Coaching e endomarketing: estratégias fundamentais para o empoderamento organizacional

Tanto o coaching como o endomarketing são imprescindíveis ferramentas dentro da gestão de pessoas para alavancar a performance das empresas

De um modo geral, Marketing pode ser entendido como sendo um conjunto de estratégias visando ao posicionamento de produtos e serviços para a satisfação das necessidades e desejos do cliente cujo objetivo principal, segundo Theodore Levitt, um dos teóricos da área, é obter e manter clientes. Devido à concorrência cada vez mais acirrada, as organizções inovam, aprimoram, estimulam, investem e põem em prática ações mercadológicas na tentativa de ampliar o poder das marcas e gerar valor para os clientes finais.

No entanto, ao focar apenas no cliente externo, as organizações relegam a segundo plano aqueles que, de fato, estão na pirâmide organizacional: o cliente interno ou colaborador. E é aí que entra em cena uma das principais estratégias da Gestão de Pessoas nas empresas: o endomarketing.

O termo endomarketing pode ser entendido como sendo o marketing para dentro ou marketing interno e foi criado pelo Consultor Saulo Bekin, nos anos 90, com a intenção de promover um novo conceito de marketing que valorizasse o cliente interno (colaborador) das empresas. Se o objetivo do marketing é a fidelização do cliente externo, no endomarketing o foco é a satisfação dos anseios e necessidades daqueles que fazem a organização por dentro.

Para isso, de acordo com o criador do termo, o endomarketing tem como objetivo fortalecer o relacionamento interpessoal dentro das organizações, compartilhando objetivos comuns, além de cultivar e cativar harmonia interna, valorizar a cultura cooperativa e alinhar valores organizacionais e individuais. Se as empresas querem que suas marcas sejam percebidas pelo público externo como tendo alto valor agregado, é preciso empoderar seus colaboradores, adotando, para tanto, uma comunicação interna altamente assertiva e focada no indivíduo.

Em se tratando de empoderamento, surge outra importante estratégia: o coaching. Este último pode ser entendido como um processo de aprendizagem cujo objetivo é fazer com que as pessoas se voltem para dentro de si, eliminando crenças destrutivas e potencializando suas qualidades no intuito de obter os melhores resultados.

Alinhar essas duas poderosas estratégias pode representar um salto qualitativo na gestão organizacional: uma vez que o endomarketing cria uma consciência empresarial (delineamento da visão, missão, princípios, procedimentos, etc), o coaching, por sua vez, conduz os indivíduos na busca dessa mesma autoconsciência. O resultado disso: perfeita sintonia entre os valores empresariais e os valores dos colaboradores; se o endomarketing está voltado para um processo de comunicação descendente mais cooperativo e integralizador, o coaching é a ferramenta perfeita para despertar nas lideranças organizacionais a importância do papel delas na trajetória da comunicação interna junto aos colaboradores; se a harmonia dos relacionamentos interpessoais é extremamente enfatizada no processo de endomarketing, o coaching é capaz de concientizar as pessoas de que é na construção de eficazes interações sociais que se constroem motivadas organizações.

Assim, investir no endomarketing e no coaching é mostrar às pessoas que o caminho para a excelência é percebido quando as empresas respeitam os valores de seus colaboradores, investem no desenvolvimento de modelos gerenciais avançados e acreditam no potencial humano.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento