Como a empresa júnior influencia na carreira do universitário?

Através de um questionário online e com a colaboração do Movimento Brasil Júnior, obtive 181 respostas de diversos estudantes que de alguma forma contribuem para o movimento, e destes, retifico as respostas mais edificantes (e autorizadas a publicar em meu artigo), para construirmos juntos uma reflexão

Primeiramente quero ressaltar que ainda não participei de uma Empresa Júnior, porém, sempre quis saber a fundo o processo de criação e funcionamento (Assista este hangout que realizamos), assim como ela influencia/impacta a vida do acadêmico. Por isso, fui atrás de quem fez/faz parte de Empresas Juniores espalhadas pelo Brasil!

Através de um questionário online e com a colaboração do Movimento Brasil Júnior, obtive 181 respostas de diversos estudantes que de alguma forma contribuem para o movimento, e destes, retifico as respostas mais edificantes (e autorizadas a publicar em meu artigo), para construirmos juntos uma reflexão:

Acredito que a empresa júnior te mostra coisas que a faculdade não te ensina, por exemplo, as aulas te dão suporte na parte técnica, mas principalmente a parte administrativa você consegue aprender na EJ”.

André Luiz C. Ajita
Engenharia de Produção – Agroindústria.
Maringá, Universidade Estadual de Maringá (UEM).
EJ: Diretor de Qualidade.

“A principal importância é a junção da teoria e prática. Na empresa júnior temos a oportunidade de aprender sobre assuntos que provavelmente não veríamos na graduação, além de aprender sobre como gerir internamente uma empresa.”

Amanda Ferraz
Ciência Política. 6º semestre.
Universidade de Brasília
EJ: Presidente Institucional

“A importância da empresa júnior é passar a vivência empresarial, e não só a vivência técnica que é o que nos ensinam nas aulas, dessa forma, somos introduzidos em um meio que tem as mesmas dificuldades de uma empresa em menor escala, aprendendo áreas diferentes do que nos é ensinado no curso, além de aprender a lidar com os mais tipos diferentes de pessoas.”

Lorena Jacomini
Engenharia química, 3º ano
Maringá, UEM
EJ: Diretora Jurídica

Vejam que até o momento os participantes destacaram bastante a importância da vivência prática que sempre comento em meus artigos e nos projetos que participo. De nada adianta aprender APENAS a teoria e não ter uma vivência prática como em um estágio, extensão, associativismo, voluntariado, etc. Na EJ, você terá responsabilidades e será tratado e cobrado como um empresário. A experiência é única! Vamos além:

“A empresa júnior nos mostra como é o mercado de trabalho sem precisarmos estar inserido nele. É nesse ambiente que podemos errar para que quando sairmos da universidade não cometamos mais erros. Além disso, é um ambiente em que colocamos na prática toda a teoria que se aprende na sala de aula, onde aprendemos a trabalhar em equipe, a sermos profissionais, a termos mais criticidade.”

Giovanna
Londrina. Universidade Estadual de Londrina
Psicologia. 2ºano
EJ: Diretora de Projetos

“A EJ é um meio onde as coisas acontecem muito rápido, o que você levaria um bom tempo para ser, exemplo: Diretor, gerente, você consegue muito rápido na EJ, e o desenvolvimento é imenso, em todos os sentidos, pois além de se adentrar no meio empresarial, o movimento sempre preza pelo aprendizado dos membros e a gente se desenvolve nisso.”

João Paulo Stoffel
Maringá UEM.
2º ano de Engenharia Civil.
EJ: Diretor de Qualidade

“Pela minha experiência no MEJ, eu me sinto mais preparado para o mercado de trabalho, tanto na minha área de atuação, quanto para cargos de gestão. Esse contato antecipado com a prática auxilia também no desempenho acadêmico, já que em alguns casos faço atividades que só verei mais para a frente no curso.”

Felipe Freitas
Jornalismo 4ª fase
Florianópolis, UFSC
EJ: Presidente

Observem que já nestas opiniões, a abordagem do tema gestão também é inserido como grande aprendizado dentro da Empresa Júnior. Lembre-se que todos que responderam são universitários como vocês e, talvez em um estágio qualquer, sejam delegados para tirar cópias. Dentro da EJ a responsabilidade e as decisões fazem parte do cotidiano e não tem chefe para “culpar”. Aprendizado e Amadurecimento!

“Existe uma teoria onde explica que 10% do que aprendemos é na sala de aula, 20% é por senso comum e 70% é prática, isso explica o que percebemos no Movimento Empresa Júnior, colocamos em prático tudo o que vemos na sala de aula e assim aperfeiçoamos nosso aprendizado e chegamos ao mercado preparados para adversidades.”

Alex Nascimento Pires
Administração – 5º Período
Vitória/ES
EJ: Diretor de Marketing

“Acredito que a empresa júnior tem o papel de diferenciar o universitário no mercado de trabalho visto que ele, independente de estar na sua área de formação, consegue aprender boa parte do que é uma vivência empresarial. O que já é um conforto para a empresa que está contratando.”

Mariah Sathler de Jesus
Ciências Contábeis – 5º Período
Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
Vitória – ES
EJ: Diretora de Projetos

“Bom, na minha visão, a empresa júnior oferece um aprendizado que não temos na sala de aula. Noto que somos formados para sermos apenas engenheiros e trabalhar para alguma empresa e não formar a nossa própria. É nesse momento que a empresa júnior surge como uma oportunidade de apresentar a nós a chance de aprendermos sobre empreendedorismo por meio da vivência empresarial. O mercado de trabalho é extremamente competitivo e precisamos nos diferenciar. Trabalhando em uma EJ, me desenvolvo, me capacito e principalmente me diferencio.”

Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Vitória.
Engenharia Mecânica. 4º período.
EJ: Diretor de Marketing

“As atividades na minha EJ são completamente diferentes das em aula, por ser um curso com muitas aulas de laboratório. Então, como não podemos realizar os projetos, a vivência empresarial entra como uma enorme complementação à nossa experiência, que não conseguimos na graduação.”

Diretor de Eventos
UNESP Araraquara
3º ano de Bacharelado em Química Tecnológica.

Bom, quais reflexões você tirou deste artigo?
Perceberam o quanto é importante participar de uma EJ? Eu pretendo entrar em uma logo (volto aqui para escrever minha experiência).
E vocês, o que acharam?
Deixe seus comentários!
Boa semana!

Artigo escrito originalmente para o Portal Startupi, e cedio para o Portal Administradores.com

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento