Cartão de crédito, o seu auxiliar das finanças

Quem nunca ouviu falar em alguém que não teve problemas com o cartão de crédito? Em um breve texto, tento explicar como é possível uma decisão transformar um simples pedaço de plástico em um objeto usado tanto para o bem quanto para o mal.

Quem nunca ouviu falar em alguém que não teve problemas com o cartão de crédito? Conheço inúmeras pessoas que, por não saberem lidar com esta ferramenta acabam largando-a para evitar novas dívidas. O fato de ser o cartão de crédito um facilitador na hora de fazer as compras, leva muitas pessoas ao consumo impulsivo.

Porém, este que parece ser o vilão da história pode ser na verdade uma ótima ferramenta de controle orçamentário para aqueles que o sabem usar de verdade. Sim, o cartão de crédito, o bandido de inúmeros planejamentos financeiros e controles orçamentários, é na verdade, uma eficiente arma de controle.

Como? É simples. Dentro do seu planejamento financeiro você pode classificar suas despesas de forma a poder identificá-las com uma maior facilidade. Existem inúmeros exemplos: Martins (2004) sugere a metodologia dos gastos obrigatórios e não obrigatórios, fixos e variáveis; Cerbasi (2009) sugere uma outra metodologia, despesas burocráticas, qualidade de vida e investimentos. Não importa qual seja a forma com que você classifique seus gastos, o que importa é que você consiga encontrá-los e analisá-los com facilidade.

Os cartões de crédito facilitam esse controle porque você pode utilizar um para cada tipo de gasto que faz para se manter. Roupas, alimentação, presentes, eletroeletrônicos tudo. Utilizando um planejamento orçamentário bem definido, formando os valores a serem gastos com cada evento; você pode centralizar esses gastos em cartões diferentes, classificando o uso dos cartões de acordo com a metodologia que você adote para o seu planejamento. O grande segredo é utilizar o limite do cartão como o controle deste gasto. Ou seja, ao atingir o limite mensal proposto em seu orçamento, você deixa de gastar com estes itens por um período.

Dessa forma você consegue controle mais estável e ainda ganha até 40 dias para trabalhar com este dinheiro. Isso! Você prolonga o pagamento das contas e ainda investe este dinheiro para ganhar juros sobre ele! Mas é importante lembrar que, este dinheiro investido não é livre, ele tem uma finalidade, que é pagar as contas do cartão. Por isso, procure sempre investimentos de baixo risco e alta liquidez, como a poupança. Assim você terá um retorno garantido sem comprometer sua capacidade de quitar as dividas.

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento