Cidades inteligentes precisam de empreendedores inteligentes

Você deve perceber que cada vez mais as cidades usam os dados e a inteligência que possuem nela para melhorar sua vida... Mas para tudo isso, algo é necessário.

Um dos conceitos que mais cresce nos últimos tempos é o de Smart Cities. Essa é uma ideia super interessante em que a cidade, com suas informações, dinâmica, pessoas, problemas, forças e tantas coisas é uma fonte incrível de oportunidades para pessoas com visão empreendedora.

Imagine se a sua cidade tem uma coleta de lixo mais inteligente? Em que todo o processo de recolhimento é feito com mais praticidade, não deixando tantas lixeiras transbordando, enquanto os responsáveis vão em algumas vazias. O próprio lixo não vai para aterros e rios e até muito deles serão insumos de produtos interessantes.

Isso é possível!

Imagine se a luz passa a ter um controle melhor de acordo a necessidade, e pessoas tendo incentivos verdadeiros para econimizar mais. Sem falar que o estimulo a produção de energia limpa passa a estar mais próximo das pessoas e universidades.

Isso é possível!

Eu poderia fazer vários parágrafos comentando também sobre o transito, turismo, segurança e até corrupção mostrando o que seria possível empreendedores atacarem e criarem negócios interessantes para melhorar os problemas da cidade e trazerem todos os benefícios de uma nova empresa em funcionamento na cidade... A questão é, temos empreendedores inteligentes para isso?

Duas coisas chamam a atenção aqui:

Incapacidade de reter – a maior parte das cidades falha em manter seus maiores talentos próximos. Pessoas com grande potencial empreendedor, com pensamento diferente e senso de fazer acontecer, se cansam de estarem onde as coisas não acontecem – elas vão para outro lugar.

Alguns são apegados e querem fazer a diferença na sua cidade, mas raramente conseguem. Tenho visto alguns poucos ambientes com MUITA gente incrível e a maioria perdendo seus pontos fora da curva.

Pensamento disruptivo – existem muitas pessoas inteligentes e criativas, mas elas precisam saber como usar isso em modelos de negócio diferentes, não apenas inovação pela inovação. Esse mindset em que as pessoas conseguem perceber dados interessantes e movem-nos em sua mente, atras de modelos distintos e desafiam o senso comum, provocando solução ousadas é preciso ensinar.

Não adianta só torcer para vir empreendedores com essa mente além do tempo, as cidades devem estimulalos, ensina-los, provoca-los...

Cidades inteligentes vão nascer quanto mais conseguirem manter sua gente com essa pegada empreendedora e instiga-las a causar impacto, assumir o risco e partir para cima.

Sobre esse assunto este vídeo pode complementar o tema:

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento