Coaching e o descarrilamento de carreira

o que é descarrilamento de carreira, os 05 fatores que são determinantes para ocorrer e como o processo de Coaching pode ajudar a minimizar os riscos de acontecer com você?

Quando você ouve essa palavra descarrilamento, você lembra do quê? Sim, de um trem. Mas, também de acidente, tragédia e talvez vítimas.

A literatura de gestão de pessoas apropriou- se desse contexto para cunhar a expressão descarrilamento de carreira com o objetivo de denominar o cenário onde o profissional tinha tudo para dar certo, a melhor formação, a melhor empresa, a melhor condição, mas por algum motivo ele ficou no meio do caminho.

A manifestação do descarrilamento pode ser uma inesperada demissão, estagnação (10 anos na mesma posição, enquanto outros estão sendo promovidos), rebaixamento (no Brasil pouco provável em virtude da CLT, mas fora bem comum), aposentadoria precoce, doenças advindas de atividade laboral, ou talvez a quebra de uma empresa ou um negócio, sendo que o índice de mortalidade infantil das novas empresas no Brasil é gritante, chegando a 65% nos primeiros 05 anos, segundo informação do Sebrae.

Todas as manifestações acima podem ter um impacto significativo em nível emocional, mental e às vezes físico no profissional, ao ponto de alguns não conseguirem se levantar, ou reerguer, sendo deveras desastroso, trágico para alguns, e por extensão para suas famílias e talvez empregados.

A pergunta que não quer calar é: O que leva um profissional a se colocar em risco de descarrilamento de carreira?

Podemos elencar 05 fatores:

  1. Não atingir os objetivos do negócio
  2. Problemas de relacionamento interpesssoal
  3. Resistencia em mudar ou adaptar se
  4. Dificuldade em liderar equipes
  5. Orientação funcional estreita demais.

Como um processo de Coaching pode minimizar os riscos de descarrilamento de carreira, neutralizando todos os fatores mencionados?

Bem, o que é Coaching?

Coaching é um processo que reúne técnicas e ferramentas, cientificamente validadas, capazes de potencializar recursos, acelerar resultados e fazer com que se atinja objetivos mais rapidamente. É uma metodologia catalizadora do desenvolvimento humano.

O profissional que passa pelo processo de Coaching verificará que a primeira atividade será a identificação clara de seus objetivos pessoais e profissionais. Como o profissional atingirá seus objetivos de carreira se ele não sabe quais são? Neste quesito, Caio Domingues tem um frase interessante: “Quem não sabe o que procura, não percebe quando encontra”. O benefício primeiro então é ter um planejamento estratégico de carreira. E o que é planejamento, senão estabelecer um objetivo e determinar o que precisa ser feito para atingí-lo? Isso é denominado no processo de Coaching de Ponto B, ou estado desejado.

No que tange ao segundo item, problemas de relacionamento interpessoal, percebemos que ele é sustentado em duas colunas: falta de inteligência emocional e falta de auto- conhecimento. A experiência tem mostrado que aqueles que não sabem controlar e canalizar suas emoções para situações apropriadas e que tem constantemente arroubos de temperamento se envolvendo em demasiados conflitos são comumente preteridos. Quem ficaria próximo de um vulcão que se sabe a qualquer momento pode entrar em estado de erupção?

O Coaching entra em um segundo momento identificando o ponto A, de onde você está partindo, quais são seus pontos fortes, seus pontos de melhoria, os gaps que precisam ser preenchidos, qual é o perfil profissional, qual é o perfil comportamental. Isso gera autoconhecimento, autoconsciência, o que por sua vez vai ajudar o profissional a melhorar seu relacionamento com outros, consciente do impacto que tem suas ações em todos os stakeholders.

Ainda um terceiro fator é a resistência em mudar ou adaptar -se num sistema que está em constante mudança. Temos aí a síndrome Gabriela, que tem matado carreiras em um cenário que pede inovação. “Queremos mudar o mundo mas não queremos mudar a nós mesmos”, lembra-se dessa frase?. Darwin diz que por observação se percebe que aquele que sobrevive não é o mais inteligente ou o mais forte, mas sim o que melhor se adapta.

O processo de Coaching, segundo John Witmore, em essência é consciência e responsabilidade. Então em todas as ferramentas temos perguntas poderosas para fazer o profissional pensar, por exemplo: que comportamentos e hábitos estão impedindo você de alcançar seus objetivos? Então, que comportamentos e hábitos precisam ser mudados? Depende de quem? O quanto você está comprometido? Que competências precisam ser desenvolvidas? Que atitudes precisam ser implementadas?

Por outro lado, a liderança é uma competência exigida no mercado atual. A habilidade de direcionar e conduzir pessoas a fazer o que precisa ser feito, gerando engajamento, uma mistura de motivação e comprometimento. Uma pesquisa feita recentemente diz que 80% das pessoas que pedem demissão das empresas, na verdade estão pedindo demissão da chefia, do seu líder.

O processo de Coaching por si só mostra que inovação só vem de gente e não de máquinas. O líder coach é aquele que aprende a obter resultados através das pessoas. Metodologia básica do Coaching é a Maiêutica Socrática, que usa o sistema de perguntas poderosas para fazer o profissional dar à luz suas próprias idéias. O Coaching fomenta o pensar e coloca fermento na inteligência de quem passa por ele. A experiência tem mostrado que há um engajamento natural em executar ações oriundas de suas próprias conclusões. Esse aspecto do Coaching está intrinsecamente relacionado ao fato de que liderança é a arte de influenciar pessoas.

Por fim uma orientação funcional estreita demais tem feito profissionais excelentes focarem muito no problema e esquecerem a solução. Aliás, qual o assunto mais falado ultimamente? Isso mesmo crise. Em suma, o que paira na mente e nas conversas entre amigos é: pra que se mexer, tentar novas opções, soluções, se isso não vai mudar?

Quero tomar emprestada uma frase atribuída ao Nizan Guanes que diz: “Numa crise existe dois lados, os que choram e os que vendem lenços”.

O processo de coaching vem com essa vibe de perspectiva de possibilidades, de aproveitar as possíveis oportunidades, de experenciar caminhos novos e diferentes em busca de performance, desempenho e resultados sustentáveis.

No caminho para o sucesso profissional você pode até cair, mas não será um acidente trágico, por que com um bom processo de Coaching, você estará preparado para aprender do episódio e levantará fortalecido para alcançar o seu destino além do horizonte.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento