Como a Argentina de Macri está otimizando o Estado

Enquanto o governo brasileiro estrangula ainda mais a economia inchando o Estado e aumentando a carga tributária, a Argentina retoma o desenvolvimento econômico-social tomando medidas inversas.

Enquanto o Brasil vive um cenário de crise econômica agravado pela falta de governabilidade do Poder Executivo federal e pela falta de competência técnico-gerencial dos que estão à frente do país, a Argentina passa por uma verdadeira revolução econômica com a chegada de Mauricio Macri à Presidência da terra dos "hermanos".

Isso se deve a uma série de medidas simples, de fácil implementação e que só demandam vontade política e espírito público: em menos de 2 meses de governo, Macri reduziu a carga tributária local, eliminou regalias presidenciais, como voos em avião presidencial, e queimou gorduras da máquina pública local cortando "nhoques" (variante hermana dos nossos jabutis) da dieta do aparelho do Estado.

Em vista disso, de uma nação que vinha passando por um cenário de "terra arrasada" em seu parque industrial e sofrendo com o patrimonialismo que a versão argentina do Foro de São Paulo implementou na Administração federal durante a Era Kirchner, a Argentina passou a inspirar confiança no empresariado local e nos investidores estrangeiros, que já se propõem a injetar recursos no país.

E por que o Brasil não faz o mesmo? Por que é tão difícil cortar gastos da máquina pública e tributos para estimular investimentos, ganhar competitividade e recuperar a confiança internacional no país? Será tão difícil colocar o patrimonialismo de lado, remover jabutis da árvore pública e livrar as amarras da livre iniciativa, permitindo, assim, que esta ponha seu engenho e seu empenho a serviço do desenvolvimento econômico nacional?

À luz do exposto, fica a seguinte reflexão, que também serve como alerta para o abismo do qual nos aproximamos cada vez mais: enquanto a Argentina dinamiza sua economia desinchando o Estado e livrando as amarras da atividade econômica local, o Brasil segue pelo caminho inverso com medidas inversas.

Um forte abraço a todos e fiquem com Deus!

:.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento