Coach, Coaching ou Coachee? Como entender e como escolher

O coaching tem crescido no Brasil de forma expressiva nos últimos anos. Alguns “profissionais” sem nenhum tipo de formação ou especialização aventuram-se a se nomear coach confundindo sua função com mentoring (mentor), e/ou, consulting (conselheiro)

O coaching tem crescido no Brasil de forma expressiva nos últimos anos. Alguns “profissionais” sem nenhum tipo de formação ou especialização aventuram-se a se nomear coach confundindo sua função com mentoring (mentor), e/ou, consulting ( conselheiro).

Pois bem, de uma forma simples, dinâmica e embasada pela literatura vou tentar desmistificar esses conceitos e esclarecer para aqueles que ainda se sentem alguma dificuldade em estes termos suas diferenças de atuações, e consequentemente como se precaver de possíveis enganos.

A maioria da literatura estudada, concorda que a utilização do termo coaching, como técnica de desenvolvimento de pessoas surgiu na segunda metade do século passado, dividindo-se principalmente em três fases. A primeira fase de 1950-1979, surgiu na aplicação de técnicas da psicologia no ambiente organizacional. Já a segunda fase (1980-1994) o coach passa a aderir característica profissional com técnicas sistematizadas, inicia-se também a preocupação com a comprovação científica da eficácia das ferramentas, abrindo caminho para a terceira fase, a partir de 1995 até os dias atuais1, a qual se preocupa em sistematizar as ferramentas de maneira científica, criando mensuradores para seus resultados, publicando literaturas científicas, bem como criando padrões regulamentadores do trabalho.

Em sua etimologia a palavra coach vem de condutor, ou, aquele que conduz, e embora o termo seja mais usual no campo dos negócios, é muito comum que profissionais especializados em coaching optem por seguimentos específicos como saúde, esporte, carreira ou outros 2. Para quem deseja contratar um coach esse é um dos pontos mais importantes a se considerar na hora da contratação de um profissional, pois depende diretamente do sucesso e/ou fracasso dos objetivos do processo.

Quanto a nomenclatura esclarece-se que: Coach, é o nome do profissional especializado que aplica as técnicas e ferramentas que fazem parte do processo de Coaching. Coaching por sua vez, é o processo, o conjunto estruturado de ferramentas e técnicas aplicada pelo Coach para o desenvolvimento da pessoa, ou do grupo. Já o Coachee é a pessoa(s) que passa(m) pelo processo de coaching.

Os aspectos desenvolvidos pelo processo de coaching são elementos fundamentais para profissionais que ocupam cargos de liderança e gerencia3, mas também podem envolver aspectos específicos para o desenvolvimento pessoal do indivíduo4.O processo de coaching e a psicologia positiva tem obtido resultados consistentes e rápidos em relação ao desenvolvimento de habilidades pessoais. De acordo com Cilliers5, o coaching, enriquecido com a psicologia positiva é capaz de desenvolver melhor a empatia, a esperança, a curiosidade, fortalecer os pensamentos positivos e a felicidade1, e até mesmo a inteligência emocional, muito embora se defenda que a inteligência emocional deve fazer parte do próprio processo de coaching.

Desta feita, antes de procurar um Coach, verifique quais são seus objetivos, e principalmente quais as qualificações do profissional que está contratando e o que o capacita para idealizar um processo de coaching

REFERÊNCIAS

1 - MILARÉ, Sueli Aparecida; YOSHIDA, Elisa Medici Pizão. Intervenção breve em organizações: mudança em coaching de executivos. Psicologia em Estudo, v. 14, n. 4, p. 717-727, 2009.

2 - AMARAL, Rosangela Coimbra Brasil; ANDRADE, Sandra Regina Fortunato Silva de. Líder Coach: o aumento dos resultados institucionais com a humanização da relação de trabalho – experiência da secretária de fazenda de minas, onde líderes e equipes ultrapassaram fronteiras. VI Congresso CONSAD de Gestão Pública. Brasília, 2003.

3 - BRASIL, Luciana Americano do. Estudo de caso – HR Consultoria A importância do coaching no desenvolvimento profissional. 2008. 46 f. Monografia (Bacharelado em Administração) Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2008.

4 - CARDOSO, Maria Lúcia Alves Pereira; RAMOS, Laís Helena; D’INNOCENZO, Maria. Liderança coaching: questionários de avaliação de percepções de líderes e liderados na enfermagem. Einstein, v. 12, n. 1, p. 66-74, 2014.

5 - CILLIERS, Frans. Positive Psychology leadership coaching experiences in a financial organization. SA Journal of Industrial psychology, v. 37, n. 1, p. 1-14, 2011.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento