Capitalismo crise - Novembro de 2015

Fatos relevantes da economia e política internacionais em novembro de 2015

O presente texto tem como base a leitura de fatos relevantes da economia internacional na imprensa brasileira, referentes ao período de novembro de 2.015.

AFEGANISTÃO

Os EUA anunciaram no dia 25 de novembro a suspensão dos militares envolvidos diretamente no bombardeio contra um hospital da ONG Médicos Sem Fronteiras , na cidade de Kunduz em 30 de outubro que deixou 30 mortos, inclusive membros da ONG e pacientes.

O comandante das forças americanas no Afeganistão, John Campbell, admitiu que a ação foi causada pro um erro humano “trágico” . O Exército ainda analisa quais medidas disciplinares serão impostas aos envolvidos. ( F S P , 26.11.2015, p. A-19) .

Educação Impossível

Em 1990, aulas transcorriam em uma escola clandestina para mulheres no Afeganistão. Ao ouvirem os passos dos soldados do Talibã, todas sumiram , exceto a diretora Sakena Yacoobi, que ficou imóvel e ofereceu aos soldados uma rodada de chá.

“Que história é essa de abrir uma escola para meninas? “ , perguntou um dos soldados agitando um fuzil. Sakena não recuou: “ O senhor está vendo alguma escola? Estas moças estão aprendendo o Corão e ainda se tornarão boas esposas para vocês”.

Sakena sobreviveu e começou em 1995 com 20.000 dólares do próprio bolso e hoje toca uma rede de 38 centros de ensino e quatro clínicas médicas entre o Afeganistão e o Paquistão, com orçamento de US$ 1 milhão.

Por sete anos, homens não entravam em suas classes até que mais uma vez foi abordada por soldados em fúria. Desta vez, com guarda-costas, em viagem pelo norte do Afeganistão, um dos soldados com rifle em punho indagou: “ Porque a senhora só ensina as mulheres ? E nós?”.

Ela não só encaminhou aquele pessoal para uma escola , como a partir daí passou a aceitar homens em suas salas de aula.

É uma vitoriosa em um país onde 60% da população ainda é analfabeta. Aos 65 anos alcançou a marca de quase 12 milhões de pessoas beneficiadas por seu Instituto de Ensino e ganhou o Wise, um dos prêmios de peso no mundo da educação. ( Revista Veja, 2.12.2015, p. 106-107) .

ALEMANHA

Na terça feira , 17 de novembro, a partida de futebol entre Holanda e Alemanha, na cidade de Hannover foi cancelada e o estádio , evacuado.

Informações da Inteligência indicavam que havia planos de plantar bombas no local. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 74) .

ARGENTINA

Eleições Presidenciais

A Argentina realizou o segundo turno inédito na eleição presidencial, em 22 de novembro.

O governista Daniel Scioli, teve 36,86% dos votos, mas não conseguiu atingir os 40% e a vantagem de dez pontos necessários para encerrar a disputa no primeiro turno.

O opositor Maurício Macri, do Mudemos avançou e conseguiu 34,33% dos votos, e surpreendeu os analistas porque conquistou dez pontos entre os eleitores desde as eleições primárias de agosto e de um eleitorado anti-kirchner. ( F S P , 27.10.2015, p. A-12) .

Macri saiu em vantagem porque , apesar de ter ficado em segundo lugar, sua votação foi maior do que a prevista pelos institutos de pesquisa.

A derrota de Cristina Kirchner nas eleições do dia 25 de outubro na Argentina, como assinala Clóvis Rossi, é a primeira que sofre a esquerda sul americana neste século, se se excluir a derrota da moderadíssima esquerda chilena em 2010.

Daniel Kerner do Eurasia Group afirma que, sem candidato do peronismo esquerdista, o segundo turno produzirá, ganhe quem ganhar , “um presidente que terá um enfoque mais favorável ao mercado”

A esquerda “bolivariana” sofreu a sua primeira derrota e deverá sofrer uma mais significativa em dezembro na Venezuela, se as manipulações feitas pelo governo de Nicolás Maduro fracassarem. ( F S P , 27.10.2015, p. A-16) .

Fica cada vez mais clara a exaustão das políticas econômicas bolivarianas.

Nenhum dos dois adversários em disputa parece querer repetir o kirchnerismo.

Na Câmara dos Deputados, a Frente para a Vitória , de Cristina, levou a maior bancada, mas os jovens mais radicais, que seguem Cristina só obtiveram vinte cadeiras.

Sem imunidade, Cristina estará mais suscetível ás investigações judiciais. Ela já acumula quase 300 denúncias sobre casos de corrupção. É suspeita de enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro. ( Revista Veja, 4.11.2015, p. 68-69) .

Maurício Macri foi eleito presidente da Argentina com 51,4% dos votos e deve colocar um fim a 12 anos da era Kirchner.

Com um resultado apertado, 700 mil votos a mais do que o concorrente , o peronista Daniel Scioli, governará com minoria no Congresso, dominado por kirchneristas e com a maior parte das províncias governadas por peronistas.

Os que votaram contra o kirchnerismo , votaram contra sua má gestão da economia e o bolivarismo nas relações internacionais e o desgaste desnecessário no relacionamento com União Europeia e EUA.

Mais de uma década depois do bolivarismo de Hugo Chávez e outros, o resultado tem sido o gasto irresponsável dos recursos públicos para comprar apoio popular, o aumento da corrupção e nos casos da Venezuela e da Bolívia, a divisão do poder com os narcotraficantes. ( Revista Veja, 2.12.2015, p. 77) .

Macri em entrevista coletiva afirmou que pretende corrigir o que considera erros do atual governo e o mercado demonstrou otimismo com sua vitória , tendo o risco país, que serve de termômetro da confiança do investidor, recuado para o menor patamar, desde 2011. ( F S P , 24.11.2015, p. A-9) .

Macri designou Suzana Malcorra, 61 , chefe de gabinete do secretário-geral da ONU, Ban Kimoon e que liderou uma comissão que esteve na Venezuela para tratar do conflito fronteiriço da Venezuela com a Guiana Francesa, na região de Essequibo, que ainda está sem solução. Mas Suzana conhece muito bem Nicolás Maduro. ( F S P , 25.11.2015, p. A-12) .

Maurício Macri anunciou em 25 de novembro nomes para a equipe econômica, que tem a simpatia do mercado.

O gabinete econômico será chefiado pelo economista Alfonso Prat-Gay. O novo ministro da Fazenda e Finanças foi ex-presidente do Banco Central entre 2002 e 2004 , sob os governos Eduardo Duhalde e Néstor Kirchner e é tido como um dos responsáveis por tirar a Argentina da crise de 2001.

Para a Agricultura, Macri chamou o ruralista da União Cívica Radical , Ricardo Buryaile. ( F S P , 26.11.2015, p. A-18) .

O governo Cristina Kirchner dá mostras de que sentiu a derrota. Cristina Kirchner recusou-se a colaborar na troca de mando,.

Futuro chefe de gabinete de Macri, Marcos Peña acusou o kirchnerismo de tentar fazer reuniões às escondidas. Em suas palavras uma “transição clandestina”,

Os deputados kirchneristas conseguiram formar o quórum necessário - 130 de 257 deputados – para aprovar medidas como a criação de uma estatal de exploração de carvão a ser controlada pela província de Santa Cruz, terra natal dos Kirchner , onde a irmã de Néstor Kirchner, Alicia, foi eleita governadora.

Esta estatal e um projeto de lei que prevê indenização para trabalhadores de empresas que foram privatizadas na década de 90 poderiam provocar um rombo de R$ 2,3 bilhões para o futuro governo.

O presidente da Câmara dos Deputados, o kirchnerista Julián Dominguez, pôs na pauta quase 90 projetos de lei que implicam aumento de gastos com que a próxima gestão terá de arcar. Ou seja, o legislativo trabalha para tentar inviabilizar o próximo governo.

Macri, em entrevista à TV argentina no dia 25 de novembro disse que pretende revisar todas as leis aprovadas pelo Parlamento no apagar das luzes do kirchnerismo.

“ A Câmara dos Deputados deveria entender que já se elegeu um novo presidente e que não deveria seguir sancionando modificações que atendem ao status quo. Os argentinos elegeram a mudança”.

Funcionários kirchneristas que tem mandatos fixos, como o presidente do Banco Central , Alejandro Vanoli , e a procuradora-geral Alejandra Gils Carbó, estão sendo pressionados a deixarem seus cargos. ( F S P , 27.11.2015, p. A-17) .

A vice-presidente eleita da Argentina, Gabriela Micheletti disse no dia 26 de novembro que “ no Brasil, Dilma Rousseff ganhou a eleição usando uma campanha do medo”. Ela afirmou isso , porque o candidato de Cristina Kirchner no final do processo eleitoral começou a usar a mesma tática de Dilma, dizendo que a eleição de Mauricio Macri poderia significar o fim dos planos sociais e a volta das privatizações. Mas , os eleitores argentinos são bastante informados e não caíram nestas mentiras.

“Serviu para Scioli crescer um pouco e diminuir a diferença de votos, mas não foi suficiente”. Em seguida acrescentou:

Uma campanha baseada no medo sempre funciona, porque a pior emoção que sentimos é o medo. Principalmente por não sabermos de onde viemos , nem para onde vamos, o medo é algo sempre presente, e uma estratégia baseada nisso sempre funciona. Dilma Rousseff ganhou a eleição no Brasil assim”.

Michetti ainda criticou a recusa de Cristina de tratar de temas urgentes para a transição: “ Teria sido melhor que essa transição fosse mais clara , como se faz em outros países”. ( F S P , 28.11.2015, p. A-14) .

Se Macri conseguir uma renegociação com os fundos abutres, demonizados por Cristina, poderá tirar as restrições em relação ao câmbio e recolocar a Argentina no sistema financeiro internacional.

Macri estuda também reduzir os impostos de exportação para a soja , o trigo e a carne. Os fazendeiros estocaram estes produtos e podem começar a exportá-los novamente, gerando receitas para o governo.

No plano externo vai criar problemas para o Brasil, Quer a suspensão da Venezuela do Mercosul, quer avançar no acordo com a União Europeia, e pressionar o Mercosul a se aproximar do Tratado Transpacífico (TPP), tudo aquilo que Cristina Kirchner abominava e que Dilma Rousseff foi atrás dizendo amém. ( Revista Veja, 2.12.2015, p. 76-81) .

Judiciário

A Suprema Corte argentina anulou no dia 4 de novembro , lei aprovada na gestão da presidente Cristina Kirchner que permite ao governo preencher vagas abertas nos tribunais do país com juízes substitutos que não passaram por concurso público.

A norma permitiu que o governo nomeasse para cargos-chave , advogados e funcionários do Judiciário simpáticos à situação para tratar de julgamentos sensíveis para a presidente Kirchner.

Agora, os atuais juízes temporários deverão deixar suas funções em três meses. Um terço dos juízes argentinos atualmente são substitutos.

A situação de Cristina Kirchner , saindo da presidência pode se complicar . A validade do acordo entre a Argentina e o Irã, selado em 2013 , objeto de denúncia do promotor Alberto Nisman que foi assassinado, estava sendo tratada por substitutos.

O caso da Hotesur , que investiga denúncias de suposto desvio e lavagem de dinheiro por Lázaro Baes, empresário que é sócio de Cristina, agora vai cair em mãos de juiz concursado. ( F S P , 6.11.2015, p. A-14) .

Drogas

Um das cidades argentinas que mais se beneficiaram com o “boom” das commodities, Rosário transformou-se na “Medellin argentina”, como é chamada por seus habitantes.

Com a derrocada dos cartéis colombianos e a necessidade de um novo ponto estratégico para escoar a produção de drogas que vem do Paraguai [ maconha] e da Bolívia [ cocaína] , a cidade tornou-se uma alternativa pelos portos do rio Paraná terem acesso ao Atlântico e pela proximidade ( 300 km) de um grande mercado consumidor, a cidade de Buenos Aires.

Nos últimos anos, a taxa de mortalidade dobrou e mais de 600 pessoas foram assassinadas, vítimas da violência causada pela droga. ( F S P , 15.11.2015, p. A-16) .

Repressores veem esperança

No período kirchnerista , 622 pessoas foram condenadas por crimes de lesa-humanidade cometidos durante a última ditadura militar ( 1976-1983) , que deixou 20 mil mortos.

Hoje, esses repressores, a maioria em idade avançada , cumprem pena em penitenciárias e hospitais militares por todo o país. Mais de cem morreram em cativeiro.

Com a perspectiva de fim do kirchnerismo , acendeu a esperança de que eles passem os últimos anos ou meses livres, o que revolta associações de defesa dos direitos humanos e de familiares de vítimas de seus crimes. ( F S P , 21.11.2015, p. A-13) .

Um editorial do jornal “La Nacion” defendendo anistia a repressores causou forte reação entre políticos, jornalistas e leitores da publicação, de linha conservadora. Até os jornalistas do “La Nación”, realizaram ato de repúdio ao editorial.

O editorial , intitulado “ No Más Venganza”, afirmava que os julgamentos dos crimes de lesa-humanidade, promovidos nos anos do kirchnerismo foram atos de “vingança” e chamava os opositores do regime militar de “terroristas” . Afirmava ainda que os repressores que se encontram encarcerados, a maioria em idade avançada , estariam sendo maltratados.

O texto celebra a eleição de um novo presidente como oportunidade para “sepultar” as “ânsias de vingança” alimentadas pelas políticas de direitos humanos de Néstor e Cristina Kirchner – que anularam indultos e estimularam investigações. ( F S P , 25.11.2015, p. A-12) .

BÉLGICA

A Bélgica é um pequeno país com 11 milhões de habitantes, mas onde organizações terroristas radicais atuaram com intensidade.

Os atentados em Paris, foram organizados por um grupo de extremistas islâmicos baseados em Molembeek, na periferia de Bruxelas.

Bruxelas fica a três horas de carro de Paris, o que facilita atentados na França.

O Sharia à Bélgica explorou jovens nas escolas públicas , distribuiu comida a pobres enquanto pregava ideias radicais e em pouco tempo recrutou e radicalizou diversos militantes. Sua liderança recentemente foi condenada à prisão.

Na Bélgica é muito fácil comprar armas. Estima-se ser possível adquirir um fuzil por R$ 4.000 na periferia de Bruxelas. As armas usadas no ataque ao “Charlie Hebdo” em janeiro, vieram da Bélgica. ( F S P , 18.11.2015, p. A-11) .

Três irmãos são tidos como suspeitos pelas polícia francesa e procuradorias belga e francesa. Um deles explodiu-se depois de atirar em clientes de um restaurante ; alugou um dos carros que levou um grupo de ataque até Paris.

Outro, Saleh Abdeslam, teria alugado um dos carros que levaram terroristas ao ataque contra a casa de shows Bataclan e está sendo procurado pela policia.

O terceiro deles, Mohamed , assim como outras seis pessoas de sua família foram presos provisoriamente pela polícia belga. ( F S P , 16.11.2015, p. A-8) .

As autoridades francesas e belgas tem informações de que o ataque a Paris foi orquestrado na Síria , sob ordens do Estado Islâmico e organizado em Bruxelas , em Molembeek.

Os investigadores acreditam que o mentor foi o belga de origem marroquina, Adbelhamid Abaaoud, 27.

Ele se tornou Abou Omar Al-Soussi, quando se alistou ao Estado Islâmico no início de 2013. Morava na Rue de l’Avenir em Molembeek , com os país e cinco irmãos.

Na adolescência estudou em uma boa escola de Uccle , um dos bairros chiques da capital belga, o que mostra que teve boa formação escolar e mesmo assim tornou-se um terrorista assassino.

Em janeiro de 2015, uma célula terrorista foi desmantelada em Verviers, leste da Bélgica e os serviços de inteligência do país constataram que por trás dos planos de um ataque iminente contra as forças de segurança belgas estava Abou Omar.

Ele se tornou o homem mais procurado da Bélgica , mas conseguiu escapar vivo após uma troca de tiros com a polícia e voltou para a Síria. Foi julgado in absentia e condenado a 20 anos de prisão pela Justiça belga por ter recrutado jovens para lutar nas fileiras do EI, inclusive seu irmão mais novo, Younes, 14.

Seu pai, Omar Abaaoud, disse estar arrasado: “ Tenho vergonha por meu filho. Ele arruinou nossas vidas”.

Abaaoud, está na Síria em território dominado pelo EI e disse em vídeo publicado no Youtube: “ Durante toda a minha vida , tenho visto o sangue muçulmano ser derramado. Rezo para que Alá quebre as costas daqueles que se opõem a ele, a seus soldados e admirados, e que ele os extermine”, ( F S P , 17.11.2015, p. A-8) .

O risco de novos ataques levou ao cancelamento do amistoso entre a seleção belga e a Espanha, que ocorreria em Bruxelas.

No dia 19 de novembro, autoridades belgas fizeram operações de busca em três áreas de Bruxelas - Jette, Uccle e Molembeek e prenderam nove pessoas. ( F S P , 20.11.2015, p, A-11) .

O Estado Islâmico deve estar exultante. Conseguiu paralisar Bruxelas quase que totalmente no dia 21 de novembro, um sábado.

O governo elevou o alerta na capital para o nível quatro, o máximo na escala , citando uma ameaça terrorista iminente. O metrô e centros comerciais da cidade foram fechados e shows e partidas de futebol adiados.

Soldados e policiais reforçaram a segurança nas ruas. ( F S P , 22.11.2015, p. A-17) .

A paralisação continuou no domingo e foi estendida para a segunda feira dia 23. Ou seja, Bruxelas parou por três dias por causa de ameaças de terrorismo. O alerta máximo , quatro, vale para a capital e o resto do país permanece em alerta de ameaça nível três que indica um ataque possível e provável. ( F S P , 23.11.2015, p. A-10) .

Na segunda-feira , a Bélgica estendeu o alerta de segurança máxima em Bruxelas por uma semana. Metrô , museus, a maioria dos cinemas e muitas lojas ficaram fechados na segunda-feira dia 23. ( F S P , 24.11.2015, p. A-13) .

BRASIL

Devido aos atentados de Paris, o COI o comitê organizador , e o governo federal irão discutir mudanças no número de agentes envolvidos no evento e no custo dos serviços de segurança. ( F S P , 18.11.2015, p. A-13) .

Para Boaz Ganor, um dos maiores especialistas em contraterrorismo de Israel , “O Brasil é vulnerável ao terrorismo de grupos jihadistas não menos do que Paris, ou até mais. O fato é que esses atentados não aconteceram no Brasil até agora é porque as prioridades dos jihadistas, no momento, são outras...Eventos esportivos são imãs para terroristas. Se a concepção for de que o Brasil está seguro, temo um choque profundo”. ( F S P , 20.11.2015, p, A-12) .

CHINA

Os presidentes da China, Xi Jinping e de Taiwan, Ma Ying-jeou encontraram-se em 7 de novembro , em Cingapura, a primeira vez depois de 66 anos .

Trata-se do primeiro sinal de uma fase nas relações entre os dois países , ex-inimigos da Guerra Fria ( 1947-1991) . ( F S P, 8.11.2015, p. A-19) .

EGITO

Estado Islâmico

Um avião, Airbus 321, com 217 passageiros e 7 tripulantes caiu na Península do Sinai em 31 de outubro. Todos morreram.

A aeronave , operada pela empresa Metrojet, decolou da cidade egípcia de Sharm el-Sheik , com destino a São Petersburgo na Rússia. Dos 217 passageiros a bordo, 214 eram russos e 3 ucranianos. A Rússia , começou a bombardear o Estado Islâmico em 2015.

O avião decolou às 5h51 , sob boas condições climáticas e sumiu dos radares após 23 minutos, quando voava a 9.400 metros de altitude .

O grupo Estado Islâmico na Península do Sinai , originalmente conhecido como Ansar Bayt al-Maqdis , afirmou ter derrubado o avião como vingança pela morte de muçulmanos em ataques aéreos na Síria.

“Os guerreiros do EI conseguiram derrubar um avião na Província do Sinai que carregava 220 cruzados russos. Foram todos mortos , graças a Deus”.( F S P , 1.11.2015, p. A-14) .

O presidente egípcio, Abdel Fatah al –Sisi, preocupado com as consequências de uma ação terrorista no turismo da região disse em entrevista à rede britânica BBC que as alegações do EI era “propaganda” . “ A propaganda de que o avião caiu por causa do EI é uma forma de causar danos á estabilidade , à segurança e à imagem do Egito. A situação no Sinai está sob total controle”. ( F S P , 4.11.2015, p. A-9).

Um satélite americano que capta alterações de calor flagrou uma onda de calor , semelhante a uma explosão no horário e no local do desastre. A imagem descartaria a possibilidade de a aeronave ter sido atingida por um míssil, mas sugeriria a hipótese de uma bomba a bordo.

O chefe da agência de aviação da Rússia, Alexander Neradko afirmou em 1 de novembro : “ A grande extensão da área onde achamos fragmentos indica que o jato se desintegrou no ar”.

A desintegração de um avião , em altitude de cruzeiro, é rara se não for associada a algum outro evento, como explosão , por exemplo. ( F S P , 2.11.2015, p. A-11) .

O governo egípcio tentou minimizar o caso, alegando que o piloto teria informado problemas técnicos e solicitado um pouso de emergência , mas a informação estava errada.

Um dos vice-diretores da Metrojet, Alexander Smirnov, disse no dia 2 de novembro que “O avião estava em perfeitas condições. Descartamos falhas técnicas ou erros da tripulação”. Outro representante da empresa, Viktor Yung disse que a tripulação não fez nenhuma ligação emergencial ao controle de tráfego aéreo antes da queda. ( F S P , 3.11.2015, p. A-10)

Como os terroristas não tem tecnologia para derrubar um avião, o que fizeram foi plantar uma bomba no interior do avião , possibilidade devido aos fracos controles portuários em Sharm el-Sheik. ( Revista Veja, 11.11.2015, p. 68) .

A agência russa Interfax afirmou que os pilotos entraram em contato com controladores de tráfego aéreo quatro minutos antes de o avião sumir dos radares e a conversa teria sido de rotina, sem nenhum indício de problema técnico.

A Interfax diz ainda que as gravações da caixa preta revelam “ sons incomuns”, num indício de que ocorreu algo “inesperadamente”. Ferimentos em corpos dos passageiros apontariam ainda que houve sim, uma explosão.( F S P , 4.11.2015, p. A-9).

No dia 4 de novembro, segundo as redes CNN e BBC , dados de inteligência dos EUA indicam ser “muito provável” que uma bomba plantada pelo EI ou um grupo ligado a ele tenha derrubado o Airbus 321. A bomba teria sido posta em uma bagagem de passageiro ou em algum lugar do avião.

O Reino Unido suspendeu no dia 4 de novembro todos os voos comerciais com passageiros britânicos na Península do Sinai. ( F S P , 5.11.2015, p. A-12) .

Segundo a mídia francesa, a caixa-preta do avião gravou o som de uma explosão, com indícios “fortes” de ter sido uma bomba. A Airbus tem sede na França. ( F S P , 7.11.2015, p. A-14) .

Em 17 de novembro, Moscou admitiu pela primeira vez que uma bomba derrubou o A321. Um artefato explosivo de um quilo de TNT foi empregado para derrubar a aeronave. “ Podemos dizer que, definitivamente , foi um ato terrorista”, declarou o chefe do serviço de segurança russo , Aleksandr Bortnikov. ( F S P, 18.11.2015, p. A-10) .

O Estado Islâmico divulgou no dia 18 de novembro uma foto de uma lata de alumínio , como a de um refrigerante , e dois objetos que parecem fazer parte de um mecanismo detonador, que teria sido a bomba usada para derrubar o A321. ( F S P , 19.11.2015, p. A-17) .

A Rússia repatriou entre 7 e 8 de novembro, 11 mil turistas que estavam no Egito após a queda do A321. Como os passageiros não puderam embarcar com suas malas, o Ministério da Defesa russo enviou no dia 8 , dois aviões militares ao Egito.

Mas, segundo estimativa da agência de turismo estatal da Rússia, há ainda 70 mil cidadãos do país, tentando deixar o Egito, especialmente em Sharm el-Sheik. Cerca de 20 mil britânicos também aguardam uma oportunidade para deixar o país. ( F S P , 9.11.2015, p. A-11) .

ENERGIA NUCLEAR

Chernobyl

Cerca de cem idosos continuam a viver na zona de exclusão de Chernobyl, uma área de mais de 1.500 km2 que foi evacuada em 1986 depois do catastrófico acidente na usina nuclear.

A área foi oficialmente aberta em 2011 para visitantes. Mas estas pessoas insistiram em voltar para casa e conseguiram por sua conta e risco, convencer o governo a deixa-las em paz por lá.

Elas comem legumes e verduras plantadas no quintal , além de frutas e cogumelos que crescem nas florestas. Bebem água do poço para beber e a dão para as galinhas no quintal.

Os animais selvagens na região também se mostraram resistentes. Um estudo recente publicado na revista “ Current Biology” revelou que as populações de alces, veados, javalis e lobos não estão apenas sobrevivendo, mas prosperando.

No início, 30 bombeiros morreram e 6.000 pessoas que foram expostas durante a infância, mais tarde tiveram câncer na tireoide. Mas agora ninguém tem dados concretos sobre a continuidade dos efeitos da radiação. ( F S P , 30.11.2015, p. B-9) .

EUA

A cidade de Los Angeles tem 25 mil sem teto em uma população de 3,8 milhões. Nova York 58 mil em 8,5 milhões. São Paulo 15.905 em 11,9 milhões.

O “bairro” de Skid Row é formado por 50 quarteirões no centro , onde 5.000 pessoas dormem em tendas montadas nas calçadas ou em abrigos. O prefeito propôs estado de emergência e US$ 100 milhões para ajudar os sem-teto da cidade. ( F S P , 6.11.2015, p. A-17) .

Oleoduto

O presidente americano Barak Obama rejeitou o pedido de uma empresa canadense para a construção do oleoduto Keystone XL, entre Alberta , no sudoeste do Canadá e o Estado americano de Nebraska. O projeto havia sido aprovado pela Câmara e pelo Senado, mas Obama o rejeitou por questões ambientais. ( F S P , 7.11.2015, p. A-18) .

Desemprego

O desemprego recuou de 5,1% para 5% em outubro nos Estados Unidos , atingindo o menor patamar desde abril de 2008, e reforçando as apostas de aumento nos juros americanos já na reunião do Fed de 15/16 de dezembro.

Segundo o Departamento de Trabalho, foram criados 271 mil novos empregos em outubro, superando com folga a média de 187 mil vagas abertas nos últimos três meses. ( F S P , 7.11.2015, p. A-24) .

Estado Islâmico

Em vídeo , o Estado Islâmico ameaça fazer ataques aos Estados Unidos , especialmente a Washington. Por isso, desde o dia 13 de novembro, cidades dos EUA incrementaram a segurança. ( F S P , 17.11.2015, p. A-10) .

O presidente Barak Obama manteve o discurso favorável ao acolhimento de sírios, mas mais de metade dos governadores americanos disseram que não permitirão a entrada dos refugiados em seus Estados . “Nem órfãos com menos de cinco anos deveriam ser aceitos”, esbravejou o governador de Nova Jersey, Chris Christie. ( F S P, 18.11.2015, p. A-10) .

A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou uma lei que torna mais rigoroso o controle sobre a entrada de refugiados da Síria e do Iraque, em reação direta aos atentados de Paris. Houve apoio unânime da oposição republicana e até de 47 deputados democratas.

Obama ameaça vetar a lei. A legislação aprovada prevê que cada refugiado da Síria e do Iraque tenha seu pedido de asilo examinado pelo diretor do FBI , pelo secretário de Segurança Doméstico e pelo diretor de inteligência nacional. A lei vai para o Senado. ( F S P , 20.11.2015, p, A-14) .

Rede Marriott

A rede norte-americana de hotéis Marriot International, anunciou no dia 16 de novembro ter comprado por US$ 12 bilhões, a concorrente Starwood Hoteis & Resorts.

Com a aquisição a companhia se tornará a maior rede hoteleira do mundo , com 1,1 milhão de quartos em 5.570 hotéis e ampliará a presença em mercados como Europa, América Latina e Ásia. No Brasil as duas redes somam 15 hotéis e tem projeto de entregar mais 11 até 2018. ( F S P , 17.11.2015, Mercado, p. 8) .

Juros

O Fed sinalizou que pode elevar os juros nos EUA já em dezembro desde que os números da economia americana continuem melhorando e que não surjam “choques inesperados”, segundo ata da última reunião do Fed divulgada no dia 18 de novembro. ( F S P , 19.11.2015, p. A-27) .

Espaço

O foguete New Shepard da Blue Origin, companhia privada americana de exploração espacial , fez o seu primeiro voo perfeito , subindo 100 km.

Depois equilibrou-se, comandado à distância e utilizando seus propulsores pousou no lugar estipulado . Com isso , fica viabilizado o turismo espacial , por meio de foguetes reutilizáveis.

Nos EUA ainda há a Spacex, com o Falcon 9 , desenhado para carregar satélites e voar até a estação espacial e voltar , e a Virgin Galactic , com o SpaceShipTwo, que também pretende levar turistas a 100 km de altitude.

O Congresso americano aprovou a Lei do Espaço que permite que empresas comercializem recursos naturais extraídos fora da Terra. ( Revista Veja, 2.12.2015, p. 108-109) .

ESPANHA

O Parlamento da Catalunha , com maioria absoluta dos independentistas , aprovou no dia 9 de novembro , resolução para iniciar o processo de separação da região do nordeste da Espanha , com o objetivo de proclamar em 2017, uma república independente.

O governo federal prometeu agir para impugnar de imediato a resolução do Parlamento , mediante recurso ao Tribunal Constitucional , uma vez que ela é claramente inconstitucional. ( F S P , 10.11.2015, p. A-11) .

“A Espanha é de todos. Não permitiremos que isso prossiga”. Mariano Rajoy, presidente do governo espanhol . ( Revista Veja, 18.11.2015, p. 40) .

FRANÇA

Atentados do Estado Islâmico

O dia 13 de novembro em Paris foi negro. A cidade foi alvo de uma série de atentados em seis lugares distintos , que deixaram na noite do dia, ao menos 129 mortos e 352 feridos, sendo 99 em estado grave. Os ataques foram reivindicados pelo Estado Islâmico. Sete terroristas foram mortos. Os ataques com fuzis objetivavam matar o maior número possível de pessoas.

Na casa de shows Bataclan, terroristas mataram 89 pessoas e fizeram cem reféns. A Polícia invadiu o local e matou três terroristas . ( 21h40) .

Um dos terroristas mortos, era o francês Omar Ismail Mostefai, 29 um jovem reservado, religioso, que gostava de jogar futebol semanalmente na cidade de Chartres. Não tinha emprego fixo e chegou a trabalhar em uma padaria e fazia bicos. Nasceu em Courcouronnes, arredores de Paris em 1.11.1985. Entre 2013 e 2014 passou alguns meses na Síria , por onde entrou via Turquia. ( F S P , 16.11.2015, p. A-9) .

Outro era Samy Amimour, 28 , com cidadania francesa . De origem argelina era motorista de ônibus. Foi barrado ao tentar viajar ao Iêmen há três anos. Lutou na Síria com o EI por dois anos.

Salah Abdeslam, 26 belga, teria alugado o Polo preto que levou os terroristas ao Bataclan, mas não se sabe se atuou no ataque. Foi parado ao chegar à Bélgica, mas liberado. O carro estava com três pessoas e o condutor, Mohammed Amri e o outro passageiro Hamza Attouth, 21 os dois do bairro de Molembeek, os dois estão sob custódia em Bruxelas e disseram que não sabiam do envolvimento de Abdeslam com os ataques. Os investigadores acreditam que Abdeslam ainda esteja na Bélgica , o que aumenta o temor por novos atentados. ( F S P , 18.11.2015, p. A-11) . Abdeslam era amigo de infância de Abdelhamid Abaaoud.

No restaurante “Le Petit Cambodge”, dez pessoas perderam a vida após serem atacadas por um homem, ataque no Bar le Carillon deixou 15 mortos.( 21h25) .

Na rua do bar La Belle Équipe, 19 pessoas foram mortas ( 21h36) .

No bar A La Bonne Biére, no décimo distrito , ataque a tiros deixou cinco mortos. ( 21h32) .

Houve ataques , na Brasserie Comptoir Voltaire com 1 terrorista morto ( 21h40) . O morto é Ibrahim Abdeslam, belga que explodiu uma bomba em frente ao café. É da mesma cédula de Abaaoud e era rastreado na Bélgica. Era irmão mais velho de Salah Abdeslam, que alugou o carro e dirigia com ele uma café e uma mercearia. Disparou contra inocentes, antes de se explodir.

Um agressor cometeu um atentado suicida em frente ao restaurante Comptoir Voltaire no 11º distrito , deixando vários feridos.

Nos arredores do Stade de France , na periferia da capital, no momento em que jogavam a França contra a Alemanha, três terroristas se explodiram, matando uma pessoa. O presidente François Hollande , assistia à partida e foi retirado imediatamente do estádio. ( 21h20 às 21h53) .

Um passaporte sírio foi encontrado ao lado de um homem-bomba no estádio. De nome, Ahmad al Mohammad , o homem chegou à Europa pela Grécia, em outubro , como refugiado. As digitais do cadáver conferiram com as do passaporte.

Outro terrorista morto é Bilal Hadfi, 19 ou 20 anos. Francês, foi criado na Bélgica e formou-se eletricista. Lutou com o EI na Síria. Foi o segundo a se explodir fora do estádio.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou estar “chocado” com os ataques terroristas.

O presidente americano Barak Obama também condenou os ataques e disse que os EUA estão “juntos”, com a França no combate ao terror. “ Não é um ataque só à França, mas à forma como pensamos e aos valores que dividimos”.

O presidente da França , François Hollande anunciou estado de emergência no país, prorrogado por três meses . Foram fechadas as fronteiras e dados poderes especiais à polícia para realizar investigações e operações de busca e limitação da circulação em pontos determinados pelas autoridades em toda a França. Para Hollande os atos foram de “guerra”.

“Ataques terroristas sem precedentes estão em curso (...) Em face do terror, a força tem que ser grande e as autoridades do Estado têm que ser firmes(...) Diante do terror , há uma nação que sabe se defender”. ( F S P , 14.11.2015, p. A-12) .

Em 9 de novembro, caças franceses destruíram um centro de distribuição de petróleo do Estado Islâmico da Síria perto de Deir-ez-Zor. O ataque em Paris é uma clara retaliação às ações francesas que começaram a fazer bombardeios aéreos na Síria desde 27 de setembro de 2015. ( F S P , 14.11.2015, p. A-16) .

Como assinala Bernardo Mello Franco, a ação do Estado Islâmico “ mostra que o mundo está diante de uma ameaça grave, embalada por um discurso fanático e intolerante. Os extremistas querem impor a lógica do medo e da submissão , e tratam todos como ‘infiéis’. As grandes potências terão que mudar de estratégia para combater o grupo , que já provou ter grande capacidade de organização e reação” ( F S P , 15.11.2015, p. A-2) .

François Hollande prometeu intensificar os ataques ao Estado Islâmico: “ Estamos em guerra e essa guerra é de um outro tipo. Exige um regime constitucional que permita administrar essa crise”. ( F S P , 17.11.2015, p. A-9) .

Obama e Putin conversaram nos bastidores da reunião do G20 na Turquia sobre uma possível aliança para coordenar os ataques ao EI na Síria. Pela primeira vez, Moscou informou Washington sobre os locais na Síria onde soltaria bombas , demonstrando uma inédita boa vontade. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 74) .

A presidente Dilma Rousseff não está preocupada. Em entrevista dada no dia 16 após a cúpula do G20, disse “Estamos muito longe”. Mesmo assim, admitiu que o Brasil “ não está completamente protegido” daí porque acha necessário acelerar a votação da lei antiterrorismo que está no Congresso. ( F S P , 17.11.2015, p. A-9) .

Na França, a “ficha S” é reservada para indivíduos considerados como possíveis ameaças. Há cerca de 5.000 pessoas catalogadas nessa situação por suspeita de ligação com movimentos salafistas radicais.

São tantos cidadãos franceses que viajaram para áreas de forte atração de grupos terroristas , quanto muçulmanos que se radicalizaram se nunca terem deixado o território do país.

Mas monitorar esse contingente é complexo pois exige muitas pessoas. Terroristas que passam meses ou anos em inatividade, deixam de ser prioridade.

Pelo menos dois terroristas mortos no dia 13 de novembro entraram e saíram do radar dos serviços de informação da França .

Ismael Omar Mostefai, na casa de shows Bataclan, teve oiro condenações por pequenos delitos e em 2010 chegou a receber a ficha S, mas depois submergiu por cinco anos. Passou meses na Síria entre 2013 e 2014 e a Turquia diz tê-lo registrado como terrorista.

Outro atacante do Bataclan , Samy Aminour , 28 , chegou a ser preso em outubro de 2012, por suspeita de ligação com terrorismo. Foi liberado e não se sabe se saiu da França.( F S P , 17.11.2015, p. A-9) .

O apartamento onde viviam os dois, em Drancy, no subúrbio de Paris, em um prédio de quatro andares , foi invadido pela polícia.

Na França, no dia 16 de novembro, foram realizadas 168 ações policiais de busca , detenção e apreensão e 23 pessoas detidas e mais 104 estão em prisão domiciliar. ( F S P , 17.11.2015, p. A-8) .

Em acordo selado no dia 17 de novembro por meio de conversa telefônica, François Hollande e Vladimir Putin se uniram contra o Estado Islâmico na Síria.

Putin determinou que um navio russo no Mediterrâneo ajude forças francesas ao mesmo tempo que o porta aviões Charles de Gaulle seja deslocado à região para ação conjunta. ( F S P, 18.11.2015, p. A-10) .

Organizações de franceses muçulmanos pediram a todos os imãs do país que orem no dia 20 de novembro pelas vítimas do terror. Na Grande Mesquita de Paris, no centro da cidade, haverá uma oração especial às 14h.

Mohammed Moussaoui , matemático, professor e presidente da União das Mesquitas Francesas, diz apoiar o governo e os “valores da República, contra o terrorismo jihadistas”

“ Um lugar de culto que representa perigo não merece ser qualificado de mesquita. Fechar tais lugares é uma medida necessária, justificada”. ( F S P, 18.11.2015, p. A-12) .

Segundo o filosofo e ensaísta francês , Pascal Bruckner , “nos atentados de janeiro , ainda podíamos identificar ‘justificativas’ : a caricatura do projeta , no caso do ataque ao jornal , a guerra entre judeus e palestinos , no do tiroteio do mercado judaico.

Agora, os franceses são culpados por existirem , por serem franceses. O terrorismo islâmico carrega uma ilusão apocalíptica do mundo , envolta num discurso religioso; o que querem é matar o máximo possível de gente e acelerar a instauração do califado. É uma visão messiânica. Não há mais ‘razão’ para matar, eles querem matar e morrer para ir direto para o paraíso”. ( F S P , 18.11.2015, p. A-14) .

Na quarta-feira, dia 18 a polícia francesa atacou um aparelho terrorista no centro histórico de Saint-Denis . O alvo era um apartamento entre as ruas Republique ( a principal da cidade) e Corbillon. Ao menos cem policiais foram escalados e 5.000 tiros disparados.

Para chegar ao local , foi crucial a interceptação telefônica e, sobretudo, o aparelho celular de um dos três terroristas achado na casa de shows Bataclan . Nele havia uma mensagem: “Estamos prontos”. ( F S P , 19.11.2015, p. A-14) .

O arsenal encontrado, fuzis Kalashinikov e o nível de preparação fizeram os policiais acreditarem que evitaram mais um atentado em Paris ao neutralizar a célula terrorista.

Morreram uma mulher, Hasna Boulacen, 26 , que se explodiu ao ser abordada pela polícia e dois homens, por tiros e explosões de granadas.

Hasna Boulacen , prima de Abdelhamid Abaaoud tinha uma vida boêmia antes de começar a se radicalizar, em 2013. Bebia muito, fumava e saía com frequência para boates, atitudes fora da cartilha de qualquer mulher seguidora do Estado Islâmico. Ela estava em liberdade condicional por tráfico de drogas . ( F S P , 21.11.2015, p. A-11) .

Ela nunca teve interesse por religião, nunca leu o Alcorão e começou a usar o véu muçulmano há apenas um mês , quando se aproximou do Estado Islâmico. Como seus planos de ir para a Síria fracassaram, ela decidiu “oferecer seus serviços para cometer os ataques terroristas em Paris”, segundo a Polícia.

Como para seus ex-vizinhos Hasna era a imagem oposta do islamismo radical: aberta, extrovertida , festeira, de temperamento forte e instável eles se perguntam : como uma jovem pode se radicalizar a esse ponto? ( F S P , 26.11.2015, p. A-21) .

Os corpos ficaram despedaçados. Um dos mortos é Abdelhamid Abaaoud, 27 , conhecido como “Omar o Belga”, que era o suspeito de tramar o atentado. ( F S P , 20.11.2015, p, A-11) .

Abaaoud estudou em um excelente colégio de Uccle , no sul da Bruxelas. Segundo seu pai, Omar, que migrou do Marrocos para a Bélgica , há quarenta anos e é um comerciante bem sucedido, Addelhamid tinha uma vida fantástica. Ou seja, jovens mesmo tendo uma vida com posses, se submetem a uma lavagem cerebral e se transformam em terroristas assassinos. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 92) .

O governo francês vai criar uma espécie de Febem, para “cuidar” dos jovens muçulmanos “radicalizados”.

Até o fim do ano, será criada uma “estrutura” de reeducação, um “centro de desradicalização”. Os internos serão admitidos com a aprovação da Justiça ; não serão aceitos jovens que tenham passado pela Síria ou Iraque, que irão para a prisão. O anúncio foi feito pelo premiê , o socialista Manuel Valls, diante da Assembleia. ( F S P , 20.11.2015, p, A-12) .

A polícia francesa encontrou no dia 23 de novembro em Montrouge , ao sul de Paris , um cinto com explosivos. O cinturão contém parafusos e se assemelha ao utilizado pelos terroristas nos ataques em Paris no dia 13 de novembro, mas não tinha detonador e foi encontrado por um gari em uma pilha de lixo. ( F S P , 24.11.2015, p. A-13) .

François Hollande participou no dia 27 de novembro de cerimônia em homenagem às vítimas de Paris, no ´pátio interno dos Invalidés, um panteão militar , e adotou tom bélico em seu discurso:

Os terroristas “fracassarão” em dividir os franceses , criar fraturas sociais. “Eles cultuam a morte; nós praticamos o amor à vida. Conhecemos o inimigo: é o ódio que matou em Bamaco, Túnis, Palmira, Paris e , antes, em Londres e Madri. É o fanatismo, o obscurantismo , que renega a mensagem do livro sagrado do Islã. Venceremos com as forças da República e as armas da democracia”. ( F S P , 28.11.2015, p. A-16) .

Roubaix

A cidade de Roubaix, na fronteira com a Bélgica, tem 95 mil habitantes e destes ao menos 20 mil são muçulmanos e podem ser mais.

É a cidade com maior população muçulmana do país , mas todos se dizem à vontade no local. ( F S P , 22.11.2015, p. A-16) .

Consequências dos Atentados para a Europa

É possível imaginar as consequências da escalada terrorista sobre toda a Europa. O “modo europeu”, ou o “modo ocidental” de viver, está no fim.

O Bataclan foi atingido “porque reunia centenas de idólatras em uma festa perversa”. Os terroristas assassinos do Estado Islâmico odeiam a liberdade, o direito de ir e vir, a música, a literatura, o vinho. Odeiam o profano e o impuro. Odeiam a humanidade e suas imperfeições. Em suma, odeiam todos os valores que a cultura ocidental construiu em centenas de anos de história. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 80) .

Por isso o intelectual Pascal Bruckner , filósofo e escritor enfatiza: “ Não devemos mudar em nada nossos hábitos, e sim viver como se o terrorismo não existisse. Devemos nos opor aos assassinos com nosso desprezo de civilizados”. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 84) .

A concepção de fronteiras abertas e livre trânsito de pessoas dentro da zona europeia vai acabar. Controles serão introduzidos em todas as fronteiras para identificar possíveis terroristas em trânsito.

Os direitos individuais dentro dos países terão dramática redução. Investigações policiais, situações de emergência, revistas nas ruas , tudo o que era considerado um abuso da polícia terá que voltar e ser aceito pela população.

Bairros predominantemente habitados por muçulmanos passarão a sofrer maior controle , assim como o conteúdo ensinado em escolas e os sermões nas mesquitas. Essa pressão pode aumentar ainda mais o número de jihadistas no continente , inconformados com as novas regras.

Infelizmente não há alternativas. O Estado Islâmico prega a eliminação pura e simples da cultura ocidental e não existe possibilidade de acomodação e diálogo com este tipo de gente.

O oficial da Força Aérea Americana , Mark McCurley , autor de Hunter Killer destaca esse risco: “ Infelizmente, prevejo um futuro tenebroso para a Europa se não tomarmos agora, uma atitude real contra o EI...O FBI calcula que haja 600 membros do EI escondidos aqui (EUA). Na Europa , é bem pior. Lá as fronteiras são abertas . Eu americano, atravesso países como Alemanha e França, sem ser parado nem sequer uma vez. Terroristas se aproveitam da fragilidade para invadir países europeus. Algumas vezes, trajados como refugiados”.( Revista Veja, 25.11.2015, p. 20) .

Os muçulmanos representam atualmente entre 4,6% e 7,5% da população de diversos países da Europa. Mas , somada a forte imigração a uma taxa de natalidade superior ao da dos europeus , terão sua participação no total da população em 2050 substancialmente ampliada: França 10,9%, Bélgica , 11,8%, Alemanha, 10% , Inglaterra 11,3% e Suécia 12,4%.

A população mundial deve crescer 35% até 2050 e a população muçulmana 73%. Com isso, em 2050 três em cada dez habitantes do planeta em 2050 serão muçulmanos.

Os radicais são minoria, mas pesquisas de opinião pública mostram a crescente aceitação de grupos como o Estado Islâmico que é apoiado por 16% dos franceses.

Dois dos assassinos camicases e o mentor da chacina parisiense eram de Molembeck, na periferia de Bruxelas. A cidade tem 100.000 habitantes e taxa de desemprego acima de 30%. Oitenta por cento da população é de muçulmanos. Ou seja, a cidade é um ninho de fanáticos. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 76-77) .

GÁS

Começou no dia 23 de novembro em Teerã, a 3ª Cúpula do Fórum dos Países Exportadores de Gás ( FPEG).

O encontro foi aberto pelo presidente iraniano Hasan Rowhani e teve a presença de chefes de Estado de nove países do bloco , entre eles Vladimir Putin, Evo Morales e Nicolás Maduro e funcionários de alto escalão de outras dez nações.

Ao todo, o FPEG tem 19 membros. A Venezuela vem pressionando a OPEP pela elevação do preço do petróleo e naturalmente quer que o mesmo aconteça com o gás.

Nicolás Maduro encontrou-se com o aiatolá Ali Khamenei e ambos reafirmaram uma aliança entre as suas nações para combater “ a arrogância e o imperialismo” dos EUA e afirmaram que a resistência é o único caminho que tem para avançar. ( F S P , 24.11.2015, p. A-13) .

IMIGRANTES

Segundo a Acnur, chegaram à Europa em outubro, 218.394 imigrantes e refugiados, o maior número de todos os meses e maior do que os 216.054 de todo o ano de 2014.

De janeiro a outubro de 2015 são 744.175 pessoas, 53% da Síria, 18% do Afeganistão, 6% do Iraque , 5% da Eritréia, 3% da Nigéria, 2% do Paquistão e da Somália e 1% do Sudão, Gâmbia e Bangladesh. ( F S P , 3.11.2015, p. A-12)

Para o chanceler italiano , Paolo Gentiloni, “A resposta [ à crise] deve estar numa política comum e não em levantar cercas entre países europeus. A UE nasceu para acabar com esses muros. Reconstruir muros dentro da Europa seria desmentir esse ideal de União”.

Áustria e Eslovênia anunciaram planos de cercar parte de suas fronteiras e a Hungria já as levantou. ( F S P , 5.11.2015, p. A-13) .

Militarização

Para o filósofo eslovejo Slavoj Zizek abrir as fronteiras é a solução errada. “A única solução é a militarização. O caos atual com dezenas de milhares de pessoas andando pela Europa é intolerável. Só uma grande organização como as Forças Armadas pode fazer isso – primeiro estabelecer centros de triagem onde a crise está, sul da Turquia, Líbano, Líbia. Lá , os refugiados seriam registrados , e só os que realmente estivessem em perigo seriam mandados para a Europa”. ( F S P , 10.11.2015, p. A-12) .

Controle de Fronteiras

No dia 20 de novembro, em reunião extraordinária, os ministros europeus de Justiça e Interior , realizada em Bruxelas , a pedido da França, devido aos atentados, a União Europeia decidiu aumentar o controle de suas fronteiras , mesmo para viajantes com cidadania europeia.

As informações de documentos de identidade , biométricas e a respeito de viagens de quem entra na UE serão cruzadas com dados do Sistema de Informações Schengen, da Europol e da Interpol.

Dessa maneira, poderão ser identificados suspeitos de terrorismo ou que estejam com a prisão decretada.

Terá que ser criada uma infraestrutura de vigilância por toda a Europa. Não existe ainda uma autoridade penal europeia e uma policia europeia, o que mostra que outras mudanças institucionais ainda irão ocorrer. ( F S P , 21.11.2015, p. A-10) .

IRAQUE

Sinjar

Os curdos iraquianos retomaram no dia 13 de novembro a cidade de Sinjar, no noroeste do Iraque, que estava em poder de militantes do Estado Islâmico.

Em agosto de 2015, cerca de 40 mil pessoas da etnia yazidi foram sitiadas no monte Sinjar durante dias, sem água , nem comida, cercadas pelo Estado Islâmico. Mais de 4.000 pessoas morreram nos conflitos.

Os curdos expulsaram os militantes do EI da Rodovia 47, que liga Raqqa na Síria, a Mossul no Iraque, as duas “capitais” da facção. Com isso, o Estado Islâmico perdeu a comunicação entre as duas cidades , interrompendo o transporte de milicianos, armas , dinheiro e petróleo. Os EUA forneceram centenas de armas para as milícias curdas iraquianas. ( F S P , 14.11.2015, p. A-17) .

Decapitações

Decapitações são comuns na praça principal de Raqqa ( Síria). Cabeças de infiéis , espiões e prisioneiros são deixadas em estacas até apodrecerem.

Quando a pessoa é acusada de ser homossexual , o EI a joga do alto de um prédio.

Acusadas de adultério são apedrejadas até a morte.

Policiais do EI verificam se todas as pessoas com mais de sete anos, comparecem às cinco orações diárias na mesquita.

Nos postos de checagem todos são revistados em busca de itens proibidos: iPOds, esmalte , rímel, absorvente, desodorante, cigarros.

“Bolsa Família” de US$ 66 são oferecidas a cada família que declara lealdade. A facção mantém um programa de subsídio de materiais de construção para recém-casados , vacinação e um órgão de defesa do consumidor. ( F S P , 22.11.2015, p. A-15) .

O historiador sírio Sami Moubayed, autor de “Under the Black Flag – at the Frontier of the New Jihad”, afirma que o “EI é uma facção terrorista que ‘sequestrou’ a religião e afirma falar em nome dos sunitas do islã. Eu sou muçulmano sunita e o islã não tem relação com o EI que é formado por picaretas que se alimentam da ignorância das pessoas e recrutam miseráveis. O sucesso deles é impressionante”.

“Eles têm dinheiro , poder, apoio logístico e um território fértil onde não existe nenhum governo oficial . Baghdadi, ou califa Ibrahim , como ele insiste em ser chamado, quer ser reconhecido como um autêntico chefe de Estado , um presidente de todos os verdadeiros muçulmanos sunitas. Atualmente, ele comanda cerca de 30 mil combatentes”.

“Matar qualquer pessoa é haram – proibido pelo Islã...É preciso combater o EI com uma contraideologia , que precisa ser islâmica, não secular”.

“Ele empresta o nome, mas não se envolve diretamente nas atividades , criando franquias do EI, sem gastar um centavo. Isso dificulta o combate à facção”.

O que explica o enorme crescimento do EI é “ Pobreza, ignorância , medo e dinheiro. Alguns se juntam ao EI porque ele paga bem. Outros, porque acreditam que o Ei os protege de outras facções. Alguns estão convencidos e acreditam na doutrina do EI. E outros simplesmente não tem opção, são forçados a se juntar a Baghdadi.” ( F S P , 23.11.2015, p. A-14) .

Terroristas são assassinos

João Pereira Coutinho comenta as razões que levaram ao fortalecimento do Estado Islâmico que são várias.

Incluem os EUA que destruíram a estrutura sunita no Iraque e entregaram o país ao sectarismo dos xiitas.

A Arábia Saudita ao financiar e exportar o wahabismo para a Síria e outros territórios da região tem sue responsabilidade.

Uma interpretação radical do Islã , que exige a morte dos “infiéis” e a conquista de território para a causa do profeta também estimula os terroristas.

Na Europa, o multiculturalismo permitiu o crescimento de corpos estranhos dentro das sociedades pluralistas europeias e as fronteiras abertas facilitaram a entrada de novos bárbaros.

Mas, as imagens divulgadas na Internet mostram terroristas sorrindo. Matando pessoas inocentes e sorrindo.

Então a conclusão de Coutinho é a mesma a que já chegamos aqui. “ Eles não matam apenas por uma religião ( que mal estudaram) ou por razões geopolíticas ( que nem sequer entendem). Eles matam porque gostam de matar. Como dizia Ersnt Junger, eles estão tomados pela ‘vermelha embriaguez do sangue’”. ( F S P , 24.11.2015, p. C-8) .

O que se verifica em organizações terroristas como o Estado Islâmico e o Boko Haram , é uma concentração de pessoas com desvio de personalidade que considerar matar outras pessoas um motivo de prazer. Em uma sociedade normal, estas pessoas seriam reprimidas e seu destino seria a cadeia. Mas, em organizações terroristas são consideradas normais e até estimuladas a colocar em prática suas taras.

A população mundial em 2010 era de 6,9 bilhão de pessoas. Destas , 1,6 bilhão , cerca de 23,2% são muçulmanos. Mas o contingente de Estado Islâmico, Boko Haram, AlQaeda e outros não deve passar de um total de 100.000 guerrilheiros.

Portanto, temos 1,6 bilhão de muçulmanos pacíficos e 100.000 muçulmanos assassinos o que no conjunto total não representa nada.

Mulheres

A visão romântica da guerra leva mulheres ao terrorismo islâmico.

Blogs e tuítes escritos por europeias casadas com combatentes, tentam persuadir suas “irmãs” no Ocidente das “alegrias” da vida guerrilheira , e da “honra” de dar à luz e educar mujahidins , os guerreiros do islã.

E muitas acreditam nisso. Farhad Khosrokhavar, da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais de Paris, estimou que “ cerca de 1.000 dos 4.000 europeus que partiram para a jihad na Síria e no Iraque são mulheres”.

A maioria nasceu na França e na Bélgica , mas nem sempre tem origem muçulmana. A maioria delas muda o comportamento em apenas dois meses e foge da casa dos país para se juntar ao Estado Islâmico.

Em sua maioria são jovens ingênuas e vulneráveis em busca de identidade. Ao chegarem à “terra santa” da guerra, ou seja, ao inferno, muitas se arrependem, mas aí, não há mais possibilidade de retorno.

Muitas mulheres estão chegando ao extremo de se detonarem. Para os homens , a morte os levaria às delícias do paraíso , além das famosas 72 virgens. Mas para as mulheres kamikazes nada. No máximo um reencontro no paraíso com um ente querido. Todos pensam que vão para o paraíso, mas estão indo direto para o inferno pois são assassinos. ( F S P , 26.11.2015, p. A-21) .

ISLAMISMO

Segundo o filosofo e ensaísta francês , Pascal Brucner , os atentados em Paris sugerem que a guerra ao terrorismo está “apenas começando” e que é preciso reformar o islamismo.

“ O desafio do século 21 é o islamismo, ponto. O radical é a degeneração ideológica do islã. As duas coisas estão ligadas. Desativar militar, policial e judicialmente o radicalismo vai levar várias gerações.

Virou um fenômeno universal, que vai da Argentina á China. A resposta a ele tem de ser encontrada e inventada com a colaboração dos próprios muçulmanos , que são as primeiras vítimas do extremismo.

A primeira [ resposta] é militar e diz respeito a russos, e iraquianos tanto quanto a franceses, americanos, ingleses, sauditas e jordanianos.

Há também a resposta policial, a jurídica, a dos serviços de inteligência. Mas, para além de todas elas, há uma resposta ideológica.”

Ou seja, o islã tem que se reformar e adotar uma direção unívoca, condenando o terrorismo . “Seria necessário um renascimento, uma reforma do pensamento islâmico. Isso já é pleiteado por alguns intelectuais muçulmanos. Mas é bom saber que o cristianismo levou quatro séculos para se questionar e rever seus erros a partir da Reforma Protestante. Não sei se o islã vai seguir esse caminho”. ( F S P , 18.11.2015, p. A-14) .

“ Não pode haver uma revolução árabe sem uma separação total e radical entre a religião e a cultura, a sociedade e a política”. Ali Ahmad Said Esber, poeta sírio radicado em Paris. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 44) .

Os imãs das grandes mesquitas vêm se pronunciando contra o EI e os ataques. Segundo o cientista político libanês, Robert Rabil, da Florida Atlantic University, “ Eles tem obrigação de liderar uma campanha contra os terroristas”. ( Revista Veja, 25.11.2015, p. 74) .

ISRAEL

Jerusalém

Na guerra de 1967, Israel unificou Jerusalém. Anexou a Cidade Velha, 1 km2 , onde ficam os principais locais santos para cristãos , muçulmanos e judeus que até então eram proibidos pelos jordanianos de visitar o Muro das Lamentações.

Mas, Israel anexou também 28 aldeias palestinas ( 70km2), triplicando a área municipal. Aos 310 mil moradores palestinos foi oferecida cidadania , e a maioria só aceitou ser “residente fixo”.

Jerusalém todavia nunca foi e nunca será uma cidade unificada. Devido á crise , há duas semanas, a polícia israelense começou a cercar bairros de Jerusalém, espalhando blocos de concreto nos acessos, controlando a entrada e a saída de palestinos, que tem documentos checados e são revistados para passar. ( F S P, 1.11.2015, p. A-16) .

EUA

No primeiro encontro em 13 meses, realizado no dia 9 de novembro na Casa Branca, Barak Obama e o premiê Binyamin Netanyahu discutiram o acirramento da tensão na Palestina, o acordo com o Irã, a guerra na Síria e a possibilidade de aumento dos repasses de ajuda militar dos EUA a Israel. ( F S P , 10.11.2015, p. A-11) .

Morte na Cisjordânia

Um israelense de 21 anos foi morto a facadas por um palestino no dia 22 de novembro em uma colônia judaica na Cisjordânia.

O agressor foi baleado por soldados israelenses após o ataque e morreu no hospital.

Horas depois, outros dois palestinos foram mortos pelos soldados, após supostamente tentarem atacar israelenses. O governo palestino acusou Israel de matar os três e de forjar provas para incriminá-los.

Desde outubro, morreram 83 palestinos e 19 israelenses. ( F S P , 23.11.2015, p. A-12) .

LÍBANO

Estado Islâmico

Pelo menos 37 pessoas morreram e mais de 180 ficaram feridas no dia 12 de novembro em dois ataques de homens-bomba a um subúrbio xiita no sul de Beirute, capital do Líbano.

A região é bastião do grupo radical xiita Hizbullah , cujos militantes atuam ao lado do ditador da Síria Bashar al-Assad, na guerra civil síria.

As duas explosões aconteceram quase que simultaneamente na noite do dia 12, e atingiram um centro comunitário xiita e uma padaria na área residencial e comercial de Borj al-Barajneh. Um dos ataques aconteceu nas cercanias de uma mesquita.

No Twitter simpatizantes do Estado Islâmico reivindicaram a autoria do ataque e disseram que uma moto carregada de explosivos foi utilizada no atentado.

“Que os apóstatas xiitas saibam que não descansaremos até a vingança em nome do profeta”.

Ou seja, muçulmanos sunitas, matam muçulmanos xiitas em nome do profeta Maomé e ainda acham que estão certos.

Segundo o Ministro do Interior do Líbano, um terceiro homem-bomba foi morto pelas explosões – ele foi encontrado sem as pernas e com um cinto de explosivos intacto , perto do local do segundo atentado. ( F S P , 13.11.2015, p. A-18) .

MALI

Militantes armados invadiram na manhã da sexta-feira dia 20 um hotel de luxo em Bamaco, capital do Mali, em uma ação terrorista que deixou ao menos 22 mortos. Cinco terroristas foram mortos durante a ação , em foram mantidas 170 pessoas como reféns, inclusive estrangeiros.

A autoria do atentado foi reivindicada pela organização Al Murabitun, uma aliada da rede terrorista Al Qaeda, no Mali.

O hotel Radisson Blu, localizado no centro de Bamaco está próximo de prédios do governo e de escritórios diplomáticos. Dos cerca de 170 reféns havia estrangeiros como turcos, indianos e chineses e 12 funcionários da Air France.

Os militares invadiram o hotel e vasculharam quarto por quarto. Alguns dos reféns foram libertados após recitar versos do Alcorão . Dois dos terroristas falavam inglês.

Os atacantes invadiram o hotel em meio a gritos de “Allahu akbar” , ( Deus é maior, em árabe), frase recorrente no islã , associada a ações terroristas.

A Al Murabitum foi formada em agosto de 2013, pela fusão de outras duas forças regionais: a Brigada al-Mulathamin e o Movimento para a Unidade e o Jihad na África Ocidental.

Seu nome remete á dinastia berbere dos almorávidas que dominou a região entre Mauritânia ao sul da Espanha nos séculos 11 e 12.

Um de seus líderes é um ex-militante da filial da Al Qaeda no norte da África chamado Mokhtar Belmokhtar , que já foi considerado morto por governos ocidentais, apesar da negativa dos extremistas.

No Mali, há 3.500 soldados franceses , em conjunto com forças de outros países na região do Sahel. ( F S P , 21.11.2015, p. A-8) .

MEIO AMBIENTE

Antártida

A Nasa mostrou que surpreendentemente a Antártida está ganhando gelo em vez de perder, como se poderia esperar de um planeta em processo de aquecimento.

De 1992 a 2008 , houve acúmulo de gelo na Antártida, representando uma redução anual de 0,23 mm no nível dos oceanos , cerca de meio centímetro em 20 anos.

Está entrando mais gelo por meio de chuva , do que saindo por meio de blocos congelados que se soltam do continente ou por meio de drenagem , escorrimento de água que vai aparecendo.

A explicação é que o aquecimento global está aumentando a evaporação da água pelo mundo , e as correntes atmosféricas estão levando mais água para o polo Sul.

As medições foram feitas por satélite , coordenadas pelo glaciologista americano Jay Zwally e o acúmulo de gelo não é uniforme. A parte leste está crescendo e a Península Antártida , região mais próxima à América do Sul está derretendo mais rapidamente. ( F S P , 5.11.2015, p. B-5) .

MERCOSUL

Três anos após ingressar no Mercosul, a Venezuela não cumpriu boa parte de suas obrigações e compromissos de adesão.

A Venezuela não aderiu ao Acordo de Complementação Econômica, sobre isenções tarifárias. Ao Protocolo sobre comércio de serviços. Aos Acordos sobre facilidades de residência para cidadãos . Ao Acordo sobre multilateralidade de seguridade social. Às negociações com a União Europeia e ao Protocolo sobre proteção dos direitos humanos.

O país apenas aderiu à Nomenclatura Comum do Mercosul. Ao Acordo sobre proteção de direitos da criança e do adolescente. Aos Protocolos de reconhecimento de diplomas de ensino fundamental e secundário. Ao protocolo de compromisso com a democracia, mas que todavia não respeita. Ao Passaporte Mercosul e ao Livre-Trânsito de cidadãos de países-membros por 90 dias.

A lentidão explica-se pelo fato de que Caracas sempre apostou mais no Mercosul como plataforma política do que como área de livre circulação de bens, serviços e pessoas.

O Tratado de Adesão da Venezuela , que teve o Brasil como fiador, definiu agosto de 2016 como prazo final para a incorporação de todas as regras, mas todas as pessoas envolvidas nos trâmites dizem ser improvável a adequação plena até essa data. ( F S P , 4.11.2015, p. A-12).

A eleição de Maurício Macri na Argentina, vai criar uma saia justa no Mercosul. Macri reiterou após sua vitória sua intenção de levar à cúpula do Mercosul, em 21 de dezembro , 11 dias após sua posse, proposta para que a Venezuela seja enquadrada na cláusula democrática do bloco.

Macri acusa a Venezuela de ser antidemocrática, por manter presos políticos , especialmente o líder opositor Leopoldo López , cuja mulher, Lilian Tintori, festejou a vitória da Macri , no QG do argentino. ( F S P , 25.11.2015, p. A-12) .

Macri vai provocar uma oxigenação saudável no Mercosul. Além de afastar a Venezuela, que é um elemento negativo no bloco, vai mudar completamente a posição da Argentina em relação às negociações com a União Europeia, de paralisação para aceleração e também quer negociar a aproximação com o Tratado Transpacífico.

MÉXICO

A Suprema Corte do México garantiu a quatro pessoas no dia 4 de novembro o direito de usarem maconha. O Tribunal Penal da Corte Suprema declarou que pessoas devem ter o direito de produzir e distribuir maconha para uso pessoal.

A produção e a comercialização de maconha é ilegal no México, mas em 2009 o país tornou legal transportar até 5 gramas de maconha e 500 miligramas de cocaína. ( F S P , 5.11.2015, p. A-15) .

NIGÉRIA

Duas mulheres-bomba mataram 15 pessoas em um atentado suicida em um mercado de celulares em Kano, centro urbano do norte da Nigéria e deixaram ao menos 53 feridos, no dia 18 de novembro.

Uma das terroristas tinha apenas 11 anos e a outra 18, e elas se explodiram no interior e na entrada do mercado pouco depois das 16 horas. O Boko Haram recorre com frequência a mulheres suicidas , usando inclusive menores de idade e o controle da explosão da carga fica com os chefes que ativam à distância.

No dia 17 , mais de 30 pessoas morreram e 80 ficaram feridas na explosão de uma bomba na região de Yola, no nordeste nigeriano, região onde a milícia radical Boko Haram é bastante ativa.

Há poucos dias o presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari anunciou que o fim do Boko Haram “estava próximo”.

Em março de 2015, o grupo jurou fidelidade ao Estado Islâmico. ( F S P , 19.11.2015, p. A-19) .

O Boko Haram foi considerado o mais letal grupo terrorista do planeta, pelo índice Global de Terrorismo de 2015, à frente do Estado Islâmico. ( Revista Veja, 2.12.2015, p. 51) .

REINO UNIDO

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, vai apresentar ao Parlamento proposta para se juntar à coalizão ao combate ao Estado Islâmico na Síria.

Cameron pôs à disposição da França a base da RAF em Akrotiri, em Chipre , para operações contra o EI. ( F S P , 24.11.2015, p. A-13) .

SÍRIA

Num aparente esforço de criar condições para conversas de paz sobre a crise na Síria, Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse no dia 3 de novembro que Moscou não considera “questão de princípio” a manutenção do ditador sírio Bashar al-Assad no poder.

“De jeito nenhum, nunca dissemos isso. O que dissemos é que uma mudança de regime na Síria pode se tornar uma catástrofe local ou até regional. Só o povo sírio pode decidir o futuro do presidente”.;

O Irã se mantém do lado de Assad e em visita no dia 3 ao país, o vice-ministro da Economia sírio, Faisal Mekdad, rejeitou a ideia de um” período de transição “ que leve á queda de Assad e disse que a população optou por mantê-lo nas eleições de 2014, mas que tiveram sua legitimidade contestada. ( F S P , 4.11.2015, p. A-11).

Financiamento do Estado Islâmico

O grupo terrorista tem várias fontes de financiamento:

Contrabando de petróleo . O EI assumiu o controle de vários poços de petróleo na Síria e no Iraque e vende o combustível a baixíssimos preços dentro dos dois países e para a Turquia. É o principal negócio do EI que detém 60% da produção de petróleo da Síria e rende US$ 2 milhões por dia à facção.

“Impostos”. Nas cidades dominadas pela facção, a população precisa pagar taxas para ter eletricidade e outros serviços públicos. Caminhões que trafegam no oexte do Iraque , pagam “ taxa alfandegária” de US$ 300 . Em Raqqa na Síria, o EI cobra US$ 20 de comerciantes a cada dois meses em troca de eletricidade, água e segurança. Farmácia em Mossul , pagam uma taxa de 10% a 35% do valor dos remédios. Estudantes de ensino fundamental pagam US$ 22 por mês e universitários , US$ 65.

Jizya . Cristãos vivendo em cidades dominadas pelo EI, pagam a taxa chamada de “Jizya” para que não sejam mortos por não serem muçulmanos.

Dízimo. Muitos dos funcionários públicos em áreas dominadas pelo EI ainda recebem do governo e são obrigados a pagar um “dízimo” ao EI.

Contrabando de obras de arte. Vários museus foram saqueados pelo EI , que vende as obras no mercado negro.

Doações. Seguidores da forma mais radical do islamismo, o wahabismo, de países como Arábia saudita e Kuait , fazem doações à facção.

O governo americano acredita que o EI levantou ao menos US$ 500 milhões ao se apoderar de bancos no Oeste do Iraque em 2014. Nas agências o EI instalou gerentes e cobra 5% de todas as retiradas.

Os sequestros renderam ao EI, US$ 40 milhões em 2014.

Segundo o subsecretário de Tesouro americano, David Cohen, “ O EI é a facção terrorista com maior poder financeiro que já enfrentamos”. ( F S P , 20.11.2015, p, A-13) .

EI uso de armas químicas

O grupo opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos, sediado em Londres, acusa o Estado Islâmico de ter disparado bombas de gás mostarda , em 21 de agosto de 2015, no leste de Marea, área dominada pela facção, contra rebeldes moderados.

As hipóteses são de que o gás pode ter sido roubado do arsenal do regime antes da entrega à Opaq, órgão da ONU.

A segunda , e considerada mais preocupante , é que o EI tenha dominado a tecnologia para construir estas armas, com informações obtidas de dentro do regime sírio ou do iraquiano Saddam Hussein.

A milícia já tinha realizado um ataque químico contra combatentes curdos em Irbil, no Iraque, em agosto de 2015. ( F S P , 7.11.2015, p. A-14) .

Jihadi John morto

O governo americano anunciou em 13 de novembro a morte de Mohammed Emwazi, conhecido como “Jihadi John”, em um ataque aéreo , por drones , na cidade síria de Raqqa, sob controle da milícia islâmica. ( F S P , 14.11.2015, p. A-12) .

Mohammed era cidadão britânico, nascido no Kuwait e ficou conhecido ao aparecer em vídeos de decapitação do Estado Islâmico, como o do americano Steven Sotloff e James Foley , do jornalista japonês Kenji Gotto, do voluntário americano Abdul-Rahma Kassig e dos britânicos David Himes e Alan Henning.

Matá-lo passou a ser uma questão de honra dos EUA e do Reino Unido. ( F S P , 14.11.2015, p. A-17) .

Raqqa

Dois dias após os atentados em Paris, em 15 de novembro a França fez ao menos 20 bombardeios sobre a cidade de Raqqa , no centro-norte da Síria, que é a “capital “ do Estado Islâmico no país.

Os ataques franceses teriam destruído um campo de treinamento da facção e um depósito de armas. Os aviões partiram de bases aéreas que a França utiliza na Jordânia e nos Emirados Árabes Unidos e foram feitos em coordenação com as forças dos EUA. ( F S P , 16.11.2015, p. A-8) .

No dia 17 , 34 mísseis de cruzeiro russos atingiram 14 posições militares do Estado Islâmico e outros 65 ataques aéreos teriam sido realizados , destruindo ao menos seis postos de comando.

A França voltou a bombardear Raqqa . ( F S P, 18.11.2015, p. A-10) .

Caminhões bombardeados

Os EUA anunciaram no dia 16 de novembro que bombardearam uma fila de caminhões tanque em Deir Ezzor, na Síria. Caças jogaram antes folhetos avisando os caminhoneiros que deveriam deixar seus veículos. Depois jogaram 24 bombas de 225 quilos, destruindo cem veículos.

Brasileiro morto

Bruna, irmã do brasileiro Brian de Mulder, recebeu em seu celular a mensagem “Brian está no paraíso”. Há um engano, Brian está no inferno.

Ele morreu na Síria, combatendo pelo Estado Islâmico, com apenas 22 anos, sob o nome de Abu Qassem Brazili. Ele estava na Síria desde o início de 2013 e portanto , teve tempo para matar muita gente. ( F S P , 19.11.2015, p. A-17) .

Tropas Terrestres

Com ou sem cooperação com o Ocidente, a Rússia decidiu ampliar sua intervenção na Síria e já considera o uso de tropas terrestres.

O objetivo informal é tornar a situação estável do ponto de vista militar o suficiente até março, para então tentar iniciar a transição para a saída do ditador Bashar al-Assad, aliado de Moscou.

A partir de março o clima se torna inóspito na Síria , dificultando as operações militares.

A Rússia, após os ataques em Paris e a derrubada do avião no Egito, passou a atacar alvos principalmente do Estado Islâmico , está usando caças baseados em Latakia e colocou pela primeira vez em serviço, ao mesmo tempo, 23 bombardeios estratégicos de longo alcance, que lançaram 34 mísseis de cruzeiro , inclusive o modelo furtivo ao radar Kh-101 , em sua primeira missão que é o que de melhor existe no arsenal russo. Estão sendo usados também aviões criados para uma guerra nuclear com os EUA, os bombardeios Tupolev Tu-160 e Tu-95, estreantes em combate. O Tu-95 é equivalente ao B-52 americano. ( F S P , 19.11.2015, p. A-18) .

Rússia e França

França e Rússia intensificarão e coordenarão seus ataques na Síria contra o Estado Islâmico , conforme anúncio feito no dia 26 de novembro por Hollande e Putin em entrevista coletiva depois de encontro no Kremlin, em Moscou. ( F S P , 27.11.2015, p. A-18) .

Relatório da ONU

“ O EI continua a cometer violações generalizadas contra a população civil , com impunidade. O grupo terrorista tem realizado execuções públicas , às vezes usando crianças como seus carrascos , em todo o território que controla (...) O EI detém mais de mil mulheres e meninas da minoria yazidi em escravidão sexual. Vendidas e revendidas , meninas de até nove anos são submetidas a estupros e espancamentos repetidos.

O grupo terrorista lançou vídeos mostrando um pelotão de fuzilamento formado por crianças executando homens capturados em Palmira, bem como um vídeo de uma criança de dez anos cortando a garganta de um soldado em Homs”.

Paulo Sergio Pinheiro, presidente da Comissão Independente Internacional de Investigação sobre a Síria, órgão da ONU. ( F S P , 29.11.2015, p. A-16) .

Jornalistas desafiam o EI

O coletivo de jornalistas não profissionais Raqqa is Being Slaughtered Silenty ( RBSS), Raqqa está sendo massacrada silenciosamente, publica fotos, vídeos e relatos sobre a vida na cidade natal do EI.

Cenas de execuções , pessoas decapitadas , ataques aéreos e discursos de terroristas são veiculados em redes sociais e no site que a organização mantém.

São 18 repórteres atuando na cidade e 10 fora do país, tudo debaixo das barbas do EI. ( F S P , 29.11.2015, p. A-17) .

TUNÍSIA

Um ônibus da guarda presidencial da Tunísia, trafegava pela avenida Mohamed 5º em 24 de novembro, uma das principais de Túnis - lugar com vários hotéis e bancos e onde há grande trânsito de veículos e pedestres e explodiu , pela ação de um homem-bomba, resultando na morte de 12 pessoas e ao menos ferimento em 17.Ele detonou dez quilos de explosivos.

O presidente tunisiano, Beji Caid Essebsi decretou estado de emergência e toque de recolher em Túnis, e depois por 30 dias em toda a Tunísia.

A Tunísia é o único país da região em que as revoltas da Primavera Árabe funcionaram , com eleições democráticas e por isso mesmo tem sido alvo constante de atentados terroristas que abominam a democracia.

O país é também tido como um dos maiores fornecedores de radicais que combatem nas fileiras do Estado Islâmico na Síria e no Iraque. ( F S P , 25.11.2015, p. A-11) .

O Estado Islâmico assumiu a autoria do atentado no dia 25 de novembro. Em comunicado divulgado na internet , a milícia diz que o militante Abu Abdullah al-Tunisi realizou o atentado após ter conseguido se infiltrar no ônibus ,onde viajavam “apóstatas”

O EI disse ainda que “ os tiranos de Túnis não terão paz e não descansarão até que a lei de Deus governe”, Túnis. ( F S P , 26.11.2015, p. A-21) .

TURQUIA

O partido islâmico do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan , o AKP, Partido da Justiça e Desenvolvimento, conseguiu 49,4% dos votos e 316 cadeiras em um total de 550, voltando a ter maioria no Parlamento.

É uma revanche de Erdogan que perdeu a maioria absoluta de 13 anos nas eleições de 7 de junho.

O Partido Republicano do Povo , CHP, social democrata conquistou 134 cadeiras, o Partido da Ação Nacionalista , MHP de direita 41 cadeiras e o Partido Democrático dos Povos, HDP, pró-curdo , ficou com 59 cadeiras. ( F S P , 2.11.2015, p. A-10) .

Prisão de Opositores

Autoridades turcas detiveram no dia 3 de novembro , em 18 províncias do país, mais de 40 funcionários , incluindo policiais e servidores de alto escalão, pelo suposto envolvimento com o movimento dirigido pelo religioso Fethulah Gulen , que Ancara considera como grupo terrorista.

Foram expedidos 57 mandados de prisão , incluindo o próprio Gulen, que vive nos EUA e a quem o governo acusa de tentar criar um estado paralelo na Turquia. ( F S P , 4.11.2015, p. A-11).

Suspeito preso

O belga de origem marroquina Ahmed Dahmani, 26 , foi detido no dia 21 de novembro , sob suspeita de participação com os ataques na França. ( F S P , 22.11.2015, p. A-17) .

Derrubada de avião russo

A Turquia criou um grave problema com a Rússia ao derrubar um avião militar russo na fronteira com a Síria , no dia 23 de novembro.

Vladimir Putin classificou o ato como “ uma punhalada nas costas”. “Está claro que em nenhum momento nossos pilotos ou aviões ameaçaram território turco” e que o episódio trará “ sérias consequências “ às relações entre os dois países e acusou Ancara de ser “cúmplice do terrorismo”.

O primeiro-ministro turco, Ahmet Davutiglu, diz que o caça russo Su-24 violou seu espaço aéreo. Mesmo que tivesse violado, não era uma ameaça e isso não justifica o ataque.

Os dois pilotos do avião conseguiram se ejetar, mas um deles foi morto por rebeldes sírios. A aeronave estava na Síria quando foi atingida por um míssil disparado de um caça turco F-16. Um dos dois helicópteros russos deslocados para socorrer os pilotos foi atacado por rebeldes , e um dos tripulantes , Oleg Peshkovm, foi morto. ( F S P , 25.11.2015, p. A-10) .

A Rússia anunciou no dia 25 de novembro que vai instalar um sistema de mísseis antiaéreos na base de Latakia, oeste da Síria.

A bateria de mísseis do modelo S-400 é capaz de atingir alvos com precisão a 400 km de distância , abrangendo parte do sul da Turquia.

O piloto que sobreviveu em entrevista à imprensa russa negou que o avião tenha invadido o espaço aéreo turco e disse também que não houve nenhum aviso a ele e a seu colega . Na versão turca ,os russos foram avisados dez vezes sobre a invasão em um intervalo de cinco minutos. Ancara afirma que os caças sobrevoaram seu território por apenas 17 segundos , ou seja nada. ( F S P , 26.11.2015, p. A-19) .

No dia 26 de novembro, o primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev ameaçou a Turquia com retaliações econômicas.

Entre as sanções estariam a suspensão de importação de produtos alimentícios turcos, a restrição de viagens turísticas ao país, e o congelamento de projetos tocados pelos dois países, incluindo cooperação militar.

A Rússia é o segundo maior parceiro econômico dos turcos e os russos um dos principais emissores de turistas para a Turquia o que dá uma ideia do tamanho do erro cometido pelo governo turco ao derrubar o avião russo.

Rússia e Turquia atuam juntos num projeto de duto de gás, conhecido como TurkStream, em que os russo devem fornecer gás por meio do Mar Negro.

Além disso mantém um acordo para construção de usina nuclear em território turco no valor de US$ 20 bilhões. Como um país com este nível de colaboração , pode considerar que uma invasão por 17 segundos de um avião do outro é ato hostil e motivo para derrubá-lo?

Putin afirmou no dia 26 de novembro que espera um pedido claro de desculpas ou uma “compensação”, pelo dano causado.

O presidente turco , Recep Tayyip Erdogan , descartou o pedido de desculpas e disse que o governo repetiria a atitude em caso de nova violação do espaço aéreo. ( F S P , 27.11.2015, p. A-18) .

Vladimir Putin rejeitou no dia 27 de novembro , o convite do líder turco , Recep Tayyip Erdogan , para conversar sobre a tensão causada pela derrubada do avião russo no dia 24. ( F S P , 28.11.2015, p. A-16) .

Erdogan está mudando. Disse em 28 de novembro: “Estamos realmente tristes com esse incidente. Queríamos que não tivesse ocorrido, mas infelizmente aconteceu. Espero que algo assim não volte a ocorrer”. Só falta pedir desculpas. ( F S P , 29.11.2015, p. A-15) .

VENEZUELA

Leopoldo López

A farsa no caso Leopoldo López foi desmontada. Um dos promotores responsáveis pela detenção e recente condenação do líder opositor Leopoldo López a quase 14 anos de prisão por suposta incitação a protestos violentos, fugiu da Venezuela e divulgou no dia 23 de outubro, um vídeo prometendo revelar “ toda a verdade “ sobre supostas manipulações do caso pelo governo.

“Decidi sair da Venezuela com minha família em virtude da pressão que estavam exercendo o Executivo e meus superiores hierárquicos para que eu continuasse defendendo provas falsas com as quais se condenou o cidadão Lepoldo López, disse o promotor Flanklin Nieves em vídeo divulgado pelo site opositor “ La Patilha”.

Não se sabe o paradeiro de Nieves, mas sites locais afirmam que ele se encontra sob a proteção de autoridades americanas. Ele pode ter levado consigo, boa parte da documentação jurídica do caso López.

“Quem me conhece sabe a angústia que eu vinha passando . Eu não conseguia dormir por causa da dor e da pressão para continuar com uma farsa”.

No vídeo ele admitiu ter construído o processo sobre provas falsas , com o único objetivo de atender aos desígnios do presidente Nicolás Maduro e do deputado Diosdado Cabello.

Ele disse que foi escalado para prender López antes dos fatos que lhe foram atribuídos – a incitação a atos violentos que levaram à morte 43 pessoas. No dia em que López foi preso, não havia sequer uma investigação formal que justificasse a sua prisão. ( Revista Veja, 4.11.2015, p. 64-66) .

Tráfico de Cocaína

Em janeiro de 2015, Leasmy Salazar , ex-guarda costas de Hugo Chávez e de Diosdado Cabello, exilou-se nos EUA e contou às autoridades americanas como os chavistas, principalmente Cabello, comandam a exportação de 90% da cocaína produzida pelas Farc .

Desde a fuga de Salazar, 16 agentes foram assassinados, nenhum deles em serviço , todos de folga e vítimas de latrocínio.

Os seguranças que continuam na ativa interpretam as mortes como uma mensagem de que as traição não serão toleradas e que a menor suspeita poderá leva-los a fazer parte das estatísticas de “violência urbana”. Na Venezuela de Maduro, os guarda-costas , precisam de guarda-costas. ( Revista Veja, 4.11.2015, p. 66) .

Eleições Legislativas

Estão previstas para 6 de dezembro eleições legislativas e segundo as pesquisas 70% da população se inclina para a oposição.

Os venezuelanos querem mudanças na situação política e econômica, o fim da escassez de produtos , das filas em supermercado e da inflação alta e a redução da criminalidade.

Deve-se acompanhar o que o governo Maduro vai fazer para fraudar o resultado eleitoral. ( Revista Veja, 4.11.2015, p. 66) .

Vicente Díaz, ex-reitor do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela , classifica de “turismo eleitoral”, qualquer missão de observação de um pleito que ocorra apenas no dia da votação.

E é justamente é isso que vai acontecer com a missão de observação da Unasul, a única autorizada pelo governo. ( F S P , 5.11.2015, p. A-15).

O chefe da missão da Unasul na Venezuela será o ex-presidente dominicano Leonel Fernandez ( 2004-2012) , líder de centro-esquerda que ficou marcado pelo protagonismo internacional e pela capacidade de manter boas relações com George W. Bush e Hugo Chávez. ( F S P , 17.11.2015, p. A-14) .

O secretário-geral da OEA , Luís Almagro criticou no dia 10 de novembro o governo da Venezuela por impedir a oposição de concorrer em igualdade de condições nas eleições parlamentares e por se opor ao envio de observadores internacionais com poder de fiscalização. Em carta ao Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, Almagro cita o uso de recursos públicos na campanha, o veto a candidaturas opositoras, o desequilíbrio na visibilidade midiática e cédulas confusas. ( F S P , 11.11.2015, p. A-11) .

Um grupo de 157 parlamentares de Brasil, EUA, Colômbia, Chile, Peru e Costa Rica, enviou no dia 11 de novembro uma carta ao presidente Nicolás Maduro , para cobrar observação internacional crível na eleição legislativa de 6 de dezembro e exigiu o fim do cerco à oposição. Cerca de 32 senadores brasileiros , inclusive petistas, assinaram o documento que foi entregue à Embaixada da Venezuela, em Washington. ( F S P , 12.11.2015, p. A-15) .

As manobras chavistas para vencer as eleições são várias.

No cartão de voto com as opções de partidos e candidatos, a sigla governista Min-Unidade aparece ao lado da coalizão opositora Mesa da Unidade (MUD), com cores e logotipos parecidos.

O governo alegou mudanças de volume populacional para redesenhar o mapa das circunscrições de maneira a aumentar a representatividade das áreas chavistas. Nesta jogada, zonas opositoras perderam quatro deputados.

Vários opositores foram impedidos de se candidatar sob pretextos como irregularidades na declaração de imposto de renda.

Em junho, uma ordem do Conselho Nacional Eleitoral exigiu paridade de gênero nas listas de candidatos. Isso obrigou os antichavistas a reconfigurarem suas listas.

Alegando combate ao contrabando, Maduro decretou Estado de exceção em zonas fronteiriças com a Colômbia, onde predomina o voto opositor. Ao restringir a liberdade de expressão e de reunião, limitou a campanha rival.

O chavismo é acusado por ONGs de usar recursos públicos para fins eleitoreiros. Candidato pelo governista PSUV, o ministro dos Transportes, Haiman El Troudi vem inaugurando obras com farta cobertura da imprensa , amplamente cooptada. ( F S P , 15.11.2015, p, A-19) .

Em discurso na TV, na noite do dia 16 de novembro, Maduro se disse “espiritualmente , política e militarmente pronto para assumir [ possível derrota] “ e prometeu reagir “ nas ruas “ com apoio de milhões de “ revolucionários , patriotas, chavistas , bolivarianos”.

Para a MUD , Mesa da Unidade Nacional, esse discurso ameaçador é uma confissão de derrota. As pesquisas mostram margem de vantagem para a oposição de 20% a 30% e a popularidade de Maduro caiu para 22%, segundo o Instituto Datanálises. ( F S P , 18.11.2015, p. A-15) .

O governo Dilma Rousseff não dá o braço a torcer. Marco Aurélio Garcia foi à Venezuela entregar uma carta a Maduro sobre as eleições. Nela Dilma diz que que o Brasil respeita a soberania venezuelana , lembra que os dois países fazem parte do Mercosul e que o pleito venezuelano terá grande incidência, não só para a Venezuela , mas para o Mercosul, a Unasul e as Américas.

Por isso pede que as eleições sejam cercadas de plenas garantias democráticas e que o governo venezuelano atue “ para coibir quaisquer atos de violência ou intimidação que possa colocar em dúvida a credibilidade do processo eleitoral em curso e a legitimidade dos resultados da votação”.

Ou seja, Dilma Rousseff pede que Maduro não exagere na campanha eleitoral, como ela fez.

Maduro disse em resposta que respeitará o resultado da votação , seja ele qual for porque parece acreditar que , mesmo que perca em votos , poderá manter a maioria das 157 cadeiras da Assembleia Nacional , graças a uma conformação de distritos favorável ao governo.

Em 2010, com menos de metade dos votos, o governo ficou com 3/5 das vagas.( F S P , 28.11.2015, p. A-14) .

O Brasil decidiu designar dois embaixadores para se integrarem à comissão de acompanhamento eleitoral da Unasul para o pleito venezuelano. Os dois farão uma viagem de turismo à Venezuela , porque essa missão será meramente figurativa. ( F S P , 25.11.2015, p. A-12) .

A cada dia que passa a posição do governo brasileiro de tentar dar um verniz de legalidade à ação do governo Venezuelano na eleições de dezembro , torna-se mais ridícula.

O governo decidiu enviar o cônsul-geral do Brasil em Washington , embaixador Antonino Mena Gonçalves , para ser o representante brasileiro na missão da Unasul que acompanhará a eleição parlamentar de 6 de dezembro e que já se base , teve seu trabalho restrito o que motivou a decisão do TSE de se retirar da missão em protesto pela falta de garantias para uma observação crível e pelo veto de Caracas ao ex-ministro Nelson Jobim como chefe da delegação. ( F S P , 27.11.2015, p. A-14) .

A análise de Phil Gunson , do International Crisis Group para os países andinos é devastadora:

“ O governo tem usado seu controle do Conselho Nacional, do Tribunal Supremo de Justiça e de outras instituições nominalmente independentes para inabilitar certos candidatos destacados e impedir a presença de missões de observação internacional.

Usa funcionários do Estado, ativos do Estado e fundos públicos para levar adiante sua campanha eleitoral. Tem um controle avassalador da televisão , da rádio e dos meios escritos , especialmente no interior.

Ademais, costuma coagir os empregados públicos e os beneficiários dos programas sociais para que votem pelos candidatos oficialistas , e intimidar os fiscais da oposição , especialmente por meio de bandos de civis armados.

Em época eleitoral , mobilizam-se as forças armadas e a milícia, ambas estreitamente alinhadas ao PSUV; nos distritos eleitorais situados na fronteira com a Colômbia foram suspensos direitos constitucionais , segundo o governo em resposta à atividades paramilitares”.

Mas, mesmo com todo este aparato ditatorial , Maduro vai perder. A situação está tão grave que até redutos chavistas estão vibrando em comício opositor.

Opositores estão fazendo campanha até em Menca de Leonis , bairro onde surgiram os primeiros protestos do Caracazo em 1989 que pavimentaram a ascensão do coronel Hugo Chávez.

A oposição também penetrou em redutos chavistas dentro de Caracas, como a favela El Valle. ( F S P , 30.11.2015, p.A-13) .

Violência

Um chefe de quadrilha na Venezuela, líder de uma organização criminosa que diz ter 150 homens espalhados pelo país afirma: “Temos contatos nos diferentes órgãos policiais que nos ajudam a levantar dados de quem estamos seguindo. Pagamos pelo apoio desses agentes”. Ele diz que a polícia também avisa sobre hora e local de eventuais batidas.

A organização que comanda se dedica a vários crimes como sequestro, sequestro-relâmpago, assalto e tráfico de drogas

Mas o mais rentável é o sequestro. O valor do resgate depende do perfil das vítimas. Os mais ricos devem pagar em dólar, os mais pobres em bolívar, moeda local.

Os preços variam de US$ 600 a mais de US$ 100 mil.

O pagamento é exigido em 48 horas ou “ um pouco mais”. E se demorar? “ Com muito pesar, começamos a mandar á família pedaços da pessoa. Um dedo. Uma mão. Um pé. Até pagar”.

Com os “coletivos”, grupos parapoliciais armados pelo chavismo “ Trabalhamos juntos nas áreas que eles controlam. Eles ás vezes nos emprestam munição”.

A Venezuela é o segundo país do mundo em taxa de homicídios, com 62 para cada 100 mil habitantes, só inferior à de Honduras.( F S P, 8.11.2015, p. A-17) .

Parentes presos por tráfico de drogas

Efrain Antonio Campo Flores , 29 , que se identificou com filho de criação da primeira-dama da Venezuela , Cília Flores , e Franqui Francisco Flores de Freitas, 30 , que declarou ser sobrinho de Cilia, foram detidos em Porto Príncipe, no Haiti, onde haviam chegado em avião privado , e estavam prestes a fechar negócio para encaminhar 800 kg de cocaína até os EUA, com um funcionário disfarçado da DEA.

Os dois foram abordados por policiais haitianos e imediatamente entregues a funcionários do DEA, a agência antidrogas americana , que os levou aos EUA em avião oficial.

Eles esperavam apenas pelo pagamento de US$ 100 milhões, para dar a ordem de decolagem ao jatinho rumo aos EUA.

Os dois tinham passaportes diplomáticos , tentavam transportar ao menos cinco quilos da droga e a captura foi o ponto culminante de uma operação que envolveu meses de monitoramento e atuação de agentes infiltrados que gravaram conversas nas quais os suspeitos discutiam a pureza da droga.

Os dois podem ser condenados à prisão perpétua nos EUA. Foram indiciados por um tribunal federal de Nova York por tráfico de drogas e conspiração.

No avião para os EUA, Efrain revelou que ele o primo são apenas os membros e que a droga pertence ao Cartel dos Sois. Seus chefes , eles asseguraram, são Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Nacional e Tareck al Aissami, governador de Aragua. Os nomes desses dois líderes chavistas são recorrentes nas delações referentes ao tráfico de cocaína produzida na Colômbia, que tem na Venezuela a sua principal rota de escoamento. ( Revista Veja, 18.11.2015, p. 64-65) .

O presidente Nicolás Maduro afirmou no dia 12 de novembro que a operação é fruto de ataques imperialistas.

Em uma rede social ele escreveu “ nem ataques , nem emboscadas imperialistas podem afetar o povo dos libertadores”.

Na Comissão de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, disse “ Não é a primeira vez que acusações temerárias são parte dos ataques da mídia imperial contra a pátria de Simon Bolívar. E não será a primeira vez que derrubaremos as mentiras com a poderosa força da verdade que tem a nossa pátria”. ( F S P , 13.08.2015, p. A-14) .

Assassinato de opositor

Luiz Manoel Dias, foi assassinado em 26 de novembro em um comício.

Ele estava no evento com a mulher de Leopoldo López , Lilian Tintori em Altagracia de Orituco, a 124 km de Caracas.

O secretário-geral da OEA, Luís Almagro considerou o homicídio “uma ferida mortal à democracia” e disse que não se trata de um episódio isolado. “Dá-se de forma conjunta com outros ataques contra outros dirigentes políticos da oposição , em uma estratégia para amedronta-los . É hora de por fim ao medo”.

Além da OEA, a morte foi condenada pelos EUA. O porta-voz do Departamento de Estado , John Kirby , pediu proteção dos candidatos à eleição: “ Campanhas de medo e intimidação, não tem lugar na democracia”, disse.

Obviamente da diplomacia brasileira, nem um pio.

Jesus Torrealba, secretário-geral da coalizão opositora MUD ( Mesa da Unidade Democrática) , horas depois do assassinato afirma: “ Este crime ecoa as agressões e a retórica lançadas pelo alto escalão do governo, que vive estimulando a violência. É imprescindível que a comunidade internacional condene categoricamente e publicamente estes atos que tentam calar a voz do povo antes da eleição...

Há 17 anos este projeto político tinha uma liderança carismática que propunha ao país a salvação dos pobres e a luta contra a corrupção. Hoje está tão deteriorado que não resta mais bandeira legítima...

A violência em 2015 é mais localizada, mas mais intensa. Pessoas que seguiam o governador Henrique Capriles foram agredidas. Numa favela de Caracas , roubaram um caminhão com material de propaganda que distribuímos e o queimaram...

É nestas condições que chega a missão da Unasul, incompleta e atrasada. Incompleta porque é encabeçada por um senhor que nem é da Unasul , nem é perito no tema. Além disso, uma missão da Unasul sem Brasil é como carnaval sem samba”.

Maduro tem motivos para se preocupar . Com a vitória nas urnas , o MUD pretende dar “ anistia a presos e exilados de oposição e a dirigentes governistas , indigenistas, ambientalistas , sindicalistas, líderes comunitários perseguidos e presos pelo governo”.

Mais ainda, pretende derrubar Maduro: “ temos a possibilidade de usar os recursos previstos na lei: emenda, reforma constitucional, referendo revogatório ou Constituinte . Se precisarmos chegar ao referendo revogatório ou à Constituinte seremos acompanhados não só da maioria que dá controle, mas do apoio popular”, ou seja, ninguém mais aguenta o governo Nicolas Maduro, só o Brasil. ( F S P , 27.11.2015, p. A-15) .

Mudança de posição da diplomacia brasileira

O assassinato de Luís Manoel Diaz foi tão grave que a diplomacia brasileira não teve outra alternativa a não ser mudar de posição.

O Itamaraty divulgou nota condenando o caso:

“O governo brasileiro tomou conhecimento com consternação do assassinato de Luís Manoel Dias , dirigente do partido Ação Democrática (AD), ocorrido no contexto de comício eleitoral no Estado de Guárico , Venezuela.

Ao condenar com firmeza esse lamentável incidente, o governo brasileiro recorda que é da responsabilidade das autoridades venezuelanas zelas para que o processo eleitoral que culminará com as eleições do dia 6 de dezembro, transcorra de forma limpa e pacífica , de modo a permitir que o povo venezuelano exerça com tranquilidade seu dever cívico e tenha plenamente respeitada sua vontade soberana”.

Os governos de Uruguai e do Paraguai condenaram no dia 27 de novembro a morte de Diaz e pediram que as autoridades garantam a segurança da oposição e respeitem o resultado eleitoral.

“O governo do Uruguai faz um chamado á tolerância, a garantir a liberdade de expressão e evitar por todos os meios a incitação à violência nesta etapa da campanha eleitoral.

Chile e Colômbia, que são membros da Unasul, mas não do Mercosul, também condenaram o assassinato.

Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia disse : “ Esperamos que seja feita toda a investigação do caso, que os responsáveis sejam enviados à Justiça e tomara que não tenhamos eleições com violência”. ( F S P , 28.11.2015, p. A-14) .

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento