Café com ADM
#

Capitalismo crise - março de 2014

Fatos relevantes do capitalismo internacional em março de 2014

O presente texto tem como base a leitura de fatos relevantes da economia internacional na imprensa brasileira, referentes ao período de março de 2.014.

Para Jan Hatzius, economista-chefe do Goldman Sachs e uma das vozes mais influentes no mercado, o pior da volatilidade dos países emergentes já passou.
Para ele, a política de redução de estímulos pelo Fed, não deve causar mais grandes efeitos colaterais nos países em desenvolvimento. “Essas reduções estão dentro das expectativas, quando um banco central faz algo que já é totalmente esperado, não há mais efeitos”.
Mas uma ameaça permanece. É a do início do ciclo de elevação de juros nos EUA, atualmente próxima de 0% e que deve começar apenas em 2016.
“Ainda podemos ter turbulências nos emergentes, por causa das incertezas na trajetória de elevação de juros nos EUA. Isso pode trazer efeitos colaterais significativos, como os que vimos em janeiro e o Brasil será afetado, como outros emergentes”. Para ele a economia americana deve crescer 3% entre 2014 e 2015. “ Nos próximos dois anos, países desenvolvidos é que vão puxar o crescimento”. ( F S P , 13.03.2014, p. B-4) .


AFEGANISTÃO

Quatro militantes armados do Taleban atacaram em 21 de março mais um hotel em Cabul, o hotel Serena , que conta com forte vigilância e mataram nove pessoas, incluindo quatro estrangeiros e depois foram mortos pelas forças de segurança. O hotel de luxo é usado por funcionários da ONU e políticos importantes em Cabul. ( F S P , 22.03.2014, Mundo 2, p. 4) .
Mais um ataque em 25 de março feito por militantes suicidas, deixou quatro mortos em um escritório da comissão eleitoral na capital Cabul, ao lado da residência do candidato á Presidência Ashraf Ghani, que não estava em casa. ( F S P , 26.03.2014, p. A-12) .
Em 28 de março , oito dias antes das eleições presidenciais, homens armados do Taleban atacaram uma pousada em Cabul e fizeram quatro estrangeiros reféns por algumas horas. Uma criança afegã morreu, quando um suicida detonou uma bomba fora do prédio para liberar a entrada dos radicais . Outros três homens-bombas se explodiram dentro do prédio e um quinto foi morto pelas forças de segurança. Milagrosamente, os quatro reféns estrangeiros foram salvos pelas forças de segurança. Outras vinte pessoas estavam na pousada. Os terroristas estão atacando em hotéis, pousadas ou escritórios. ( F S P , 29.03.2014, Mundo 2 , p. 3) .

AMÉRICA LATINA

Segundo estudo divulgado em 5 de março pelo Banco Mundial, a América Latina e o Caribe, concentram 30% dos homicídios que acontecem no mundo, embora respondam por apenas cerca de 9% da população mundial. “Sete entre os dez países com as maiores taxas de violência do mundo, estão na América Latina. O campeão de homicídios é Honduras, com 91 a cada 100 mil habitantes. A cidade mais violenta é a salvadorenha , San Pedro Sula, seguida de Acapulco , no México e de Caracas, a capital venezuelana. ( F S P , 6.3.2014, p. A-13) .


ARGENTINA

Pesquisa divulgada em 3 de março pelo jornal “Clarin”, mostra que 67,5% dos argentinos não estão contentes com a gestão da presidente Cristina Kirchner. Em março de 2012, eram 41,9%. A aprovação do governo que era de 44,9% há dois anos, agora está em 25%. A pesquisa feita com 1.600 pessoas mostra que 55,8% acreditam que a sua situação econômica nos próximos meses estará pior e apenas 12,6% melhor. ( F S P , 4.3.2014, -p. A-14) .
O jornalista Miguel Wiñazki, editor-chefe do jornal Clarin , e seu pai, Nicolás Wiñazki, fazem um retrato detalhado da presidente Cristina Kirchner em La Dueña – Historia Oculta de los Negocios Secretos , los Vinculos Personales y La Salud de la Mujer más Poderosa, más Amada y más Odiada de la Argentina.
O setor de energia é destacado como um dos mais problemáticos. A Argentina tem a terceira maior reserve de gás de xisto no mundo ( 22,7 bilhões de m3) , atrás apenas de EUA ( 32,9) e China ( 31,6) .
A região de Vaca Muerta, na província de Neuquén, tem área de 30.000 km2 e condições de gerar um faturamento de US$ 4,4 trilhões.
Mas devido às trapalhadas do governo , a exploração da região quase não anda.
Enquanto isso, o país vive uma das maiores crises de energia dos últimos anos. Em 2013, o país gastou US$ 13 bilhões na importação de gás e eletricidade , aumento de 25% em relação a 2012. Destes US$ 6 bilhões foram compensados pelas exportações de parte da produção de petróleo, o restante teve que ser pago pelas reservas internacionais, que caíram para apenas US$ 28 bilhões, contra US$ 376 bilhões do Brasil.
Desde 2010, a Bolívia triplicou a venda de gás natural para a Argentina, e até o pequeno Uruguai está vendendo energia para a Argentina.
As coisas mudaram para pior com Cristina . Supostamente irritada com o desempenho da petroleira YPF , controlada pela espanhola Repsol, ela decidiu nacionalizar a empresa em 2012.
A nacionalização foi mais um item em uma longa lista de decisões que fizeram da Argentina quase um país pária no mercado internacional e que agora está com uma grave crise na economia com inflação superior a 25% ao ano, indicadores econômicos manipulados, exportações agropecuárias taxadas e tentativas de controlar a taxa de câmbio.
Além da estatização da YPF, com o congelamento das tarifas de energia elétrica, desde 2003, por Néstor Kirchner, as distribuidoras pararam de investir e o setor piorou. Com o forte calor em dezembro de 2013 e janeiro de 2014, o consumo aumentou muito e o sistema não aguentou. Cerca de 30% da população de Buenos Aires ficou sem luz. Alguns bairros chegaram a ficar 15 dias sem energia. Muitos empresários agora temem pelo inverno. Se as temperaturas baixarem muito , racionamentos poderão ocorrer. Em janeiro, várias empresas pararam a produção e evitaram que a situação ficasse pior.
Em 2013, a YPF assinou um contrato com a petroleira Chevron para explorar Vaca Muerta. Mas serão apenas US$ 1,2 bilhão até 2017, um grão de areia com os US$ 300 bilhões que o mercado estima como necessário para extrair todo o potencial da região e apenas 1%do total investido pela Chevron no mundo durante um ano.
O Brasil tem a décima maior reserva de gás não convencional do mundo, com 6,9 trilhões de metros cúbicos e aqui , como na Argentina, a exploração anda em marcha lenta.
Somente no final de 2013 foi feito um leilão para áreas de xisto e foram arrematados apenas 72 blocos, dentre 240 ofertados, que renderam R$ 165 milhões ao governo. Falta um marco regulatório específico para o gás de xisto e o monopólio da Petrobrás nos gasodutos já existentes são fatores de afastam os investidores. E para piorar, os ambientalistas são contra. ( Revista Exame, 5.3.2014, p. 74-77) .
Dívida externa:
O Brasil vai ingressar na Suprema Corte dos EUA, com pedido para ser “amicus curie”, termo que significa “amigos da corte” e identifica partes que querem ajudar no caso.
A Argentina está sendo processada por 14 credores da dívida remanescente do calote de 2001, que cobram na Justiça o pagamento à vista de US$ 1,3 bilhão. Os credores são os chamados “fundos abutres”, especializados em comprar barato títulos de dívida de países em “default” para renegociar.
Dos US$ 102 bilhões caloteados pela Argentina em 2001, 93% foram renegociados entre 2005 e 2010. Mas neste caso , a Argentina já perdeu em primeira e segunda instâncias e recorreu à Suprema Corte.
O Brasil vai apoiar a Argentina em seus dois principais questionamentos. O primeiro é contrário á adoção da cláusula “pari passu” para dívidas soberanas. Essa cláusula estabelece que os credores devem ser pagos ao mesmo tempo. Isso significa que a Argentina teria que interromper os pagamentos da dívida reestruturada até resolver o restante. Os argentinos argumentam que entrarão em “default técnico”, porque não vão conseguir pagar sua dívida, apesar de desejarem . Um novo “default” teria consequências catastróficas para o país que já enfrenta dificuldade de crédito.
O segundo ponto defendido pela Argentina é sobre a proteção de ativos soberanos para pagamento de dívidas. A legislação americana protege os ativos soberanos de um país , que são reservas e outros bens , com exceção de empresas. O tribunal de Justiça de Nova York afirma que não obrigou a Argentina a usar ativos soberanos, mas a simplesmente pagar sua dívida. Os argentinos argumentam que não tem saída a não ser utilizar ativos soberanos. A Suprema Corte não tem prazo para se manifestar. . ( F S P , 21.03.2014, p. B-6) .
Rombo externo
O déficit em conta corrente da Argentina , somou US$ 1,17 bilhão no quarto trimestre de 2013, equivalente a 0,63% do PIB, o pior resultado desde o fim de 2001, quando o país deu o calote na sua dívida externa.
Em 2013 o déficit em conta corrente total foi de US$ 4,3 bilhões, contra um superávit de US$ 48 milhões em 2012. ( F S P , 23.03.2014, p. B-14) .
Colchón Bank
Apesar de dois anos de proibição do governo para compra de dólares para investimento, os argentinos driblaram Cristina Kirchner e segundo levantamento do Indec, em 2013, existiam US$ 217,4 bilhões fora do sistema financeiro do país, ante apenas US$ 8 bilhões em depósitos bancários, segundo o Banco Central, cerca de 50% do PIB . Em 2012 eram US$ 199,6 bilhões. Em uma década dos governos dos Kirchner, essa quantia aumentou em US$ 100 bilhões. O motivo é que os argentinos não confiam no governo, nem nas autoridades financeiras e por isso deixam muito dinheiro em poupança não oficial em contas no exterior, em cofres de bancos ou guardada em casa, até debaixo do colchão. ( F S P , 27.03.2014, p. B-7) .
Subsídios reduzidos
O governo argentino anunciou em 27 de março a redução de 20% nos subsídios das tarifas de água e gás no país, aplicada a consumidores e que resultará em contas até entre 100% e 400% mais caras. O corte representará quase 1% do PIB e vai diminuir os subsídios , principalmente em energia e transporte , que representaram 5% do PIB em 2013. ( F S P , 28.03.2014, p. B-7) .
PIB
Em uma nova tentativa de recuperar a credibilidade de suas estatísticas diante da comunidade internacional, o governo Cristina Kirchner deixou de superestimar o crescimento econômico e anunciou em 28 de março que o PIB em 2013 cresceu 3%, contra projeção irrealista feita em dezembro de 4,9%. O FMI emitiu uma rara moção de censura ao país em 2013, e exigiu que o país apresentasse estatísticas plausíveis de inflação e PIB.
O número se aproxima dos 2,9% indicados por consultorias privadas e com ele o país deixará de pagar US$ 3,6 bilhões de bônus , em títulos da dívida pública vinculada a um crescimento do PIB de 3,22% para cima. O valor poupado é significativo para um país que tem reservas internacionais de apenas US$ 27 bilhões.
O ministro da Economia, Alex Kicillof ,informou que o Indec adotou uma nova metodologia, mas não explicou de que maneira ela funciona. Mas a Argentina em crise , com crescimento de 3% , ficou bem acima dos 2,3% do Brasil.
A Argentina começou a corrigir suas estatísticas em fevereiro ao lançar o novo índice de inflação oficial, reconhecendo a alta de 7,2% no primeiro bimestre de 2014. ( F S P , 29.03.2014, Mercado 2 , p. 1) .

CHINA

Um grupo armado com facas matou em 28 de fevereiro, 33 pessoas e feriu outras 140 na estação de trem da cidade chinesa de Kunming ( sudoeste), capital da Província de Yunnan, que tem 6,3 milhões de habitantes. Quatro suspeitos foram mortos e cinco escaparam e estão sendo caçados pelas forças de segurança.
Localizada na fronteira com Mianmar, Laos e Vietnã, a região abriga 25 povos oficialmente reconhecidos pelo governo em um total de 56. Metade das mais de 400 etnias da China, vivem em Yunnan, mas a região não tem registrado conflitos étnicos , comuns no Tibete e em Xinjiang. ( F S P , 2.3.2014, p. A-19) .
O governo culpou separatistas de origem uigur, uma etnia muçulmana que se concentra na província de Xinjiang, que fica a centenas de quilômetros de Kunming e se for de fato obra deles, é a mais sangrenta ação cometida fora da região. ( F S P , 3.3.2014, p. A-8) .
Para se ter uma ideia do choque provocado pelo atentado, a imprensa estatal afirmou que ele “Foi o 11 de Setembro da China”. Foi um dos piores ataques desse tipo na China e ocorre num período especialmente sensível: é a semana do Congresso Nacional do Povo ( Parlamento), tido como principal evento do calendário político chinês.
As autoridades chinesas detiveram mais três suspeitos do ataque . A agência oficial “Xinhua”, afirma que o governo chinês culpa um grupo terrorista dirigido por Abdurehim Kurban, mas não deu mais informações. ( F S P , 4.3.2014, -p. A-14) .
Os deputados do Congresso Nacional do Povo terão que seguir o novo lema imposto pelo Partido Comunista: abaixo a ostentação, cruzada contra a corrupção e os desperdícios iniciada pelo presidente Xi Jinping desde que chegou ao poder há um ano.
Com isso, o mercado de luxo na China, vitaminado pelo suborno, teve expansão de apenas 2% em 2013, bem abaixo dos 7% de 2012, segundo a consultoria Bain& Company. Os chineses são os maiores compradores de luxo, com 29% do consumo mundial no setor. O Legislativo chinês é o maior do mundo e o mais rico. Cerca de 80 deputados tem patrimônio acima de US$ 1 bilhão. ( F S P , 6.3.2014, p. B-6) .
Enquanto os EUA estão diminuindo as despesas militares, a China anunciou em 5 de março um aumento de 12,2% em seu orçamento militar para 2014, para R$ 308,6 bilhões, o segundo maior orçamento militar do mundo, mas ainda bem menor que o americano que é de US$ 600 bilhões. A China está se fortalecendo em face das disputas com países vizinhos como Japão e Coréia do Sul. ( F S P , 6.3.2014, p. A-12) .
Calote
A Chaori Solar Energy Science & Technology informou que só poderá pagar menos de 5% dos R$ 34 milhões em juros dos títulos que emitiu em 2012 e que venceram em 7 de março.
A Standard & Poor’s declarou “ o default da Chaori mostra que o governo começará a deixar que os mercados decidam o destino dos tomadores de crédito mais fracos”.
Em relatório recente o Bank of America disse que o calote pode ser “ o momento Bear Stearns da China”, em referência ao início da crise do “subprime”, nos EUA. Pode portanto ser o início de uma onda de defaults e um choque no crédito que poderia afetar a economia chinesa com efeitos globais. As dívidas corporativas na China, somam US$ 13,8 trilhões, passando as dos EUA e virando líderes globais. ( F S P , 8.3.2014, p. B-4) .
Pós industrial
Em 2013, os serviços foram responsáveis por 46,1% do PIB e a indústria por 43,9%. Era 46,7% em 2010 e os serviços 43,2%. O avanço dos serviços tem sido beneficiado pela elevação da renda per capita, que quase dobrou desde 2008. Com mais dinheiro no bolso , os chineses estão gastando mais com restaurantes e turismo e a indústria em alguns segmentos sofre com a queda na atividade em regiões como a Europa. ( Revista Exame, 19.03.2014, p. 90).
Pequim
A consultoria britânica PwC em um estudo recente, investigou o desempenho econômico das grandes metrópoles emergentes , incluindo São Paulo e de todas elas, Pequim é a que mais cresce e São Paulo é a sétima.
Nos últimos dois anos, a economia de Pequim se expandiu numa média anual de 8%. A cidade é sede de 47 das 500 maiores empresas do mundo . Das mais de 700 empresas que montaram centros de pesquisa e desenvolvimento na China nos últimos anos, 30% escolheram Pequim, como a Microsoft, o site Yahoo, a HP e a Merck.
Só entre 2006 e 2010, o número de instituições financeiras duplicou. De 2010 a 2012, o investimento estrangeiro anual saiu de 6,4 para 8 bilhões de dólares.
Pequim usou incentivos fiscais de forma inteligente. Companhias de alta tecnologia, chinesas ou estrangeiras, pagam imposto de renda reduzido, de 15%. As multinacionais montam centros de pesquisa e conseguem desembarcar seus produtos na alfândega com mais simplicidade. As instituições financeiras podem ganhar subsídios de até US$ 1,6 milhão para cobrir parte dos gastos com a mudança, além de abatimento nos tributos. Em julho de 2013 , os administradores municipais determinaram que empresas públicas e privadas devem receber tratamento igual em concorrências e anunciaram licitações em áreas como fornecimento de gás e energia elétrica.
Em 2001, quando foi escolhida para sediar a Olimpíada de 2008, sua rede de metrô tinha, ao todo 60 quilômetros. Em 2013, a extensão total chegou a 465 quilômetros , superando os sistemas de Londres e Nova York. Em São Paulo, apesar da realização da Copa do Mundo, não se conseguiu nem estender a rede de metrô até o aeroporto de Guarulhos. Em 12 anos o metrô de São Paulo ganhou ridículos 25 quilômetros. Temos muito a aprender com os chineses. ( Revista Exame, 19.03.2014, p. 84-87).
Indústria
A atividade da indústria chinesa teve retração em março, pelo terceiro mês seguido, segundo o HSBC. O PMI caiu para 48,1 pontos em maço, 0,4 menos do que em fevereiro. O indicador abaixo de 50, aponta que o setor está se contraindo. ( F S P , 25.03.2014, p. B-14.


COLÔMBIA

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, formalizou em 4 de março sua candidatura à reeleição no pleito de maio de 2014. Ele lidera as pesquisas de intenção de voto. ( F S P , 6.3.2014, p. A-13) .
Em 2010, Alejandro Eder foi nomeado diretor da ACR ( Agência de Reintegração Colombiana) , órgão do governo que reinsere na sociedade desertores , tanto de grupos armados à esquerda, como as Farc , quanto de paramilitares à direita.
Segundo a agência, 56.171 combatentes trocaram as armas pelo programa de reintegração colombiana entre 2003 e 2013.
Nos três meses iniciais do programa, os “desmobilizados” moram em cinco casas de campo geridas pelo governo, com até cem pessoas cada uma. O tratamento, na medida do possível,é personalizado. Há programas para minorias étnicas, mulheres , gays e transexuais guerrilheiros. Rivais como paramilitares e esquerdistas são misturados. “ No fim , muitos se casam ou viram parceiros de negócios”.
Depois, ganham um subsídio equivalente a US$ 400 para refazer a vida enquanto recebem apoio psicológico e educação. A maioria entra como analfabeta total ou funcional e o ideal é que cheguem pelo menos à quinta série do ensino fundamental. Mas 9.268 viraram universitários.
A ACR mantinha 31.737 “desmobilizados”, sob sua asa em 2013: 25% desempregados e 47,5% no mercado informal. A reintegração demora cerca de sete anos e custa US$ 2.500 anuais por desertor. O governo estima que após o processo, oito em cada dez ex-combatentes, fiquem na legalidade. ( F S P , 12.03.2014, p. A-9) .
Volta de Uribe
Fã do livro “Team of Rivals – The Political Genius of Abraham Lincoln “, Juan Manuel Santos, decidiu fazer o mesmo que Lincoln ( 1809-01865), quando assumiu o cargo de presidente da Colômbia em 2010.
Cercou-se de rivais no governo, colocando-os em cargos importantes. O ex-candidato do partido Liberal, Rafael Pardo, virou seu Ministro do Trabalho. Gérman Vargas, que concorreu pelo Cambio Radical, passou por vários ministérios. Até os “verdes”, tradicionais opositores da direita colombiana, negociaram acordos com Santos. Ele admitiu em entrevista ao “El País”, “ eu me inspirei em Lincoln mesmo”.
O que ele não podia prever é que o controle da oposição, escaparia de suas mãos e seria agarrado justamente por seu padrinho político e antecessor no cargo, o ex-presidente Álvaro Uribe, 61.
Nas eleições legislativas do dia 9 de março, o partido recém criado por Uribe, o Centro Democrático, obteve 19 cadeiras no Senado, com os votos de 2 milhões de colombianos , uma delas de Uribe.
Uribe apoia o candidato Óscar Iván Zuluaga, que busca amealhar os votos dos conservadores, hoje divididos. Santos continua com maioria na câmara baixa e tem 47 dos 102 senadores, mas Uribe posicionou-se com força e pode mudar o quadro eleitoral.
Uribe não concorda com a forma como estão ocorrendo as negociações entre o governo e a guerrilha, a falta de transparência e principalmente o fato de que Santos se dispõe a permitir que as Farc disputem cadeiras no Parlamento. Ele diz que é um absurdo negociar um benefício como esse , enquanto a guerrilha continua atuando no país. Prega o fim da negociação e ação bélica contra as Farc.
Santos por sua vez diz que a negociação seguirá adiante e que o quadro final agradará aos colombianos :” Você não pode ver uma obra de arte antes de terminada , vai achá-la feia. É preciso ver o quadro pronto”.
O país obteve avanços econômicos e se posicionou entre os preferidos dos investidores externos na América Latina. Deve crescer 4,5% em 2014 e o desemprego caiu de 10% para 8,5% em 2013. Se Santos conseguir um bom acordo com as Farc sua vitória é certa. ( F S P , 15.03.2014, Mundo 2, p. 1).
Cracolândia
Bogotá também tem a sua cracolândia, ou melhor bazucolândia que é o termo do bazuco, droga derivada da coca e tão destrutiva quanto o crack . O bazuco é um pó amarelo feito a partir de um subproduto obtido antes da extração da cocaína, a pasta base da coca. A substância é misturada a solventes, como gasolina, e a outros aditivos, entre eles pó de tijolo . O resultado é uma droga mais barata e tão viciante quanto o crack, este – pouco popular na Colômbia. Uma dose de bazuco custa 2.000 pesos bolivianos ( R$ 2,40), uma pechincha antes os R$ 10 cobrados por uma pedra de crack nas ruas de São Paulo.
No centro de Bogotá, um portão improvisado, guardado por dois “nóias”, marca a entrada do Bronx, a bazucolândia da cidade. Só entre quem tem autorização dos “caciques” ,líderes traficantes ou então quem conseguir se passar por um possível comprador do “bazuco”.
O Bronx tem 3.000 moradores de rua , dos quais 1.800 são “zumbis” , dependentes da droga, mais do que os 1.200 que frequentam a cracolândia em São Paulo.
Sobre a droga, Jemmi Cubillos que está na oitava tentativa de largar o vício afirma: ‘É a pior droga de todas. Eu comprava 30 doses e consumia tudo em um dia, ficava uma semana sem dormir. A minha casa era o Bronx”.
Traficantes impõem regras de conduta: “Não pode entrar de capuz, tirar foto, e é proibido roubar quem vai comprar droga.
Na última ofensiva contra o tráfico, a Prefeitura de Bogotá anunciou o “Bazuco Zero”, que consiste em dar maconha aos dependentes como forma de tratamento. A estratégia é criticada por Juan Daniel Gómez, doutor em psicologia e professor da Pontifícia Universidade Javeriana e estudioso da droga há quarenta anos:” Dar maconha a um ‘bazuqueiro ‘ é absurdo. Os moradores de rua seriam cobaias. Não há pesquisas suficientes para provar que isso teria efeito”.
No Brasil o psiquiatra Dartiu Xavier sugeriu em 2010 que 50 usuários usassem maconha quando tivessem vontade do crack , e 68% largaram a droga em seis meses”. ( F S P , 29.03.2014, p. A-24) .

CLIMA
Foi divulgado em 30 de março em Yokohama, no Japão um novo relatório do IPCC , o AR5 , sobre impactos do aquecimento global mais amplo que o anterior de 2007 , mas com menos certezas sobre o que efetivamente ocorrerá.
Água doce: deve ocorrer redução significativa de recursos de água de superfície e subterrânea na maioria das regiões subtropicais secas.
Continentes: Maior risco de extinção de espécies terrestres e de água doce.
Costas: Aumento de submersão, inundações e erosões costeiras em sistemas costeiros e de baixa altitude devido ao aumento do nível do mar.
Oceanos: Redistribuição global de espécies marinhas e redução de biodiversidade marinha em áreas sensíveis, afetando a pesca.
Alimentos: Impacto negativo na produção de grandes culturas ( trigo, arroz e milho), quando houver aumento médio de temperatura superior a 2º C.
Saúde Humana: Aumento de problemas de saúde devido ao maior calor em muitas regiões, sobretudo nos países em desenvolvimento.
Segurança: Maior risco de conflitos violentos pela mudança climática, por amplificar problemas como pobreza e economia, causas conhecidas de conflitos.
Economia: Desaceleração do crescimento econômico , tornando mais difícil reduzir a pobreza, particularmente em áreas urbanas e criando novos focos de fome. ( F S P , 31.03.2014, p. C-5) .

CORÉIA DO NORTE

O regime norte-coreano disparou , em 4 de março até sete mísseis de curto prazo em direção ao mar a partir de sua costa oriental. O lançamento foi o terceiro do tipo desde 27 de fevereiro , quando a Coréia do Sul e os EUA deram início a exercícios militares na região. ( F S P , 5.3.2014, p. A-14) .
A Coréia do Norte realizou eleições em 9 de março e o governo teve 100% dos votos. Eleições? É um bom exemplo de como as coisas funcionam em um país comunista , onde eleições são apenas um simulacro.
O resultado do pleito era conhecido antes mesmo do processo eleitoral, porque só havia um candidato para cada uma das 687 circunscrições para a Assembleia Suprema do Povo, todos indicados pelo governo.
Os eleitores só podiam optar entre “sim” e “não”. Quem quisesse votar “não”, deveria se dirigir a uma outra cabine separada das outras. As “eleições” acontecem a cada cinco anos. O voto é facultativo, mas ninguém é louco de não comparecer. ( F S P , 11.03.2014, p. A-9) .
Segundo o Ministério da Defesa da Coréia do Sul, a Coréia do Norte lançou em 16 de março, dez mísseis de curto alcance em direção ao mar. ( F S P ,17.03.2014, p. A-11).

CUBA

Leonardo Padura lembra que em 1970 o governo cubano projetou um grande salto econômico socialista tendo como meta uma safra de 10 milhões de toneladas de açúcar.
Mas o que ocorreu foi o contrário. A produção decaiu, os baixos preços internacionais reduziram a receita e a baixa eficiência industrial decorrente de tecnologias atrasadas e métodos obsoletos reduziram a capacidade industrial á metade. Centrais foram fechadas e desmontadas. Em 2010 a ilha teve sua pior safra desde 1905 e Cuba perdeu sua principal riqueza.
Para 2014 a safra deve ser de menos de 2 milhões de toneladas e o governo brasileiro está fazendo o possível para levantar essa combalida economia. A “administração produtiva” de uma fábrica foi entregue á empresa Odebrecht , que vai controlar e modernizar as instalações da central açucareira , com generoso crédito de US$ 120 milhões do BNDES, cujo pagamento posterior é duvidoso. É preciso ter algo para ser exportado pelo Porto de Mariel também modernizado pelo Brasil.( F S P , 1.3.2014, p. A-14) .
O número de turistas americanos que visitam Cuba passou de 180 mil em 2007 para 627 mil em 2013. A grande maioria é de cubanos americanos, 150 mil em 2007 e 520 mil em 2013.Já as remessas para Cuba aumentaram de US$ 600 milhões em 1998 , para US$ 1,2 bilhão em 2013, sendo que deste total, 53% vinham dos EUA em 2009 e 75% em 2013.. O aumento das viagens deve-se a mudanças graduais estabelecidas por Barak Obama em 2009 e 2011. Antes, um cubano-americano com parentes na ilha tinha permissão para visitar Cuba uma vez a cada três anos. Hoje, se tiver um parente de até terceiro grau, pode ir quantas vezes quiser. Cerca de 19 aeroportos americanos foram autorizados a ter voos charter direto para Havana. Obama fez isso porque 56% dos americanos defendem a normalização das relações com a ilha. Mas os políticos cubano-americanos pensam diferente. ( F S P, 17.03.2014, p. A-12).
Aumento para médicos
O governo cubano anunciou em 21 de março, aumento salarial entre 100% e quase 200% para os 440 mil profissionais da área médica ( médicos e enfermeiros), inclusive os 50 mil que atuam no exterior. No Brasil são 11,4 mil médicos. O argumento é que os profissionais que estão no exterior levam divisas para o país e que é preciso melhorar os serviços prestados na ilha. Como os que trabalham em Cuba recebem US$ 30 por mês, aumentar 200% significa passar de US$ 30 para US$ 90 , o que continua sendo uma miséria. O aumento , válido a partir de maio, diz respeito á parcela da remuneração que os profissionais recebem em Cuba e não interfere no que os médicos cubanos recebem no Brasil, que foi aumentado para R$ 3.000,00 a partir de março. ( F S P , 22.03.2014, Cotidiano 2, p. 3).
Incentivos para estrangeiros
A Assembleia Nacional de Cuba aprovou em 29 de março , uma lei para atrair à ilha investimentos estrangeiros , que passarão a ser permitidos em quase todos os setores da economia , com exceção de saúde e educação e contarão com novos incentivos fiscais
O imposto sobre os lucros será cortado pela metade, para 15% e os investidores ficarão isentos de pagá-los nos primeiros oito anos. Mas, os incentivos são reservados para iniciativas em parceria com o governo cubano , ou com empresas cubanas. Investimentos com controle total de estrangeiros devem sofrer redução nos benefícios. ( F S P , 30.03.2014, p. A-20).

EGITO

O ministro da Defesa e chefe do Exército do Egito, Abdel Fatah al-Sisi, afirmou em 4 de março que “ não pode dar as costas à maioria dos cidadãos”, que , segundo ele, querem vê-lo candidato na eleição presidencial. “Ninguém pode por si só contribuir para o desenvolvimento do país em circunstâncias como estas”. ( F S P , 5.3.2014, p. A-14) .
Ele renunciou em 26 de março ao cargo de ministro da Defesa e confirmou sua candidatura à Presidência. ( F S P , 27.03.2014, p. A-16) .
Cerca de 529 simpatizantes da Irmandade Muçulmana foram condenados à pena de morte no Egito em 24 de março, por atacar delegacias e edifícios do governo. Apenas 153 dos condenados estão detidos e os demais são considerados foragidos. Mais de 1.200 pessoas estão sendo processadas por atos de violência registrados em meados de agosto em Minia, 250 km ao sul do Cairo.
Foram absolvidos 17 membros da Irmandade e a decisão deverá ser confirmada pelo mesmo tribunal em 28 de abril . ( F S P , 25.03.2014, p. A-12).
Muhammad Badie , líder da Irmandade Muçulmana foi em 25 de março a julgamento ao lado de 682 outros islamitas, respondendo a acusações que incluem homicídio e participação em organização terrorista. O julgamento deve ser concluído até 28 de abril. ( F S P , 26.03.2014, p. A-12) .

ENERGIA NUCLEAR

A experiência adquirida e tecnologia com os recursos robóticos em desenvolvimento para desativar a usina de Fukushima, poderão ser usados em futuros desmontes de instalações nucleares.
A Tokyo Eletric Power Co, que opera a Fukishima Daichi, vai abrir uma companhia separada para cuidar da limpeza da usina. Companhias japonesas como a Toshiba, Mitsubishi Heavy Industries e Hitachi, vem desenvolvendo robôs que podem monitorar radiação, realizar descontaminação , remover detritos contaminados ou reparar danos, alguns já em uso na usina. O uso da robótica , ajuda a reduzir a exposição dos trabalhadores à radiação que é mortal e pode tornar a limpeza mais rápida e mais barata.
A devastação da usina pelo terremoto e tsunami, completou três anos em 11 de março . ( F S P , 12.03.2014, p. B-9) .

ESCÓCIA

Segundo a rede de TV Al Jazeera, o atentado que, em dezembro de 1988 , matou as 259 pessoas a bordo de um Boeing 747 da PanAm e 11 moradores de Lockerbie na Escócia, teria sido ordenado pelo Irã e executado por um grupo terrorista baseado na Síria. O atentado teria sido uma retaliação ao ataque ao voo 655 da Iran Air pelo navio USS Vincennes, que matou 290 em julho de 1988. ( F S P , 12.03.2014, p. A-10) .

ESPIONAGEM

Mark Zuckerberg, cofundador e chefe do Facebook, durante o Congresso Mundial de Mobilidade , realizado em Barcelona, afirmou :” A NSA reaproximou as empresas de tecnologia. O governo ( dos EUA), tinha dois deveres: proteger as pessoas e ser transparente sobre o que fazia, mas estragou tudo. Agora está voltando ao caminho certo”. ( Revista Veja, 5.3.2014, p. 41) .
Uma das maiores defensoras dos sistemas de espionagem americanos, a senadora democrata Dianne Feinstein, acusou em 11 de março a CIA de invadir computadores da Comissão de Inteligência do Senado, da qual é presidente. Para ela, a CIA espionou a equipe responsável por supervisionar a prática de interrogatórios e prisões feitas pelo órgão , programa encerrado oficialmente em 2009, quando o presidente Barak Obama chegou ao poder. O diretor da CIA, John Brennan , negou as acusações de Feinstein. “Nada pode ser mais distante da verdade. Não faríamos isso. Não tentamos bloquear nada. Essa questão está sendo lidada de forma apropriada”. ( F S P , 12.03.2014, p. A-11) .
Segundo o russo Eugene Kaspersky, ex-agente da KGB e uma dos maiores especialistas em segurança digital do mundo, “ As denúncias de Snowden não trouxeram nada de novo. Só ajudaram a mostrar como a espionagem digital é mais comum do que imaginávamos”. Segundo ele, no mundo moderno quem quer privacidade só tem como alternativa ir morar na Floresta Amazônica ou na Sibéria, bem longe de uma conexão e sem celular, porque o celular permite que a pessoa seja espionada. ( Revista Exame, 19.03.2014, p. 106-107).

EUA

A economia americana cresceu 2,4% no último trimestre de 2013, abaixo do esperado pelo mercado. Os gastos dos consumidores cresceram 2,6%, também abaixo do esperado. O dado, somado a outros fracos da economia recentemente divulgados, como as vendas no varejo coloca em dúvida se o Fed vai continuar a reduzir os estímulos adotados em 2012, compra mensal de títulos que já caiu de US$ 85 bilhões, para US$ 65 bilhões. ( F S P , 1.3.2014, p. B-1) .
Chuck Hagel, secretário do Defesa dos EUA, ao propor o plano de gastos para 2015 afirmou “Pela primeira vez em treze anos, estamos apresentando ao Congresso um orçamento que não é de guerra”. ( Revista Veja, 5.3.2014, p. 40) .
O declínio que não houve
Conforme assinala Maílson da Nobrega, a quebra do Lehman Brothers em 2008 e suas consequências, a maior crise financeira global desde os anos 1930 e uma severa recessão nos países ricos, animaram analistas de esquerda a vaticinar o declínio americano.
Mas se enganaram completamente . A economia americana já se recupera e deve crescer 3% em 2014 e os EUA continuam sendo líderes do planeta , a maior potência tecnológica e bélica.
“ A tese declinista subestimou a capacidade de reação dos EUA, que deriva de suas inúmeras vantagens: solidez das instituições, cultura capitalista, qualidade da educação e inigualável propensão a inovar. Oito das dez melhores universidades do mundo são americanas, segundo a Times Higher Education. Vinte e sete das trinta universidades cujas pesquisas são as mais citadas em artigos acadêmicos são americanas, diz a Universidade Netherland Leiden. Os EUA contabilizam um terço dos gastos mundiais em pesquisa e desenvolvimento conforme a Rand Corporation...Um novo e inédito fenômeno está em curso nos EUA. Assiste-se a uma reindustrialização , provocada pelo reshoring, o oposto de off-shoring, que é a migração de indústrias , particularmente para a China. Estudo especial da The Economist ( 191/2013) , mostrou que 48% das maiores empresas americanas com vendas anuais acima de 10 bilhões de dólares repatriam fábricas . A principal razão é o aumento dos custos trabalhistas na China...Os EUA protagonizam uma nova revolução energética por meio da tecnologia de extração de gás e petróleo de xisto. Segundo a Agência Internacional de Energia, em 2020 , o país se tornará o maior produtor mundial de petróleo , superando a Arábia Saudita”. E o Brasil ? Devido á visão estatista e desconfiança em relação ao setor privado está fazendo o contrário . “ governo Lula substitui-se o bem sucedido regime de concessão pelo de partilha na exploração de petróleo, atribuindo ao Estado a responsabilidade maior nessa área. No governo Dilma, aumentou-se a intervenção estatal na energia elétrica ( medida provisória 579) e as empresas estatais foram postas a serviço de políticas populistas e de controle da inflação”. Ou seja, em outras palavras , os EUA voltam a pisar o pé no acelerador e o Brasil continua em marcha a ré , aumentando cada vez mais a distância dos EUA que já é imensa. ( Revista Veja, 5.3.2014, p. 28) .
Dólar tem a força
O economista Eswar Prasad, da Universidade Cornell, lançou “The Dollar Trap”, ( A “armadilha do dólar”, numa tradução livre), onde mostra que o dólar continua como hegemônico no mundo.
Economistas como Paul Krugman e Barry Eichebgreen chegaram a engrossar o coro dos que acreditavam na perda de relevância da moeda americana, mas estavam errados.
De 2007 a 2013, o Tesouro dos Estados Unidos emitiu 5,5 trilhões de dólares em títulos para financiar seus déficits orçamentários. Desse total, cerca de 3,3 trilhões, ou 60%, foram comprados por investidores estrangeiros, incluindo bancos centrais .
A participação do dólar nas reservas internacionais não só parou de cair, como voltou a subir desde 2010, passando de 80% para 87% em 2013. Porque o dólar voltou a ganhar peso, mesmo com a economia americana de joelhos? Prasad responde : não há alternativas ao dólar.
Ao escolher um título público em moeda estrangeira para compor suas reservas internacionais, os bancos centrais analisam o tamanho da economia do país que emite aquela moeda, seus fundamentos macroeconômicos , a flexibilidade do câmbio , se o sistema financeiro é aberto e se as instituições são fortes. “Por ora, nenhum país conseguiu manter um sistema que concorra com o americano, em todos os quesitos”, diz Prasad, que é indiano.
O euro, quando foi lançado, parecia ser um rival de peso. Sua participação como moeda de reserva subiu de 24% para 28% . Mas desde 2008 acabou perdendo credibilidade por estar na raiz da crise que abalou a Europa . Desde então, voltou aos 24% .
O iuane era outro candidato a tirar o brilho do dólar. A China tem a segunda economia mundial, e o maior volume de comércio externo. Mas , o iuane no ranking das dez moedas mais usadas internacionalmente ocupa as últimas colocações , atrás de dólar, euro, libra, franco suíço, dólar canadense e dólar australiano. Não se trata de uma moeda negociada livremente em escala global, o governo chinês atua pesadamente no mercado de câmbio do país , os bancos chineses são em sua maioria estatais, as instituições do país dominadas pelo partido comunista , o sistema judiciário idem, tudo isso ajuda a aumentar a desconfiança dos investidores.
Os EUA estão em uma situação cômoda. Mesmo enfrentando a maior crise em sete décadas, conseguiram continuar imprimindo dinheiro à vontade e se endividando. Mesmo com o Congresso paralisando o governo não faltou demanda para seus papéis . O restante do mundo está preso na “armadilha do dólar”. Mesmo com os títulos da dívida americana oferecendo taxas de juros baixíssimas, os bancos centrais continuam comprando títulos sem pensar duas vezes, para tentar se proteger de eventuais instabilidades globais. O preço da segurança tem sido alto, mas como diz Prasad, não há outro lugar para onde correr. ( Revista Exame, 5.3.2014, p. 118-120) .
Turismo
Em 2013, 42 milhões de estrangeiros visitaram os EUA e gastaram US$ 166 bilhões entre eles 1,8 milhão de brasileiros em 2012. Se a exigência de visto para turista for reduzida , o número de visitantes vai mais do que dobrar e receita idem. Brasil , México ( 27,2 milhões) e Índia ( 1,1 milhão) seriam os que mais teriam saída de turistas para os EUA. No Brasil , estima-se que seriam 1,6 milhão a mais , isso se a situação cambial não piorar. Aliás o fim do visto deveria ter sido acertado em 2013 pela presidente Dilma Rousseff em sua visita de Estado aos EUA, mas que foi cancelada porque a presidente não recebeu um pedido de desculpas de Obama pela espionagem , nem nunca vai receber. O centro de estudos Cato, em Washington , sugere ampliar o programa Visa Waiver, que permite a cidadãos de outros países viajar para os EUA depois de enviar um formulário pela internet. ( Revista Exame, 5.3.2014, p. 79) .
Radio Shack
A RadioShack , uma das maiores e mais conhecidas lojas de artigos eletrônicos dos EUA disse em 4 de fevereiro que vai fechar 1.100 das 5.600 lojas da empresa, que teve prejuízo de US$ 400 milhões em 2013. Está havendo queda nas vendas e um problema similar ao ocorrido com suas rivais de consumidores cada vez menos dispostos a fazer compras nas lojas físicas , preferindo apenas visitá-las para testar os aparelhos e optando por fazer suas aquisições pela internet. Em 2009, a Circuit City, na época a segunda rede varejista de artigos eletrônicos dos EUA, foi à falência. A Best Buy, a maior do país, conseguiu lucro de US$ 532 milhões em 2013. ( F S P , 5.3.2014, p. A-16) .
Emprego
Foram criadas 175 mil vagas nos EUA em fevereiro superando as expectativas e bem acima da média de 106 mil nos dois meses anteriores. Porém, os dados mostram que o desemprego de longo prazo ( pessoas sem trabalho há pelo menos um semestre), cresceu após cinco meses de queda e na maior intensidade em quase dois anos: 203 mil entraram nesse grupo em fevereiro, e agora somam 3,8 milhões de pessoas. Este indicador é um dos principais considerados para decidir o rumo da retirada dos estímulos iniciados no fim de 2012.
A taxa de desemprego também subiu de 6,6% para 6,7%, mas por motivos positivos. Cresceu o número de pessoas em busca de trabalho, um sinal favorável, que mostra maior confiança na economia. ( F S P , 8.3.2014, p. B-1) .
Fed
Ben Bernanke, ex-presidente do Fed, em palestra em Abu Dhabi afirmou :” Embora tenhamos sido muito agressivos, acho que na política monetária poderíamos ter sido ainda mais agressivos”. ( Revista Veja, 12.03.2014, p. 46) .
Programa de Estímulos Reduzido:
O Fed decidiu em 19 de março reduzir a injeção, via compra de títulos , em mais US$ 10 bilhões, para US$ 55 bilhões por mês, no terceiro corte seguido do programa que começou com estímulos mensais de US$ 85 bilhões. "Há uma força suficiente na economia para apoiar a melhoria nas condições do mercado de trabalho".
Todavia a informação mais preocupante para o Brasil foi dada por Janet Yellen, presidente do Fed que disse que o aumento dos juros pode vir seis meses após o fim do programa de estímulos que pode ocorrer em setembro. Portanto os juros já poderiam começar a aumentar no primeiro semestre de 2015, na faixa de 1% até o final de 2015 e 2,25% no final de 2016. Hoje os juros básicos estão sendo mantidos entre zero e 0,25%.
O Fed anunciou que não vai mais usar a taxa de desemprego de 6,5% como indicador para a início da alta dos juros, mas uma grande variedade de dados que inclui as condições do mercado de trabalho, indicadores e projeções de inflação e leituras sobre desenvolvimento financeiro.
A notícia é preocupante para o Brasil, pois o governo federal, para ganhar as eleições presidenciais está empurrando para 2015 uma série de ajustes como nos combustíveis e na energia elétrica, em um ano em que a situação externa deve se agravar devido ao início da alta dos juros nos EUA. Portanto, 2015 deverá ser um ano problemático para o Brasil.
O Fed ajustou as projeções de crescimento do PIB em 2014 para entre 2,8% e 3%, para 2015 entre 3% a 3,2% e 2016, entre 2,5% a 3%. ( F S P , 20.03.2014, p. B-1) .
Terrorista condenado
Sulaiman Abu Ghait, , 48 , apontado como o porta-voz da Al Qaeda e genro de Bin Laden , casado com Fátima, filha de Bin Laden, foi condenado, por uma corte civil, em 26 de março, nos EUA pelo crime de conspirar para matar americanos . A sentença, que pode chegar à prisão perpétua , será definida em 8 de setembro. Ele não foi acusado pelo 11 de setembro. Sua atuação teria vindo depois, com vídeos inflamados que serviram para o recrutamento de terroristas dispostos a participar de novos ataques.
Com ele, somam seis os condenados pela Justiça americana ligados á Al Qaeda: Omar Abdel Rahman, Ramzi Yousef, Faisal Shahzad, Richard Reid e Umar Farouk Abdumuttalab, todos condenados à prisão perpétua. ( F S P , 27.03.2014, p. A-11) .

FILIPINAS

O governo das Filipinas e a FMLI ( Frente Moro de Libertação Islâmica), assinaram em 27 de março um acordo de paz após 30 anos de luta armada. O governo concordou em enviar ao Parlamento a proposta de criação , em 2016, de uma região autônoma em Bangsamoro ( cidade muçulmana), bem como a realização de eleições. O acordo foi assinado pelo presidente Benigno Aquino e pelo chefe do grupo Murad Ebrahim, e o premiê da Malásia, Najib Razak, no Palácio de Malacanang , em Manila. ( F S P , 28.03.2014, p. A-19) .


IMIGRAÇÃO

Espanha
Cerca de 500 imigrantes de origem subsaariana , se aproveitaram do denso nevoeiro e pularam a cerca em Marrocos e entraram na cidade autônoma espanhola de Melilla, encravada no norte da África. Foram para o Centro de Estadia Temporária de Imigrantes, que já abrigava 1.400 pessoas, o triplo de sua capacidade. Barracas no exterior para possibilitar que os novos fossem abrigados. ( F S P , 19.03.2014,p. A-10) .
Itália
A Marinha italiana socorreu 596 pessoas em 17 de março na ilha de Lampedusa, que estavam em duas embarcações. ( F S P , 19.03.2014,p. A-12) .


IRÃ

A chefe da diplomacia europeia , Catherine Ashtom, declarou em 9 de março que “O acordo interino é muito importante, mas não tanto quando o acordo mais compreensivo sobre o qual nos debruçamos. Difícil, desafiador , e não há garantia de sucesso. O apoio do povo do Irã ao trabalho que está sendo feito pelo ministro [Zarif] e sua equipe e o da comunidade internacional ao meu trabalho é muito importante para que tenhamos êxito”. ( F S P , 10.03.2014, p. A-10) .
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon disse em 11 de março que o presidente iraniano , Hasan Rowhani, não cumpriu a promessa de campanha de permitir maior liberdade de expressão e, desde sua eleição, foi registrado acentuado aumento do número de execuções. Ele pediu a libertação de ativistas e advogados e outros presos políticos. ( F S P , 12.03.2014, p. A-10) .
Em seu primeiro discurso oficial no Ano Novo Persa, o presidente do Irã, Hasan Rowhani prometeu melhorar as condições de vida da população, que há anos sofre com a crise econômica :” Nosso maior [desafio] é lutar contra a recessão e pelo crescimento econômico. Este ano será o do crescimento”. ( F S P , 21.03.2014, p. A-14) .
Holocausto
O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, voltou a questionar o Holocausto e disse que o suposto tabu europeu sobre o tema, evidencia limites da liberdade de expressão no Ocidente:” O Holocausto é um evento cuja existência é incerta e, mesmo que tenha acontecido, é incerto como ele aconteceu...Expressar dúvida sobre o Holocausto é um dos maiores pecados no Ocidente. [Ocidentais] prendem e processam os questionadores e ainda se dizem países livres” . Ele afirmou a respeito das restrições políticas e individuais no Irã:” liberdade absoluta não existe em nenhum lugar do mundo”. ( F S P , 22.03.2014, Mundo 2, p. 4) .

ISRAEL

As Forças de Defesa de Israel interceptaram uma embarcação no mar Vermelho, a KLOS-C, com bandeira do Panamá e encontraram dezenas de mísseis fabricados na Síria com um alcance de 200 km , rumo á faixa de Gaza.
A inteligência israelense seguiu o navio que saiu do Irã , destinado ao Sudão e desviou seu caminho até um porto iraquiano, onde supostamente os mísseis foram escondidos por sacos de concreto. Para os israelenses, os mísseis seriam desembarcados no Sudão e enviados a Gaza via deserto do Sinai, tendo que passar pelo controle de fronteira do Egito.
Benjamin Netanyahu, em visita aos EUA, informado do achado afirmou “ Enquanto o Irã conversa com as potências internacionais, está também enviando armamentos letais para organizações terroristas por meio de uma rede elaborada de operações”. ( F S P , 6.3.2014, p. A-11) .
O Irã negou ter responsabilidade pelos mísseis . O vice-ministro das Relações Exteriores para temas árabes e africanos, Amir Abdollahian, declarou “ Esta acusação não é verdadeira , e a ideia em si do movimento de um navio carregando mísseis do Irã até Gaza não é verdadeira”. ( F S P , 7.3.2014.p. A-14) .
Israel espalhou, no Mar Vermelho diante da costa, perto da fronteira jordaniana, os 40 foguetes M-302 e os 181 morteiros encontrados no navio interceptado, além de 400 mil projeteis . Havia sacos de cimento “made in Iran”, usados para cobrir a carga.
O chanceler iraniano Mohammad Javad Zafari afirmou “ Uma coincidência incrível . Ou as mesmas mentiras fracassadas”.
Faixa de Gaza
Ao menos 70 foguetes foram disparados em 12 de março da Faixa de Gaza contra o território de Israel. Apenas 41 chegaram a atingir Israel e três foram interceptados pelo sistema de Defesa Domo de Ferro. Não houve feridos. É o mais grave ataque desde a Operação Pilar de Defesa, de novembro de 2012.
As forças de Israel revidaram em seguida e foram relatados 29 alvos atingidos nas primeiras horas da noite. O Hamas já havia esvaziado seu quartel-general , antecipando o ataque israelense.
O Jihad Islâmico assumiu a autoria dos ataques, afirmando terem sido “uma resposta aos crimes de ocupação”, incluindo a morte de três de seus membros. Para o governo israelense, como o Hamas é quem controla a Faixa de Gaza, ele tem a obrigação de impedir os demais grupos de realizar ataques terroristas. ( F S P , 13.03.2014, p. A-18) .
Túnel
As Forças de Defesa de Israel anunciaram em 21 de março que descobriram um novo túnel entre a faixa de Gaza e o território israelense. O túnel corre a uma profundidade entre oito e nove metros e inclui trechos a 20 metros de profundidade, penetra centenas de metros em território israelense e foi construído recentemente com as técnicas mais sofisticadas já vistas nesse tipo de empreendimento.
O Hamas afirmou que o túnel revelado não é novo e que “ não foi uma vitória militar ou de inteligência”, mas parte da “histeria” do exército israelense. ( F S P , 22.03.2014, Mundo 2, p. 8) .
Imigrantes
Israel está devolvendo imigrantes africanos que se consideram refugiados políticos, mas que para Israel imigraram para trabalhar.
O número de imigrantes ilegais é muito grande. Cerca de 53 mil entraram pela fronteira egípcia e se concentram em comunidades próprias. Centenas deles aceitaram o pacote de “partida voluntária” , em que o governo entrega o equivalente a R$ 7.000 para deixarem o país . Milhares estão vivendo em campos de detenção e milhares trabalham ilegalmente , com salários menores e sem direitos trabalhistas. Em fevereiro, 1.705 deixaram Israel. ( F S P , 23.03.2014, p. A-22) .
Fundo contra o Irã
O governo israelense criou um orçamento paralelo , orçado em US$ 2,89 bilhões, para ser utilizado na eventual eclosão de um conflito contra o Irã. O primeiro-ministro Binyamin Netanyahu, considera um “erro histórico”, o acordo interino firmado com os iranianos e exige completo desmantelamento do programa nuclear iraniano, voltado, segundo Israel, para a fabricação de armamentos atômicos. Os analistas israelenses , acreditam que a anexação da Criméia pela Rússia poderá abalar seriamente a fonte de pressão formada contra o Irã. A Força Aérea de Israel tem condição de atingir qualquer alvo na região, incluindo o Irã. ( F S P , 29.03.2014, Mundo 2 , p. 7) .

LÍBIA

O Níger entregou à Líbia, Saadi Gaddafi, terceiro filho de Muammar Gaddafi, morto em 2011, que se refugiou no país em setembro de 2011 e é acusado de intimidação armada e de apropriação indevida por meio da força quando era presidente da Federação Líbia de Futebol. Ele foi levado diretamente do aeroporto de Trípoli para uma prisão. ( F S P , 7.3.2014.p. A-12) .

MOLDÁVIA

O governo dos Estados Unidos doará US$ 10 milhões para que a Moldávia reforce suas fronteiras com a república separatista da Transnistria, que deseja unir-se à Rússia , como a Criméia. A população dessa região, votou a favor da independência e posterior incorporação à Rússia em referendo realizado em 2006 e agora , com o caso da Criméia, o assunto volta á pauta. ( F S P , 31.03.2014, p. A-8) .


NIGÉRIA

Ao menos 90 pessoas foram mortas na Nigéria, no dia 1 de março, em dois ataques terroristas , separados por 60 km e por algumas horas. Em Maiduguri, capital do Estado de Borno, terroristas explodiram dois carros-bomba em um mercado popular que estava repleto na noite do sábado dia 1 . As vítimas incluem crianças que dançavam num casamento e pessoas que assistiam a uma partida de futebol, transmitida num cinema. Cerca de 51 corpos foram encontrados e sobreviventes dizem que capturaram o motorista que dirigia o segundo carro-bomba que teria saltado dele e tentado escapar. A 60 km dali, em um vilarejo, terroristas atacaram a vila rural de Mainok e mataram as 39 pessoas que lá estavam. Nenhuma cabana ficou de pé. ( F S P , 3.3.2014, p. A-8) .
Em 3 de março outro ataque deixou ao menos 29 pessoas mortas. Ahmed Zanna, um senador da região disse “ Os soldados que haviam sido mobilizados para proteger a população fugiram porque não podiam enfrentar a capacidade de fogo e numérica dos homens armados”. ( F S P , 4.3.2014, -p. A-14) .

SÍRIA

O campo de refugiados de Yarmuk , ao sul de Damasco, surgiu em 1948 para acolher palestinos desalojados na guerra que resultou na criação de Israel.
Yarmuk foi cercada pelas tropas de Assad ainda no início da guerra civil há três anos.Os palestinos simpatizam com o Hamas. A guerra fez com que a população do campo encolhesse de 160.000 para 18.000 habitantes.
Mas, há mais de um ano, combatentes da frente Nusra, ligada aos terroristas da Al Qaeda , conquistaram o distrito e aí a vida dos palestinos do campo virou um inferno.
Quem saísse do campo de refugiados corria o risco de ser alvejado por franco-atiradores assadistas ou ser capturado por muçulmanos jihadistas. O local ficou sem acesso a comida e remédios , desde julho de 2013 e os habitantes foram obrigados a se alimentar de grama e cactos e muitos não tinham sequer um teto, pois os prédios foram destruídos pelos aviões do ditador, em dezembro de 2012.
Em meados de janeiro, a ONU recebeu autorização do ditador sírio para entregar comida e remédios aos moradores de Yarmuk. Milhares de pessoas posicionaram-se em fila para receber um pouco de comida em uma triste expressão dos horrores da guerra síria. ( Revista Veja, 5.3.2013, p . 64-65) .
Relatório da Comissão de investigação da ONU sobre violações de direitos humanos na Síria divulgado em 5 de março, denunciou o uso da fome como estratégia de guerra. por parte do regime de Bashar al-Assad. Privados de ajuda humanitária, alimentos e cuidados médicos, os sírios são forçados a escolher entre a fome e a rendição. ( F S P , 6.3.2014, p. A-11) .
A barbárie completou três anos em 6 de março. As forças do regime estão usando bombas improvisadas, feitas com explosivos baratos colocados em recipientes como aquecedores de água e jogadas de helicóptero sobre posições inimigas, espalhando estilhaços por todos os lados.
Do lado dos terroristas ultraextremistas as aberrações não são menores. Em uma região conquistada pelo Estado Islâmico do Iraque e da Grande Síria , espalhou-se o terror jihadista. Decapitações em praça pública, execução de rebeldes civis e religiosos que não pertencessem ao grupo e torturas passaram a ser comuns: prisioneiros eram picados vivos lentamente, um dia um dedo, outro uma orelha. Música , cigarro e até bater palmas em manifestações foram proibidos. Eles entraram em guerra até contra os bandos que seguem as ordens da al Qaeda.
Os al-qaedistas por sua vez, libertaram 13 freiras ortodoxas, em troca de 150 prisioneiras do regime. O convento fica num local que remonta às origens do cristianismo, onde os moradores falam o aramaico do tempo de Jesus. As freiras diligentes, tiraram os crucifixos para não desagradar os islamitas. ( Revista Veja, 19.03.2014, p. 32).
Caças da Turquia derrubaram em 23 de março um jato militar da Síria , depois que a aeronave entrou em território turco. Dois aviões do exército sírio entraram em espaço aéreo do sul da Turquia. Foram alertados pela Força Aérea Turca de que seriam alvejados caso continuassem . Um deles retornou à Síria. O segundo avião ignorou um total de quatro avisos e adentrou 1,5 km na Turquia e foi derrubado por um caça F-16 sobre a província de Hatay, onde vivem mais de 200 mil refugiados sírios. O piloto conseguiu se ejetar e descer de para-quedas , mas seu paradeiro é desconhecido.
O ministério das Relações Exteriores da Síria emitiu um comunicado condenando a ação turca . A aeronave estaria caçando “gangues terroristas” no território da Síria. O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan elogiou as Forças Armadas por sua “rápida resposta” e disse “ Se você violar meu espaço aéreo , nosso golpe de volta será forte”. ( F S P , 24.03.2014, p. A-9)
O governo da Síria autorizou o funcionamento a partir de abril de uma nova companhia aérea privada, a Kinda Airlines, uma pequena empresa com dois aviões, um Boeing 737/400 da aviação jordaniana e uma Airbus A320 de uma firma da Gâmbia. Porém , sanções internacionais dificultam a compra de peças de reposição para os aviões. Porém, a abertura mostra que o governo está confiante de que pode vencer a guerra e realmente tem ampliado o controle do território, empurrando os rebeldes para regiões fronteiriças no norte e leste do país. ( F S P , 28.03.2014, p. A-18) .


TURQUIA

Uma nova gravação telefônica apareceu em 4 de março na mídia , complicando a situação do primeiro ministro Recep Tayyp Erdogan. Neste áudio, a voz que seria de Erdogan, questiona um juiz a respeito do alívio das acusações feitas contra um magnata da mídia do país , inimigo do premiê. ( F S P , 5.3.2014, p. A-14) .
O primeiro ministro Recep Tayyp Erdogan determinou o bloqueio do microblog Twitter na Turquia , após gravações sobre possíveis planos de ação militar na Síria terem sido vazados no site, provocando protestos de dentro e fora do governo : “Vamos bloquear o Twitter. Não estou nem aí, para o que a comunidade internacional vai dizer”. ( F S P , 22.03.2014, Mundo 2, p. 1) .
O presidente Gul, um dos aliados de Erdogan , afirmou esperar que acabe logo o bloqueio “É uma situação desagradável para um país desenvolvido como a Turquia, que é um nome internacional de peso e está em negociações com a União Europeia”. ( F S P , 24.03.2014, p. A-9) .
Em 27 de março o governo ordenou o bloqueio do site YouTube, sob a justificativa de que vídeos publicados , criaram um problema de segurança nacional e será liberado se os conteúdos forem tirados ao ar.
A Justiça ordenou em 26 de março o fim do bloqueio no Twitter. ( F S P , 28.03.2014, p. A-19) .
O primeiro ministro Recep Tayyp Erdogan declarou seu partido vencedor nas eleições municipais que ocorreram em 30 de março pelo seu partido , o Justiça e Desenvolvimento, conquistar 45% dos votos , enquanto nas eleições de 2009 havia recebido 38,8% dos votos. ( F S P , 31.03.2014, p. A-11) .

UCRÂNIA

Kenneth Maxwell analisa a Guerra da Criméia , de 1853 a 1856 que envolveu uma aliança entre o Império Otomano , a Grã Bretanha , a França e a Sardenha contra uma Rússia expansionista;
Em 1853 , tendo em vista o enfraquecimento do Império Otomano , o czar Nicolau I resolve ocupar os principados moldo-valáquios , dando início à Guerra da Criméia ( 1854-1856) . Porém , ingleses e franceses preocupados com as ambições imperialistas russas resolveram lutar contra a Rússia
Na época a Rússia se considerava o maior exército do mundo , pois havia derrotado Napoleão . Porém a Revolução Industrial ainda não havia ali chegado e os soldados usavam armas antiquadas , contra ingleses e franceses bastante atualizados em termos de equipamento. A derrota tornou-se inevitável .
A guerra causou mais de 300 mil mortes, 80 mil em combate, 40 mil de feridos e mais de 100 mil por doença.
Teve novidades tecnológicas como cabos telegráficos instalados inicialmente no mar Negro por franceses , em 1854 e , em seguida por britânicos , em 1855. Com isso, as notícias chegam a Londres em um dia. Foi ainda o primeiro conflito registrado pela fotografia, recém-inventada.
No Báltico , Immanuel Nobel, pai de Alfred, o criador do Prêmio Nobel, ajudou a Rússia a adaptar explosivos industriais , nitroglicerina e pólvora para o uso em minas navais. Nos campos de batalha da Criméia, Florence Nightingale e a enfermeira jamaicana May Seacole, revolucionaram o tratamento de soldados feridos.
O conflito se destacou pelos múltiplos erros logísticos, táticos e médicos de todos os envolvidos. Os russos resistiram por mais de um ano na fortaleza de Sebastopol . A batalha de Balaclava entrou para a história pelo desastroso avanço da brigada leve contra os canhões russos , celebrada em famoso poema de lorde Tennyson.
A Rússia desejava um porto de águas quentes no Mar Negro e avançou rumo ao sul , sobre território governado havia muitos anos pelos turcos otomanos. Os russos alegavam defender os cristãos ortodoxos contra o domínio muçulmano e os franceses o direito de proteger os católicos da região, mas todas eram desculpas para camuflar os objetivos geoestratégicos e financeiros conflitantes no mar Negro e no leste do Mediterrâneo.
Em 1855 , inspecionando suas tropas sob uma chuva torrencial , Nicolau acabou pegando uma pneumonia , morrendo dias após .
A Rússia perdeu no médio prazo e também os otomanos. Mas depois acabou se expandindo e incorporando a Península da Criméia , estabelecendo sua frota no Mar Negro. Em 1954, Nikita Kruschev decidiu que a Criméia seria parte da Ucrânia, mas a Ucrânia era parte da URSS. Ele não podia imaginar que a URSS iria acabar. ( F S P , 6.3.2014, p. A-2) .
Invasão armada:
O governo interino da Ucrânia acusou a Rússia em 28 de fevereiro de uma “invasão armada”. Dois aeroportos da república autônoma da Criméia , foram tomados por homens armados , sem identificação nos uniformes. O espaço aéreo ucraniano foi violado e tropas e blindados russos mobilizados na Criméia.
Diferentemente do que ocorreu em Kiev, onde a maioria dos manifestantes era de cidadãos comuns, na Criméia a ação foi de militares profissionais e não de revolucionários amadores.
No dia 27 de fevereiro , dezenas de homens com fuzis, granadas e uniformes camuflados sem identificação de nacionalidade na farda, invadiram o Parlamento em Simferopol, a capital da Criméia. Falavam russo e não deixaram os funcionários entrar. No dia 1 de março, mais de 16.000 soldados russos, também sem identificação, cercaram as bases militares. No dia 6, dois canais de televisão pró-Ucrânia , tiveram a transmissão interrompida e passaram a ser sintonizados no canal Rússia 24. A maioria da população comemorou. ( Revista Veja, 12.03.2014, p. 68) .
O ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovich , reapareceu em público, falando da cidade russa de Rostov, perto da fronteira com a Ucrânia. Qualificou a tomada de poder pela oposição de “golpe de Estado” e disse que a Rússia “deve e tem que atuar” no país. Mas não vai pedir ajuda de Moscou para voltar ao poder “Toda ação militar nesta situação é inadmissível. Ninguém me derrubou . Tive que deixar o país por conta das ameaças contra minha vida e minha família. Não fugi”.
Yanukovich é acusado de estimular uma corrupção sem precedentes nas instituições ucranianas. Em 2010, ele acabou com os licitações do setor público. Os contratos passaram a ser distribuídos seus amigos , pelo dobro do preço de mercado. Com isso ele amealhou uma fortuna estimada em US$ 12 bilhões. A mansão em que ele vivia , nos arredores da capital, mostra parte desta riqueza e agora é objeto da visitação de cidadãos curiosos e comportados.
O presidente americano Barak Obama , veio a público para advertir a Rússia de que qualquer violação da soberania da Ucrânia seria profundamente desestabilizadora. “ Haverá custos em caso de uma intervenção”.
Canadá, Reino Unido, França, Alemanha e Polônia também se pronunciaram defendendo a soberania e a integridade territorial da Ucrânia. A Suiça congelou todos os bens de Yanukovich e de pessoas próximas ao ex-presidente, como do ex-premiê, e dos ex-ministros da Saúde, Finanças, Interior , Justiça, Fazenda, Energia entre outras. E o Brasil .......
Como foi marcado referendo para 25 de maio, o resultado óbvio será o voto em favor da secessão da Ucrânia, pois a maioria da população da Criméia é russa.
Depois disso, a Criméia terá duas opções. Ingressar formalmente na Federação Russa, ou , o mais provável, tornar-se uma versão gigante da Ossétia do Sul ou da Abkházia, as duas repúblicas separatistas da Geórgia ocupadas pela Rússia. De uma maneira ou de outra, a Criméia vai ser anexada a Moscou, feita oficialmente ou não. Será a vingança de Putin à ocidentalização da Ucrânia. ( F S P , 1.3.2014, p. A-12) .
Conforme assinala Clóvis Rossi, embora um terço da população ucraniana fale russo, apenas 17% dela é de etnia russa . Portanto não dá para o domínio russo ir além da Criméia e “ganhar a Ucrânia exigiria um banho de sangue que nem Vladimir Putin parece em condições de promover” . ( F S P , 4.3.2014, -p. A-12) .
Parlamento Russo aprova intervenção.
O Senado russo autorizou em 1 de março , por unanimidade, que o presidente Vladimir Putin envie tropas para a Criméia. Ao pedir a autorização, o Kremlin disse que o objetivo é proteger cidadãos e militares russos que trabalham em bases na Ucrânia, até uma “normalização sociopolítica” do país.
Em resposta, o presidente interino da Ucrânia , Oleksander Turchinov , colocou as Forças Armadas em “alerta máximo” e disse que uma intervenção militar no país, levaria a uma guerra.
O chanceler da Ucrânia , Sergei Deshchiritsya , pediu á Otan que “considere todas as possibilidades para proteger a integridade territorial e a soberania da Ucrânia”. Ele disse que a Rússia está se negando a encontrar com as novas autoridades para negociar um acordo.
O governo local da Criméia , porém, é a favor da intervenção russa e em 1 de março , antes do aval do Parlamento russo, Sergei Aksionov já havia feito um apelo por ajuda russa. Sergei foi eleito premiê regional, em 27 de fevereiro , em um contexto de violação da Constituição Nacional, já que a eleição foi feita a portas fechadas e um dia depois de homens armados tomarem o Parlamento loca e por isso é considerado ilegítimo pelo governo interino de Kiev. Aksionov anunciou também que vai adiantar de 25 de maio , para 30 de março um referendo , aprovado pelo mesmo Parlamento tomado, para ampliar a autonomia da Criméia. ( F S P , 2.3.2014, p. A-15) .
Por telefone, Barak Obama pediu a Vladimir Putin que retire as tropas que enviou à Criméia e que não promova outra interferência militar na Ucrânia. Críticos da oposição republicana tem dito que Putin tem ousado porte Obama “ fala grosso, mas é um fraco”. ( F S P , 2.3.2014, p. A-15) .
Em Kharkiv , Donetsk, Odessa, na Ucrânia e em Simferopol e Sebastopol na Criméia, dezenas de milhares de manifestantes foram às ruas , para protestar contra as novas autoridades ucranianas.
Em Kharkiv, mais de cem pessoas ficaram feridas após confrontos entre manifestantes pró-russos convocados pelo prefeito da cidade , e ativistas do movimento pró-Europa, Euromaidan, leal ao novo comando do país.
A Assembleia Municipal de Donetsk, reduto político do presidente deposto, se negou oficialmente a reconhecer o novo governo e declarou o russo como idioma co-oficial da cidade. Mais de dez mil pessoas participaram de uma manifestação em que panfletos pedindo a “desobediência “, ao poder da capital Kiev, foram distribuídos.
No centro de Sebastopol , porto da Criméia que abriga a frota russa do mar Negro, cerca de 3.000 pessoas participaram de protesto, gritando Sebastopol, Rússia”, com bandeiras russas.O Conselho Municipal da cidade também oficializou sua rejeição ao governo de Kiev.
Em Odessa , 20 mil pessoas tomaram as ruas para protestar contra o governo interino.
Os tártaros na Criméia estão apreensivos. O líder da Assembleia dos Tártaros da Criméia, Refat Chubarov, pediu que todos permaneçam em casa e não formem unidades de resistência aos russos. “Faltam poucas horas para uma catástrofe” , disse à rádio Ekho Moskvy. ( F S P , 2.3.2014, p. A-16) . Os tártaros representam 12% da população da península e tem pavor de pensar em serem dominados por Moscou.
A Ucrânia anunciou em 2 de março que pôs os seus reservistas em estado de alerta e fechou o seu espaço aéreo para aviões não comerciais .
O primeiro-ministro ucraniano , Arseni Iatseniuk, afirmou que :” se o presidente russo quer ser aquele que iniciou uma guerra entre dois países vizinhos e amigos, está perto de atingir o objetivo. Estamos à beira do desastre”.
O Parlamento da Criméia, que não reconhece a autoridade do governo interino da Ucrânia, decidiu criar sua própria Marinha de Guerra. O comandante da Marinha ucraniana , Denis Berezovsky, anunciou que aderiu às autoridades pró-Rússia da Criméia e será acusado de traição por Kiev.
Em Kiev, 50.000 pessoas foram à Praça da Independência protestar contra a situação:” Não nos renderemos”, gritavam.
Em Bruxelas, após uma reunião de oito horas, o secretário-geral da Otan, Anders Rasmussen, pediu que a Rússia respeite a integridade do território da Ucrânia e retire suas tropas, pois a incursão militar russa na península da Criméia viola leis internacionais. ( F S P , 3.3.2014, p. A-7) .
Moscou suspendeu a prometida ajuda de US$ 15 bilhões. As reservas ucranianas estão se esvaindo . A União Europeia, os EUA e o FMI terão que substituir a ajuda de Moscou se a situação se estabilizar. ( Revista Veja, 5.3.2013, p . 66-67) .
Uma missão do FMI iniciou em 3 de março as negociações com o governo da Ucrânia para um aporte bilionário. O objetivo da ajuda internacional é permitir que o país sobreviva ao rompimento com a Rússia, mantendo a estabilidade política. Os especialistas estimam que o país precise de algo entre US$ 15 e US$ 35 bilhões para cumprir seus compromissos daqui a um ou dois anos , já que está quase quebrado. A dívida ucraniana chega a quase 80% do PIB, mais de metade de curto prazo. O déficit em conta corrente está em 8% do PIB e o déficit fiscal em 5% , mas sobe para 8% com o rombo das estatais.Em 2013 , o PIB encolheu 1%. Para os analistas , a corrupção está na raiz dos problemas. Os magnatas ucranianos compram gás russo a preços controlados e vendem muito mais caro no mercado. Os subsídios à energia chegaram a 7,5% do PIB em 2012 , gerando um dos maiores consumos da Europa. Segundo Anders Aslund , do Peterson Institute em Washington, “A Ucrânia teve um presidente que só se interessava por seu próprio enriquecimento e não podia se preocupar mais com a economia”. ( F S P , 4.3.2014, -p. A-12) .
Segundo o embaixador ucraniano na ONU, 16 mil soldados russos foram para o país desde 24 de fevereiro. O presidente interino disse que três navios militares ucranianos foram cercados na cidade de Sebastopol. Helicópteros e aviões russos também foram enviados para a região, mas os soldados russos são bem vindos na Criméia e até agora não foi disparado nem um tiro.
Em reunião do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador russo , Vitaly Churkin, disse que a destituição de Yanukovich por “abandono de funções” foi ilegal.
A piora da crise atingiu o mercado financeiro. Bolsas ao redor do mundo caíram . A bolsa de Kiev teve queda de 11,6% e a de Moscou 10,8%, a pior no mercado russo desde 2008. A preocupação dos investidores é que uma guerra possa atrapalhar o fluxo de gás natural russo para a Europa Ocidental , pois os gasodutos passam pelo território ucraniano, o que poderia provocar recessão nas combalidas economias do sul da Europa. ( F S P , 4.3.2014, -p. A-12) .
Intervenção – último recurso.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin afirmou em 4 de março não ver razão para intervir militarmente na Ucrânia no momento, mas deixou essa possibilidade aberta ao dizer que usará “todos os meios à disposição”, para garantir a “proteção” de cidadãos russos que vivem na Criméia, mas disse que a possibilidade de envio de tropas, desnecessária no momento, existe, mas isso seria um “ultimo recurso”.
Disse ainda que não tem interesse em anexar a Criméia e afirmou que os soldados não identificados que circularam pela região durante a semana não são tropas do país, mas possíveis “forças de auto-defesa”, pró-Rússia.
Putin vê como uma ameaça existencial o avanço da Otan em direção ao leste. A nostalgia pela Grande Mãe Russa não é pelo comunismo, mas pelo prestígio perdido. Segundo o historiador holandês Kees Boterbloem, da Universidade do Sul da Flórida, “ Os russos sentem que foram humilhados no último quarto de século em várias ocasiões. O nacionalismo atual na Rússia tem, então, a esperança de restaurar o status internacional do país entre as grandes potências”.
Putin reprimiu os separatistas muçulmanos na Província da Chechênia e continua tendo problemas com eles até hoje. Em 2008, sob o pretexto de defender cidadãos russos na Ossétia do Sul, mandou invadir a Geórgia. Dois pedaços do país declararam autonomia e caíram na esfera de influência de Moscou. A provável anexação da Criméia será a segunda vez que a Rússia toma parte de um Estado soberano.
A Rússia que emergiu da URSS não é um capitalismo em estado puro, mas um regime de camaradagem em que as principais empresas foram dadas a políticos e burocratas amigos e ex-membros da KGB. A corrupção é endêmica , e os opositores são constantemente presos ou deportados. Esse mesmo modelo foi implantado em várias ex-repúblicas soviéticas como a Ucrânia. O resultado é que hoje a Rússia está mais para um petroestado , como a Arábia Saudita do que para uma Alemanha de economia diversificada. Mais de 70% das exportações e 30% do PIB russo são de petróleo e derivados. Mas, a Rússia está estagnada desde 2012, e segundo o cientista político russo, Pavel Baev, do Peace Research Institute Oslo, na Noruega, a razão , não são os preços do petróleo que estão estáveis, e sim a saída de capital. Mas “ não são os investidores ocidentais que estão fugindo da Rússia, mas as fortunas feitas pelos burocratas corruptos de Putin, que não confiam mais na estabilidade do regime”.
As ameaças russas de cortar o fornecimento de gás natural para a Ucrânia e os países europeus têm vida curta. Em seis anos, ou menos, os EUA poderão começar a suprir todos estes países com gás natural liquefeito, devido à explosão da exploração de gás de xisto.
Por isso afirma o americano Mark Adomanis, especialista em economia russa na consultoria Booz Allen Hamilton , em Washington:” Se a Rússia se isolar do resto da economia mundial, certamente vai sofrer o mesmo destino da União Soviética”.
Putin tem planos de governar até 2024, portanto será o responsável pelo rumo que a Rússia vai seguir. ( Revista Veja, 12.03.2014, p. 66-73) .
Em sua visita à Ucrânia, em Kiev, o secretário de Estado americano, John Kerry, disse que Putin está trabalhando duro para criar pretextos para ampliar sua invasão na Ucrânia, afinal, segundo ele, a população de origem majoritariamente russa não corre risco sob o novo governo ucraniano.
Kerry chegou a Kiev trazendo um plano de auxílio de US$ 1 bilhão em empréstimos internacionais e a promessa de assistência técnica. Por sua vez a Comgaz, subsidiária da companhia russa Gasprom, anunciou que vai cortar o desconto de 30% no gás natural que vende para a Ucrânia , decorrente de acordo firmado por Putin e Yanukovich em dezembro, alegando que a Ucrânia não pagou sua dívida. Putin , em janeiro disse que manteria o desconto e a promessa de empréstimos de US$ 15 bilhões, não importando quem estivesse no poder: “ O empréstimo é para ajudar o povo comum da Ucrânia que sofre, e não o governo”, mas mudou de ideia e os repasses foram congelados após a queda de Yanukovich. ( F S P , 5.3.2014, p. A-12) .
Cresce nos EUA pressão para que o governo autorize a exportação de gás natural para a Ucrânia. Por lei, os EUA só podem vender gás para países com os quais tenham acordos de livre comércio., contudo, empresas de seis países – China, Japão, Taiwan, Espanha , França e Chile assinaram discretamente acordos com Washington, autorizando a transação. Os EUA são o maior produtor de gás do mundo, mas a exportação é irrisória e destina-se principalmente ao México e ao Canadá. A Rússia exporta 30% de todo o gás consumidor na Europa, e metade dele passa por gasodutos na Ucrânia.( F S P , 7.3.2014.p. A-10) .
Russos e ucranianos estão tensos, mas evitando confrontos. Na manhã do dia 4 de março, na base aérea de Belbek, perto de Sebastopol soldados russos que haviam tomado o controle da base, afastaram com tiros para o alto 300 homens das forças ucranianas que se aproximavam do local. Os líderes dos dois lados conversaram após os tiros e ninguém ficou ferido.
Putin ordenou que soldados que participavam de exercícios militares perto da fronteira com a Ucrânia, retornassem para suas bases. ( F S P , 5.3.2014, p. a-11) .
A ex-secretária de Estado americana Hillary Clinton em Long Beach resolveu falar e comparou as ações de Putin,a Ucrânia, às de Hitler: “ Se isso soa familiar, é o que Hitler fazia nos anos 1930. Hitler dizia que as pessoas de etnia alemã na Romênia ou na Tchecoslováquia não eram tratados corretamente e que ele precisava proteger o seu povo”. ( F S P , 6.3.2014, p. A-10) .
Ajuda financeira da União Europeia
A Comissão Europeia propôs em 6 de março um auxílio financeiro total de US$ 15,35 bilhões, para salvar a economia e manter a estabilidade política na Ucrânia: US$ 2,21 bilhões de programas de ajuda financeira, US$ 2,15 bilhões de subsídio a fundo perdido, US$ 4,1 bilhões do Banco Europeu de Investimentos e US$ 6,9 bilhões do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento. Os recursos seriam liberados até 2020.
O dinheiro não será suficiente. Apenas US$ 2,21 bilhões podem sair rapidamente e segundo funcionários europeus, a Ucrânia tem US$ 4 bilhões em dívidas de curto prazo, incluindo US$ 1,7 bilhão do gás russo. A dívida de médio prazo chega a US$ 35 bilhões e a maior parte deve vir do FMI por pressão dos EUA e da União Europeia.( F S P , 6.3.2014, p. A-9) .
Referendo:
O Parlamento da Criméia aprovou em 6 de março uma proposta para fazer parte da Rússia e convocou um referendo para o dia 16 de março com as seguintes perguntas: 1. Você é a favor de reunir a Criméia à Rússia como parte da Federação Russa? Você é a favor de manter o status da Criméia como parte da Ucrânia?
Um pedido oficial foi feito a Moscou para que aceite o território .
O presidente americano Barak Obama disse que o referendo violaria a Constituição ucraniana e a lei internacional . “Qualquer discussão sobre o futuro da Ucrânia deve incluir o legítimo governo do país”.
O novo governo ucraniano afirmou que a consulta pública é “inconstitucional”. ( F S P , 7.3.2014, p. A-9) . O primeiro-ministro Arseni Yatseniiuk, disse “nenhum país civilizado reconhecerá os resultados “ da consulta.
O referendo viola o princípio constitucional de integridade territorial do país.O direito internacional não reconhece a anexação forçada do território de um Estado, como um método legítimo de sua aquisição por um outo.
Ameaça de corte de fornecimento de gás.
A Rússia voltou a apertar o cerco á Ucrânia em 7 de março ao ameaçar cortar o fornecimento de gás e sinalizar apoio ao referendo sobre a anexação da Criméia à Federação Russa.
O corte é justificado porque a Ucrânia não pagou uma dívida de US$ 1,89 bilhão com a russa Gazpron. O presidente da empresa, Alexei Miller disse “ Ou a Ucrânia salda a dívida , ou há o risco de voltar à situação do início de 2009”, em referência à crise que deixou a Europa com racionamento de gás por 20 dias no inverno.
O Parlamento Russo apoiou a consulta. Cerca de 60 mil russos fizeram ato em favor da Criméia, na Praça Vermelha, em Moscou.
Vladimir Putin disse ao colega americano Barak Obama que não poderia ignorar “ um pedido de ajuda” vindo da Criméia.( F S P , 8.3.2014, p. A-12) .
O chanceler russo Sergei Lavrov, afirmou em 8 de março “Estamos dispostos a conversar ( com o Ocidente), desde que seja um diálogo justo, como parceiros, sem que haja tentativas de nos apresentar como envolvidos no conflito”.
Moscou diz que as tropas presentes na Criméia são grupos que se identificam com a Rússia, mas não respondem ao governo russo.
Mas Lavrov , manteve a recusa de negociar diretamente com o novo governo ucraniano, pois “ o chamado governo interino não atual por vontade própria e depende ,lamentavelmente, de radicais nacionalistas”.
O secretário de Estado dos EUA, John Kerry , disse a Lavrov, por telefone, que uma anexação da Criméia, “fecharia as portas”, para a diplomacia. ( F S P , 9.3.2014, p. A-14) .
Cerca de 100 manifestantes partidários da Rússia, armados com pedaços de madeira e tacos de beisebol, entraram em confronto com ativistas pró-Ucrânia em 9 de março em Sebastopol . Outra tropa armada pró-Rússia tomou o controle de mais um aeroporto próximo ao povoado de Saki. ( F S P , 10.03.2014, p. A-9) .
Aviões da Otan
A Otan anunciou em 10 de março o envio de aviões de reconhecimento para a Polônia e Romenia , com o objetivo de monitorar a situação na Criméia.
O Ministério de Defesa ucraniano denunciou que tropas russas armadas tomaram uma base militar na cidade de Bakhchirasay, na Criméia e na cidade de Saki. ( F S P , 11.03.2014, p. A-8) .
Declaração de Independência
O Parlamento da Criméia aprovou em 11 de março uma declaração de independência da Ucrânia. O governo de Kiev , potências do bloco europeu e os EUA , criticaram o movimento, considerando-o ilegal.
O presidente destituído , Viktor Yanukovicht reapareceu na Rússia pela segunda vez e disse que , Kiev , “está nas mãos de um grupo de ultranacionalistas e neofacistas”.
“O Ministério das Relações Exteriores da Rússia, considera a declaração absolutamente de acordo com a lei”, disse em um comunicado.
Em 11 de março o clima de tensão na região aumentou , depois que tropas pró-Rússia impediram a chegada de voos comerciais de cidades ucranianas, incluindo Kiev, a Simferopol , capital da Criméia. Aviões partindo do território russo, estavam autorizados a pousar. ( F S P , 12.03.2014, p. A-11) .
Em 12 de março, o presidente Barak Obama, reunido com o primeiro-ministro interino ucraniano, Arseni Yatseniuk, na Casa Branca, disse que os EUA “ vão ficar do lado da Ucrânia...Caso o referendo ocorra , os EUA rejeitarão completamente seus resultados” e que o Ocidente será forçado a “impor custos” à Rússia, caso não pare de apoiar os separatistas na Criméia e que outros países serão forçados a aplicar sanções à Rússia por violar o direito internacional.
O G7 informou também que não vai reconhecer o resultado do referendo sobre a anexação da Criméia. Para o grupo, Moscou pressiona para que a região autônoma deixe a Ucrânia.
As autoridades da Criméia anunciaram em 12 de março o fechamento do espaço aéreo para aviões ucranianos até o dia 18. Todos os voos entre Kiev e aeroportos da península foram cancelados e mantidos apenas os voos vindos da Rússia. ( F S P , 13.03.2014, p. A-18) .
A Rússia iniciou em 13 de maio manobras militares envolvendo 8.500 soldados, três dias antes do referendo. O parlamento da Ucrânia aprovou a criação de uma Guarda Nacional de 60.000 voluntários para enfrentar as ameaças expansionistas da Rússia. ( F s P , 14.03.2014, p. A-12) .
Fracassa negociação EUA Rússia
Em 14 de março seis horas de reunião em Londres entre o secretário de Estado americano , John Kerry e o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov deram em nada.
Cada lado manteve sua posição divergente . Lavrov avisou Kerry que Putin não tomará nenhuma medida antes do resultado do referendo e que Moscou deve aceitar o pedido de anexação :”Vamos respeitar o desejo do povo da Criméia”.
Kerry disse “Para nós , o referendo é contrário à Constituição da Ucrânia, viola o direito internacional . A comunidade internacional não vai reconhecê-lo”. A conversa com Lavrov, foi “direta e franca” , e a Rússia foi informada de que haverá “consequências “, no caso, sanções econômicas. ( F S P , 15.03.2014, p. A-20) .
A comunidade diplomática em Brasília , a começar da Embaixada dos EUA , cobra posição do Brasil sobre a crise na Ucrânia e classifica de “surpreendente” , o silencio brasileiro diante do plebiscito na Criméia.
O embaixador da Ucrânia no Brasil, escreveu artigo para o UOL, pedindo que “ o Brasil e o mundo não cedam á pressão do agressor [ a Rússia] , que quebrou sua assinatura de acordos internacionais fundamentais. “ Ele diz que o governo da Ucrânia apelou ao Brasil “ como parceiro estratégico e membro da ONU para juntar-se à comunidade internacional para apoiar a independência , soberania e integridade territorial de nosso país(...) Temos esperança de que o Brasil apoiará as aspirações do povo ucraniano”. Ele lembrou que há meio milhão de brasileiros com descendência ucraniana e clamou:”Por favor, não fiquem em silêncio”.
A última manifestação do Itamaraty foi em 19 de fevereiro e se limitou a frases protocolares “ A crise política ucraniana deve ser equacionada pelos próprios ucranianos de forma pacífica e com base no respeito às instituições e aos direitos humanos”.
Na avaliação de diplomatas norte-americanos e europeus, não é possível falar em respeito às instituições e aos direitos humanos se a consulta será realizada com tropas e bandeiras russas por toda a parte. Isso, segundo eles, é “ o máximo de intervenção”.
Um importante diplomata estrangeiro comentou “A reputação do Brasil está declinando”. Para ele, o Brasil está perdendo voz e posições importantes conquistadas na gestão Lula. Não condiz com a tradição de uma política externa defensora dos direitos humanos e dos direitos à integridade territorial.
O diplomata lamentou que o Brasil tenha se manifestado em crises como as do Egito e da Síria, mas se mantenha mudo em uma questão que para ele, pode ter efeitos muitos mais danosos no mundo.
Para muitos representantes externos, afirmação de que o Brasil não quer atritos com a Rússia, a maior parceira dos Brics , não se sustenta. A China por exemplo , se manifestou firmemente. A Europa também tem muito a perder , ao contrariar Moscou, por causa do fornecimento de gás, mas não se omitiu. O Brasil vem se omitindo não apenas neste, mas também no caso da Venezuela onde é evidente o desrespeito do governo aos direitos humanos. ( F S P , 15.03.2014, p. A-20).
Putin
A questão que se coloca agora é se a Criméia bastará para Putin. Para Ivan Krastev, presidente do Centro para Estratégias Liberais de Sofia ( Bulgária), “Para Putin , a Criméia é apenas o começo”.
Já para Alexander J. Motyl, professor da Rutgers University, a anexação da Criméia e mesmo de outras regiões do Sudeste ucraniano, com forte presença de russos, será benéfica para a Ucrânia:” A Ucrânia emergirá mais compacta , mais homogênea e mais unida em seus propósitos”.
Mas Julian Hans, lembra que o comércio entre Rússia e União Europeia, representa só 1% da economia europeia, mas pesa 15% no PIB russo:” Uma guerra comercial seria dolorosa para a economia alemã, mas letal para a russa”. ( Clóvis Rossi, F S P , 16.03.2014, p. A-20) .
Putin não podia recuar diante do plebiscito, mas mais do que ganhar uma região, ele perdeu a Ucrânia.
A Ucrânia acusou Moscou de ter , com 80 militares , invadido o país e tomado o controle de uma usina de gás na vila de Strilkoye, que fica fora da Criméia. Um oficial russo disse que a ação visou a proteção da estação contra ataques “terroristas”.
A Rússia vetou no Conselho de Segurança da ONU , uma resolução proposta pelos EUA condenando a realização da consulta. ( F S P , 16.03.2014, p. A-24) .
Putin ratificou a anexação da Criméia e em seu discurso no Parlamento, disse que corrigiu uma injustiça histórica." Nos corações e nas mentes das pessoas, a Criméia sempre foi uma parte inseparável da Rússia". Para ele, EUA e União Europeia , "passaram dos limites", ao apoiar o novo governo d Ucrânia. "Atuaram de forma grosseira , irresponsável e pouco profissional. É bom que eles ao menos lembraram que o direito internacional existe. Antes tarde do que nunca". Negou que pretende continuar a dividir a Ucrânia:" Nós sempre respeitamos a soberania territorial ucraniana. Não confiem em quem quer assustá-los, dizendo que vamos avançar para outras regiões".( F S P , 19.03.2014,p. A-86).
Segundo James Jeffrey, ex-embaixador dos EUA na Turquia e no Iraque, “ A Rússia mostrou que não joga pelas regras da política global de cooperação internacional pós Guerra Fria, e sim com ênfase na força militar, um corolário que fazia sentido no século XIX”.
A anexação da Criméia e a incapacidade do Ocidente de fazer frente ao expansionismo russo, enviam duas poderosas e perigosas mensagens ao resto do mundo. A primeira é que alinhar-se com as democracias ocidentais não representa uma garantia contra violações das leis internacionais por vizinhos autoritários. A segunda é a confirmação da ideia de que , apesar de toda retórica pacifista, não há nada melhor para manter os inimigos afastados que ter uma bomba nuclear, ou centenas, como no caso russo. Portanto, as armas nucleares continuam sendo uma poderosa fonte de poder no jogo internacional . ( Revista Veja, 26.03.2014, p. 121) .
Nesta linha Dimitri Kiseliov, comentarista de televisão afirmou:” A Rússia é o único país com capacidade real de transformar os Estados Unidos num monte de cinzas radioativas”. ( Revista Veja, 26.03.2014, p. 40) .
Nova Nação
Entre os moradores da capital, a sensação é de que o pior ficou para trás e que a Ucrânia finalmente foi posta no rumo certo. A ocupação russa da Criméia , é tida como algo irreversível.
Os ucranianos tem como referência a vizinha Polônia , que tinha renda per capita semelhante quando a URSS acabou no início da década de 90 e agora os poloneses ganham três vezes mais e vivem bem melhor que os ucranianos.
A eleição presidencial foi marcada para 25 de maio, mas os manifestantes continuam na Praça, pois tem medo de serem enganadas com falsas promessas como na Revolução Laranja de 2004, que deu em nada. ( Revista Veja, 19.03.2014, p. 70-71) .
Criméia aprova união
Como esperado o referendo teve aprovação de 96,7% da população da Criméia para a anexação à Rússia, mas os EUA e a União Europeia reafirmaram que não vão reconhecer o resultado.( F S P ,17.03.2014, p. A-10).
O governo da Ucrânia considerou ilegal a consulta e disse que não aceita perder o poder que tem sobre a península desde 1954. Anunciou a mobilização de 40 mil reservistas.
Os EUA e a União Europeia anunciaram medidas leves de repúdio ao referendo, ao mesmo tempo em que Vladimir Putin reconheceu oficialmente a independência da Criméia em relação á Ucrânia.
Os americanos impuseram congelamento de bens nos EUA e restrições a viagens de 11 russos e ucranianos. A União Europeia impôs sanções semelhantes contra 21 pessoas, sendo 13 russos e oito da Criméia, sem divulgar os nomes. Se os alvos não tiverem bens, nem interesse de entrar nesses locais, nada ocorre.
As sanções podem ter o efeito de Moscou moderar outras iniciativas de anexação que poderiam se seguir.
Obama disse " Se a Rússia continuar a interferir na Ucrânia, estamos prontos a impor mais sanções".
O Parlamento da Criméia anunciou a nacionalização de estatais ucranianas, a adoção da moeda russa e a saída dos militares leais a Kiev que moram na região. Os militares e servidores de Kiev devem escolher entre aderir ao governo ou se retirar da região.
A nacionalização inclui os campos de gás na Criméia , que passam para o controle local. A hrivna , moeda ucraniana deve circular como rublo até 2016, quando o rublo passará a ser a única moeda na Criméia. . ( F S P,18.03.2014,p. A-9) .
Ataque a base da Ucrânia:
Em 18 de março, a Ucrânia acusou tropas russas de atacarem uma de suas bases militares na Criméia, em Simferopol, e matarem um soldado. A Criméia informou que a base não foi invadida, mas alvejada por atiradores que estavam em um prédio em frente ao local. ( F S P , 19.03.2014,p. A-8).
Diplomacia brasileira
O Itamaraty e os diplomatas brasileiros estão mudos em relação à crise na Ucrânia, por determinação da presidente Dilma Rousseff. A presidente é partidária da ideia de que o Brasil não deve se meter em crises de países tão distantes. Ainda há o temor de que o presidente Vladimir Putin,contrariado, cancele sua vinda para a cúpula dos Brics, marcada para Fortaleza em 15 de julho, dois dias depois do fim da Copa. Outra avaliação é que condenar a Rússia seria tomar partido dos EUA, com os quais as relações estão estremecidas desde as denúncias de espionagem.
Dentro do próprio Itamaraty há desconforto . Historicamente o Brasil considera que o princípio da integridade territorial prevalece sobre o da autodeterminação dos povos. Ou seja, o direito da Ucrânia em manter seu território íntegro, se sobrepõe à manifestação da população da Criméia a favor da anexação à Rússia. Mas não é só isso. O Brasil está apoiando veementemente o governo venezuelano , que reprime fortemente sua população e se nega a apoiar o ucraniano.
Mas, para os críticos,o "silêncio" , é também uma posição e esta omissão será cobrada adiante por parceiros tradicionais e fundamentais do Brasil, como EUA e União Europeia. Falta a Dilma a compreensão sobre o significado de política externa e um erro de avaliação sobre o custo-benefício do silêncio. No caso da Ucrânia há uma questão bilateral delicada: o Brasil tem um programa de cooperação com a Ucrânia na área aeroespacial, para lançamento de satélites. Pode haver retaliação a médio ou longo prazo. ( F S P , 19.03.2014,p. A-10).
Retirada militar da Criméia
O governo da Ucrânia anunciou em 19 de março que fará um plano de retirada de soldados e parentes da Criméia, anexada no dia 18 pela Rússia. Cerca de 15 mil militares e seus familiares serão removidos em prazo ainda não definido, mas que assinala a desistência ucraniana de lutar pela região.
Duas bases militares foram tomadas por tropas pró Rússia. Em Sebastopol, cerca de 300 militares invadiram a base e forçaram os ucranianos a sair e a saída ocorreu sem incidentes. Uma base naval em Novoozernoye , no oeste da península também foi ocupada.
O secretário ucraniano de Segurança , Andriy Parubiy , disse que pedirá à ONU para transformar a Crimeia numa zona desmilitarizada, proposta inócua, pois a Rússia tem poder de veto.
O governo ucraniano informou que vai deixar a Comunidade de Estados Independentes, formada por ex-repúblicas soviéticas e quer obrigar russos a pedir vistos de entrada no país. ( F S P , 20.03.2014, p. A-12) .
Mais sanções
O presidente dos EUA , Barak Obama anunciou em 20 de março sanções a mais 20 pessoas, inclusive amigos do presidente Putin. A medida congela bens dessas pessoas nos EUA e as impede de entrarem no país .
Moscou respondeu com a mesma punição, incluindo o senador republicano John McCain e o presidente da Câmara dos Representantes , John Boehner. McCain respondeu com ironia dizendo que suas férias na Sibéria estavam suspensas.
Apesar das sanções, a Câmara Baixa do Parlamento da Rússia aprovou a anexação da Criméia e o Senado também deverá votar para completar o processo.
Tropas russas tomaram três navios de guerra ucranianos no dia 20 em Sebastopol. . ( F S P , 21.03.2014, p. A-16). .
Acordo Ucrânia e União Europeia
A União Europeia assinou em 21 de março, com o primeiro ministro da Ucrânia, Arseni Yatsenuk , os capítulos políticos de um acordo de associação, no mesmo dia em que Putin , promulgou a incorporação da Criméia à Rússia.
O tratado, negociado desde 2007 , e causa das manifestações que tomaram conta da capital, prevê a abertura recíproca dos mercados para a maioria dos bens e serviços e a aproximação gradativa a normas da UE para comércio . Define também assistência financeira e cooperação em segurança, energia , ciência , educação e outras áreas , além de estabelecer princípios como a democracia e o respeito aos direitos humanos.
Os ucranianos estão certos. Dos 46 países mais ricos do mundo em 2012, 27 são europeus. Ou seja, estão no topo do mundo, todos os países europeus , com exceção de Bulgária e Romênia, que eram ex-integrantes do bloco soviético. Já a Rússia está em 43º lugar entre os 46, com uma renda per capita de US$ 12.700, menor que a de Portugal.
A Grécia, mesmo em grave crise, tinha renda em 1980 ,último ano antes de aderir à União Europeia , de US$ 6.190. Em 2012, apesar do retrocesso entre 2010 e 20( F S P , 23.03.2014, p. A-2) . .
O Conselho da Federação ( Câmara Alta do parlamento russo), ratificou em 21 de março por unanimidade o acordo por meio do qual a Criméia e a cidade de Sebastopol de incorporaram à Rússia. Em cerimônia no Kremlin, Putin promulgou as leis de anexação.
Segundo as autoridades da Criméia, 72 unidades militares da Ucrânia, instaladas na Criméia, passaram para o controle da Rússia, incluindo seis navios de guerra e 25 embarcações de apoio . Em todas as unidades foram realizadas cerimônias nas quais se içou a bandeira da Rússia e se entoou o hino nacional russo.
Os clientes do banco Rossiya , tiveram suspensas as operações das empresas americanas Visa e Mastercard, atingindo 460 mil pessoas e 24 mil empresas. A Western Union , também não vai mais prestar serviços ao banco. Outros bancos afetados foram o Sobinbank, o SMP e Investkapitalbank, de propriedade dos irmãos Arkadi e Boris Rotenberg, amigos de Putin e também afetados pelas sanções. Putin determinou que o banco central russo ajude o Rossiya e disse que não tem conta no banco, mas vai abrir uma. ( F S P , 22.03.2014, Mundo, p. A-24) .
A possibilidade de uma nova “Guerra Fria “ é descartada por especialistas , porque não interessa nem á Rússia, nem ao Ocidente. Putin não deve ir além da Criméia e as sanções leves impostas por EUA e União Europeia foram uma espécie de aceitação tácita da anexação, mas se Putin resolver ir adiante , a resposta será mais forte, prejudicando a economia russa. ( F S P , 23.03.2014, p. A-18) .
Para Pavlo Sheremeta, 42, ministro do Desenvolvimento Econômico e Comércio, “ no governo de Yanukovitch , as empresas que não eram de grupos familiares aliados do poder central, eram tratadas como inimigas. Um cidadão que quisesse abrir uma empresa, tinha que pedir uma permissão oficial”. Quanto à perda de Criméia, “ Seus portos são importantes para nossas exportações. Mas o fato é que a economia local é subsidiada por Kiev”. ( Revista Veja, 26.03.2014, p. 122) .
Extensão da Invasão – Otan
A Otan e o governo dos EUA alertaram em 23 de março para a forte presença de tropas russas na fronteira leste da Criméia e para o risco de invasão do país .
Tropas russas ocuparam as últimas instalações militares sob controle ucraniano na Criméia e o comandante da Otan na Europa, Philip Breedlove , disse que há risco de que essas forças possam chegar á região da Transnistria , na Moldova, onde separatistas também pediram para serem anexados á Rússia. “Há força suficiente para correr para a Transnistria , se essa decisão for tomada, e isso é preocupante”. O vice-conselheiro de Segurança Nacional dos EUA , Tony Blinken , afirmou o mesmo “ É provável que eles estejam tentado intimidar os ucranianos. É possível que eles estejam se preparando para entrar”.
Em resposta , o ministro da Defesa russo, Anatoly Antonov, afirmou que o país está “ em conformidade com todos os acordos internacionais que limitam o número de tropas nas áreas fronteiriças com a Ucrânia”. ( F S P , 24.03.2014, p. A-8).
Em 24 de março Barak Obama convenceu os outros seis países do G-8 a excluir Moscou do grupo e a cancelar a reunião prevista para junho na Rússia.
O presidente Barak Obama , subiu o tom contra Vladimir Putin ao dizer em 25 de março que a Rússia é “ um poder regional que ameaça vizinhos”. Para ele, a incorporação da Criméia é uma demonstração de fraqueza dos russos. Disse que “Geralmente não precisamos invadir nossos vizinhos para ter uma relação de cooperação com eles”. Obama está tentando isolar Putin em relação à crise na Ucrânia, e diminuir a influência do líder russo no cenário internacional. ( F S P , 26.03.2014, p. A-16) .
Resolução da ONU
O Brasil continuou em cima do muro e dois um dos 58 países que se abstiveram na votação de uma resolução da ONU que considerou inválido o referendo que levou a Rússia a anexar a Criméia . O texto , apoiado por EUA e União Europeia , foi aprovado em 27 de março por 100 dos 169 países participantes da Assembleia-Geral da ONU e rejeitado por outros 11: Rússia, Síria, Coréia do Norte e Venezuela.
A resolução tem caráter simbólico, mas faz parte da pressão americana e europeia contra os russos pela disputa com a Ucrânia.
O embaixador da Ucrânia no Brasil em audiência no Senado, criticou o silêncio do Brasil:” Ninguém está pedindo ao Brasil para comprar briga, mas gostaríamos que nosso parceiro não ficasse em cima do muro”.
A falta de posição foi decorrente de interferência da presidente Dilma Rousseff no Itamaraty. É uma vergonha. Como um país que almeja um assento no Conselho de Segurança da ONU não se posiciona em uma caso grave como esse.
Além do Brasil, a Índia, China e África do Sul, demais membros do Brics, se abstiveram.
Também no dia 27 , o FMI autorizou um resgate financeiro à Ucrânia de US$ 18 bilhões, nos próximos dois anos, metade do que o governo diz serem necessários para levantar a economia do país que tem dívida externa de 80% do PIB e reservas de apenas US$ 16 bilhões, suficientes para apenas dois meses de importações. ( F S P , 28.03.2014, p. A-13) .
G-8
Em uma forte medida , a Rússia foi suspensa do G-8 em 24 de março, o grupo que reúne as sete maiores economias do mundo, mais a Rússia. A cúpula que seria realizada em junho em Sochi foi cancelada e outra será realizada em junho em Bruxelas, sem a presença de Putin.
A decisão aconteceu em uma reunião de emergência convocada pelos EUA em Haia. Em declaração conjunta assinada pelos líderes do G7, o grupo afirma que “ as ações da Rússia terão consequências significativas “ e que “ as leis internacionais proíbem a aquisição de parte ou totalidade de territórios de outros Estados por coerção ou uso da força.
O chanceler russo , Sergei Lavrov, tentou dar pouca importância à decisão:” Se nossos parceiros acreditam que esse formato está esgotado, nós não fazemos questão deste formato. Não será um grande problema se a cúpula não se realizar”.
Desde 1998 , a Rússia foi convidada a participar das reuniões do G7, transformando o grupo em G8, que volta a ser G7. ( F S P , 25.03.2014, p. A-8).
EUA protegerão a Europa
Barak Obama em 26 de março , defendeu o isolamento de Moscou e disse que a Otan deve proteger os membros “vulneráveis” a eventual intervenção russa – caso dos países bálticos ( Lituânia, Letônia e Estônia) . “Temos que ter a certeza de que temos um plano real de contingência para cada um desses membros”, afirmou em Bruxelas em reunião com a União Europeia.
Disse ainda:” A União Europeia e os Estados Unidos estão unidos para isolar a Rússia e impor um preço a pagar por suas ações. A Rússia está sozinha e tem que entender que existe um preço a pagar por seu comportamento na Ucrânia”. Putin tinha agido como estadista ao impedir o ataque americano na Síria, mas jogou por terra tudo ao decidir ocupar a Criméia e Obama , com sua firme resposta, está retomando seu papel de estadista. E o Brasil? Mudo como uma coruja. ( F S P , 27.03.2014, p. A-14) .
Putin e Obama
Os presidentes dos EUA, Barak Obama , e da Rússia, Vladimir Putin, conversaram em 28 de março por telefone e decidiram iniciar negociações sobre a crise na Ucrânia. É a primeira vez que os dois se falam desde a anexação da Criméia.
Segundo a Casa Branca, Obama pediu a Putin que apoie uma solução pacífica para a disputa e evite provocações, entre elas o aumento de soldados russos na fronteira ucraniana.
Os EUA consideram exagerado o deslocamento de 30 mil militares para a fronteira e a Rússia nega e diz que o efetivo está de acordo com o definido pela lei internacional.
A Rússia ordenou em 28 de março a entrega de todo armamento que pertencia à Ucrânia , na Criméia incluindo navios e aviões. Segundo o ministro russo da Defesa, Sergei Shoigu, “ a retirada das unidades do Exército que manifestaram sua vontade de seguir a serviço das Forças Armadas de Ucrânia, foi concluída”
O presidente deposto Viktor Yanukovitch , aliado de Moscou quer acabar com a Ucrânia e defendeu a realização de referendos em cada região de maioria russa , como aconteceu na Criméia:” Não deixem que os impostores usem vocês. Exijam a organização de um referendo sobre o status de cada região”. E esse elemento era presidente do país!!!! ( F S P , 29.03.2014, Mundo 1 , p. A-20) .
O presidente americano Barack Obama e o presidente russo Vladimir Putin conversaram em 28 de março por telefone e concordaram em iniciar uma negociação sobre a crise na Ucrânia. Com isso, em 30 de março, o ministro das Relações Exteriores russo , Sergei Lavrov, vai se encontrar com o secretário de Estado americano , John Kerry, em Paris.
Lavrov declarou no dia 29 que “A Rússia não tem a intenção de cruzar as fronteiras da Ucrânia. Por sua vez, o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov afirmou:” Não há plano único. Nós temos visões diferentes da situação. Há uma troca de pontos de vista, mas não podemos dizer que exista uma abordagem comum”.
Ele falou em um possível federalismo para a Ucrânia, “uma exigência do sul e do leste “ do país, onde uma grande parcela da população tem origem russa.
O ex-campeão de boxe Vitaly Klitschko , um dos líderes da oposição na Ucrânia, anunciou em 29 de março que não vai concorrer à Presidência, nas eleições de 25 de maio e vai apoiar Pedro Poroshenko, um dos homens mais ricos do país e favorável aos protestos. ( F S P , 30.03.2014, p. A-23).
O encontro entre Lavrov e Kerry ocorreu no dia 30 e não foi conclusivo, mas Lavrov sinalizou a disposição de Moscou em sentar à mesa com o novo governo de Kiev. Isso é uma exigência dos EUA, como assinalou Kerry: “Nós temos ideias, propostas, mas nosso princípio é claro: não haverá decisão sobre a Ucrânia, sem a Ucrânia”.
Lavrov deixou clara a intenção de Moscou: federalizar a Ucrânia , o que daria mais autonomia para as regiões do país com forte presença de população de origem russa, como ocorre na Criméia. “Não vemos outra maneira para garantir o estável desenvolvimento da Ucrânia”, disse. ( F S P , 31.03.2014, p. A-8) .

URUGUAI

O presidente do Uruguai, José Mojica, afirmou em 20 de março que aceitou receber, a pedido dos EUA, cinco prisioneiros da base de Guantânamo, mas não informou a identidade dos prisioneiros.” Se quiserem formar um lar e trabalhar , que fiquem no país . Eles vem como refugiados , e o Uruguai os acolherá se quiserem trazer a família e outros”.
Os detentos de Guantânamo são suspeitos de terrorismo e o Uruguai vai se tornar o primeiro país sul-americano a aceitar detentos da prisão.
Jorge Larranaga, do Partido Nacional, pré-candidato á presidência, disse que “aceitar presos de Guantânamo , é aceitar o regime de Guantânamo , sem tratado internacional. É um tremendo erro”.
Em outubro haverá eleições presidenciais no Uruguai e Mujica não pode concorrer à reeleição. ( F S P , 21.03.2014, p. A-14) .

VENEZUELA

Henrique Capriles, líder da oposição venezuelana afirmou em 28 de fevereiro “ O governo brasileiro está dando as costas para o povo venezuelano. Poucos líderes latino-americanos estão mandando mensagens positivas ao país neste momento...Os governos da Argentina e do Brasil estão dizendo não à Venezuela ao apoiar Maduro. As duas presidentes não parecem ter atravessado ditaduras no passado ou ter conhecido a tortura e as desaparições. Sei que estão conscientes do que é o autoritarismo deste governo e é inaceitável que agora apoiem Maduro, ignorando o que estão vendo nas ruas de Caracas”.
Ele disse que está em contato constante com apoiadores do líder oposicionista Leopoldo López que está injustamente preso. “Estou solidário com ele e tentando estabelecer um diálogo de construção e de união , apesar de nossas diferenças. Minhas bandeiras e as de López num primeiro momento são as mesmas, é preciso soltar os presos políticos e desarmar os ‘colectivos’ , é preciso buscar o apoio dos pobres do país, não só os favorecidos de Caracas. Minha proposta obteve mais de 44% dos votos, há muito mais gente descontente do que a que está efetivamente nas ruas. É preciso reunir todos”.
Para Capriles os principais problemas do país hoje, são a inflação, que é a maior da América Latina, de 56% e a insegurança potencializada pela existência dos grupos paramilitares criados por Chávez, os “collectivos”, que podem sair do controle.
Sobre a inflação :” Com esses índices , vamos ter a maior crise econômica da história da Venezuela muito rapidamente . Isso significa que a tensão social aumentará e uma crise política é inevitável. O governo tem como mudar isso e sabe”.
Sobre as milícias :” Hoje o governo sabe onde estão , que armas possui , e controla suas ações. Mas , como prever o que podem se tornar? A população está assustada e as instituições, seriamente ameaçadas enquanto esses grupos continuarem nas ruas”.
O oposicionista Antonio Ledezma, prefeito metropolitano de Caracas, enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff. “ Enviei uma comunicação à presidente do Brasil na qual recordo que ela foi prisioneira de um governo militarista e peço que não deixe de dar sua opinião sobre a situação de repressão na Venezuela...É por isso que me dirijo muito respeitosamente à senhora para solicitar que seu governo , apegado à democracia e aos direitos humanos , se pronuncie – como já fizeram vários países da America Latina , da União Europeia e do mundo – para condenar essas práticas de violação ao pluralismo”.
Ledezma embora prefeito metropolitano de Caracas , praticamente não tem atribuições , pois Hugo Chávez , presidente em 2008, esvaziou seu governo, retirando de sua gestão escolas, bombeiros e até o Palácio do Governo. “Perdi 99% do repasse orçamentário constitucional”, manobra que chama de “golpe de Estado”.
Carlos Vecchio, do partido oposicionista Vontade Popular , disse que o governo “faz terrorismo judicial” contra ele ao determinar sua detenção. Ele afirmou que “pensar de modo diferente é um delito neste país. Como se pode falar de paz e diálogo quando se reprime e se persegue a dissidência. É possível falar de diálogo quando se prende Leopoldo López, se reprimem os estudantes e se lança contra mim uma ordem de prisão?”. ( F S P , 1.3.2014, p. A-13) .
Protestos continuam 1.3
Manifestantes voltaram às ruas de cidades venezuelanas em 1 de março para protestar “ contra a tortura e a repressão” no país, horas após a polícia ter prendido em Caracas pelo menos 41 pessoas, entre as quais oito estrangeiros na noite do dia 28, detidos como suspeitos de “terrorismo internacional”, sendo um deles a fotojornalista italiana Francesca Commisari, colaboradora do jornal Venezuelano “El nacional”. Outros dois jornalistas foram detidos e soltos.
No Estado de Carabobo ( norte), um sargento da Guarda Nacional foi morto com um disparo no olho durante confronto com manifestantes da oposição que bloqueavam uma rodovia. Com este, sobem para 18 o número de mortos na onda de protestos. ( F S P , 2.3.2014, p. A-19) .
O governo venezuelano libertou na noite do dia 1 de março , 41 pessoas presas em Caracas pelo Exército na véspera, incluindo os oito estrangeiros. Os protestos nas ruas pelo fim da repressão no país continuaram em 2 de março, com milhares de estudantes e outros grupos nas ruas. ( F S P , 3.3.2014, p. A-8) .
Mas organizações de direitos humanos contabilizaram mais de 700 detenções e dezenas de torturados na terceira semana consecutiva de repressão estatal. ( Revista Veja, 5.3.2013, p . 60-61) .
Oscar
Pela primeira vez em 39 anos, os venezuelanos não puderam acompanhar a entrega do Oscar pelo canal de sinal aberto Venevision. O motivo é ridículo. O governo denunciou uma campanha para que os artistas do evento de Hollywood se pronunciassem contra o país e por isso , o canal desistiu de transmitir a cerimônia.
O líder opositor Leopoldo López, que ainda está preso, advertiu em mensagem lida em vídeo postado na internet por Carlos Vecchio, que “ Virão novas etapas desta luta. Isso está apenas começando, e todos os dias se anunciarão ações contundentes e crescentes. A história reservou aos dirigentes do Partido Popular um papel de vanguarda neste parto difícil e doloroso para o renascer da democracia (...), porque hoje vivemos uma ditadura”, disse Vecchio, logo após transmitir as palavras de López. ( F S P , 4.3.2014, -p. A-12) .
Para o venezuelano Moisés Naím, ex-ministro de Comércio e Indústria no país , nos anos 90, e hoje pesquisador do Instituto Carnegie Endowment for International Peace , em Washington, o presidente Nicolás Maduro poderia diminuir as tensões ao abrir o diálogo com os opositores, mas isso não deve acontecer porque “ A Venezuela , inspirada em Cuba, vive hoje uma autocracia e uma tirania violenta”.
A onda de protestos se explica pelo fato de que “ A Venezuela tem a inflação mais alta da América Latina e sofre com o desabastecimento – desde o leite para as crianças até os remédios para os doentes. Isso ocorre em um país rico, que tem a maior reserva de petróleo do mundo. Os protestos nas últimas semanas são consequência da situação econômica , da falta de diálogo e da violência do governo”.
Para ele uma guerra civil é improvável “ A probabilidade é muito baixa , porque para ter uma guerra civil é preciso que haja dois lados armados. E não existe isso. As evidências são de que quem está usando a violência é o corpo paramilitar organizado e a guarda nacional do governo”.
Quanto a Dilma Rousseff ele afirma “ Ela tem muitos instrumentos de diplomacia e muita credibilidade para agir. Mas não tem feito nada em relação ao que está acontecendo “.( Revista Exame, 5.3.2014, p. 130) .
Protestos continuam 4.3
Milhares de venezuelanos foram ás ruas em 4 de março, em diferentes cidades do país , na véspera do primeiro aniversário da morte de Hugo Chávez. Os protestos mais significativos ocorreram em Sucre e em San Cristóbal.
Em Genebra, o chanceler venezuelano , Elias Jaua , disse que o país não quer mediação internacional para a crise:” Os problemas que temos podem ser resolvidos entre os venezuelanos”. ( F S P , 5.3.2014, p. A-14) .
Protestos continuam em 5.3
Em 5 de março, houve manifestações em quatro Estados e pelo menos 15 cidades tiveram avenidas fechadas por barricadas feitas de lixo. Em 20 dias , 331 pessoas foram detidas, 265 libertadas, 11 estão presas à espera de julgamento , 50 estão na cadeia sem acusação forma e cinco não se sabe o que aconteceu , segundo a Universidade Católica Andrés Bello.
No meio dos protestos, em Caracas, o governo realizou várias cerimônias para lembrar um ano da morte de Hugo Chávez. Maduro discursou e afirmou que “Hugo Chávez entrou para a história como o redentor dos pobres” e o comparou a Jesus Cristo.
Raul Castro ( Cuba) e Evo Morales ( Bolívia ) estavam presentes e o Brasil foi representado por Marco Aurélio Garcia , assessor de política externa da Presidência. Conforme assinala Demétrio Magnoli “ Temos dois ministros das Relações Exteriores. O ministro oficial, Luiz Alberto Figueiredo, não tem jurisdição na América do Sul, esfera de operação do ministro-fantasma , Marco Aurélio Garcia, que opera como plenipotenciário do presidente fantasma, Lula da Silva” ( F S P , 8.3.2014, p. A-9) .
“Nos discursos , entremeados por torrentes de palavras de ordem, Chávez foi mencionado como ‘comandante eterno’, ‘ nosso pai’, e ‘líder supremo’, enquanto a Venezuela ganhou a qualificação de ‘pátria socialista, revolucionária e majoritariamente chavista’”. Maduro disse que “ as tropas equipadas, as milícias armadas e os franco-atiradores treinados cumprem uma função política: estão ali para enfrentar ‘quem ouse se contrapor ao projeto cívico-militar ‘”. O conceito de “inimigo interno”, foi o mesmo usado pelos militares para os golpes no Brasil, na Argentina , no Chile e no Uruguai . “ Magnoli prossegue :” Garcia permaneceu calado. O governo brasileiro afunda-se na cumplicidade com um regime que, imitando Cuba, qualifica a divergência política como traição à pátria. A Venezuela não é, ainda, uma ditadura: ditaduras não promovem eleições em cenários de liberdade partidária. Contudo, já não é uma democracia: democracias conservam a independência do Judiciário e não restringem a liberdade de imprensa”. ( F S P, 8.3.2014, p. A-9) .
Maduro continuou o mesmo. Criticou o que chama de “ingerências “ à política local, disse que o país “vai melhor” sem o FMI e ficou furioso com o Panamá , que pediu uma reunião da OEA para analisar a crise venezuelana. Ele não quer nenhuma reunião em fórum que possa condenar a violência do governo e afirmou “ Fora daqui OEA , agora e para sempre”. ( F S P , 6.3.2014, p. A-13). .
Conforme assinala a jornalista Eliane Cantanhêde “ O primeiro ano da morte do presidente Hugo Chávez confirma que não há chavismo sem Chávez. O país, que já vivia com uma crise política e econômica, agora está um verdadeiro caos... A Venezuela em chamas significa incêndio na região num momento internacional delicado”. ( F S P , 6.3.2014, p. A-2) .
Combate a manifestações
O presidente Nicolás Maduro, no dia 5 de março á noite, exortou organizações civis governistas a combater as manifestações da oposição. “Estamos cansados desses grupos fascistas e vândalos. Fiz um chamado à UBCh ( Unidades de Batalha Hugo Chávez, aos Conselhos Comunitários , às comunas e aos ‘colectivos’ : chama que se acende, chama que se apaga”.
Ou , em outras palavras, Maduro está conclamando correligionários para matar manifestantes. Os ‘colectivos’ são o grupo mais violento e pregam a defesa armada e controlam algumas das regiões mais pobres de Caracas. Ele pode ser processado por crime pelo Tribunal Penal Internacional.
Mais duas pessoas morreram baleadas durante um protesto em 6 de março. As vítimas são um membro da Guarda Nacional , a polícia militar venezuelana e um motociclista, ambos mortos por disparos. Com isso , subiu para 20 o número de mortos desde o início dos protestos no país. ( F S P , 7.3.2014.p. A-11) .
A Justiça Venezuelana determinou a apresentação a cada oito dias perante um tribunal de quatro diretores e um colaborador do jornal oposicionista “Tal Cual “, por causa de um processo movido pelo presidente da Assembleia Nacional, o chavista Diosdado Cabello. Os cinco também estão proibidos de deixar o país . Se condenados podem pegar de dois a quatro anos de prisão. O processo foi um artigo do dissidente Carlos Genatios no qual critica a alta taxa de homicídio na Venezuela , que se tornou a maior da América do Sul, no governo Hugo Chávez e no texto, Genatios atribuiu a Diosdado a seguinte frase :” Se não gostam da insegurança, vão embora”. Diosdado nega ter dito a frase e acusou o jornal de difamação. ( F S P , 7.3.2014.p. A-11) .
Empréstimos da China, Rússia e França:
Em 2013, a Venezuela recebeu US$ 3,6 bilhões em investimentos estrangeiros diretos para todos os setores da economia. Em 7 de março conseguiu US$ 7 bilhões.
Segundo Rafael Ramirez, ministro do Petróleo, a China concordou em liberar US$ 5 bilhões ao país, a terceira parcela do Fundo China Venezuela . Desde 2008, a China já entregou US$ 40 bilhões para a Venezuela.
A estatal russa de petróleo OAO Rosfnet, maior empresa de petróleo de capital aberto do mundo, fez um financiamento de US$ 2 bilhões.
A Rússia, entre 2005 e 2012 emprestou US$ 12 bilhões para a Venezuela comprar armas, helicópteros e aviões de combate. Putin jamais cobrou um centavo, pois se o fizesse, a Venezuela iria à falência. Aliás , a repressão de Maduro contra a população está sendo feitas com as armas russas.
A estatal venezuelana de petróleo, a PDVSA acertou ainda um financiamento de US$ 420 milhões com a francesa Perenco, para formar a joint-venture Petrowarao.
Apesar de ter a maior reserva de petróleo do mundo, o país está sem dinheiro, graças à incompetência de Chávez e Maduro. Os dois torraram as reservas internacionais, reduzindo-as em 28% em três anos. Dos US$ 21 bilhões que o governo diz ter em caixa, 70% estão imobilizados por causa de decisões ideológicas em vez de técnicas. Chávez cometeu a sandice de vender títulos de dívida americana, que compunham 40% das reservas do país e substituiu-os por papéis de Cuba!!!!!!, Bolívia!!!Nicarágua!!!!, Equador!!! e Argentina !!!! Estes papéis se depreciaram e, pela lei venezuelana não podem ser vendidos enquanto não recuperarem o valor original. Outros 30% das reservas estão hipotecados como garantia de parte de um empréstimo de US$ 40 bilhões concedidos pela China. Sobram apenas 30% líquidos, apenas US$ 6 bilhões. ( Revista Veja, 12.03.2014, p. 73) .
OEA
A OEA cancelou uma reunião de chanceleres da região , marcada a pedido do Panamá, por falta de consenso entre os países-membros. Maduro já tinha declarado “ Não vamos aceitar nenhuma delegação da OEA e, caso seja aprovada, ela terá que entrar clandestinamente no país , porque nenhuma missão pisará aqui”.
A reunião da OEA, que inclui os EUA, maior adversário do regime venezuelano , foi cancelada por articulação da Venezuela com a ajuda de seus principais aliados, como Bolívia, Equador e Nicarágua.
No mesmo discurso, Maduro rompeu as relações diplomáticas com o Panamá e chamou o presidente panamenho , Ricardo Martinelli de “lacaio rasteiro, que articula para criar condições na OEA para uma intervenção na Venezuela”. Martinelli em ato público disse que a Venezuela deve pagar uma dívida de mais de US$ 1 bilhão que teria com o país e que suspeita que a atual crise diplomática com Caracas, seja uma desculpa para não pagá-la.
Mas , a Venezuela articula uma reunião da Unasul, marcada para 12 de março em Santiago, pois , sem a presença dos EUA, a reunião deve se transformar em um ato de apoio à Venezuela , mesmo com os 20 mortos e 300 feridos.
Maduro em entrevista à jornalista da rede CMN , Christiane Amanpour disse que “os que anteciparam este plano violento são uma minoria , um grupo pertencente à oposição, que colocou em apuros o restante dos dirigentes políticos da oposição”. Mas foi suave com os EUA:” Minha mensagem aos Estados Unidos é de respeito, diálogo, superação das visões sobre o nosso país . Precisamente, eu tomei a decisão de nomear um novo embaixador nos Estados Unidos . Não vamos entrar em um beco sem saída em relação à Venezuela e à América Latina. Nossa mensagem aos que governam nos Estados Unidos é que respeitem a Venezuela , que respeitem a América Latina e que estabeleçamos novos níveis de relações”. ( F S P , 8.3.2014, p. A-16) .
E o Brasil ? Como assinala a jornalista Eliane Cantanhede, “ A crise na Venezuela escancara de uma vez por todas: a política externa ( como tudo), é exclusividade de Dilma Rousseff, e seu operador é o assessor Marco Aurélio Garcia, principal quadro do PT para a área internacional. E o Itamaraty, como as Forças Armadas, bate continência...O apoio do governo não foi só retórico, foi prático: ajudou a escantear os EUA de qualquer tipo de negociação e a articular uma reunião Unasul pró-Maduro”. ( F S P , 9.3.2014, p. A-2) .
Conforme assinala Clóvis Rossi, “ o grande jogo internacional ainda é coisa de dois – Estados Unidos e Rússia - , mesmo depois de encerrada a Guerra Fria, com a vitória norte-americana. Nos grandes dossiês em curso ( Ucrânia, Síria e Irã), o desenlace depende do entendimento ou da falta dele entre a única superpotência remanescente e o antigo império que se recusa a morrer. Mesmo a China , que se tornou a segunda maior economia do mundo, interfere pouco ou nada nesse jogo. Na Ucrânia , então, não deu palpite e, pior, nem lhe foi pedido”.
Os EUA foram escanteados porque , EUA e Rússia não dão a mínima para o que está acontecendo em Caracas, mas o Brasil “ é tímido ante numa crise no seu quintal, a da Venezuela”. Ou seja, como o Brasil pode pleitear um lugar no Conselho de Segurança da ONU , que é um palco mundial, se não se manifesta adequadamente nem mesmo em crises regionais como na Venezuela, Paraguai, Honduras? ( F S P , 9.3.2014, p. A-19) .
Agentes de Estado investigados
A chefe da Defensoria do Povo da Venezuela, Gabriela Ramirez, apresentou em 8 de março um informe , afirmando que , das 21 mortes ocorridas devido a protestos no país, quatro estão sendo investigadas como “possível atuação irregular de funcionários uniformizados do Estado”.
Segundo o documento, dez das mortes ocorreram nas “guarimbas” – termo local para as manifestações nos bairros de classe média e alta do país, em geral contrários ao presidente Nicolás Maduro, tanto por violência deliberada , quanto por acidentes. Outras cinco mortes teriam acontecido pela violência de grupos ou focos adjacentes às “guarimbas”, como reportou o jornal “El Universal”. Todavia , dificilmente o governo vai reconhecer que é o responsável pelas mortes , pois está reprimindo uma população desarmada.
Protestos em 08.03.
Os protestos continuaram pelo país . A mobilização, no Dia Internacional da Mulher, foi apelidada de “`Protesto das panelas vazias”, devido à escassez de produtos provocada pela crise econômica.
Em Caracas, os mais de 5.000 manifestantes, marcharam ao lado de centenas de policiais e foram impedidos de chegar ao Ministério da Alimentação, destino pretendido pelo ato. Em outras cidades, como Maracaibo e Valencia, as manifestações transcorreram sem maiores problemas. ( F S P , 9.3.2014, p. A-18) .
Unasul
A presidente Dilma Rousseff disse em 11 de março que a Unasul vai criar uma comissão para atuar na crise da Venezuela. “Olha, já estava previsto isso, os presidentes não vão se reunir. Mas os presidentes mandataram seus ministros das Relações Exteriores para fazerem uma reunião ( dia 12 de março) .
Os chanceleres deverão “criar uma comissão, que pode ser inclusive de representantes de todos os países da região, e fazer a interlocução pela construção de um ambiente de acordo , de consenso e de estabilidade lá na Venezuela”.
Como a Unasul vai se posicionar sobre o uso ilegítimo da força pelo governo da Venezuela contra sua população, estimulado pelo próprio presidente?
O relator sobre tortura da ONU, Juan Mendez, criticou a manutenção do opositor Leopoldo López em confinamento solitário em uma prisão militar:” É verdade que as prisões venezuelanas são lugares muito perigosos. E é exatamente por isso que pedi várias vezes para ir visitá-las. Mas é possível proteger um preso sem colocá-lo em isolamento. Mas o problema é : ‘por que o detiveram?’. O fato de organizar uma manifestação pacífica não é razão para ser detido. Menos ainda em uma prisão militar e em confinamento solitário”.
A Comissão de Relações Exteriores do senado dos EUA , aprovou em 11 de março resolução que pede a Barak Obama que negue vistos e congele ativos de responsáveis pela violação de direitos humanos de manifestantes pacíficos e jornalistas na Venezuela. ( F S P , 12.03.2014, p. A-8) .
O ex-presidente Lula pediu em carta entregue no dia 5 de março a Nicolás Maduro, que dialogue “ com todos os democratas” para tentar solucionar a crise política provocada pelas manifestações no país”. Mas como para Maduro não são democratas, mas neo-fascistas , ele não vão conversar com ninguém.
Como não poderia deixar de ser a Unasul reuniu-se apenas para chancelar a repressão na Venezuela. Uma missão será enviada ao país para “assessorar” o diálogo no país, apenas no início de abril.
A organização foi criada por Chávez e é dominada por bolivarianos.
A oposição reagiu com um misto de ceticismo e rechaço à missão. Henrique Capriles, principal líder oposicionista declarou “ Estamos na expectativa. Até agora não contataram a mim, nem á Mesa de Unidade Democrática . Atores como o governo brasileiro não deram a sua posição sobre a situação complicada em que vivemos na Venezuela.
Para Omar Barboza, presidente do partido Um Nuevo Tiempo (UNT), e porta-voz do MUD disse “ A impressão é que se trata de uma missão que vem apoiar o governo.Para nós, o inimigo do diálogo é o governo . E, se alguém vier apoiar o governo, não irá apoiar o diálogo”.
A deputada Maria Corina Machado, disse que a resolução da Unasul “ é uma vergonha”. Segundo ela, os chanceleres deveriam “refletir”, antes de “apoiar um regime que viola os direitos humanos”.
Como assinala Veja, “Dilma, Cristina Kirchner, José Mujica e outros mandatários de esquerda da América Latina, são contra a tortura e o assassinato de opositores políticos apenas quando seus companheiros de ideologia estão por baixo. Uma vez no poder, eles fingem que não estão vendo as atrocidades na Venezuela e , agindo assim, sancionam os crimes de Maduro. Até que Dilma condene a repressão venezuelana, portanto, fica estabelecido que , para ela, torturar e matar são atos de ditadura apenas quando o regime é de direita. Se o carrasco é de esquerda, tudo bem. É triste”. ( Revista Veja, 19.03.2014, p. 13) .
Protestos em 12.03
Mais três pessoas morreram em novos confrontos no país. O governador do Estado de Carabobo, Francisco Ameliach afirmou “ Franco-atiradores atiraram contra sua própria gente, que estava armando barricadas na rua. Lamentavelmente , há um morto e vários feridos”.
Foram mortos, o estudante Jesús Acosta, de 23 anos, com um tiro no peito, Guillermo Sánchez, alvejado enquanto pintava sua casa e o capitão da Guarda Nacional Bolivariana, Ernesto Bravo Bracho.
Milhares de estudantes, opositores , acompanhados de trabalhadores da imprensa e do setor de transportes, marcharam em direção à Defensoria do Povo, mas foram impedidos pela policia. Os estudantes acusam a defensora-geral, Gabriela Ramírez , de não investigar casos de tortura relatados contra manifestantes.
Grupos que apoiam o governo também fizeram passeatas.
O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse que seu país pode invocar a Carta Democrática Interamericana da OEA, ou impor sanções, mas disse “ A economia na Venezuela já está bastante frágil”. ( F S P , 13.03.2014, p. A-10) .
Maduro por sua vez prometeu reforçar a segurança e disse que os responsáveis pelas mortes em Valencia são “franco-atiradores” da “direita fascista”. Já segundo o prefeito da cidade, o oposicionista Miguel Cocchiola há vídeos que provam o envolvimento de milícias governistas ( coletivos), nos tiroteios.
O secretário de Estado americano , John Kerry disse que o governo Maduro deve “cessar a campanha de terror “ contra seus cidadãos e respeitar os direitos humanos ao lidar com os protestos. ( F S P , 14.03.2014, p. A-10) .
Quase trinta pessoas morreram , mais de 1.300 foram detidas, há 40 denuncias de tortura e 120 jornalistas agredidos. Vários morreram com tiros na cabeça, sinal de que estavam na mira de franco-atiradores. Os presos foram deixados incomunicáveis, sem poderem falar com advogados..
Nos supermercados a situação é trágica. Filas se formam diariamente em todo o país. Ninguém leva lista de compras pois não sabe o que vai encontrar. A quantidade de produtos básicos é racionada. Milicianos marcam números nas mãos ou nos braços dos consumidores para evitar que possam comprar duas vezes em outro estabelecimento.
A falta de produtos ocorre porque o governo congelou os preços de vários deles e sem chances de lucro, os fabricantes deixaram de investir. Há mercadorias como o atum enlatado que não são reajustadas há dois anos, mesmo com uma inflação que em 2014 deve chegar a 70%.
Produtos agropecuários desapareceram graças ás desapropriações de terras , feitas por Chávez . A Venezuela, um país que antes exportava carne, hoje é obrigada a importar gado em pé do Brasil.
Com vários setores econômicos destruídos pelo bolivarismo, o país importa praticamente tudo e não afundou de vez porque tem muito petróleo. Mas não há dólares para que o setor privado importe.
A Venezuela foi vítima da implacável maldição do óleo. O governo passou a ter dinheiro fácil, mas ao invés de aplica-lo para desenvolver o país, adotou uma política populista , inchou o Estado, distribuiu benefícios e subsídios. Tentou cooptar a população com benefícios para conseguir implantar um inviável regime comunista a que chamou de bolivarianismo, copiando Cuba. Para piorar, usou bilhões de dólares para financiar países aliados inviáveis pela gestão de seus líderes como Argentina, Bolívia e a própria Cuba. O resultado de tudo isso é uma economia em frangalhos e a população sofrendo. Como em outros países comunistas o que Chávez conseguiu e Maduro está continuando é transformar todos em uma população miserável, dependente do Estado. Só escapou dessa maldição a Noruega, porque soube poupar os recursos do petróleo, não distorcendo os fundamentos econômicos e nem pressionando desnecessariamente a demanda. O Brasil que se cuide, pois o pré-sal está chegando.
A escassez chegou aos hospitais. Cerca de 95% estão funcionando com apenas 5% dos insumos necessários. Nos últimos seis meses, 235 pacientes cardíacos morreram por falta de material para realizar intervenções de alto risco. Clínicas particulares tem o mesmo problema. No dia 10 de março , médicos saíram às ruas para protestar . Queriam chegar à sede da vice-presidência, mas foram impedidos por cinco fileiras de policiais, membros da GNG e milicianos. ( Revista Veja, 19.03.2014, p. 64-69) .
Gasolina
O presidente Nicolás Maduro disse em 14 de março que não descarta aumentar o preço da gasolina. Afirmou que o Estado “paga” , para os cidadãos utilizarem esse combustível. A gasolina na Venezuela é altamente subsidiada.
A Avianca após rumores de que reduziria seus voos no país, devido a dívidas do governo foi ameaçada:” Companhia aérea que deixar a Venezuela, não voltará enquanto estivermos no governo. Terão que nos derrotar”.
A procuradora-geral, Luísa Ortega Diaz, acusou os EUA de quererem financiar ações violentas na Venezuela, depois que parlamentares norte-americanos propuseram desbloquear fundos para ajudar organizações e ativistas.
Em uma cerimônia de homenagem a Hugo Chávez , o chanceler Elias Jaua, declarou “ Denunciamos o senhor Kerry como assassino do povo venezuelano. Não vamos descer o tom a nenhum império até que os senhores ordenem a seus lacaios que acabem com a violência contra o povo. Cada vez que estamos a ponto de isolar e reduzir os atos violentos, o senhor Kerry aparece. E imediatamente voltam a surgir as barricadas nos principais focos da violência”. ( F S P , 15.03.2014, p. A-24).
Hipocritamente, Nicolas Maduro em discurso feito em 15 de março disse que vai propor aos EUA a criação de uma comissão de diálogo para “promover “ a paz e o respeito entre os países”. ( F S P , 16.03.2014, p. A-20) .
Capriles aceita diálogo
O líder oposicionista Henrique Capriles, admitiu em 16 de março que negocia com o governo a realização de um debate público sobre a situação do país."A possibilidade está em discussão. Nas próximas horas teremos uma decisão. O país merece este debate. Oxalá ocorra o debate como governo, que o país possa ver em cadeia de rádio e TV a verdade enfrentar a mentira!"
No dia 16 de março , centenas de opositores marcharam em Caracas, para rechaçar a ingerência cubana no país. Com cartazes, "Fora Cuba das Forças Armadas" e "Fora espiões", a multidão se dirigiu para a embaixada de cuba, mas a Guarda Nacional Bolivariana interditou as ruas e impediu os manifestantes de chegarem ao local. Não houve relatos de feridos durante a marcha. Os cubanos infestam a Venezuela . ( F S P ,17.03.2014, p. A-12).
Brasil
Em mais um magistral artigo, J.R. Guzzo destaca “ Já na arena internacional, nossa chefe de Estado pode mandar escrever todas as notas oficiais que lhe passam pela cabeça. No momento, está fixada na ideia de que a Venezuela é uma democracia exemplar , uma fortaleza cercada pelas forças do imperialismo americano , que está precisando defender-se dos terroristas internos disfarçados de manifestantes da oposição...O mundo que o Brasil precisa, não gosta das más companhias que o Brasil faz questão de cultivar. Pior para nós, como de costume”. ( Revista Exame, 19.03.2014, p. 60) .
Praça oposicionista ocupada:
Cerca de mil homens da Guarda Nacional Bolivariana da Venezuela, assumiram em 17 de março o controle da Praça Altamira, em Chacao, cidade governada pela oposição e que integra a região metropolitana da capital, Caracas.
A praça era um dos principais locais de protestos anti-governamentais que abalam o país há mais de um mês.
Depois da tomada da praça, os militares passaram a patrulhar o local e o entorno, para evitar novas manifestações. O ministro da Interior, Miguel Rodrigues Torres, hipocritamente afirmou sobre a ocupação:"Estamos restabelecendo o direito de milhares de cidadãos de Chacao, forçados a permanecer dentro de suas casas, devido a ações violentas".
O prefeito da cidade, Ramón Muchacho, afirmou" A militarização de Chacao não resolve a crise que a Venezuela atravessa. O problema não são os protestos. Eles são consequência das verdadeiras razões da crise , como o desabastecimento de produtos básicos , a inflação mais alta da América Latina, o desemprego, a insegurança".
No dia 17 de março de manhã, morreu um capitão da Guarda Nacional Bolivariana que havia sido baleado na cabeça em uma manifestação do dia 16 em Maracay. Foi o quarto membro da GNB morto durante os protestos que já deixaram 29 mortos e 400 feridos.Há 41 investigações sobre violação de direitos humanos por forças policiais. A companhia aérea Air Canadá informou que " devido aos distúrbios civis que acontecem na Venezuela", decidiu suspender seus voos para Caracas. . ( F S P,18.03.2014,p. A-11) .
Um mês de prisão de López
Protestos feitos diante da prisão militar de Ramo Verde, marcaram um mês em que o líder oposicionista Leopoldo López foi detido irregularmente. Deputados disseram que levarão a instâncias internacionais, da OEA e da Unasul, as denúncias sobre violações de direitos cometidas por membros das forças de segurança nos protestos.
O Banco Central da Venezuela autorizou em 18 de março que corretoras e bancos estatais e privados façam transações com moeda estrangeira, flexibilizando o controle sobre o câmbio, em vigor há 11 anos, mantida a possibilidade de intervenção no mercado. ( F S P , 19.03.2014,p. A-11) .
Mais Mortes
Em 19 de março ocorreram mais duas mortes ligadas aos protestos. Francisco Riosendo Marín, funcionário da Prefeitura de Caracas, foi morto em Montalban, na zona oeste da cidade, quando desmontava uma barricada erguida por opositores. Em San Cristóbal, o estudante Anthony Rojas foi morto atingido por um tiro disparado por motoqueiros armados , que integram os "coletivos".
A deputada opositora, Maria Corina Machado, viajou para falar na OEA sobre os protestos no país. O Parlamento, de maioria chavista, pediu a quebra de sua imunidade para que ela seja investigada por envolvimento em protestos.
Primeiramente decidiu-se que Corina só poderia falar com as portas fechadas, com o voto favorável do Brasil, justificado por Breno Dias da Costa:” O objetivo desta reunião não é transformar-se num circo para uma plateia externa, como alguns representantes tem demonstrado a intenção ( de fazer)”. ( Revista Veja, 26.03.2014, p. 40) .
Corina em Washington foi impedida de falar na sessão do dia 21 de março e pediu que se convoque nova sessão para “ que se conheça a fundo a crise democrática na Venezuela” e que a OEA deve enviar ao país uma missão formada por democratas de “inquestionável trajetória”, como o ex-presidente da Costa Rica e Prêmio Nobel da Paz, Oscar Arias.
A missão venezuelana pediu para que ela fosse proibida de falar , pedido aprovado por 22 a 3, com 9 abstenções. Henrique Capriles criticou a OEA em sua conta no Twitter “ A OEA, há pouco, se transformou num clube de interesses do governo de turno. Não defende os povos”. ( F S P , 22.03.2014, Mundo, p. A-20) .
Na análise de Jennifer Mccoy, professora da Universidade Estadual da Geórgia, havia uma ala oposicionista que defendia acumular apoio entre os chavistas insatisfeitos da classe pobre e trabalhadora e uma janela de negociação se esboçava por esse caminho.
Mas a "estratégia de rua" da outra ala oposicionista fechou esta possibilidade de entendimento e o governo reagiu de forma truculenta, criminalizando os manifestantes e chamando a oposição de "fascista" e a ação de forças externas. Agora a polarização se consolidou e o futuro é incerto. ( F S P , 20.03.2014, p. A-16) .
Prefeitos presos
O Judiciário venezuelano que é alinhado ao governo chavista, decretou a prisão de dois prefeitos da oposição, que foram presos em 20 de março acusados de instigar a violência ou ser coniventes com ela. Daniel Ceballos, prefeito de San Cristóbal foi acusado de fomentar uma “rebelião civil” e Enzo Scarano, prefeito de San Diego, de ter ignorado ordens judiciais para que fossem removidas barricadas de protesto em sua cidade.
Ambos foram conduzidos para a prisão militar de Ramo Verde, a mesma onde está Leopoldo López, um dos principais líderes das manifestações.
A ofensiva judicial inaugurou uma nova etapa de perseguição contra a oposição e reavivou os protestos. Estudantes marcharam até a prisão militar, que fica em um subúrbio de Caracas e foram dispersados com gás lacrimogêneo. Está havendo uma “criminalização da dissidência “ na Venezuela. . ( F S P , 21.03.2014, p. A-11) .
Unasul
Contrariando o esperado pela Venezuela, uma comitiva de chanceleres da Unasul antecipou do começo de abril para 25 e 26 de março a visita a Caracas, para avaliar a crise política. Serão feitas reuniões com o governo, com a Assembleia Nacional e com os governadores do país, mas não com a oposição em separado. Maduro continua aumentando a repressão dizendo “Estamos enfrentando um golpe de Estado continuado , que será permanente”. ( F S P , 22.03.2014, Mundo, p. A-20) .
A posição resolveu pressionar a missão da Unasul para que seja mais efetiva, fazendo um apelo para que “uma terceira parte independente ajude a encontrar a solução para a crise política do país”. Segundo Ramón Guilhermo Aveledo, secretário da Mesa de la Unidade Democrática (MUD), aliança que reúne os partidos de oposição, não é só o Governo e o Congresso dos EUA ou o Parlamento Europeu, que questionam a atuação do Executivo:” A Unasul, que é um dos fóruns mais favoráveis ao governo, reconhece que há um problema sério no país e que é preciso envolver todos os setores da Venezuela. Isso é muito significativo”. O empresário Gustavo Cisneros , um dos homens mais ricos do país, apelou ao papa:” Talvez Sua Alteza o Papa Francisco e a sábia diplomacia do Vaticano possam ser a salvação. Papa Francisco pode por um fim à jornada destrutiva da nação”. ( F S P , 24.03.2014, p. A-12).
Pianista venezuelana e o país.
Gabriela Montero, 43, tem uma sólida carreira internacional como pianista. Viveu em Caracas , de 2003 a 2006 e decidiu sair do país quando percebeu que não era mais seguro viver lá.
Ela recebe centenas de mensagens por dia e sua página nas redes sociais e a única que muitos encontraram para mostrar o que de fato acontece na Venezuela , devido à forte censura e repressão no país. Seu relato é devastador.
“Na Venezuela atualmente existe, sim , uma ditadura... As pessoas que ainda hoje ignoram o que está acontecendo no país, ou são manipuladas, ou são ingênuas – ou então recebem benefícios diretamente do governo...O legado de Chávez é muito diferente daquele deixado pelos presidentes anteriores. Nosso país passou por uma grande transformação , e para pior. Quem se associar a um governo tão desastroso terá de arcar com as responsabilidades...O governo de Maduro é um reinado de terror...A Venezuela já foi tolerável. Não tínhamos a criminalidade com a qual convivemos hoje. Não tínhamos o ódio e a hostilidade com os quais convivemos diariamente. Hugo Chávez mudou o estado moral e psicológico do país. O único aspecto positivo do chavismo foi despertar a consciência social das classes média e alta. Eu acredito que nós, como país, não tínhamos tanta empatia pelo sofrimento e pelos problemas sociais como temos hoje...O caso é que Chávez não buscou remediar as feridas do passado. Não trabalhou por uma sociedade mais homogênea, transparente e funcional. Pelo contrário, ele alimentou a dor e o ressentimento das classes menos favorecidas em relação ás classes média e alta. A missão de um líder deveria ser a união, não a divisão. Hoje, porém, a Venezuela é uma nação dividida”. ( Revista Veja, 26.03.2014, p. 17-21).
Até a Procuradoria vê “excessos”.
A procuradora-geral da Venezuela , Luisa Ortega, que é governista, admitiu em 23 de março que a polícia vem cometendo “excessos” na repressão das manifestações contra o governo de Nicolás Maduro.
Ela disse em entrevista à rede de TV Televen :” Com relação á questão de direitos humanos, sim , houve excessos por parte da polícia, mas a procuradoria está investigando”.
Três pessoas morreram em confrontos no final de semana, elevando para 34 o saldo de mortos desde o início dos protestos em fevereiro.
Dois jornalistas foram presos no dia 22 em Altamira, município de Chacao. Segundo o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Imprensa, de 12 de fevereiro a 22 de março, foram registrados 74 casos de agressão e intimidação contra 56 jornalistas. Em 11 casos houve roubo ou destruição de material fotográfico ou audiovisual. ( F S P , 24.03.2014, p. A-16).
Deputada cassada
Em uma decisão sumária, que não teve apreciação da Justiça do país, o presidente da Assembleia Nacional, o chavista Diosdado Cabello, afirmou em 24 de março que a deputada Maria Corina Machado perdeu o seu mandato e está proibida de entrar na Casa.
Cabello afirma que Corina violou dois artigos da Constituição ( 149 e 191) ao aceitar o papel de representante suplente do Panamá e solicitar o direito à palavra em uma sessão da OEA no dia 21 de março.
A deputado negou a cassação:” Senhor Cabello, eu sou deputada da AN [ Assembleia Nacional] , enquanto o povo assim o quiser”. Cabello deveria ler a Constituição. Ele não tem poder nem instrução da Assembleia para destituir um deputado”.
Cabello que lidera a maioria governista da Assembleia disse que Corina será também investigada por “traição á pátria”. “Ela não tem mais imunidade parlamentar , poderá ser detida a qualquer momento sem prévia notificação de ninguém”. Os mortos já aumentaram para 36.
Maria Corina Machado, no Congresso peruano, disse em 25 de março : “ Quero anunciar que amanhã regressarei a meu país, porque sou deputada e , como tal, voltarei para seguir lutando nas ruas da Venezuela , sem descanso, até que conquistemos a democracia e a liberdade”. ( F S P , 26.03.2014, p. A-12) .
Países comunistas estão dando um belo exemplo para partidos de esquerda no Brasil como é a democracia nestes regimes . A Venezuela está matando sua população, considerando traidores da pátria e nazistas os que discordam do regime ditatorial e cassando deputados sem base legal. A Rússia anexou a Criméia em flagrante desrespeito ao direito internacional,
Para enfrentar a escassez de alimentos, o governo da Venezuela está implantando um sistema biométrico para mercados estatais que impedirá que os consumidores façam compras em dias seguidos. Com o novo sistema, feito a partir de impressões digitais, os consumidores somente poderão fazer compras a cada quatro dias. ( F S P , 25.03.2014, p. A-14) .
Generais presos
A Venezuela prendeu três generais da Força Aérea . O presidente Nicolás Maduro deu a informação durante reunião com chanceleres da Unasul : “ Ontem ( dia 24) à noite, capturamos três generais que estávamos investigando graças à poderosa força moral da nossa Força Armada Nacional Bolivariana. São três generais que pretendiam levantar a Força Aérea contra o governo”. Maduro acrescentou que a descoberta da tentativa de golpe foi possível devido “ à consciência dos oficiais, os mais jovens, generais , tenente-coronéis, que vieram alarmados denunciar que eles estavam sendo convocados para realizar um golpe de Estado no país”.
Segundo Maduro, o grupo capturado tem vínculos diretos com setores da oposição e que esta semana seria decisiva para o seu suposto intento. Os três foram colocados á disposição dos tribunais militares. ( F S P , 26.03.2014, p. A-12) .
A deputada Maria Corina Machado voltou em 26 de março à Venezuela e logo ao chegar organizou uma manifestação contra o governo.” Hoje demonstraremos ao regime quem decide quem são os deputados . O povo na rua... Nunca fui tão deputada como agora, Sou mais deputada do que nunca , e continuarei atuando dentro e fora da Assembleia.
A presidente do tribunal Supremo de Justiça da Venezuela, que é dominado pelo chavismo, Gladys Gutiérrez, disse em 30 de março que a deputada Corina deve sofrer também “consequências jurídicas”: “Ela na condição de deputada, aceitou um destino diplomático de um país estrangeiro. Obviamente [isso] tem consequências jurídicas, mas preferimos fazer o estudo e formalmente nos pronunciaremos no Tribunal”. ( F S P , 31.03.2014, p. A-9) .
Maduro tem razões para perseguir Corina pois ela sabe o que fala e é uma metralhadora giratória. Eleita em 2010 com uma das maiores votações do país, foi cassada ilegalmente e critica fortemente o Brasil : “Quem pratica a democracia dentro de casa, deve defender esse sistema também no exterior. Mas o que nós venezuelanos temos visto é que vários chefes de Estado, empresários e meios de comunicação, traíram seis valores. A repressão que tem acontecido nas ruas da Venezuela não se viu sequer nas ditaduras militares do século XX e deve ser combatida. Maduro ordenou, em cadeia nacional de televisão, que grupos paramilitares atacassem os manifestantes pacíficos. Minutos depois, civis foram atacados pelas milícias. Quem mantém uma posição de indiferença diante de uma atrocidade como essa está sendo cúmplice. É isso que tem feito a comunidade internacional , que , infelizmente, tem sido um dos principais pilares desse regime violento e um escudo de proteção para Maduro...Qualquer um que levante a voz em prol dos direitos dos venezuelanos é considerado inimigo e traidor da pátria. Estudantes foram torturados. Sindicalistas e integrantes da igreja estão sendo coagidos. Isso é claramente uma ditadura”. ( Revista Veja, 2.4.2014, p. 82-83).
Em 26 de março uma funcionária do Serviço Bolivariano de Inteligência foi morta após uma troca de tiros com a polícia de Chacao e os mortos chegam a 36. ( F S P , 27.03.2014, p. A-16) .
EUA
A subsecretária de Estado americana, responsável pela América Latina, Roberta Jacobson , declarou em 27 de março sobre sanções á Venezuela, caso não sejam dadas as condições para um diálogo profundo que resolva a crise no país e se não for aberto um espaço democrático para que a oposição se manifeste:” Claro que temos que pensar nisso[ sanções] . E estamos pensando nisso”.
A reunião da Unasul não deu em nada. Fontes diplomáticas revelaram que os chanceleres do Brasil , Luiz Alberto Figueiredo , do Equador, Ricardo Patino , e da Colômbia , Maria Ângela Holguim , formarão uma comissão para mediar um diálogo entre a oposição e o governo.
Por sugestão da Unasul, o governo deve criar um Conselho Nacional de Direitos Humanos, ligado à Presidência, órgão que existe na Colômbia. ( F S P , 28.03.2014, p. A-14) .
O chanceler brasileiro, Luiz Alberto Figueiredo, integrante da comissão da Unasul, minimizou os problemas: “ Não há nenhum país no mundo que não tenha problemas de direitos humanos”. Figueiredo chegou ao absurdo de insinuar que os civis assassinados por motoqueiros chavistas, ou colectivos, poderiam ser vítimas da oposição. Para a especialista em relações internacionais do Wilson Center , em Washington , Cynthia Arnson, “ A declaração brasileira minimiza a responsabilidade dos paramilitares na repressão. É uma postura que choca pela indiferença”. O Brasil já deixou claro que apoia a repressão. ( Revista Veja, 2.4.2014, p. 83).
FMI
O FMI declarou em 28 de março que está disposto a auxiliar a Venezuela diante das “significativas dificuldades” na economia do país.
William Murray, porta-voz da instituição , lembrou que faz tempo que o FMI não revisa a economia do país , mas dificilmente o governo Maduro vai concordar com a entrada do FMI.
Libertação de López
A Corte Suprema de Justiça da Venezuela, dominada pelo chavismo, informou que o tribunal de apelações de Caracas negou o pedido de libertação do líder opositor Leopoldo López, preso ilegalmente desde 18 de fevereiro e acusado de “determinador [ autor intelectual] em incêndio intencional, instigação pública , danos e formação de quadrilha”.
União Europeia
Catherine Ashton, chefe da diplomacia europeia instou a Venezuela a para imediatamente com a violência , a moderar o discurso e a respeitar os direitos humanos e a dialogar com a oposição. “ A detenção de estudantes, a recente destituição e prisão de prefeitos eleitos e a cassação de um membro eleito do Parlamento são motivos de preocupação”, disse ela. Não para a diplomacia brasileira, que continua apoiando Nicolas Maduro. ( F S P , 29.03.2014,p. A-24) .
Maduro
O presidente Nicolas Maduro continua vendo inimigos por todos os lados. Em entrevista à Folha de São Paulo comentou: “ Esses prefeitos, com mentalidade fascista, de direita extrema, encabeçaram ataques , usaram seus cargos públicos para atacar seus próprios eleitores. Um deles foi o responsável pelo incêndio de uma universidade, levantou barricadas...Eu sim, tenho provas de que [CIA] estiveram por trás do golpe contra Chávez [ em 2002] e que estão agora por trás deste golpe. Documentos de todo tipo. De como se conspira. De como se financia” . ( F S P , 30.03.2014, p. A-20) .

ExibirMinimizar
CEO Outllok, A era da liderança resiliente. Confira os Resultados.