteira assinada, desde que você esteja fazendo algo que gosta.

Eu vou cuidar do meu negócio e fazê-lo prosperar.

Esse foi um breve resumo de uma longa história que não termina aqui. Está apenas começando.

Então, deixo mais uma pergunta: se você parar agora e se perguntar sobre o que gosta de fazer, a resposta é o que você está fazendo hoje?

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento