Comissão Própria de Avaliação: Ameaça ou oportunidade?

Um dos componentes da nova estrutura instituída pelo governo para avaliar o ensino superior no Brasil é a Comissão Própria de Avaliação - CPA. Como o próprio nome diz, trata-se de uma comissão criada na IES com representantes do corpo docente, discente, além de representante da comunidade. à ela caberá a responsabilidade pela realização da auto-avaliação, que constitui um processo por meio do qual um curso ou instituição analisa internamente o que é e o que deseja ser, o que de fato realiza, como se organiza, administra e age, buscando sistematizar informações para analisá-las e interpretá-las com vistas à identificação de práticas exitosas, bem como a percepção de omissões e equívocos, a fim de evitá-los no futuro. Tem, como eixo central, dois objetivos, respeitadas as diferentes missões institucionais: * Avaliar a instituição como uma totalidade integrada que permite a auto-análise valorativa da coerência entre a missão e as políticas institucionais efetivamente realizadas, visando à melhoria da qualidade acadêmica e ao desenvolvimento institucional; * Privilegiar o conceito da auto-avaliação e sua prática educativa para gerar, nos membros da comunidade acadêmica, autoconsciência de suas qualidades, problemas e desafios para o presente e o futuro, estabelecendo mecanismos institucionalizados e participativos para a sua realização. (Diretrizes para a Avaliação das Instituições de Ensino Superior - p. 20) Assim, temos definido o papel precípuo de uma Comissão Própria de Avaliação. Cabe portanto, refletirmos sobre questões sérias e pertinentes a todo processo de avaliação. Será que todos atores envolvidos no processo estão embuídos da mesma missão? Será que todos estão dispostos a prestar informações que, num futuro próximo, como resultado final, provocar ações que os tirem da "zona de conforto"? Estou convencido de que a primeira etapa para se alcançar o máximo de sucesso na institucionalização de uma CPA é a sensibilização. Começando pela cúpula, órgão diretivos, enfim, envolvendo todos. Quero, através deste breve texto propagar a idéia de que é possível, através de um trabalho sério, comprometido, onde os atores envolvidos estejam realmente comprometidos com sua Instituição de Ensino, dar um grande salto rumo à melhoria de todo o conjunto da instituição. Desde que participei do Seminário Regional Sobre Avaliação da Educação Superior: A Implementação do Sinaes, estou convencido desta grande possibilidade. Concluindo, entendo ser esta uma grande oportunidade para crescermos nesse mercado competitivo. Um trabalho bem planejado, possibilitará visualizarmos as oportunidades e, ao mesmo tempo, neutralizarmos as ameaças que tão de perto nos rodeiam. Assim, fica manifestado aqui o meu conclame para que todos participem efetivamente desse que, sem dúvida, é o momento de revermos nosso posicionamento. Momento de assumirmos uma postura de verdadeiros gestores. Um forte abraço e até breve. Edenis César de Oliveira edenis@netonne.com.br
ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.