Capitalismo Crise - Junho de 2.016

Fatos relevantes da economia e políticas internacionais em junho de 2.016

O presente texto tem como base a leitura de fatos relevantes da economia internacional na imprensa brasileira, referentes ao período de junho de 2.016.

Kenneth Roth comanda a Human Rights Watch e destaca que “ O fato de realizar eleições , não faz de um sistema político uma democracia , que se deve caracterizar pela liberdade de imprensa e da sociedade civil, para que esta se organize em partidos e possa ser ouvida.

A Venezuela ilustra esse fato. O líder opositor Leopoldo López , que está preso e condenado , significou uma tentativa de o povo ser ouvido e representado. Os venezuelanos tem o direito de escutar os dois lados e participar do debate político. Manter presos políticos equivale a privar os venezuelanos do direito à divergência.

A melhor maneira de testar teses contraditórias é por meio da analise do Poder Judiciário. Se os juízes não tiverem independência , pode ter certeza de que os discursos dos governantes em prol dos direitos humanos não passam disso, discursos. Maduro e seu predecessor , Hugo Chávez , comprometeram o Judiciário, nomeando a vasta maioria dos juízes , a qual defende a pretensão do governo de que todo o poder deve se concentrar no Executivo”.

Ele destaca que o maior violador de direitos humanos no mundo é o ditador da Síria Bashar al-Assad e o país mais totalitário e fechado é a Coréia do Norte. ( Revista Veja, 8.6.2016, p, 17-21) .

Os suíços rejeitaram em referendo, no dia 5 de junho, uma proposta de renda básica para todo cidadão do país.

Cerca de78% dos eleitores foram contrários à ideia de que o Estado pagasse subsídios de 2.500 francos suíços ( R$ 9.000) por mês por adulto – empregado ou não – e 625 francos ( R$ 2.260) , por cada criança.

O governo suíço , que era contrário à proposta criada por um grupo sem filiação política, estimou que ela custaria 208 bilhões de francos por ano ( (R 753 bilhões).

No Brasil, o ex-senador Eduardo Suplicy encampou proposta semelhante , a Renda Básica da Cidadania , que é lei desde 2004, mas continua sem regulamentação.

A Lei 10.385 de janeiro de 2004 , institui o “direito de todos os brasileiros residentes no país e estrangeiros residentes á pelo menos cinco anos (...) não importando sua condição socioeconômica, receberem , anualmente, um benefício monetário”. ( F S P , 6.6.2016, p. A-12) .

Propostas como essa no Brasil ou na Suíça é que arrebentam as contas públicas de qualquer governo. Essa proposta equivale a instituir uma esmola permanente paga pelo Poder Público, porque se trata de algo equivalente a uma aposentadoria sem contribuição. A ideia está baseada no conceito de retribuição sem trabalho, que tem que ser combatida veementemente.

É preciso ficar claro para todo cidadão que ele terá direito a uma aposentadoria após dezenas de anos de trabalho, desde que contribua regularmente para a Previdência Social, garantindo o equilíbrio do sistema e não propostas insensatas como a de Suplicy que apenas estipulam despesas, sem contrapartida e sem a correspondente previsão de receitas.

O Banco Mundial reduziu suas previsões de crescimento do PB global, em um contexto de atividade “anêmica” nos países ricos e nas incertezas nas economias emergentes.

O PIB mundial deverá crescer somente 2,4% em 2016, ante uma previsão anterior de 2,9%. Será avanço similar ao de 2015. Para 2017, a previsão é de 2,8%.

A China deve crescer 6,7%, a Índia 7,6% e o Brasil , recessão de 4,0% e a Rússia de 1,2%. Os EUA devem crescer 1,9% e a zona do euro , deve manter o crescimento de 1,6%. ( F S P , 8.6.2016, Mercado, p. 6) .

Ruchir Sharma em “The Rise and Fall of Nations compara “bons bilionários” e “maus bilionários”.

Os bons bilionários são aqueles que criam empregos e produtos e, com isso sustentam o crescimento econômico.

Os mais bilionários são aqueles que fizeram suas fortunas com base em conexões políticas e corrupção , obtendo licenças para explorar recursos naturais ou mercado de imóveis. A Rússia é o modelo mais claro dos maus bilionários - entre 104 bilionários do país , 70% da riqueza provém de atividades conectadas à política , como a exploração de petróleo e gás natural. ´”É a ascensão de uma classe de maus bilionários fortemente enraizados em setores improdutivos e tradicionalmente propensos à corrupção que apresenta maior probabilidade de sufocar o crescimento”, escreve Sharma. ( F S P , 11.06.2016, p. A-20) .

O economista Robert Gordon estuda o crescimento econômico e recorreu a uma métrica chamada Produtividade Total dos Fatores (PTF) e estudando o comportamento dessa variável na economia americana a partir de 1870 chegou a uma conclusão impressionante.

“Nas cinco décadas entre 1920 e 1970, o crescimento da produtividade devido à inovação foi quase três vezes maior do que no período seguinte, o nosso período. Houve uma década, entre 1994 e 2004 , em que a revolução digital deu sinais de que entregaria a sua promessa. Mas depois disso , os ganhos de produtividade caíram novamente . Então é preciso concluir que as tecnologias que moldaram nosso mundo entre 1920 e 1970 tiveram um impacto transformador mais profundo na economia e em nossos padrões de vida do que o computador e as tecnologias de informação que definem nossa época.”

Ele destaca que ampliamos de maneira espantosa nossa capacidade de lidar com a informação, isso pode ser chamado de revolução, mas ainda assim é apenas uma parte da vida humana, mas o essencial foi alterado no período de 1870 a 1970, no que ele chama de século especial. Isso porque nem toda inovação se traduz em maior produtividade.

“O que caracteriza o século especial é a simultaneidade de muitas inovações que definem um padrão de vida moderno. Luz elétrica, motor de combustão interna, produtos químicos, plásticos, água encanada: todas essas invenções, combinadas, causaram uma reação em cadeia que mudou para sempre às áreas do transporte, da informação , da comunicação, da alimentação , da vestimenta, do tratamento de doenças, da habitação, do trabalho. A experiência humana mudou. Mas boa parte dessas transformações só acontece uma vez”.

Ele destaca que há outras inovações que só poderemos medir o impacto dentro de alguns anos. Robôs, inteligência artificial, impressoras 3D, mas a impressão dele é de que não teremos novamente uma explosão semelhante àquela observada entre 1870 e 1970.

Ele entende que, ao contrário do que alguns futurólogos preveem, as máquinas não substituirão as pessoas da maneira dramática prevista. Ao contrário, dados mostram que nos últimos quinze anos , aumentou , nos EUA, o número de pessoas com diploma superior que exercem trabalhos manuais em vez de atuar na área em que se formaram. Ou seja, ocorreu uma mudança para pior no perfil de ocupação. ( Revista Veja, 15.06.2016, p.17-21) .

Empresas familiares

Os dados mostram que as empresas familiares continuam dominantes da economia mundial.

Segundo informações da consultoria McKinsey, de 70¨% a 90% do PIB mundial é gerado por negócios comandados por fundadores ou descendentes.

Isso inclui desde pequenas empresas . como lanchonetes de bairro , até conglomerados gigantes.

Mesmo nos EUA, onde nasceram as corporações anônimas, um terço das empresas ainda é de controle familiar. Em alguns casos , como a Ford, a família detém uma pequena fração das ações, mas mantém a gestão. Hoje os descendentes do fundados possuem 40% das ações com direito a voto – e apenas 2% do capital total da empresa.

E diversas pesquisas recentes mostram que o resultado que essas empresas obtém hoje, é superior à média das companhias com controle diluído em bolsa, ou que estão na mão de grupos financeiros. Um dos fatores que explica esse melhor desempenho é que essas empresas tem uma perspectiva de longo prazo. ( Revista Exame ,22.06.2016, p.34-47) .

São 1.810 pessoas que tem fortunas acima de US$ 1 bilhão em 2015, detendo ao total US$ 7,5 trilhões.

A maioria dos bilionários americanos é formada por fundadores de empresa, em especial do setor de tecnologia , e por investidores e executivos do mercado financeiro. Na Europa, mais de metade dos bilionários é herdeira de grandes fortunas. Isso mostra que os americanos são mais empreendedores. Uma grande empresa na Europa tem , em média, 20 anos a mais do que uma nos Estados Unidos. ( Revista Exame, 22.06.2016, p.82).

ALEMANHA

O fluxo de alemães do oeste para o leste superou o movimento em sentido contrário pela primeira vez desde a reunificação do país. O principal motivo é a mudança para Berlim de jovens atraídos pela indústria cultural e pelos alugueis baratos. ( Revista Veja, 8.6.2016, p, 42) .

Auschwitz

Reinhold Hanning, com 94 anos, que integrava a guarda de elite nazista, a SS e que foi guarda do campo de concentração de Auschwitz foi condenado a cinco anos de prisão em 17 de junho de 2016.

Ele foi acusado de ser cúmplice do assassinato de 170 mil pessoas entre janeiro de 1943 e junho de 1944.

Ele pediu desculpas às vítimas em abril de 2016: “Tenho vergonha de ter deixado a injustiça acontecer conscientemente e por não ter feito nada para me opor a ela. Eu fiquei em silêncio por um longo tempo, por toda a minha vida”. Disse ainda que se arrependia por ter sido parte de uma “organização criminosa” que matou tantos e causou tanto sofrimento. ( F S P , 18.06.2016, p. A-13) .

ARGENTINA

Kirchners mesmo em baixa, mantém reduto

Os supostos casos de corrupção que envolvem a família Kirchner não são suficientes para abalar a popularidade dos ex-presidentes argentinos Nestor e Cristina Kirchner em seu reduto turístico na Patagônia.

Em El Calafate ( 2.700 km ao sul de Buenos Aires) , onde a família mantém dois hotéis , moradores se dizem gratos aos Kirchner, mas afirmam que as denúncias contra eles devem ser apuradas.

Cristina é investigada por lavagem de dinheiro, suborno, falsificação de documentos públicos e prejuízo aos cofres públicos. Antes de morrer, em 2010, Néstor também era alvo de denúncias.

Nas eleições presidenciais de 2015, no departamento do lago Andino, região que engloba três outras cidades além de Calafate, o indicado por Cristina, Daniel Scioli , teve 68,45% dos votos, bem acima dos 48,6% que conseguiu no país todo.

Quando Néstor era governador de Santa Cruz, foi construído o aeroporto de El Calafate e antes os turistas tinham que viajar até Rio Gallegos , capital da província e seguir 300 km por estradas.

Com Néstor na presidência, vias foram asfaltadas e o setor imobiliário, impulsionado. A venda de terras do Estado foi permitida para atrair moradores para a cidade. O preço do metro quadrado era de apenas US$ 1,50.

Os melhores terrenos, hoje em áreas nobres, ficaram para os Kirchner e amigos, algo que está ainda em investigação , mas a população também pode compra-los.

Com a política de venda de terras , houve um boom no setor hoteleiro e o número de habitantes passou de 6.410 em 2000 para 16.655 em 2010. Em 2016 a estimativa é de uma população de 21 mil pessoas.

Com Cristina na presidência ( 2007-2015), foram inaugurados um hospital de alta complexidade e um anfiteatro para 25 mil pessoas, que hoje é usado uma vez por ano. ( F S P , 1.6.2016, p. A-9) .

Herança de Cristina

Maurício Macri, como havia prometido, apresentou no dia 3 de junho relatório com um diagnóstico detalhado sobre a situação deixada por Cristina Kirchner em áreas como saúde, educação, economia e segurança.

Cerca de 400 mil pessoas que já morreram ainda recebiam por serviços de saúde.

Só em 2015 , foram destinados mais de 13,5 bilhões de pesos( US$ 1 bilhão) , a habitação, mas que teriam sido usados em “questões que nada tem a ver” com construir casas.

Cerca de 60% das famílias que já moravam em residências obtidas por meio de programas sociais não tinham título de propriedade.

Na área de educação, o governo mantinha, no final de 2015, uma dívida de aproximadamente US$250 mil com as universidades públicas.

O número de servidores públicos cresceu 64% e os gastos com publicidade oficial foram mais do que o dobro do que o aprovado pelo Congresso.

O governo descreve o Estado governado pelo casal Kirchner como “desorientado”, acusando-os de governar com base em critérios políticos “ como sustentação para a militância politica”

“As instituições da República, em vez de controlar a gestão e evitar a corrupção, eram usadas às vezes como instrumento de luta politica e foram desmontadas quando se tornaram ameaça”.

Cerca de 41 torcedores organizados foram nomeados para uma autarquia do Ministério do Planejamento sem função clara. Foi dada prioridade nos créditos agrícolas e de pequenas empresas para aliados.

A Fábrica Militar de Munições produziu lançadores de foguetes para a Venezuela , sem que a encomenda fosse paga. ( F S P , 4.6.2016, p, A-12).

Falta de Gás

Cerca de 475 fábricas na Argentina estão com as atividades parcial ou totalmente suspensas desde o dia 9 de junho por causa de restrição determinada pelo governo no abastecimento de gás natural.

O frio intenso levou os argentinos a ligarem sistemas de calefação e fez a demanda por gás chegar a 150 milhões de metros cúbicos por dia. Como a capacidade de produção é de apenas 104 milhões, o governo Macri optou por privilegiar casas, hospitais e escolas. O inverno chegou mais cedo e mais forte em 2016. Maio foi o mais frio dos últimos 50 anos em Buenos Aires e a previsão é de que os próximos meses continuem gelados.

Apenas empresas que não podem desligar seus fornos, como as de vidro, estão com o abastecimento mantido.

O país passou a importar gás de Bolívia, Chile, África, EUA e Ásia, mas o mau tempo está prejudicando a atracação de navios que trazem gás do exterior.

Do Uruguai, Paraguai e do Brasil, a Argentina está comprando energia elétrica.

A responsável pela situação atual chama-se Cristina Kirchner. Tetos foram colocados nos preços dos produtos entre 2003 e 2015, durante os governos Kirchner e novos investimentos foram desestimulados e a produção de gás no país diminui 30% desde 2001. Até 2004, o país exportava gás.

Maurício Macri , determinou reajuste de até 400% nas tarifas de gás para casas e de até 500% para empresas, mas só em cinco anos o país deve voltar a ser autossuficiente em gás. ( F S P , 11.06.2016, p. A-26) .

Processo contra Macri arquivado

A Justiça da Argentina decidiu não levar o presidente Maurício Macri a julgamento por montar uma rede de escutas ilegais quando ainda era chefe de governo na cidade de Buenos Aires.

Macri era investigado desde 2012 , mas os juízes entenderam que não há provas que permitam vinculá-lo “com a intromissão ilegal na comunicação de seu cunhado”. ( F S P, 15.06.2016,p. A-12) .

Diplomata Brasileiro

O Senado aprovou no dia 14 de junho a indicação do diplomata Sérgio Danese para exercer o cargo de embaixador do Brasil na Argentina. ( F S P, 15.06.2016,p. A-12) .

Inflação

Aos poucos, o governo Macri vai resgatando o que Cristina Kirchner destruiu.

Depois de seis meses sem um índice oficial de inflação, e de nove anos de dados considerados manipulados, a Argentina divulgou no dia 15 de junho seu índice de preços, o primeiro sob Macri.

A inflação em maio foi de 4,2% em relação a abril, de acordo com o Indec. O dado é referente a Grande Buenos Aires, que concentra um terço da população do país.

O problema da manipulação de dados começou quando o kirchnerista Guillermo Moreno, chegou à Secretaria de Comércio Interior e pediu acesso à lista de estabelecimentos pesquisados na elaboração do índice.

O instituto negou o acesso , já que a informação costuma a ser confidencial , o que levou Moreno a substituir todos os chefes do Indec e a partir daí, os indicadores passaram a ser maquiados e a inflação real passou a ser maior do que a oficial. ( F S P , 16.06.2016, p. A-21) .

Alberto Nisman

A Justiça da Argentina decidiu que o processo sobre a morte do promotor Alberto Nisman deverá voltar à primeira instância.

Em março, o caso havia sido remetido à Justiça Federal após magistrados considerarem que a hipótese de assassinato devido á denúncia de Nisman de que Cristina Kirchner tentou encobrir o envolvimento do Irã no atentado à Amua em 1994 era plausível.

Agora, uma comissão formada por três juízes, afirmou que não há provas suficientes para deduzir que o promotor tenha sido morto por seu trabalho e , por isso, a ação cabe à Justiça comum. ( F S P, 17.06.2016, p. A-16) .

José Lopez

Homem-chave do kirchnerismo como secretário de Obras Públicas detido quando tentava esconder US$ 9 milhões em dinheiro e relógios de marca, ienes japoneses e até notas do Qatar. em um convento na periferia de Buenos Aires.

López, que chegou a manejar fundos de 9 bilhões de euros em diversos projetos , era a mão direita de Julio de Vido, o ministro que controlava todas as obras. Ambos são membros dos chamados “pinguinhos”, grupo de máxima confiança que Néstor Kirchner trouxe a Buenos Aires, de Santa Cruz , província de que foi governador.

López foi a engrenagem central de uma maquinaria de poder. Os Kirchner lhe confiaram durante quase 30 anos, seu tesouro mais valioso : a obra pública. ( F S P , 19.06.2016, p. A-19).

Aníbal Fernandez

Em 2008 , três pessoas foram assassinadas , ligadas ao tráfico de efedrina.

Durante a campanha eleitoral de 2015, um dos condenados pelos assassinatos ,afirmou que Anibal Fernández, chefe de gabinete de Cristina Kirchner , então candidato ao governo da província de Buenos Aires, estava envolvido no crime. A denúncia o prejudicou e ele perdeu a eleição para Maria Eugenia Vidal, aliada do presidente Macri.

No domingo, dia 19 de junho, foi preso em Foz do Iguaçu e levado ao Paraguai, o traficante Ibar Pérez Corradi, suspeito de ser o autor intelectual do assassinato em 2008. A Argentina já pediu sua extradição.

Sobre a prisão , Fernandez disse “ Não me preocupo nem um pouco”. ( F S P , 21.06.2016, p, A-14) ,

Lei de delação

Os deputados argentinos aprovaram no dia 23 de junho um projeto de lei , discutido há 15 anos, que permite a delação premiada em casos de corrupção. Foram 194 votos a favor e cinco contra.

Ela já existia para casos de lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. A Operação Lava Jato no Brasil influenciou para que o assunto tivesse sua tramitação acelerada. O texto precisa ainda passar pelo Senado. ( F S P , 24.-06.2016, p. A-10) .

Crise afeta redutos tradicionais argentinos

Pequenos estabelecimentos e tradicionais estão ameaçados pela desaceleração econômica .

Símbolos da cultura do país, como milongas e livrarias , sofrem com a queda do consumo e com a alta de até 500% nos preços da luz e do gás .

A livraria Adan Buenosayres, depois de dez anos funcionando na avenida Corrientes, a mais tradicional do país que concentra sebos e livrarias , anunciou o cierre,

Na Adan, as vendas caíram 50% desde o início do ano e o dono, David De Vita, a anunciou há 20 dias uma liquidação para poder pagar os funcionários e fechar o ponto.

Na Edipo, na frente da Adan , também houve queda de 50% nas vendas e a conta de luz bimestral de 3.000 pesos, passou para mensal de 6.000 pesos. Não vão fechar porque não pagam aluguel.

Nas milongas ( estilo de música e dança), em média o público caiu 30% e o preço dos aluguéis subiu 20%.

Na fábrica de doces de leite Vauquita uma das mais tradicionais da Grande Buenos Aires a fatura do gás passou de 32 mil pesos, para 132 mil.

O governo de Maurício Macri anunciou que dará um desconto nas contas de luz e gás para pequenas empresas e clubes de bairro. Mas , na percepção do mercado, o pior já passou e a demanda deve voltar a subir nos próximos meses. ( F S P ,29.06.2016,p. A-18) .

Puxado por uma retração na indústria, o PIB da Argentina diminuiu 0,7% no primeiro trimestre de 2016 , na comparação com o último trimestre de 2015.

Foi a terceira queda consecutiva da atividade econômica do país. Nos terceiro e quarto trimestres de 2015, a retração havia sido de 0,4% e 0,1% respectivamente.

A indústria recuou 16,3% ,os gastos públicos diminuíram 10,6% e os investimentos 10,1%.O motivo dos recuos são os ajustes feitos por Maurício Macri como a desvalorização da moeda e aumento de até 500% nas tarifas de água e luz.

Mas, na comparação com janeiro a março de 2015, o PIB avançou 0,5%. Com a absorção dos ajustes ao longo do tempo, a economia deve voltar a crescer e os números do primeiro trimestre de 2016 já até foram melhores do que o esperado. ( F S P , 30.06.2016, p. A-20) .

ARMÊNIA

O Parlamento da Alemanha aprovou em 2 de junho , por ampla maioria uma resolução que reconhece o massacre de armênios pela forças otomanas em 1915, durante a Primeira Guerra Mundial ( 1914-1918) , como um genocídio.

O texto , com o título “Lembrança e recordação do genocídio dos armênios e de outras minorias cristãs há 101 anos”, causou revolta do governo da Turquia , cujo território na época pertencia ao Império Otomano , aliada chave dos alemães agora por causa do acordo para conter o fluxo migratório na Europa.

O governo turco chamou de volta o seu embaixador na Alemanha e o presidente turco , Recep Tayyip Erdogan , afirmou que a resolução afetará seriamente a relação entre os dois países.

Muitos deputados alemães disseram que a resolução não era algo sobre as atuais autoridades turcas, e sim contra o governo da época.

O ministro das Relações Exteriores da Armênia, Edward Nalbandian, falou em ” contribuição notável da Alemanha ao reconhecimento da condenação internacional do genocídio armênio”. ( F S P , 3.6.2016, p. A-12) .

BÉLGICA

O Ministério Público Federal belga informou no dia 10 de junho que um homem de 31 anos, de nacionalidade belga , foi detido no dia 9 de junho no bairro de Schaerbeek , o mesmo de onde partiram , em um táxi, os três terroristas que explodiram bombas no aeroporto de Bruxelas.

Ele foi indiciado por participação em atividades de um grupo terrorista, assassinato terrorista , e tentativa de assassinato terrorista.

Em abril, a polícia deteve seis homens em operação relacionada aos atentados. Quatro foram acusados de integrar uma organização terrorista, entre eles Abrini, que era procurado desde os ataques de Paris, em novembro. ( F S P , 11.06.2016, p. A-17) .

Em 18 de junho, durante uma operação antiterrorista em 16 municípios, a policia belga deteve 12 suspeitos de atividades ligadas ao terrorismo,

Depois, três foram acusados de “autoria ou de coautoria na tentativa de cometerem assassinato terrorista e por participação nas atividades de um grupo terrorista “ e os demais nove foram libertados. ( F S P , 19.06.2016, p. A-19).

CHINA

Excesso de capacidade industrial

O secretário do Tesouro americano, Jack Lew, falando a estudantes em Pequim, disse que espera fazer progressos sobre a questão do excesso de capacidade industrial da China em reuniões bilaterais.

“O excesso de capacidade não é apenas um problema interno da China. A questão tem , literalmente, um enorme efeito sobre os mercados globais para produtos como aço e alumínio e observamos distorções”.

Segundo Lew, “ o excesso de capacidade é corrosivo para a eficiência de uma economia. Significa que há má alocação de recursos e também que, em última instância, a única maneira de limpar o mercado é vender coisas a um preço que está abaixo do que deveria no mercado global”. ( F S P , 6.6.2016, Folhainvest, p. 7) .

Cerco a dirigentes corruptos

O governo chinês definiu novas diretrizes para combater desvios de corrupção. E a maior campanha já feita no país para coiir a corrupção.

Morte ou cadeia: Pena de morte ou prisão perpétua em casos de desvio ou recebimento de propinas superiores a R$ 1,6 milhão.

Delação: Abertura de processo criminal se funcionário público não delatar parente ou se subordinado aceitar propinas.

Marido e mulher: Maridos e mulheres de autoridades públicas não podem aceitar cargos de direção em empresas privadas ou em multinacionais.

Nada para o cônjuge: Quanto mais alto o ranking , regras mais severas aos cônjuges. Não podem ser diretor, sócio, investidor ou ter uma empresa.

Contrato com parente: Filhos, genros e noras não podem trabalhar em setores que mantenham negócios ou contratos com a área dirigida pelo parente.

Cargos de familiares: Autoridades precisam fazer relatórios anuais sobre os negócios , empregos e empresas de seus parentes.

Checagem aleatória: PC vai realizar investigações aleatórias em departamentos públicos para checar o cumprimento das normas.

Bordéis de luxo estão fechando por falta de clientes. Maior polo mundial da jogatina e um dos preferidos da elite chinesa, os cassinos de Macau viram seu lucro despencar 34% em 2015 em relação a 2014, em contraste com o PIB chinês que cresceu 6,9%

Segundo números oficiais, 300 mil burocratas foram punidos em 2015. A sanção mais comum é o cancelamento de promoção nos rankings do governo e do partido.

O ex-diplomata chinês David Lai, professor do Instituto de Estudos Estratégicos da Escola de Aeronáutica da Pensilvânia é cético: “Muitas dessas campanhas são só expurgos de rivais. Limpeza ética só se faz com Judiciário independente . Mas tem o lado bom de assustar burocratas corruptos. No velho ditado chinês, você atira na galinha, para espantar os macacos”.( F S P , 12.06.2016, p. A-16) .

Carvão

A China está conseguindo reduzir o consumo de carvão mineral. Ele chego ao pico de 4,2 bilhões de toneladas em 2013, caiu para 4,1 bilhões em 2014 e 3,9 bilhões em 2015. O carvão é responsável por gerar 70% da energia do país. ( Revista Exame, 22.06.2016, p.81).

COLÔMBIA

Cessar-fogo

A porta-voz do governo colombiano nas negociações de paz , ao lado do guerrilheiro das Farc , Marco Calarca, em Havana anunciaram que em 23 de junho será , em cerimônia em Havana , comunicada a definição de um cessar-fogo bilateral, com a presença do presidente Juan Manuel Santos . ( F S P , 23.06.2016, p. A-12) .

O acordo foi anunciado em 23 de junho em Havana com a presença do presidente colombiano Juan Manuel Santos , o ditador cubano , Raul Castro , e o líder das Farc , Rodrigo Londono ) o “Timochenko”) . Mas não há ainda data definida para sua assinatura.

O conflito já passou dos 50 anos e deixou 250 mil mortos e 8 milhões de deslocados internos, forçados a deixar suas casas. Um em cada seis colombianos foi afetado, É a mais antiga e a mais destrutiva guerra movida por uma guerrilha comunista e esse aspecto altamente negativo não pode ser esquecido.

O acordo inclui um cessar-fogo , a entrega de armas pela guerrilha e a definição das zonas de segurança onde transitarão os guerrilheiros antes de serem julgados e voltarem à vida civil.

Um plebiscito será realizado em dois ou três meses , após a assinatura do acordo, para a implementação do tratado.

Foram definidas 23 zonas de transição, onde os guerrilheiros aguardarão julgamento antes de entrarem na vida civil.

As Farc querem passar a serem um ator político, como se suas ideias ultrapassadas pudessem ser aceitas por parte significativa da população. ( F S P , 24.-06.2016, p. A-10) .

COREIA DO NORTE

Deserções

O número de desertores norte-coreanos que chegaram À Coreia do Sul despencou desde que Kim Jong-um assumiu em Pyongyang.

Em 2011 , data da morte de Kim Jong-il, pai do atual ditador, 2.076 norte-coreanos adentraram o território sul-coreano. Em 2015 foram só 1.276, uma redução de 39%.

O declínio decorre a reforços do regime na segurança e o aumento dos valores cobrados por atravessadores e por guardas de fronteira como propina.

Pyongyang também passou a facilitar vistos para que norte-coreanos visitem parentes na China e aumentou a punição para pessoas que forem flagradas falando no celular com desertores.

Mas, o regime parece ter ficado mais tolerante, permitido que mais pessoas recorram a trabalhos informais para ter condições básicas de vida e buscar meios de sobrevivência no próprio sistema.

Mas, como a fronteira entre Coreia do Norte e Coreia do Sul é altamente militarizada, desertores normalmente procuram escapar pela China e de lá tentar chegar a nações como a Mongólia, que enviam refugiados depois para a Coreia do Sul.

Mas, o governo chinês se prender desertores, tem por política os devolver a Pyongyang e aí eles acabam obrigados a viver nas sombras.

As deserções norte-coreanas explodiram a partir da década de 1990 , quando estimados 600 mil a 1 milhão de cidadãos morreram de inanição , e a crise econômica se agravou. Na época, com o colapso da URSS em 1991, o regime viu o fim da ajuda de Moscou.

A crise levou o governo a lançar a campanha “Vamos comer só Duas Refeições Por Dia!” e a situação que já era grave, piorou com enchentes entre 1995 e 1996.

A partir de então, além de homens com alto padrão de escolaridade que saíam do país por discordância política , passaram a desertar também mulheres e crianças pobres e famintas. ( F S P , 10.06.2016, p. A-14) .

CUBA

Liberação de voos

O Departamento de Transportes dos EUA , anunciou no dia 10 de junho que seis companhias aéreas do país, receberam permissão para fazer viagens a Cuba. Os primeiros voos devem começar em 90 dias, pois as empresas precisarão de tempo para se adaptar, principalmente ao sistema cambial da ilha.

É a primeira permissão concedida pelas autoridades americanas, depois que os dois países fecharam acordo para retomar as viagens aéreas, em dezembro de 2015.

Ao todo, 155 voos foram liberados, a maioria saindo de Miami e Fort Lauderdale, na Flórida, que é o Estado mais próximo de Cuba e que concentra a maior comunidade cubana dentro dos EUA.

Além da Florida, também haverá aviões saindo de Chicago, Filadélfia e Minneapolis. Em território cubano, as bases serão as cidades de Camaguey, Cayo Loco, Cayo Largo, Cienfuegos, Holguín, Manzanillo, Matanzas, Santa Clara e Santiago de Cuba.

Foram liberadas a American Airlines com cota de 58 voos semanais, a JetBlue, a Southwest Airlines, a Frontier Airlines, a Silver Airways e a Sun Country Airlines. (F S P, 11.06.2016, p. A-16).

ESPANHA

A Espanha terá novas eleições em junho e o impasse esta estabelecido. O PP , Partido Popular da Espanha, de centro-direita tem 29% dos votos.

O esquerdista Podemos, do líder Pablo Iglesias , tem 24% e é contrário a alianças com os partidos tradicionais.

O PSOE, tem 21% e defende uma reforma fiscal que mantenha benefícios fiscais e o centro-direita Ciudadanos quer cortes maiores e tem 15% das intenções de voto.

O PP e o PSOE vinham se alternando no poder, mas com a crise e o avanço do partido anti austeridade Podemos , e o liberal Ciudadanos , não dá mais para passar do teto de 30% e a classe política espanhola, acostumada à rotação de apenas dois grandes partidos, terá de aprender a formar coalizões. ( Revista Exame, 8.6.2016, p. 52-53) .

O PP elegeu 137 deputados , incremento de 14 assentos em relação aos 123 de 2015. O PSOE ( centro esquerda), em segundo lugar , terá 85 cadeiras , perda de cinco em relação às 90 que tinha.

A coalizão de esquerda Unidos Podemos terá 71 assentos, no lugar dos 69 reunidos antes. O Podemos sonhava tornar-se o líder da esquerda espanhola, mas agora busca entender o fracasso nas urnas. Em número de votos a situação é mais negativa. A coalizão recebeu 1,2 milhão de votos a menos em comparação com dezembro( F S P , 28.06.2016, p. A-12) .

O partido Cidadãos, estreante em dezembro, foi derrotado, caindo de 40 para 32.

O PP para governar terá que formar uma coalizão para chegar aos 176 assentos necessários para conquistar a maioria. É uma situação semelhante à de dezembro, quando as negociações fracassaram e levaram à convocação de novas eleições. ( F S P , 27.06.2016,p, A-9) .

O Brexit deve acelerar acordo para a formação do novo governo espanhol.

O premiê conservador , Mariano Rajoy , do PP disse no dia 27 de junho que o tema europeu é “capital” e que seria “ uma irresponsabilidade antológica”, impedir a estabilidade nesta hora.

Ele está interinamente no cargo desde as eleições de 20 de dezembro, quando após quatro anos de mandato não conseguiu repetir a maioria absoluta para governar. Agora , afirma: ‘É urgente formar governo”. ( F S P , 28.06.2016, p. A-12) .

EUA

O governo americano divulgou alta de apenas 38 mil empregos em maio, a menor em cinco anos.

A taxa oficial de desemprego caiu de 5% para 4,7% , mas a queda foi causada principalmente por americanos que saíram da força de trabalho.

Com isso, o Fed pode postergar um aumento nos juros, o que beneficia economias como o Brasil. ( F S P , 4.6.2016, p, A-19).

A presidente do Fed, Janet Yellen, evitou no dia 6 de junho dizer quando deverá ocorrer aumento dos juros americanos , refletindo os dados fracos de criação do emprego nos EUA e sinalizando que o Fed terá que manter por mais tempo a política de juros baixos, visando incentivar a economia. ( F S P , 7.6.2016, p. A-13) .

O Fed adiou novamente a alta dos juros e sinalizou que a taxa de juros terá alta menor no longo prazo.

As previsões dos integrantes do Fed continuam mostrando duas altas da taxa em 2016 ( para 0,875% , no final de 2016), mas para o fim de 2017 1,625% e de 2018, 2,375%, portanto as previsões anteriores foram reduzidas mostrando que o Fed está agindo com maior cautela, refletindo as incertezas na economia americana e no exterior. ( F S P , 16.06.2016, p. A-20) .

O PIB americano cresceu de janeiro e março em uma taxa anualizada de 1,1% e o cenário para o restante do ano é bastante incerto , ainda mais depois da decisão do Reino Unido de sair da União Europeia. O resultado fraco do PIB , no primeiro trimestre, associado ao desempenho medíocre do mercado de trabalho, em apenas 38 mil vagas criadas em maio, levaram o Fed a não subir a taxa de juros , decisão que deve demorar ainda mais com o aumento das incertezas mundiais decorrentes do Brexit. ( F S P ,29.06.2016,p. A-13) .

Estado Islâmico

Mais um lobo solitário agiu e desta vez foi muito eficiente em matar pessoas. Omar Mateen, 29 anos, americano, filho de afegãos e que tinha repulsa por gays, invadiu às 2 horas da manhã do dia 12 de junho a boate Pulse, uma das principais boates gays de Orlando, onde 200 pessoas dançavam e começou a atirar a esmo com um fuzil AR-15 e uma pistola, armas que ele comprou legalmente em uma loja há trinta dias.

Mateen é nascido e criado nos EUA o que mostra a imensa capacidade dos terroristas do Estado Islâmico de realizar lavagem cerebral em uma pessoa.

Mas, não é uma pessoa normal, mas sim uma personalidade agressiva, homofóbica e sádica. Seu comportamento na ação denota que era uma pessoa totalmente desequilibrada.

Um dos sobreviventes, Marcus Godder, 26, contou que olhou nos olhos do assassino e “viu o mal. Ele tinha um sorriso sórdido no rosto”.

Uma pessoa que sai matando a esmo pessoas atirando com fuzil AR-15 não é normal, é um monstro e é isso que o Estado Islâmico está tentando espalhar pelo mundo.

Segundo John Mina, chefe da polícia de Orlando, Mateen matou quase todas as vítimas no início da ação. Depois, por três horas, ficou conversando com a policia por telefone, enquanto mantinha dezenas de reféns num banheiro da casa noturna Pulse.

O impasse só terminou com a decisão de a polícia abrir um buraco com um carro numa das paredes da casa noturna ,quando Mateen ameaçou detonar explosivos.

A ameaça revelou-se apenas um blefe e ele foi morto em troca de tiros com os policiais. Mas matou pelo menos 50 pessoas e feriu outras 53 até ser morto pela polícia. Seis dos feridos estão em estado grave. Foi o maior ataque a tiros da história recente dos EUA. ( F S P ,14.06.2016, p.A-10) .

Antes de agir ligou para a polícia e disse que o faria pela facção terrorista Estado Islâmico. Mostrando bem o que é um lobo solitário, em uma das ligações ele se identifico como um “soldado islâmico” e indicou que a ação era uma vingança contra os bombardeios dos Estados Unidos na Síria e no Iraque. “É por isso que estou aqui , agora”. ( F S P , 21.06.2016, p, A-13) ,

Horas depois do ataque, uma agência de notícias ligada ao EI afirmou que “ um combatente da facção executou o atentado”. ( F S P, 13.06.2015, p. A-12).

Cerca de 10.000 pessoas são investigadas por terrorismo nos EUA , e é inviável monitorar cada passo delas. Por isso o Estado Islâmico, impossibilitado de uma ação de maior envergadura, investe na lavagem cerebral e na ação de escravos mentais como os lobos solitários porque é quase impossível antecipar ações deste tipo de pessoa. ( Revista Veja,22.06.2016, p.70) .

Plano Migratório

A Suprema Corte dos EUA manteve no dia 23 de junho o bloqueio a um dos principais programas de imigração de Barak Obama, destinado a proteger milhões de estrangeiros da deportação.

A medida , assinada por decreto presidencial há quase dois anos ,oferecia uma espécie de anistia a 5 milhões de imigrantes em situação irregular cujos filhos são cidadãos americanos.

Uma corte inferior do Texas. suspendeu o plano, a pedido de uma coalizão de 26 Estados e a decisão foi mantida por 4 a 4. Se Donald Trump for eleito, ele já disse que vai cancelar a reforma. Trump propõe deportar os 11 milhões de imigrantes sem documentos no país. Hilary Clinton é a favor, pois diz que a decisão poderá “ separar 5 milhões de famílias” e por isso “ é inaceitável”. ( F S P , 24.-06.2016, p. A-12)

ESCRAVIDÃO

Segundo indicador de direitos humanos do grupo sediado na Austrália, Walk Free Foundation , a estimativa de pessoas nascidas na escravidão, vítimas de tráfico para trabalhos sexuais e presas por servidão por dívida ou trabalho forçado , aumentou de 35,8 milhões em 2014, para 45,8 milhões em 2015.

A incidência da escravidão foi encontrada em todos os 167 países avaliados pelo índice, mas a Índia registrou o maior número, com 18,4 milhões de pessoas em uma população total de 1,3 bilhão . E a maior prevalência da escravidão ocorre na Coréia do Norte.

O Brasil aparece em 41º lugar , com 161 mil pessoas trabalhando em condições de escravidão.

O aumento de quase 30% se deve à melhoria na coleta de dados , embora a situação possa estar piorando com os deslocamentos mundiais e a imigração , que aumentam a vulnerabilidade de todas as formas de escravidão. ( F S P , 1.6.2016, p. A-9) .

IMIGRANTES

Segundo estimativa feita pela Organização Internacional para a Imigração ( OIM), divulgada no dia 31 de maio, até o dia 29 de mio morreram ou desapareceram 2.443 pessoas nas diferentes rotas do Mediterrâneo, aumento de 34% em comparação com os 1.828 que sumiram entre 1º de janeiro e 31 de maio de 2015. No ano todo de 2015 a estimativa total de pessoas mortas foi de 3.770.

Cresceram as fatalidades e o total de pessoas chegando á Europa pelo mar. Foram 91.860 de janeiro a maio de 2015 , passando para 204.311 de janeiro a maio de 2016.

Mais de 75% das chegadas em 2016 foi pela Grécia, 156.364, contra 40.297 em 2015, mas o fluxo por esta rota foi freado após acordo entre a Turquia e a União Europeia.

Pela Itália o número de chegadas ficou no mesmo patamar de 2015, cerca de 47.449 em 2015 e 46.856 em 2016.

Agora , o fluxo volta a ser intenso pela rota da Itália. ( F S P , 1.6.2016, p. A-9) .

Corpos na Líbia

Ao menos 117 corpos de migrantes e refugiados que tentavam atravessar o Mediterrâneo foram encontrados no dia 3 de junho em uma praia da Líbia. Cerca de 75 eram de mulheres, 36 de homens e 6 de crianças , segundo o Crescente Vermelho. É provável que tenham se afogado nas últimas 24 horas porque não estavam em decomposição. ( F S P , 4.6.2016, p, A-14).

10 de junho, 1.348 resgatados

A Guarda Costeira da Itália, informou no dia 11 de junho que foram retirados 1.348 imigrantes em 11 operações diferentes entre as últimas 24 horas no Mediterrâneo, entre a Sicília e no Norte da África.

A maioria é de países como Eritréia , Nigéria e Costa do Marfim , tentando chegar à Europa pela rota da Líbia.

Na semana, passa de cinco mil o número de resgatados e desde janeiro são mais de 48 mil , número similar ao mesmo período de 2015. ( F S P , 12.06.2016, p. A-17) .

65,3 milhões de deslocados

O número de pessoas forçadas a se deslocar pelo mundo por conflitos , perseguição ou violência de forma geral ao final de 2015 totalizou 65,3 milhões de pessoas , segundo relatório do Acnur, braço da ONU, número recorde e quase 10% acima dos 59,5 milhões de 2014.

A maior parte, seis em cada dez, se locomoveu dentro de seu próprio território: Colômbia ( 6,9 milhões ),Síria ( 6,6 milhões ) e do Iraque ( 4,4 milhões ). ( F S P , 20.06.2016, p. A-10) .

Turcos matam sírios migrantes

Guardas de fronteira da Turquia mataram a tiros pelo menos 11 sírios , a maioria de uma mesma família , quando tentavam entrar no território turco no dia 19 de junho.

A Turquia abriga 2,7 milhões de refugiados sírios, mas fechou quase inteiramente suas fronteiras. ( F S P , 20.06.2016, p. A-10) .

IRÃ

O Irã fechou um acordo para comprar cem aviões de passageiros da Boeing , a primeira compra com a Boeing desde a Revolução Islâmica de 1979. A Airbus fechou acordo para vender 118 aviões por US$ 27 bilhões. ( F S P , 20.06.2016, p. A-13) .

IRAQUE

Estado Islâmico atira em civis

As autoridades iraquianas estão em ofensiva desde maio para recuperar a cidade de Fallujah, controlada pelo EI.

As tropas estão encontrando dificuldade para superar a resistência dos militantes devido à presença de 50 mil civis na cidade.

O Estado Islâmico está atirando em civis que tentam deixar a cidade. Um homem-bomba se explodiu em meio a uma multidão de civis em fuga, matando duas pessoas e deixando outras três feridas no domingo dia 5 de junho.

Civis também foram mortos quando tentavam cruzar o rio Eufrates, de acordo com o Conselho de Refugiados Norueguês ( NRC) , uma das entidades que ajudam as famílias em perigo a sair da cidade. O EI também está sob ataque em Raqqa na Síria. ( F S P , 7.6.2016, p. A-10) .

No dia 18 de junho as forças iraquianas retomaram o principal hospital de Fallujah, que estava sob controle do Estado Islâmico. As forças iraquianas entraram na cidade no dia 17 de junho, recapturando a maior parte da cidade, um dos últimos bastiões do EI na província de Anbar, a oeste de Bagdá, após semanas de batalhas nos arredores. ( F S P , 19.06.2016, p. A-19).

As forças iraquianas libertaram completamente Fallujah no domingo dia 26 de junho depois de cinco semanas de ação e que obrigou 85 mil pessoas a fugir da área e se abrigar em campos de refugiados.

Ao menos 1.800 solados do EI foram mortos e os demais combatentes fugiram. Agora está aberto o caminho para a retomada de Mossul, considerada a capital do EI no Iraque. ( F S P , 27.06.2016, p. A-11).

ISRAEL

Palestinos voltaram a atacar. Dois homens armados abriram fogo nas redondezas de um complexo comercial e gastronômico em Tel Aviv, na noite de quarta-feira dia 8 de junho, matando quatro pessoas – dois homens e duas mulheres , com idades entre 32 e 58 anos e ferindo outras seis.

Foi o mais violento na capital comercial e de entretenimento do país desde uma série de ataques de esfaqueadores palestinos em outubro de 2015.

Não houve reinvindicação do ataque, mas o Hamas e outras organizações palestinas foram rápidos em elogiá-lo. Mas, Mahmoud Abbas, genericamente condenou ataques em nota: “ A presidência tem, repetidamente enfatizado sua posição contra ataques civis, independentemente de suas origens ou justificativas”. Os EUA também condenaram o atentado e disseram que apoiam o direito de Israel de defender seus cidadãos, mas pediram que o governo “leve em consideração o impacto das medidas sobre cidadãos palestinos”.

A ONU, o Brasil e a União Europeia condenaram o atentado e solidarizaram-se com Israel.

Após o ataque ao Sarona Market, os dois atiradores foram presos e identificados pela polícia como palestinos , vindos de um vilarejo perto da cidade de Hebron , na Cisjordânia . Um deles foi ferido.

Os dois são primos , tem cerca de 20 anos e estavam em um restaurante próximo ao local, vestidos de terno e gravata , quando iniciaram o tiroteio. Os vigilantes barraram a entrada dos dois no Sarona, que estava lotado. ( F S P , 9.6.2016, p.A-13) .

Ahmad Mussa Mahmara, pai de um dos terroristas , afirmou que seu filho tem dois tios cumprindo prisão perpétua em Israel. “Não esperávamos isso. Meu filho é novo e passou os últimos quatro anos na Jordânia, voltou há cinco meses. Ele não tem filiação política”. A casa da família será demolida. ( F S P , 10.06.2016, p. A-13) .

Após o atentado, o governo de Israel anunciou em 9 de junho uma série de restrições ao movimento de palestinos e enviou centenas de soldados à Cisjordânia.

O Exército israelense informou que revogará cerca de 83 mil permissões emitidas a palestinos da Cisjordânia para visitarem parentes em Israel durante o Ramadã, mês sagrado dos muçulmanos.

Medidas como essa, incluindo restrições ao acesso do complexo da Mesquita de Aqsa , local sagrado no coração da Cidade Antiga a que judeus se referem como o Monte do Templo, levaram no passado a uma crescente tensão com os palestinos. ( F S P , 10.06.2016, p. A-18) .

ISLAMISMO

“Nenhuma doutrina é mais violenta com a comunidade gay do que a doutrina islâmica. É hora de assumir a existência da homofobia muçulmana”. Ayaan Hirsi Ali, premiada escritora somali. ( Revista Veja,22.06.2016, p.44) .

JORDÂNIA

Um monumento de mais de 2.300 anos foi descoberto no sítio arqueológico de Petra, na Jordânia ,por meio de imagens de satélite, fotos de drones e pesquisas em solo.

A estrutura retangular, do tamanho de uma piscina olímpica está soterrada em um local próximo aos monumentos mais visitados da cidade antiga.

A região de Petra começou a ser povoada no século 4ª a.C. , quando foi fundada pelos nabateus , que habitavam regiões onde estão hoje Jordânia, Iraque, Síria e Líbano. Todas as construções de Petra foram feitas a partir do entalhe de colinas de pedra rosada no sul jordaniano.

Petra foi conquistada pelos romanos no século 2º . Depois de ter sido abandonada, só foi redescoberta em 1812 pelo viajante suíço Joham Ludwig Burckhardt.

Em 2007 , Petra foi eleita uma das sete maravilhas do mundo moderno, junto com o Coliseu , na Itália; a cidade maia de Chichén Itzá, no México; Machu Picchu, no Peru; a Muralha da China; o Cristo Redentor, no Brasil , e o Taj Mahal, na Índia.

O local entrou na lista da Unesco de patrimônios da humanidade em 1985 e desde então tornou-se um dos sítios arqueológicos mais visitados do mundo. ( F S P , 11.06.2016, p. A-17) .

MÉXICO

Estudo , “ A Tortura de Mulheres no México”, elaborado pela Anistia Internacional e divulgado em 28 de junho aponta o aumento da violência pelas forças de Estado no México e mostra que a maioria das detentas ouvidas é alvo de mais tratos ou é torturada no ato de sua prisão ou quando já está encarcerada.

Cerca de 97 das 100 mulheres ouvidas em distintas regiões do país, afirmaram ter sido tratadas com violência. Trinta e três dizem ter sido estupradas por integrantes das Forças Armadas ou da polícia.

Apesar de 2.403 denúncias registradas na Justiça, nenhum processo foi aberto contra os possíveis agressores. A impunidade espanta . A maioria das detentas está em prisão preventiva , enquanto aguarda julgamento por crimes relacionados ao narcotráfico.

O Estado mexicano , com Felipe Calderón, declarou guerra aos cartéis e iniciou ações bélicas de forma sistemática. Desde 2006, morreram 80 mil, incluindo milhares de civis. O presidente atual, Enrique Peña Nieto , regionalizou ações e adotou alianças em alguns casos com as chamada “autodefensas” , milícias formadas por cidadãos, A estratégia não vem dando certo e o número de homicídios em 2016, aumentou 15%. ( F S P , 28.06.2016, p. A-13) .

NEOLIBERALISMO

Texto produzido pelo FMI critica as políticas neoliberais. Segundo o mesmo, a agenda neoliberal , assenta-se em duas bases: Mais concorrência, conseguida pela desregulamentação e abertura dos mercados domésticos , incluindo os mercados financeiros, à concorrência externa.

A segunda é um papel menor para o Estado, obtido por meio de privatizações e limites na capacidade dos governos de incorrer em déficits fiscais e em acumular dívida.

Os pesquisadores do FMI destacaram os aspectos positivos destas medidas: “ A expansão do comércio global tirou milhões da pobreza abjeta. Investimento estrangeiro direto foi, frequentemente ,uma maneira de transferir tecnologia e know-how para economias em desenvolvimento. A privatização de empresas estatais , levou, em muitos casos, a uma provisão mais eficiente de serviços e reduziu a carga fiscal dos governos”.

Mas, a crítica e que interessa diretamente ao Brasil, é que: “Em vez de entregar crescimento, algumas políticas neoliberais aumentaram a desigualdade , ao mesmo tempo em que prejudicaram uma expansão duradoura”.

A desregulamentação excessiva , pilar do neoliberalismo, que causou a crise de 2008/2009, resultou em baixo crescimento. O resultado é que “ a economia global está presa em uma armadilha de baixo crescimento que requer o uso mais coordenado e abrangente de políticas fiscal, monetária e estrutural para passar a um patamar de crescimento mais alto”. ( F S P , 2.6.2016, p. A-14) .

Samuel Pessôa faz uma interessante comparação com o resultado , na América Latina de políticas neoliberais , em relação aos países com políticas bolivarianas.

Em 1990 , a renda per capita da Argentina, segundo o FMI era de US$7.213 e a do Chile de US$ 5.846. O Chile cresceu lenta e ininterruptamente e hoje sua renda per capita é 21% maior do que a da Argentina. O legado dos Kirchner não é só de baixo crescimento, mas de aumento consistente da inflação, que está em 35% ao ano.

Em 2.000 a Colômbia tinha PIB per capita de US$ 6.621 e o da Venezuela era de US$11.627. O PIB da Colômbia era 57% o da Venezuela e hoje é de 83%.

A pobreza tem crescido muito na Venezuela e a inflação explodiu, e na Colômbia, a pobreza tem caído ininterruptamente . Em 2.000 a taxa de pobreza era de 28% da população , caindo para 14% em 2013 e a inflação está controlada.

Portanto, as críticas ao neoliberalismo não servem para a América Latina . ( F S P , 5.6.2016, Mercado, p. 7) .

NICARÁGUA

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, em apenas duas semanas, tomou três decisões que radicalizam seu regime e colocam em risco o processo democrático na Nicarágua.

Anunciou-se candidato a um quarto mandato ( a reeleição indefinida foi aprovada em 2014) .Informou que não será permitida a presença de observadores ou organizações de direitos humanos internacionais nas eleições de 6 de novembro.

Também retirou a representação legal da principal aliança opositora, encabeçada pelo PLI ( Partido Liberal Independente) .

As legendas de oposição anunciaram por isso que não disputarão o pleito, apenas o partido de Ortega, a Frente Sandinista de Libertação Nacional e outras agremiações menores, alinhadas ao governo.

Os índices de popularidade de Ortega são hoje os mais altos da América Latina, entre 60% e 70%.

A projeção para crescimento do PIB em 2016 é de 4,5%, mas as exportações, basicamente de commodities estão em queda e a imagem de que o autoritarismo no país está crescendo, afugenta investidores.

O declínio do regime venezuelano tem colaborado para que Ortega se mostre autoritário.

Muitos dos recursos que financiavam os programas sociais aplicado na Nicarágua e que beneficiavam a população pobre vinham da Venezuela. Havia muito investimento da Venezuela e um comércio bilateral intenso, mas isso acabou.

Ortega enfrenta problemas com uma cisão interna de sua Frente Sandinista de Libertação Nacional. Partido histórico socialista, fundado nos anos 1960, em 1979 derrubou a ditadura de Anastásio Somosa e agora teve seus líderes mais tradicionais afastados por Ortega e sua mulher, Rosario Murilo, que ocupa o cargo de porta-voz do governo e, informalmente, é uma espécie de chefe de gabinete, a quem respondem ministros e congressistas.

Com isso, muitos políticos ligados a essa vertente mais tradicional do sandinismo não apoiam Ortega e pensam em agrupar-se em um partido dissidente, de oposição.

Ortega já concorreu nas eleições de 1984, 1990, 1996, 2001, 20056 e 2011 e venceu em 1984, 2006 e em 2011 com 62,45% dos votos. ( F S P , 18.06.2016, p, A-15) .

PERU

As eleições presidenciais no Peru ainda não se definiram, mas ambos os candidatos apoiam a continuação das políticas de livre mercado que fizeram do país uma das mais bem sucedidas economias da região.

Com isso , é mais um pais livre da ameaça do bolivarismo, marcando uma tendência na América Latina, com a vitória de Macri, na Argentina, a vitória da oposição ao chavismo nas eleições parlamentares na Venezuela, a derrota de Evo Morales de tentar ser presidente eterno e chega à troca de Dilma Rousseff por Michel Temer no Brasil.

No caso do Peru, Ollanta Humala, embora tenha começado como uma espécie de Hugo Chávez, converteu-se às políticas pró-mercado de seus antecessores e portanto não será uma virada à direita, mas a continuidade de uma linha. ( F S P , 5.6.2016, p. A-17) .

O resultado final das eleições presidenciais no Peru foi divulgado em 09 de junho e o economista conservador Pedro Paulo Kuczynski , 77 , venceu com 50,12% , contra Keiko Kurimori , 41, com 49,88%.

A diferença entre os dois ficou em apenas 41 mil votos.

Kuczynski terá que conquistar o apoio do Congresso , dominado pelo fujimorismo. Seu partido, o Peruanos pela Mudança, tem 18 deputados , e os rivais da Força Popular tem 73 das 130 cadeiras. Protestos contra o fujimorismo em 31 de maio, com a participação de 50 mil pessoas, entre sindicatos e vítimas da ditadura foram decisivos para virar a eleição para o PPK.

Keiko teve a segunda derrota , pois perdeu para o atual presidente Ollanta Humala em 2011 e seu futuro politico parece selado ao fim. ( F S P , 10.06.2016, p. A-11) .

Keiko em discurso no dia 10 de junho , aceitou a derrota e disse que fará oposição “vigilante” a PPK

É improvável que o Força Popular de Keiko use a maioria contra o PPK. A razão é que o receituário econômico do PPK em nada difere do proposto por Keiko.

Ambos pregam o fortalecimento do setor privado e a assinatura de tratados de livre comércio . Graças a esse modelo, o PIB do Peru deve crescer 3,5% em 2016, contra uma contração de 1,3% na América Latina, puxada principalmente pelas crises de Brasil e Venezuela.

Os três últimos presidentes, Alejandro Toledo, Alan Garcia e Ollanta Humala , governaram sem maioria. Em geral, o presidente peruano tem ampla margem de manobra, especialmente se conta com apoio popular.

Os presidentes souberam governar fazendo coalizões oficiais ou não oficiais. Como não há reeleição no Peru, os fujimoristas tentarão se apresentar como uma força política responsável , viável para assumir o próximo mandato e isso deixa bem claro as vantagens de não haver reeleição porque pauta o comportamento de outras forças políticas. ( Revista Veja, 15.06.2016, p. 64-66) .

Pedro Pablo disse que não dará anistia ao ex-líder Alberto Fujimori, mas que pode assinar um pedido de prisão domiciliar se o Congresso solicitar.

Fujimori, com 77 anos, sofre de hipertensão e passou por operações na língua para conter um câncer. Em 2013, o presidente Ollanta Humala recusou o pedido de indulto feito pela família. ( F S P , 11.06.2016, p. A-15) .

PETRÓLEO

O preço do petróleo brito que chegou a atingir apenas US$ 29 no final de janeiro, o menor nível em 12 anos, já subiu 70% e está em US$ 53.

Um incêndio florestal no Canadá , em maio, atingiu a região que produz quase 80% do petróleo do país. O Canadá é o maior exportador de petróleo para os EUA, que ainda importa um quarto do total consumido.

O aumento do preço também foi influenciado por interrupções na produção da Nigéria , o sexto maior exportador mundial. Campos de extração e oleodutos foram atacados por milícias , o que reduziu a produção ao menor nível em 20 anos.

Com a queda no preço, muitas petroleiras pararam de investir e, em 2015 fizeram o menor número de descobertas em 60 anos. Com isso a Opep prevê que a demanda vai superar a oferta em 2017.

O governo americano está estimando que o barril deve ficar acima dos US$ 50 , pelo menos até setembro de 2017. ( Revista Exame, 8.6.2016, p. 54) .

PORTUGAL

Portugal está fechando o cerco aos imigrantes ilegais.

A regularização de imigrantes irregulares em Portugal era uma das mas fáceis da Europa.

Bastava que o imigrante – mesmo sem o visto adequado - conseguisse um contrato de trabalho com uma empresa portuguesa e que esse empregador o inscrevesse na segurança social.

Após seis meses de contribuição, mesmo sobre o salário mínimo, o trabalhador conseguia dar entrada em uma permissão de residência vinculada ao trabalho.

Mas, agora , o SEF ( Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) revogou resoluções anteriores , fazendo valer exclusivamente o que está expresso na lei e com isso a “janela” de regularização através do contrato de trabalho se fechou.

Agora o acesso ao NIF , equivalente ao CPF e a inscrição nos centros públicos de saúde ficou mais difícil para os não regularizados. Os brasileiros, 22,1% do total de estrangeiros legalizados , são a maior comunidade de imigrantes. ( F S P , 21.06.2016, p, A-12) ,

REINO UNIDO

Permanência ou saída da União Europeia

No dia 23 de junho os britânicos vão em plebiscito responder à seguinte pergunta:

“ O Reino Unido deve continuar a ser um membro da União Europeia ou deixar a União Europeia:”

Podem votar todos os britânicos acima de 18 anos e dos 53 países da Comunidade Britânica e da Irlanda que vivam no país. A consulta não é vinculante. Se a opção pela saída prevalecer, os parlamentares farão uma lei para que o país deixe o bloco e votarão. Se a opção pela continuidade prevalecer, o Parlamento pode derrubar a decisão do plebiscito , mas isso é pouco provável que ocorra.

Mas, a deputada trabalhista Helen Joanne “Jo” Cox, 41, favorável à permanência do Reino Unido na União Europeia, foi morta a facadas e tiros no dia 16 de junho, em uma rua do vilarejo de Birstall , no condado de West Collins.

Foi um ato isolado, e o suspeito foi preso logo depois do crime. Trata-se de Thomas Mair, 52 , que será investigado por ligações com a extrema direita e sanidade mental.

Uma testemunha contou que , ao matar Cox, Mair gritou “Britain first!” ( Grã-Bretanha primeiro), slogan nome de um partido de direita inglês.

A ONG Southern Poverty Law Center afirma que há registros de relação dele com o grupo neonazista americano National Aliance , desde 1999.

O falecido líder da NA, William Luther Pierce , também serviu de inspiração para Timothy McVeigh , que matou 168 pessoas em um atentado à bomba em Oklahoma , em 1995. ( Revista Veja,22.06.2016, p.75) .

Na época, Mair gastou US$ 620 em livros da organização, incluindo publicações sobre como fazer pistolas, munições e bombas, além de títulos sobre supremacia branca.

Ele também era assinante da revista “SA Patriot” editad pelo grupo sul-africano White Rhino Club , pró-apartheid e que se diz contra as “sociedades multiculturais” e o “islã expansionista”.

O irmão de Thomas Mair disse que ele não era violento e nem tinha uma posição politica clara. Tinha problemas psiquiátricos, mas recebia tratamento. ( F S P , 18.06.2016, p, A-12) .

Projeções de analistas indicam perdas significativas caso vença o “Brexit”. Relatório da Oxford Economics conclui que “ Qualquer efeito positivo parece limitado e os piores cenários estão longe de serem catastróficos. De qualquer forma, a maior parte das projeções , indica um custo significativo a longo prazo”. Os cenários preveem contração do PIB entre 0,1% e 3,9% em 2017 e queda nos investimentos estrangeiros de até 22% a curto e médio prazos. ( F S P , 21.06.2016, p, A-10) ,

Por 17,4 milhões, ou 52% dos votos , o Brexit venceu e deixou em perplexidade o mundo todo.

Perplexidade porque o resultado aconteceu em um lugar onde a economia vai bem, o desemprego é baixo, as autoridades monetárias preservam o poder de autonomia pelo fato fundamental de não fazerem parte da zona do euro e a austeridade do governo, ou seja, a saída não fazia nenhum sentido. ( Revista Veja, 29,.06. 2016, p. 71) .

Londres e cidades universitárias como Oxford e Cambridge votaram pela permanência, em uma proporção de mais de dois terços, mas foram derrotadas indicando que há um evidente descompasso entre as áreas mais urbanizadas e o inglês do interior.

França , Holanda, Itália, Bélgica, e Luxemburgo reuniram-se no sábado dia 25 de junho e pediram que o Reino Unido acelere sua saída do bloco , de modo a reduzir o período de incertezas que pode prejudicar a economia do continente em caso de demora. ( F S P , 26.06.2016, p. A-15) .

Houve divergências. François Hollande adotou um tom mais duro , dizendo que a União Europeia, “ não tem tempo a perder... o processo para que o Reino Unido deixe a União Europeia deve começar o quanto antes...Não consigo conceber que qualquer governo britânico não vá respeitar a escolha do seu povo” .

Mas a chanceler alemã, Ângela Merkel , destacou que é preciso continuar vendo o Reino Unido “ como amigo e parceiro” e repetiu que não haverá conversas formais ou informais sobre a saída, até os britânicos formalizarem o seu pedido. Merkel no entanto também foi dura: “Quem quiser deixar esta família não pode esperar que vai deixar suas responsabilidades , mas ficar com seus privilégios”. ( F S P ,29.06.2016,p. A-11) .

Mas, sem o Reino Unido, os obstáculos para o projeto de maior integração ficarão reduzidos.

Se o Brexit incentivar outras nacionalidades a optar pela saída , a União Europeia verá o enfraquecimento de seu status de potência econômica, acelerando o movimento de declínio do Ocidente.

Nacionalidades se nutrem da rejeição à União Europeia, da aversão aos imigrantes, do medo do terrorismo e da escassez do trabalho em um bloco que está registrando 8,7% de desemprego , taxa que chega a ser quatro vezes maior entre jovens na Espanha e na Grécia.

Alexandre Schwartsman destaca que os ingleses nunca aceitaram passivamente a livre circulação de trabalhadores no bloco, registrando concorrência “desleal “ de estrangeiros.

A população britânica jamais comprou a ideia de uma união cada vez mais próxima, como expresso na Declaração Solene da União Europeia.

“Ao contrário, o que sobreviveu aos planos de integração e hoje se manifesta de forma crescente é um nacionalismo xenófobo , que não raro descamba para o racismo”. ( F S P ,29.06.2016,p. A-18) .

A onda migratória de mais de 1 milhão de muçulmanos e os riscos inerentes ao islamismo vitaminam essa posição da direita , que se personifica na França com a ascensão da Frente Nacional na França, com Marine Le Pen e vem ganhando força em outros governos da Europa como Hungria, Polônia e Holanda. São forças que agem no sentido contrário ao da integração.

O Reino Unido pode optar por uma relação com a União Europeia semelhante à que tem a Noruega , continuando no mercado comum, ainda que fora da estrutura burocrática de Bruxelas. Isso ainda será decidido.

A perplexidade com o resultado foi tão grande que desde o dia 23 de junho até 26, mais de 3 milhões de pessoas assinaram uma petição feita junto ao Parlamento britânico, para que seja realizado um segundo plebiscito para decidir de novo sobre a questão da saída do bloco europeu. ( F S P , 27.06.2016,p, A-10) .

Já formam um Partido dos Arrependidos. A maioria queria protestar contra o establishment político , mas não refletiu sobre as consequências práticas e já se assusta com a desvalorização da libra e ameaça de caos econômico.

O premiê David Cameron disse que o Reino Unido não deve começar o processo de saída da UE imediatamente. Disse que não há data marcada e que o Reino Unido não vai virar as costas para a Europa e sugeriu ainda que o país poderia continuar a fazer parte do mercado único, mas será uma decisão do novo governo porque ele pediu demissão. ( F S P , 28.06.2016, p. A-10) .

A primeira-ministra da Escócia , Nicola Sturgeon, foi até Bruxelas para dizer que seu país deseja permanecer na União Europeia.

Mas, esta iniciativa foi recebida com resistência. O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, foi o mais incisivo do bloco dizendo que a Escócia “ não tem competência para negociar com a EU... Se o Reino Unido sair, a Escócia sai”, disse Rajoy que também enfrenta momento delicado diante das aspirações separatistas da Catalunha.

François Hollande, também se mostrou reticente sobre o pleito escocês: “ A negociação se dará com o Reino Unido e não com uma parte do Reino Unido”.

Mas, Sturgeon não se surpreendeu com a recepção e não subestima os desafios que enfrentará: “ Tenho o dever de encontrar uma forma de garantir a vontade democrática da Escócia”. Na Escócia, o voto pela permanência britânica na União Europeia venceu por 62% contra 38%.

Os líderes da União Europeia em reunião histórica realizada em 29 de junho, pela primeira vez em quatro décadas sem a presença britânica , decidiram que “ não pode haver negociações” sobre as relações comerciais entre o Reino Unido e o bloco , até que os britânicos acionem a cláusula de saída.

Declaração conjunta firmada ressalta ainda que o mercado único europeu “ exige que sejam aceitos todos os quatro tipos de liberdade de movimentação “, de bens, capitais, serviços e pessoas.

Isso é um recado a declarações de defensores do “Brexit”, como o ex-prefeito de Londres , Boris Johnson, cotado para substituir Cameron, que defendem a manutenção do acesso ao mercado único europeu, mas com restrições à movimentação de pessoas. ( F S P , 30.06.2016, p. A-13) .

RUSSIA

A economia russa está na pior recessão em duas décadas e a popularidade de Vladimir Putin caiu a 80% , a menor em dois anos, mas mesmo assim muito alta. ( Revista Veja, 8.6.2016, p, 42) .

SÍRIA

Estado Islâmico

Forças curdas avançam sobre Manbij , cidade dominado pelo EI , que controla a rota de suprimentos entre a fronteira turca e a cidade de Raqqa, considerada a capital do EI na Síria

Ao mesmo tempo, tropas do governo sírio avançam sobre Raqqa pelo sul. O EI está sob ataque também no Iraque , em Fallujah. ( F S P , 7.6.2016, p. A-10) .

TURQUIA

Ataque ao aeroporto em Istambul

Em mais uma ação covarde e direcionada para civis inocentes, terroristas provavelmente do Estado Islâmico fizeram uma série de ações seguidas , com explosões, no dia 28 de junho , no aeroporto internacional Mustafá Kemal Ataturk , em Istambul, deixando 41 mortos e 239 feridos.

Foi o mais mortal atentado a atingir a maior cidade turca desde 2010 e o quinto em um ano. Ataturk é o terceiro aeroporto mais movimentado da Europa, atrás de Heathrow, em Londres e do Charles de Gaulle em Paris, com mais de 61 milhões de passageiros em 2015.

Foram três explosões em poucos minutos , provocadas por homens bomba na entrada do terminal internacional. Em Istambul, os passageiros passam por detectores de metal e têm as bagagens vistoriadas antes de entrar no prédio, além do controle de embarque.

Os responsáveis pelos ataques chegaram de táxi, por volta das 21h50 , e pelo menos dois dos autores estavam armados com fuzis AK-47.

Como há um controle de bagagem na entrada do terminal, diante da impossibilidade de passarem pelos detectores de metal com as malas onde estavam os fuzis AK-47 , os três abriram fogo contra agentes de segurança do aeroporto.

Um dos homens conseguiu passar pelo posto de controle após o tiroteio e se explodiu perto das máquinas de raios x do desembarque.

Durante o caos provocado pela primeira explosão, um segundo terrorista subiu por fora até o andar de embarque e detonou as bombas que levava consigo na portaria.

O terceiro esperou do lado de fora do terminal. Ele só se explodiu ao vir as pessoas que estavam dentro do prédio, sair em pânico após a detonação das duas bombas e fez isso para matar mais pessoas.

Entre as vítimas , estão ao menos 13 estrangeiros, incluindo cinco sauditas e dois iraquianos e cidadãos da China, Jordânia, Tunísia, Uzbequistão, Irã e Ucrânia.

O presidente Recep Tayyip Erdogan voltou a defender a “luta conjunta” contra o terrorismo: “ Se os Estados , assim como a humanidade , fracassarem em unir forças e promoverem uma luta conjunta contra as organizações terroristas , tudo o que tememos pode se tornar realidade”.

Os atentados terroristas na Turquia são uma reação aos bombardeios contra o Estado Islâmico iniciados em julho de 2015 e visam principalmente o turismo.

Em 20 de julho de 2015, um homem-bomba se explodiu em centro cultural da cidade de Suruk , na fronteira com a Siria , matando 31.

Em 10 de outubro de 2015 , no pior ataque da história do país, ao menos 97 morreram após explosões perto da estação central de trem de Ancara , capital turca, durante uma manifestação.

Em 12 de janeiro de 2016 um homem-bomba detonou explosivos no centro turístico de Istambul, deixando dez mortos, entre eles oito turistas alemães.

Em 13 de março de 2016, um suicida se explodiu em avenida turística de Istambul, matando quatro estrangeiros , três israelenses e um iraniano.

O último, no dia 7 de junho, deixou 11 mortos em um bairro histórico do lado europeu da cidade .

Com isso, o turismo sofreu uma queda de 28% em abril de 2016 na comparação com abril de 2015, a maior queda mensal em 17 anos. ( F S P ,29.06.2016,p. A-10) .

O Estado Islâmico está sendo derrotado na Síria e no Iraque e diante do fracasso no califado , passa a praticar uma forma ainda mais covarde de terrorismo que é a de atentados de grande impacto no exterior, praticados de forma isolada por homens-bomba que são altamente letais e difíceis de serem evitados.

Com, os assassinos do EI , com coletes de explosivos já foram se detonar em Paris, em novembro, em Bruxelas em março e agora em Istambul. Com isso, o EI começa a ficar mais parecido com a Al Qaeda. ( F S P , 30.06.2016, p. A-14) .

VENEZUELA

OEA

O secretário-geral da OEA, o uruguaio Luís Almagro, convocou no dia 31 de maio uma sessão urgente do Conselho Permanente da entidade para discutir a crise na Venezuela com base na Carta Democrática interamericana.

Almagro em relatório de 132 páginas que enviou ao Conselho Permanente diz que há indícios claros de alteração da ordem democrática na Venezuela , o que justifica a convocação da Carta. Ele propõe a data entre 10 e 20 de junho para a sessão de emergência.

No limite, se o processo avançar , a Venezuela pode ser suspensa da organização.

Almagro justifica sua iniciativa a partir do pressuposto de que um governante deve basear sua ação em uma visão de Estado , uma visão de longo prazo. O político imoral é aquele que perde essa visão , porque o único que lhe interessa é manter-se no poder , à custa da vontade da maioria.

Nicolás Maduro já respondeu, com a grosseria habitual , sugerindo o dia 31 de maio que Almagro “ enrole a Carta Democrática em um tubinho e lhe dê um melhor uso”.

A chancelaria venezuelana usou linguagem dura, mas civilizada para dizer que “rechaça categoricamente” a iniciativa de Almagro, “ que pretende de forma fraudulenta, invocar o artigo 20 de la Carta Democratica Interamericana”.

Mesmo Brasília já considera a crise na Venezuela tão grave que pode levar a choques violentos e, no limite , a um êxodo de venezuelanos em direção à fronteira brasileira.

Apenas gestões diplomáticas podem ser aprovadas por maioria simples. Votariam contra os países da Alba ( Aliança Bolivariana dos Povos da América ) e os do Caribe, beneficiados pelo petróleo venezuelano a preço subsidiado. São 13 votos em 34.

Mas , na reunião de chanceleres, o quórum de 2/3 , que daria 23, inalcançável pela oposição dos 13 “bolivarianos”.

Desde a aprovação da Carta Democrática , em 2001 , somente um país, Honduras foi suspenso pela organização, em 2009, depois da destituição do presidente Manuel Zelaya.

Em Caracas , apoiadores de Maduro saíram às ruas para protestar contra a medida da OEA.

A posição de Almagro é questionada pelo deputado uruguaio Daniel Placeres, da Frente Ampla, bloco pelo qual Almagro foi eleito senador em 2014.

Para ele, Almagro “passou a representar o plano hegemônico do império. A posição de Almagro é muito pessoal. Seu rumo é equivocado e suas atitudes atualmente não nos representam”.

Em sessão extraordinária do Conselho Permanente da OEA no dia 1º de junho, os países-membros discutiram uma proposta argentina de diálogo envolvendo governo, oposição e a organização.

O Chile defende uma solução pacífica. O chanceler chileno Heraldo Muñoz afirmou : “ Reitero que o Chile quer esgotar as ações diplomáticas para um diálogo efetivo , real e com resultados concretos e, isso inclui todas as ações pacíficas.

O referendo , que poderia levar à interrupção do mandato de Maduro e é impulsionado pela oposição venezuelana foi endossado por Chile, Colômbia, Argentina e Uruguai.

Mas, Caracas pediu que fosse debatida sua proposta de declaração, que rechaça “ qualquer tentativa de alteração da ordem constitucional do país”.

Almagro propôs que uma sessão de emergência do Conselho Permanente seja feita entre 10 e 20 de junho para discutir se houve ruptura democrática na Venezuela. ( F S P , 2.6.2016, p. A-14) .

A diplomacia brasileira está-se omitindo totalmente de tomar uma posição a respeito desta questão, quando deveria até assumir posição de liderança. Ou seja , como Dilma, Temer está abdicando da responsabilidade de liderar.

Henrique Capriles

Governador do Estado de Miranda, ex-candidato à Presidência e líder da oposição, Henrique Capriles afirma que só o referendo desarmará a bomba-relógio que é o governo de Nicolás Maduro.

“ O importante é que está surgindo uma consciência geral da crise na Venezuela. Temos a inflação e a escassez mais altas do mundo. Das dez cidades mais perigosas do planeta, três estão na Venezuela. O mundo percebe que precisamos de uma solução, pois a alternativa é uma explosão social com um possível levante militar ou golpe de Estado. Nada disso resolveria a crise. Por isso, insistimos no referendo... O pais precisa de uma válvula de escape diplomática. A escassez em junho será ainda mais crítica, porque a matéria prima acabou, açúcar, azeite, alimentos básicos. Faltam todo tipo de remédios. A Venezuela é uma bomba-relógio”. ( F S P , 1.6.2016, p. A-8) .

Repressão a Ato por comida

Forças de segurança e grupos armados ligados ao presidente da Venezuela , Nicolás Maduro, entraram em confronto no dia 2 de junho , com centenas de pessoas que protestavam em Caracas contra a escassez de comida.

Foi o maior protesto contra o desabastecimento na capital sem a participação direta da oposição a Maduro. Além dos manifestantes, as forças de segurança ligadas ao chavismo agrediram 14 jornalistas.

Um grupo formava filas desde a madrugada em busca de comida em frente a um supermercado no centro e a manifestação começou por volta de 11 horas.

Os manifestantes fecharam a avenida Forças Armadas, a 3km da sede do governo, depois que foram avisados de que os produtos, prometidos pelo governo na véspera, não seriam comercializados.

A maioria gritava ”Queremos comida”, frase frequente nos atos contra a escassez, e “Este governo tem que cair”. Minutos depois, a Guarda Nacional Bolivariana, usou gás lacrimogênio e agrediu parte dos manifestantes.

Eles também foram agredidos por membros de “coletivos” , grupos armados ligados ao chavismo, que lhes disseram que eles não tinham o direito de ocupar as ruas.

Os “coletivos” também agrediram 12 dos 14 jornalistas. Além de bater nos profissionais, fizeram ameaças de morte e roubaram seus equipamentos, que registravam as imagens. ( F S P , 3.6.2016, p. A-12) .

Referendo Revogatório

No dia 2 de junho, o Conselho Nacional Eleitoral cancelou reunião com os opositores sobre o referendo revogatório, ( F S P , 3.6.2016, p. A-12) .

Leopoldo López

Em 2 de junho, o advogado de Leopoldo López, Juan Carlos Gutiérrez , disse que a Justiça aceitou recurso à condenação do político. ( F S P , 3.6.2016, p. A-12) .

Usurpação de Poderes

Assessores jurídicos de Nicolás Maduro , entraram no dia 3 de junho , no Tribunal Supremo de Justiça, com um pedido de amparo contra a mesa diretora da Assembleia Nacional sob alegação de usurpação de poderes. Ou seja, estão acusando a Assembleia justamente pelo que Maduro faz que é usurpar poderes.

Uma das acusações é que os líderes do Legislativo violam a Constituição ao conduzir campanha , até agora frustrada , para que a OEA aplique sanções contra Maduro.

Outras são a lei de anistia a opositores presos e a rejeição do decreto de emergência de Maduro. ( F S P , 4.6.2016, p, A-14).

Envio de remédios pelo Brasil

O deputado venezuelano Luís Florindo, presidente da Comissão de Relações Exteriores da Assembleia Nacional, em visita ao Brasil em fevereiro, conversou como então chanceler Mauro Vieira e com o senador José Serra, pedindo envio de medicamentos para a Venezuela.

O pedido foi reiterado em recente conversa com o embaixador do Brasil em Caras, Ruy Pereira: “ Venezuelanos estão morrendo por falta de remédios. Ficamos muito agradecidos com o gesto do Brasil, que considero um país irmão”.

O governo Michel Temer ofereceu no dia 6 de junho , enviar remédios à Venezuela. Nota assinada pelo chanceler José Serra afirma:

“Como país vizinho , amigo e solidário da nação venezuelana, o Brasil está pronto(...) a colaborar para o atendimento das carências mais críticas que afetam a população do país vizinho. Estamos dispostos a doar medicamentos básicos produzidos por nossos laboratórios, entregando-os a organizações internacionais humanitárias que possam promover sua distribuição”

Mas, como a oferta atende a um pedido da oposição, tem poucas chances de ser aceita pelo governo chavista.

O governo de Nicolás Maduro, acusado de ser o principal responsável pela grave crise econômica e social na Venezuela, vem rejeitando ofertas de remédios e alimentos, pois aceitar ajuda externa equivaleria a admitir a falência do modelo chavista de controle da economia.

Vai ser difícil. Nicolás Maduro chamou de “golpe de Estado “ o afastamento de Dilma e chamou de volta o embaixador da Venezuela em Brasília. Em resposta, Serra acusou a Venezuela e outros países latino-americanos críticos do impeachment de propagarem “falsidades sobre o processo político no Brasil”.( F S P , 7.6.2016, p. A-9) .

Brasil papel diplomático mais ativo na crise venezuelana.

O diretor executivo da ONG de direitos humanos Humans Rights Watch ( HRW), Kenneth Roth, diz que o Brasil precisa assumir um papel construtivo na resolução da crise na Venezuela.

Segundo ele, o governo Temer representa uma oportunidade para o Brasil ter uma abordagem mais equilibrada e menos ideológica na região.

Roth aponta que o Brasil precisa pressionar o governo Maduro para que “ os direitos da Assembleia Nacional sejam garantidos , o Judiciário seja independente , os presos políticos sejam libertados e a oposição possa falar livremente na mídia ou nas ruas”.

José Serra no programa Roda Viva, da TV Cultura, disse que o Brasil não vai assumir um papel de liderança na negociação da crise venezuelana, a não ser que seja requisitado para isso. ( F S P ,8,6.2016, p. A-12) .

José Serra e Michel Temer, receberam em Brasília , no dia 8 de junho, Eladio Loizaga , chanceler paraguaio para discutir a situação econômica e social da Venezuela e o acordo entre Mercosul e União Europeia.

Loizaga disse sobre a Venezuela estar “ consciente em relação à manutenção do Estado de Direito”, no país e sobre a União Europeia, negociação que se arrasta a incríveis 17anos, “ Vamos avançar na negociação com a União Europeia”. ( F S P , 9.6.016, p. A-12) .

Mais uma marcha reprimida

Em 7 de junho, policiais venezuelanos reprimiram com gás lacrimogêneo uma marcha com centenas de manifestantes que pretendia chegar à sede do órgão eleitoral em Caracas, para exigir a ativação do referendo revogatório contra o presidente Nicolás Maduro.

A marcha, a terceira em menos de um mês, foi liderada por Henrique Capriles, governador do Estado de Miranda. Houve gritos de “temos fome” e “este governo vai cair”.

Os manifestantes foram alvejados por gás lacrimogênio quanto tentaram furar o cordão policial. Policiais em motocicletas foram cercados e agredidos por opositores mais exaltados.

Diante do bloqueio, Capriles tentou conduzir a marcha por outro caminho, mas o percurso foi bloqueado por pelotões de choque da polícia ao tentar cruzar uma via expressa.

Houve mais correria e disparos de gás lacrimogênio e Capriles suspendeu a marcha:

“Não desistiremos . Vamos continuar manifestando até que o governo entenda que não pode trancar a via democrática”.

O CNE, contrariando a lei, disse que encerraria as verificações da lista entregue pela oposição no início de maio, até o dia 2 de junho, mas o prazo venceu e o órgão não se pronunciou. ( F S P ,8.6.2016, p. A-12).

Queda nas exportações brasileiras

A forte crise econômica e política vivida pela Venezuela faz o setor do agronegócio brasileiro perder o principal parceiro comercial na América do Sul.

A Venezuela importou em produtos agropecuários brasileiros , US$ 3 bilhões em 2014, caiu para US$ 1,8 bilhão em 2015 e de janeiro a maio de 2016 foram apenas US$ 220 milhões.

Se continuar neste ritmo, o total em 2016 não deve passar de US$ 600 milhões. Com isso, o posto de principal parceiro comercial nas exportações do agronegócio na região passa a ser o Chile, com US$ 266 milhões de janeiro a maio de 2016,8% a mais do que em igual período de 2015.

A principal perda nas compras da Venezuela ocorre no setor de carnes, em que os chilenos ganham força. Neste setor , os gastos dos venezuelanos se restringiram a US$ 59 milhões, queda de 90% em relação a igual período de 2014, melhor época das vendas para o país.

Também houve redução nas exportações de animais vivos, com queda de 96% em relação a igual período de 2014 e compras de apenas US$ 13 milhões.

O setor de cereais foi um dos poucos que registrou crescimento nas exportações, mas os números ainda são inferiores aos registrados em igual período de 2014. ( F S P ,8.6.2016, Mercado, p. 6).

Busca de comida no lixo

A cada início de tarde, dezenas de pessoas rondam o depósito de lixo do feirão de Coche, no sul de Caracas, à espera de mercadoria vencida ou estragada.

Sempre que uma lata de lixo é despejada, elas se agacham e, em silêncio começam a revirar detritos. Adultos e crianças disputam espaço com cachorros sarnentos , num retrato cada vez mais comum da crise que devasta a Venezuela.

O PIB caiu 10% em 2015 e a inflação está em 275%. Os alimentos a preço regulado, usados por anos como base de apoio ao governo chavista, sumiram das prateleiras.

A taxa de pobreza , após uma década de politica hostis ao setor produtivo, chegou a 76% , segundo estudo das universidades Andres Bello , Central e Simón Bolívar. O índice era de 55% em 1998, quando Hugo Chávez foi eleito à Presidência.

O quadro é de total falência do modelo chavista. A crise começou em 2012, depois de dez anos de hostilidade ao setor privado e a situação se deteriorou em 2014, com a queda no preço do petróleo, base da economia. A isso se soma, o presidente Nicolás Maduro , que não tem o carisma de Chávez e insistiu em manter e aprofundar o modelo chavista fracassado. ( F S P , 9.6.2016, p.A-12) .

Chavistas agridem deputados

Militantes do governo venezuelano agrediram no dia 9 de junho deputados opositores que protestavam em Caracas diante do prédio do Conselho Nacional Eleitoral, para exigir a ativação do referendo revogatório.

O ataque ocorreu no final da manhã, quando os deputados chegaram na porta do CNE , no centro.

Ao serem hostilizados pelos chavistas, os parlamentes tentaram se refugiar dentro do prédio, mas os policiais os empurraram de volta para a rua , onde ficaram novamente vulneráveis.

Ou seja, é assim a policia no governo chavista com relação aos parlamentares. Ao invés de os proteger, aumenta o risco, A polícia não impediu as agressões , que também tiveram jornalistas como alvo.

Um dos mais atingidos foi o deputado Julio Borges, cujo nariz foi fraturado com uma barra de metal. Com o rosto ainda ensanguentado, ele atribuiu o ataque aos “coletivos”, civis que atuam como milícias chavistas.

No mesmo momento, “coletivos” tentaram invadir a Assembleia Nacional, controlada desde janeiro pela oposição.

O presidente do Parlamento, Henry Ramos Allup , qualificou a situação de “ muito grave”. Alguns dirigentes chavistas condenaram a violência, mas Maduro culpou “ provocadores de direita”, mostrando que não tem nenhum controle sobre os “coletivos”. ( F S P , 10.06.2016, p. A-12) .

Saques dia 9 de junho

O dia 9 de junho também foi marcado por saques contra mercados e padarias. No extremo leste de Caracas, pessoas tomaram caminhões de leite e carne.

O centro da favela de Petare teve que ser militarizado devido à ameaça de saque generalizado.

Na área nobre de El Hatillo ,um shopping fechou as portas às pressas para evitar um ataque. ( F S P , 10.06.2016, p. A-12) .

Linchamentos não podem ser divulgados

O Tribunal Supremo da Venezuela proibiu veículos de comunicação de divulgarem fotos e vídeos de linchamentos de supostos criminosos.

Em sentença divulgada no dia 8 de junho, o TSJ considerou que as imagens perturbam a ordem social. Mas imagens de linchamento circulam com frequência nas redes sociais e muitas acabam sendo reproduzidas por sites noticiosos.

Alguns vídeos mostram pessoas, quase todos homens, sendo espancadas e queimadas vivas, após serem acusadas de roubo, assassinato ou sequestro. Há gravações particularmente chocantes , que mostram supostos criminosos sangrando e tendo convulsões ao serem golpeados. ( F S P , 10.06.2016, p. A-12) .

Saques dia 10 de junho

Na manhã da sexta dia 10 de junho, policiais trocaram tiros com grupos envolvidos em saques na favela da La Veja, a oeste de Caracas.

Em Petare, um dos locais mais atingidos foi o açougue Nemo, na parte baixa da favela, com os vidros quebrados dos expositores. Toda a mercadoria, avaliada em milhares de dólares foi roubada, e os saqueadores também levaram utensílios e balanças.

Na Padaria Duri, os invasores roubaram celulares e carteiras e cigarros e algumas bebidas, deixando claro que não era gente com fome, pois não levaram queijos, pães e enlatados.

A onda de saques também visou supermercados. Há relatos de que pelo menos sete caminhões foram depenados em Petare.

Segundo a ONG Observatório Venezuelano dos Conflitos Sociais, houve 254 saques só no mês de maio. ( F S P , 11.06.2016, p. A-15) .

Assinaturas validadas

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE), após cinco semanas de indefinição , anunciou no dia 10 de junho que 67% das assinaturas entregues pela oposição no início de maio para ativar o referendo estão aptas a passar à etapa seguinte , da autenticação.

Das cerca de 1,9 milhão de firmas apresentadas pela aliança MUD, 605 mil foram descartadas, por erros de grafia e números de identidade inválidos.

Mas , 1,3 milhão de assinaturas reconhecidas são mais do que suficientes, pois eram necessárias ao menos 1% do eleitorado , apenas 200 mil assinaturas.

As assinaturas validadas devem agora ser autenticadas por impressão digita entre os dias 20 e 24 de junho, apenas nos 24 escritórios regionais do CNE.

De 13 a 17 de junho, uma fase de “arrependimento” , permitirá às pessoas retirarem sua firma, algo que não consta na lei. A oposição teme pressões ou chantagens do governo para esvaziar a lista de assinaturas válidas.

Após o fim do prazo de autenticação, o CNE terá 15 dias úteis para decretar de forma definitiva se o MUD cumpriu todas as condições para iniciar a fase seguinte, na qual deverão ser colhidas assinaturas de mais 20% dos eleitores.

O referendo só poderá ser realizado depois do CNE auditar esta segunda lista e não há prazo estipulado.

Se o referendo ocorrer, o “sim” ,precisaria ser aprovado por mais eleitores do que os 7,5 milhões de votos obtidos por Maduro em 2013.

O CNE ameaçou suspender o referendo em caso de distúrbios sociais.

O referendo tem que ser realizado antes de janeiro de 2017, pois depois não vai adiantar nada, já que quem assumiria é o vice-presidente, que é um chavista, Aristóbulo Istúriz. ( F S P , 11.06.2016, p. A-14) .

Governo Maduro resiste

Os chavistas perderam o controle da Assembleia Nacional para a oposição em janeiro, mas ainda controlam três instituições-chave: o Tribunal Supremo de Justiça, o Conselho Nacional Eleitoral e as Forças Armadas.

Maduro neutralizou a Assembleia , graças ao TSJ. Nenhuma lei aprovada pelo Legislativo entrou em vigor, muito menos a que visava desaparelhar a Corte.

Vetos parlamentares a iniciativas presidenciais, incluindo controversas medidas econômicas, foram contornados graças ao TSJ, que valida tudo do Executivo.

Quando ao referendo revogatório, que poderia tirar Maduro da Presidência, o CNE atravanca sua ativação.

Apesar de recorrentes relatos de insatisfação nas forças de segurança, o alto comando policial e militar continua aplacando com eficiência protestos e saques contra a falta de alimentos e remédios.

Algumas medidas tomadas recentemente atenuaram a espiral negativa.

O dólar turismo foi desvalorizado em 180% nos últimos dois meses, ajudando a diminuir a dívida do Estado em bolívares.

Importações foram cortadas em 50% para economizar dólares. O governo flexibilizou preços de alimentos básicos, como a farinha de milho.

A Venezuela obteve da China um empréstimo adicional de US$ 5 bilhões e renegociou velhas dívidas e somado à venda dos estoques de ouro do Baco Central, a Venezuela poderá honrar o pagamento de US$ 10 bilhões em títulos da dívida soberana, até o final do ano.

O governo está conseguindo reverter a pressão externa na OEA para aplicar a Carta Diplomática contra a Venezuela e expulsá-la do órgão. ( F S P , 12.06.2016, p. A-19) .

TSJ dá suporte a Maduro

O Tribunal Supremo da Venezuela decretou no dia 13 de junho que a Assembleia Nacional “ controlada pela oposição” usurpa funções do Executivo, em matéria de relações exteriores.

O TSJ considerou válida acusação de abuso feita há duas semanas pelo presidente Nicolás Maduro.

Ele havia acionado na Corte em retaliação à Lei Especial para Atender à Crise Humanitária da Saúde ,aprovada pela bancada da oposição no início de maio sob a justificativa de reverter o colapso da saúde no atual cenário de crise econômica.

A lei exige que o Estado pela remédios e insumos médicos à ONU, à Cruz Vermelha , e à Organização Mundial da Saúde.

A sentença do TSJ anula a lei sob a inusitada justificativa de que ela ”pretende obrigar o Executivo a aceitar cooperação internacional , inclusive quando não houver solicitação prévia numa [violação ] inconstitucional da soberania do Estado”.

A Corte declarou que o “ encaminhamento das relações internacionais forma parte das matérias reservadas à competência exclusiva do presidente da Republica”.

O texto , inacreditavelmente, considera que a ajuda humanitária representa risco à população , devido à suposta possibilidade de que os remédios sejam vencidos ou parte de testes da indústria farmacêutica.

Ou seja, venezuelanos estão morrendo nos hospitais por falta de medicamentos e a corte chavista afirma que a ONU, a Cruz Vermelha e a OMS mandariam medicamentos vencidos para o país.

Os advogados de Maduro protocolaram uma segunda acusação contra a Assembleia no TSJ , que também poderá ser acolhida.

Uma das acusações é que líderes do Legislativo violam a Constituição ao conduzir campanha para que a OEA aplique sanções contra Maduro com base na Carta Democrática do órgão

O TSJ acatou no dia 15 de junho o pedido chavista para impor medida cautelar contra a mesa diretora da Assembleia Nacional por “usurpar funções do Executivo “ na área diplomática. A medida é vista como uma manobra para impedir que o presidente da Assembleia, Henry Ramos Allup , possa viajar no dia 23 de junho à sede da OEA em Washington, para pedir que a Venezuela seja suspensa do órgão por suposta violação da Carta Democrática. ( F S P , 16.06.2016, p. A-16) .

Mais uma acusação foi formalizada , dizendo que a oposição usou 600 mil supostas falsas assinaturas de eleitores registrados na coleta de firmas para ativar um referendo revogatório contra Maduro. ( F S P ,14.06.2016, p.A-14) .

Henrique Capriles

Capriles, governador do Estado de Miranda e candidato à Presidência duas vezes, iniciou tour pela América do Sul, para pedir apoio internacional à realização do referendo revogatório ainda em 2016.

No dia 13 de junho foi a Buenos Aires para encontro com Maurício Macri. Depois se encontrou com o presidente do Paraguai , Horácio Cartes e no dia 14, se reunirá em Brasília, com o chanceler José Serra.

Macri, assim que foi eleito em novembro de 2015, defendeu que o Mercosul punisse a Venezuela pela perseguição a opositores.

Agora mudou, afirmando que só o diálogo interno resolverá o impasse e críticos dizem que a mudança se deu para garantir o apoio da Venezuela à candidatura da chanceler argentina, Susana Marcorra, à secretaria-geral da ONU. ( F S P ,14.06.2016, p,A-14) .

O chanceler José Serra recebeu no dia 14 de junho, Henrique Capriles e disse que vai propor a criação de um “canal humanitário” no plano internacional para ajudar a combater o desabastecimento na Venezuela.

A ideia veio depois da recusa de Maduro de receber doação de medicamentos pelo governo brasileiro. Agora, pensa-se em recorrer à ONU e à OEA

Capriles conseguiu que Serra se comprometesse a defender a menção , em futuros textos e notas da OEA, do referendo revogatório contra Maduro , como solução à crise.

Capriles concorda com Serra que a suspensão da Venezuela pela OEA não seria boa para o país. Mas Capriles quer que no Conselho Permanente da OEA, com reunião marcada para o dia 23 de junho, se discuta uma forma de Maduro se comprometer com o respeito à Constituição – o que incluiria o referendo, a libertação de presos políticos e o respeito aos direitos humanos. ( F S P, 15.06.2016, p, A-11) .

Saques dia 15 de junho

A situação na Venezuela se agrava a cada dia. Mais de 400 pessoas foram presas sob a acusação de participar de uma onda de saques em Cumana, capital do Estado de Sucre, no leste do país.

O governador Luís Aciña , chavista admitiu os saques e os atribuiu a “vândalos “ supostamente pagos pela oposição.

Imagens nas redes sociais mostraram clima de anarquia generalizada. Alguns já se referem aos eventos como “Cumamazo”, em referência ao “Cacarazzo”,onda de saques e protestos contra a pobreza em 1989, que começou em Caracas e se espalhou pelo país, deixando centenas de mortos.

Segundo a ONG Observatório Venezuelano da Violência , há uma média de dez tentativas diárias de saque pelo país. Maduro diz que a crise é fruto de uma “guerra econômica” orquestrada por empresários. ( F S P , 16.06.2016, p. A-16) .

Governo chavista está desviando produtos

Com a promessa de acabar com as filas e com o mercado negro de itens tabelados, o governo chavista está tirando gêneros alimentícios do comércio privado para vende-los nas zonas pobres em forma de “combo”

O sistema se baseia em organizações de vizinhança batizadas de Clap ( Comitês Locais de Abastecimento e Produção.

Sob comando do Ministério da Alimentação, os Clap são mantidos por grupos ligados ao chavista Partido Socialista Unido da Venezuela. Entre eles estão os Conselhos Comunais , fóruns políticos de bairro , e facções de militância eleitoral conhecidas como Unidades de Batalha Bolívar-Chávez. Os centros tem um chefe em cada quadra que lista os moradores aptos a receber os alimentos.

Segundo um crítico, “ Os Clap só servem para distribuir aquilo que está faltando”. ( F S P , 19.06.2016, p. A-15).

População efetiva apoio ao referendo

Milhares de venezuelanos se aglomeram junto aos centros de votação espalhados por todo o país para validar suas assinaturas em apoio à convocação do referendo revogatório contra o presidente Nicolás Maduro.

Longas filas se formaram e o CNE tem até o fim de julho para terminar de auditar as firmas.

Feito isto, a MUD terá que dar início à fase seguinte que é coletar as assinaturas de mais 20% dos eleitores , 4 milhões de pessoas , que também serão auditadas e apenas após isso , o referendo poderá ser realizado. ( F S P , 21.06.2016, p, A-14) .

As provocações do governo continuam. No dia 22 de junho o Ministério Público anunciou a prisão de dois opositores que carregavam US$ 4.800 e material de campanha pró-referendo. Eles foram acusados de legitimação de capitais ( dinheiro sem origem justificada) e instigação à desordem. ( F S P , 23.06.2016, p. A-912 .

EUA entram na intermediação

O subsecretário de Estado para temas políticos, e um dos mais importantes diplomatas dos EYA, Thomas Shannon , chegou em Caracas no dia 21 de junho em busca de um diálogo entre governo e oposição capaz de apaziguar as tensões no país.

Shannon reuniu-se com o presidente da Assembleia Nacional, Henry Ramos Allup , e com o governador de Miranda , Henrique Capriles, no que Maduro não deve ter gostado nada.

Em 14 de junho, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry , encontrou-se com a chanceler chavista Delcy Rodriguez, às margens da Assembleia Geral da OEA.

Washington vem apoiando esforços de mediação liderados pelo ex-premiê espanhol José Luís Rodrigues Zapatero em nome da Unasul, junto com os ex-presidentes dominicano , Leonel Fernandez e panamenho Martin Torrijos .

Zapatero esteve em Caracas por várias vezes em 2016 e irritou boa parte da aliança opositora MUD ao criticar, em privado, o formato de referendo para abreviar o mandato de Maduro.

A MUD só aceita dialogas com a realização do referendo e a libertação de dezenas de políticos e ativistas presos desde os protestos anti-Maduro em 2014.

Zapatero afirmou no dia 21 de junho que é necessário um “processo de paz preventivo”, na Venezuela, para evitar que a crise política e econômica no país se agrave ainda mais. ( F S P , 22.06.2016, p. A-15) .

Nicolás Maduro recebeu, no dia 22 de junho , Thomas Shannon, num ensaio de reaproximação bilateral. ( F S P , 23.06.2016, p. A-12) .

Ao receber Shannon , Maduro sinaliza que a Venezuela concorda com a mediação americana e com isso , a possibilidade de o Brasil exercer um papel qualificado no diálogo com a oposição , desapareceu completamente. Os canais de diálogo bolivarista com Washington foram reabertos.

Reunião da OEA

Reunião da OEA , realizada em 23 de junho sobre a questão da Venezuela terminou em impasse.

A chanceler da Venezuela , Delcy Rodrigues, foi eloquente em insultos a Luís Almagro, secretário-geral da OEA que evocou a Carta Democrática da organização pela primeira vez para discutir a situação de um país, afirmando que há sinais claros de “alteração da ordem constitucional “ no país.

Delcy acusou Almagro de prática um “golpe de Estado” , com a convocação da sessão. Teria interferido nos assuntos domésticos da Venezuela e abusado de suas funções, que deveriam ser administrativas. Disse ainda que a iniciativa de Almagro prejudica o diálogo na Venezuela, como se ele existisse, alegando que a oposição prefere esperar a evocação da Carta para ganhar musculatura.

A Venezuela tentou cancelar a sessão, mas a maioria dos países, incluindo o Brasil, não concordou. Mas nada foi decidido.

Ramos Allup estava na OEA e declarou a jornalistas: “Vemos que este governo, frágil por seu péssimo desempenho, só se mantém no poder graças a dois pilares frágeis: o Tribunal Supremo da Justiça , que está interpretando questões contra a Constituição e o apoio militar” . ( F S P , 24.-06.2016, p. A-10)

ExibirMinimizar
aci baixe o app