Como as empresas selecionam os currículos em meio à crise econômica

Em meio a crise econômica de 2015, o índice de desemprego aumenta e, em consequência, aumenta também a competitividade por um espaço no mercado de trabalho. Comece competindo sabendo como as empresas selecionam os candidatos em meio a essa crescente disputa pelo emprego desejado

Realmente o mundo dá voltas não é mesmo? Em 2014 a empresa para qual trabalho passou pelo pior índice de rotatividade de funcionários em 10 anos de história, e pelo o que tive acompanhando do mercado, não fomos somente os que sofreram com isso. Propostas melhores em outras empresas, em outras áreas, muitos deixando seus empregos para dar entrada no ‘seguro-desemprego’, chantagem financeira (por parte dos colaboradores) para poder retê-los. Realmente foi um ano difícil e de alta barganha por parte dos funcionários.

Em 2015 as coisas viraram de cabeça para baixo, porém eu achava que era muito mais por parte da mídia em criar um alarde do que pela própria crise econômica mundial. Mas eu estava errado e pude comprovar isso nesta semana.

Precisando de funcionário, coloquei um anúncio de emprego - para apenas uma vaga – no principal site de banco de empregos da região onde trabalho. Até então tudo normal, pois a empresa sempre utilizou este site para seus anúncios. Em 2014 uma vaga ficava aberto de 3 a 4 semanas e eu recebia em torno de 6 a 10 currículos para a vaga. Já nesta semana (segunda semana do mês de Julho de 2015), em 1 hora de publicação recebi 96 currículos, em 12 horas já eram 247. Fui obrigado a retirar a vaga do site imediatamente e criar um filtro para tantos currículos.

Segue abaixo o filtro que criei e que, possivelmente, não é diferente dos recursos humanos de outras empresas:

1) PRESTAR ATENÇÃO NO MEIO EM QUE A EMPRESA PEDE CURRÍCULOS

Às vezes a empresa pede currículos por e-mail ou para deixar diretamente na empresa. Às vezes apenas pedem para ligar ou ainda apenas para irem ao local da entrevista. Não se mostre desesperado, mande um currículo apenas pelo meio em que a EMPRESA determinou.

Espere um retorno de confirmação do recebimento do currículo em um prazo hábil, não mande seu currículo e ligue para empresa logo em seguida perguntando se receberam o currículo (a não ser que peçam para ligar).

Outro detalhe importantíssimo é que VOCÊ deve enviar o currículo para a empresa, não peça para outra pessoa (marido, irmão, pai, mãe, amigo, etc) mesmo que seja apenas para enviar no e-mail. Isso demonstra interesse e já é uma forma de contato com a nova empresa.

2) APARÊNCIA DO CURRÍCULO

Sim, ele faz toda a diferença e diz muito sobre o seu perfil. Não faça currículos longos, você deve ser breve! Não encha ele de textos (principalmente aqueles descritivos sobre o seu perfil), muito menos de detalhes gráficos (imagens, marcas d’água, bordas coloridas, florzinha – e sim, peguei alguns currículos assim).

Deixe que a empresa análise o seu perfil, textos auto-descritivos não importam para a empresa, são apenas algumas palavras bonitas que todo mundo coloca sobre si.

Se for enviar currículo por e-mail, preste atenção no nome do arquivo. O ideal é que seja o seu nome completo.

Um detalhe importante é o seu e-mail. Faça um e-mail profissional, com seu nome e sobrenome. Não utilize seu apelido, nome no diminutivo, _sk8, _surf e outras características que te remetam a um perfil ‘informal’, infantil ou desleixado.

3) INFORMAÇÕES PESSOAIS

Descreva corretamente essas informações. Coloque o seu nome completo, idade (não coloque apenas a data de nascimento para a empresa ter que fazer conta), endereço completo e demais informações.

ATENÇÃO, todas as informações pessoais e profissionais devem ser VERDADEIRAS! Sim, parece uma coisa obvia, mas ainda assim cometem este erro. Um exemplo disso? Recebi um currículo de uma menina de 20 anos. Ela dizia que tinha ensino superior incompleto e era DOUTORA. Nunca vi ninguém com título de doutorado sem ao menos uma graduação. E a não ser que ela fosse um ‘gênio’, também nunca vi ninguém com doutorado aos 20 anos.

4) ÁREA DE ATUAÇÃO X ÁREA DE CONHECIMENTO

Não é um filtro utilizado sempre, pois depende muito da situação do mercado e da vaga oferecida. Porém, com tantos concorrentes pela vaga, este se torna um dos principais filtros na escolha de um candidato.

Grande parte das empresas não te contrata por período com prazo determinado, se elas te contratam é porque querem que você se dedique e colabore o máximo que puder pela empresa. Isso envolve os custos com recrutamento e seleção, com o treinamento e os demais custos envolvidos em uma rotatividade de funcionários.

Dessa forma a empresa analisa a área de conhecimento (de estudo) e compara com a área de atuação em que a vaga será preenchida, não somente pela experiência e conhecimento do candidato em relação ao cargo, mas sim para uma análise futura de cenário. Um exemplo? A vaga em aberto é para assistente administrativo. Dos currículos que recebi aproximadamente 27% são de acadêmicos de direito e 12% acadêmicos de alguma engenharia. Por mais que estes possam ter conhecimento ou algum contato com a área administrativa, não os selecionei. Ambas as graduações requerem estágio na área ou então o próprio aluno/candidato vai querer atuar em sua área de formação em um futuro próximo, ou seja, não posso contar com ele em médio/longo prazo, pois será um contrato com período ‘pré-determinado’, aumentando os riscos e (possivelmente) os custos caso haja essa contratação.

5) QI E REFERÊNCIA

Não é segredo para ninguém que a maioria (se não todas) das empresas contrata com base no “Quem Indica”. Além dessa poderosa ferramenta de seleção, há o banco de referências, onde o RH da empresa certamente irá entrar em contato com as empresas anteriores na qual trabalhasse para levantar informações a seu respeito. Muito espertinhos afirmarão que a empresa não pode falar mal do funcionário sob risco de levar processo por danos morais. Porém, basta um “nada a declarar” ou um “não conheço” para que o candidato seja desclassificado.

Ter um bom networking e referências positivas no emprego anterior são dois atributos importantíssimos para que você seja o selecionado em meio a tantos currículos e entrevistas, se não os dois atributos mais importantes.

Não perca tempo, revise seu currículo, trabalhe muito seu Networking e preste atenção nas vagas em aberto. Saia na frente de seus concorrentes na busca pela vaga desejada. Existem artigos muito bons na internet e no próprio Portal dos Administradores que lhe auxiliam na elaboração de um bom currículo competitivo.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento