Capitalismo crise - Fevereiro de 2016

Fatos relevantes da economia e política internacionais de 01 a 29 de fevereiro de 2016

O presente texto tem como base a leitura de fatos relevantes da economia internacional na imprensa brasileira, referentes ao período de fevereiro de 2.016.

Até agora centrados nos movimentos do petróleo e na desaceleração da economia chinesa, investidores passaram a ver o setor financeiro como novo foco de preocupação em meio à desaceleração do crescimento global.

Uma eventual crise bancária e o temor de uma desaceleração global aumentam as preocupações.

As Bolsas europeias e americanas fecharam em queda no dia 8 de fevereiro , segunda-feira, puxadas principalmente pela desvalorização das ações dos bancos.

As empresas que compõem o índice de ações S&P 500 perderam US$ 1,4 trilhão em valor de mercado nas duas primeiras semanas do ano.

O risco para o setor financeiro vem da sinalização de que políticas de afrouxamento monetário – como a adoção de taxas de juros negativa pelo Japão no final de janeiro, poderão ganhar força, com reflexo negativo sobre as margens dos bancos. Esse é um fenômeno raro e vem do temor de uma nova recessão global. Existem US$ 6 trilhões em papéis com taxa negativa agora e há um ano e meio atrás, não havia nenhum papel nesta condição.

Nos EUA , uma nova elevação na taxa básica de juros pelo Fed não é esperada tão cedo e na Europa o cenário é incerto. ( F S P , 9.2.2016, p. A-11) .

Mas, para o economista Dean Baker, 57, cofundador do Center of Economic and Policy Research, sediado em Washington “ Teremos um período de crescimento mais lento. O Japão, muitos países europeus e alguns em desenvolvimento se beneficiarão por pagar menos por petróleo e outras commodities. Para muitos desses países, a poupança chegará perto de 1% do PIB...Para grande parte do mundo em desenvolvimento , que pertence ao grupo de exportadores de commodities essa é uma perspectiva ruim”.

Ele entretanto não vê nenhum desastre na proporção do que ocorreu em 2008 , porque não há nenhuma “grande instituição financeira que tenha uma concentração de dívida de produtores de energia concentrada o suficiente para ser duramente atingida pela crise “ e também para ele, o petróleo pode subir, mas nunca mais veremos o barril acima de US$ 100. ( F S P , 9.2.2016, p. A-12) .

Lideradas pelo Japão, as Bolsas globais afundaram pelo quinto pregão consecutivo no dia 9 de fevereiro, com investidores correndo para aplicações financeiras consideradas de maior segurança, como títulos do governo.

A principal queda ocorreu na Bolsa de Tóquio ( -5,4%) e com isso, pela primeira vez, o retorno pago pelos títulos de dez anos do governo japonês ficou negativo. ( F S P , 10.02.2016, p. A-9) .

Em depoimento ao Congresso americano em 10 de fevereiro, a presidente do Fed, Janet Yellen destacou os riscos que os problemas da China causam para os EUA e declarou que as condições haviam se tornado “ menos favoráveis”, ao crescimento do país, mencionando a recente queda no preço das ações e a alta do dólar, o que prejudica os exportadores.

Desde o início do ano, os mercados mundiais já perderam US$ 12 trilhões em valor de mercado e houve uma corrida por ativos de maior segurança, como os do governo dos EUA. ( F S P , 11.02.2016, p. A-13) .

A situação de agravou no dia 11 de fevereiro com nova queda nas bolsas .

O banco central da Suécia, que já tinha taxas de juros negativos, fez um novo corte de 15 pontos básicos para 0,5% negativo. A inflação está abaixo de 1% e a meta do banco é elevá-la para 2%. A Suécia tem previsão do crescimento do PIB de 3,5% em 2016. ( F S P , 12.02.2016, p. A-13) .

Juros negativos tem o objetivo de estimular os bancos a aumentar o crédito às empresas e família, desestimular a poupança , aumentar o consumo e a inflação.

Mas, podem causar problemas. Famílias podem preferir manter o dinheiro em espécie em suas casas para evitar perdas com o juro negativo. Ao guardar em casa, o consumo não aumenta , e a economia continua em crise.

A rentabilidade de bancos e fundos de pensão pode cair drasticamente com efeitos para toda a economia.

O economista John Maynard Keynes no clássico A Teoria Geral do Emprego , do Juro e da Moeda, descreveu uma situação em que nem mesmo uma taxa de juro baixa é capaz de estimular a economia . Isso poderia ocorrer quando a expectativa das pessoas e das empresas é tão ruim que os investimentos e o consumo caem. Esse é o caso típico do Brasil atual. A expectativa em termos de curto prazo é zero.

Por outro lado, com juros negativos, o mercado de ações se beneficia , pois torna-se mais vantajoso arriscar em ações do que aplicar em títulos do governo para perder dinheiro. ( Revista Exame, 2.3.2016, p. 56-59) .

O fundo Algebris , tem US$ 3 bilhões em carteiras de investimento e a estratégia é lançar um fundo para um mundo de taxas de juros negativas.

Do total de 6,6 trilhões de euros em títulos de governos europeus em circulação , cerca de 1,5 trilhão está sendo negociado abaixo da taxa de depósito ( -0,3%), o que representa 23% do total de títulos. Mais 1 trilhão em títulos está sendo vendido e comprado entre -0,3% e 0%.

Os títulos do governo alemão com vencimento em até 104 meses são negociados com rendimento negativo. Muitos investidores por isso estão deixando de lado os títulos públicos, cuja probabilidade de calote é mínima , e investindo em títulos de maior risco, como os títulos de crédito corporativo e títulos públicos em países emergentes como o Brasil.

A Algebris quer aproveitar esse momento , reforçando sua aposta nos títulos prejudicados pela onda de vendas, abocanhando papéis de risco que oferecem rendimento superior a 12%. ( F S P , 29.02.2016, folhainvest, p, 8) .

Janet Yellen, presidente do Fed afirmou no dia 11 que a opção de adotar taxas de juros negativas nos EUA existe, mas é improvável que ocorra. As condições econômicas e financeiras se agravaram desde a decisão de aumento em dezembro, mas não a ponto de “levar à próxima mexida a ser um corte”. ( F S P , 12.02.2016, p. A-12) .

O vilão da vez são os coco bonds, acrônimo para papéis conhecidos como bônus conversíveis de contingência. São títulos negociados pelos bancos, que podem se transformar em ações da instituição em caso de calote. Incentivados pelas autoridades, foram negociados US$ 450 bilhões, em especial por bancos europeus.

Em 2016, alguns coco bonds já perderam 20% de seu valor afundando as ações de quem mais negociou estes papéis. As ações do Deutsche Bank, caíram 40% no ano. O temor é a repetição do pânico que se seguiu à quebra do americano Lehman Brothers , em 2008, ou seja, um grande banco insolvente arrastar outros para a crise em um movimento interligado. ( Revista Veja, 17.02.2016, p.46-49) .

No dia 22 de fevereiro , estimulados por um otimismo dos investidores em relação à China, os preços das commodities subiram fortemente, levando os principais mercados globais de ações a disparar.

O barril do petróleo tipo Brent , subiu 5,1% , para US$ 34,69 e o WTI , avançou 6,2%, a US$ 31,48.

O cobre subiu 1% e o minério de ferro , atingiu US$ 50 por tonelada pela primeira vez em quatro meses na China, alta de US$3,30. ( F S P , 23.02.2016, p. A-15) .

O ano de 2015 foi o pior para o comércio mundial desde 2008. O valor dos bens que cruzaram fronteiras internacionais em 2015 caiu 13,8% em dólares , a primeira contração desde 2009, segundo o “World Trade Monitor”, do governo holandês.

Boa parte da queda está relacionada à desaceleração registrada pela China e outras economias emergentes.

A China anunciou queda de dois dígitos nas exportações como nas importações em janeiro de 2016.

No Brasil, as importações da China desabaram e as exportações de todo tipo de produto caíram 60% em janeiro , em relação a janeiro de 2015.

No caso do Brasil, devido à desvalorização de 40% do real diante do dólar nos últimos 12 meses, o colapso nas importações chinesas está sendo compensado por uma ascensão nas exportações brasileiras para outros países da Ásia. .( F S P , 26.02.2016, p. A-30) .

ARGENTINA

Macri está mudando significativamente a imagem na Argentina em termos internacionais, Em janeiro, o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi visitou a Argentina.

Agora o presidente francês, François Hollande confirmou o interesse de seu país em renovar os laços políticos e fortalecer as relações comerciais. ( Revista Veja, 2.3.2016, p. 67) .

Gás

Maurício Macri deverá cortar o subsídio ao gás, continuando o desmonte do programa de subsídios criado por Cristina Kirchner.

No caso do gás, o reajuste deve ser mais suave , pois os preços do gás não estão tão defasados como estavam os da energia elétrica, que resultaram em aumentos de contas de luz de até 500%.( F S P , 2.2.2016, p. A-10) .

Pré-acordo com credores

A Argentina anunciou que fechou pré-acordo com credores italianos que não aceitaram a reestruturação da dívida relativa ao calote de 2001.

Trata-se de US$ 900 milhões em títulos devidos a 50 mil pessoas. O valor representa 15% da dívida total.

O documento assinado em Nova York, prevê que a Argentina pague o valor total devido, mais um terço da taxa de juros que havia sido determinada pelo foro de arbitragem do Banco Mundial. Os juros acertados são de 3% ao ano. ( F S P, 4.2.2016, p. A-15) .

Dois fundos abutres, após dias seguidos de reuniões em Nova York, Montreaux Partners e Dart Management aceitaram a proposta feita pelo governo de Macri de pagamento de US$ 6,5 bilhões do total de US$ 9 bilhões. Outros quatro fundos recusaram.

Em despacho do dia 11 de fevereiro, o juiz Thomas Griesa determinou que os fundos Aurelius, Blue Angel, Olifant e NML, apresentem até o dia 18 razões para que a Justiça não suspenda a liminar contra a Argentina. ( F S P ,13.02.2016, p. A-17) .

Racha Kirchnerista

Um grupo de 14 deputados abandonou a coalizão Frente para a Vitória , formada principalmente por peronistas e que apoia Cristina Kirchner e formou uma nova, a Justicialista.

Com isso , a Casa passa a ser formada por 90 políticos da situação, 89 da oposição, 64 “dialoguistas” e 14 que não se enquadram em nenhum dos grupos.

Com isso, fica mais fácil para o presidente Macri conseguir a maioria de 129 deputados ( metade mais um). A tendência é que ocorram novas dissidências nos próximos dias. ( F S P , 5.2.2016, p. A-12) .

Distância dos bolivarianos

Macri em dois meses de governo já deu seu recado ao mundo: quer distância dos colegas bolivarianos de sua antecessora Cristina Kirchner , e proximidade com o americano Barak Obama e seu clube de amigos.

Macri foi ao Fórum Econômico Mundial de Davos na Suíça, após 12 anos sem o país ter um representante no evento.

Ergueu a bandeira branca para o Reino Unido, apesar da disputa sobre as ilhas Malvinas. Sentou-se à mesa com o vice-presidente dos EUA , Joe Biden , e iniciou conversas para um encontro com Obama.

Visitou o Brasil logo após sua posse e quer estreitar relações com o Brasil em uma situação que terá que ser resolvida por Dilma Rousseff que é simpática aos bolivarianos. ( F S P, 8.2.2016, p. A-8) .

Mercosul

O descaso no governo de Cristina Kirchner com as negociações do Mercosul com a União Europeia foi tão grande que os técnicos designados por Macri para analisar a proposta de acordo precisaram pedir auxílio ao Brasil para recuperar parte do histórico das negociações , pois muitos registros haviam sumido. ( F S P , 10.02.2016, p. A-4) .

Aerolíneas Argentinas

A paulistana Isela Costantini recebeu de Maurício Macri a missão de tirar a Aerolíneas Argentinas do buraco em que está, com uma dívida de mais de R$ 4 bilhões e profissionalizar a estatal , que havia se tornado um cabide de empregos de militantes kirchneristas.

“Deve-se evitar que uma empresa se converta em um instrumento de campanha. Ao final, se ela tiver uma gestão independente e bem feita, com lucratividade isso poderá ter um efeito positivo numa campanha política.

Ela ocupava a presidência da operação da General Motors na Argentina, no Uruguai e no Paraguai e terá que tentar restaurar a empresa que é vista pela população argentina com tanto orgulho quanto de sua seleção de futebol. ( Revista Veja, 17.02.2016, p. 13-17) .

Capitalismo de Amigos

Enriquecimento ilícito do casal Kirchner, escândalo dos hotéis na Patagônia, desvios nas verbas da Aerolineas Argentinas, as malas de dinheiro do empresário amigo do poder, Lázaro Báez, o caso Ciccone, envolvendo o ex-vice Amado Boudou, são apenas alguns dos casos de corrupção que ocorreram na Argentina durante as administrações de Nestor e Cristina Kirchner em seus doze anos de poder.

Em seu mais recente livro, “La Piñata”, Hugo Alconada Mon, 41, principal repórter investigativo do jornal “La Nación” , explica como esses episódios ajudaram a conformar o “capitalismo de amigos” em que se transformou um governo que, desde o princípio , sempre se vendeu como esquerda “ nacional-popular”. ( F S P , 15.02.2016, p. A-12) .

Sete Kirchneristas processados

A Justiça argentina acelerou os trabalhos de investigação contra kirchneristas desde que Cristina Kirchner saiu da presidência.

Em pouco mais de dois meses, sete funcionários do alto escalão de seu governo ( 2007-2015) , viraram alvo de ações judiciais, em uma espécie de “purga” do governo anterior.

Amado Boudou, vice-presidente, é acusado de ter feito viagens em aeronaves particulares, pagas por empresários.

Aníbal Fernández, ex-chefe do gabinete da presidência por irregularidades na licitação de kits destinados a grávidas.

Daniel Gollán, ex-ministro da Saúde ( fev. a dez. 2015) , por irregularidades na licitação de kits destinados a grávidas.

Juan Manzur, ex-ministro da Saúde ( junh.2009 a fev .2015) , por irregularidades na licitação de kits destinados a grávidas.

Guilhermo Moreno, ex-secretário de Comércio Interior, por peculato ( desvio de dinheiro público ) e incitação à violência em diferentes atos.

Alejandro Vanolli, ex-presidente da Comissão Nacional de Valores, por abuso de poder ao executar medidas de perseguição ao grupo Clarín.

José Sbtatelle , ex-presidente da UIF ( Unidade de Informação Financeira ), por divulgação de informações consideradas secretas. ( F S P , 17.02.2016, p. A-8) .

A vice-presidente da Argentina, Gabriela Michetti, 50 afirma que não existe perseguição contra o kirchnerismo. “ Os juízes antes, estavam muito temerários em investigar funcionários envolvidos em suspeita de narcotráfico, corrupção, roubo. Tinham medo de investigar porque isso gerava da parte do governo um castigo. A diferença agora é que o presidente não está se intrometendo, ao contrário do governo anterior”.

E acusa: “ Durante 12 anos lotearam a estrutura pública com aproximadamente 1,5 milhão de pessoas. Funcionários foram demitidos porque não cumpriam suas tarefas , e às custas do nosso dinheiro. Até agora, constatamos algo em torno de 10 mil a 12 mil dentro desse universo de 1,5 milhão. Então não se pode falar em perseguição...Nenhuma pessoa foi despedida por questão ideológica ou de militância, mas pelo fato de não trabalhar”. ( F S P ,24.02.2016, p. A-9) .

Caso Nisman

O promotor-geral da Câmara Criminal, Ricardo Sáenz , afirmou, em documento à Justiça, que Nisman foi “ vítima de um crime de homicídio”. No texto, ele diz que Diego Lagomarsino, o dono do revólver encontrado com o corpo, deve ser considerado responsável. .( F S P , 26.02.2016, p. A-14) .

Cristina Kirchner

O que está acontecendo na Argentina é um caso exemplar para mostrar porque o PT não quer perder o poder no Brasil.

Apenas pouco menos de três meses depois de deixar a Presidência da Argentina, Cristina Kirchner foi convocada pela Justiça a prestar esclarecimentos em um caso que investiga operações financeiras que, segundo estimativas, deverão provocar um prejuízo de R$ 29 bilhões de pesos ( R$ 7,3 bilhões) , aos cofres públicos.

Além dela, o então ministro da Economia Axel Kircillof , e o ex-presidente do Banco Central, Alejandro Vanoli também foram convocados.

Vanoli já foi indiciado. A Justiça apura se houve má gestão de recursos pelo Banco Central , que turbinou as operações de venda de dólares no mercado futuro no fim do mandato de Cristina Kirchner entre setembro e novembro de 2015.

Nessas operações, o BC vendeu US$ 17 bilhões em contratos que preveem o pagamento em 2016, ou seja , contratos que terão que ser honrados na presidência de Maurício Macri.

Segundo a perícia feita por um grupo de renomados economistas, entre os quais o ex-presidente do Banco Central, Martin Redrado, foi praticada uma cotação muito abaixo do valor de mercado – o BC vendeu dólares cotados entre 10 e 12 pesos , enquanto no mercado futuro, a moeda era negociada a 14 pesos.

Ou seja, Cristina Kirchner impôs uma perda significativa em dólares para o seu sucessor. Se fez isso deliberadamente, deve ser punida.

Ela também é alvo de investigação em um suposto caso de enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro. ( F S P , 27.02.2016, p. A-12) .

Sindicalistas

Sindicalistas que foram financiados pelo governo de Cristina Kirchner e outros militantes ligados a seu grupo político organizaram a primeira greve geral enfrentada por Macri.

Os protestos são uma reação ao desaparelhamento político promovido por ele. Mais de 8.000 pessoas foram demitidas nas repartições federais e 12.000 nas administrações locais. ( Revista Veja, 2.3.2016, p. 67) .

AZERBAIJÃO

Também afetado pela queda nos preços do petróleo, o Azerbaijão em janeiro de 2016, impôs controles de capital para tentar conter a desvalorização de sua moeda e está em discussões com o Banco Mundial e o FMI para obter um pacote emergencial de ajuda. ( F S P , 1.2.2016, p. A-16) .

BANGLADESH

O país passou a pertencer ao grupo das nações com classificação de risco BB-, faixa na qual o Brasil corre o risco de entrar em breve. ( Revista Veja, 24.02.2016, p. 32) .

BENEMÉRITOS

Warren Buffett, com 85 anos , desde o ano 2.000 doou US$ 46,6 bilhões. Bill Gates, US$ 13,2 bilhões, Gordon Moore, US$ 6,3 bilhões, Margareth Cargill, US$ 6 bilhões e Leona Helmsley, US$ 5,2 bilhões. ( Revista Exame, 2.3.2016, p. 61) .

BOLÍVIA

Evo Morales está em campanha para disputar em 2019 um quarto mandato e assim tornar-se um presidente eterno na Bolívia.

Mas, no início de fevereiro, um ex-chefe do serviço de inteligência transformado em jornalista , exibiu em seu programa a certidão de nascimento de Ernesto Fidel Morales.

Trata-se de um filho que o presidente boliviano, que é solteiro, teve com uma namorada , Gabriela Zapata Montaño , em 2007. A criança , com nome esquisito combinando Che Guevara e Fidel Castro, morreu um pouco depois de nascer.

Mas, Gabriela , uma estudante pobre de 18 anos quando engravidou dele, enriqueceu nos últimos anos no cargo de gerente comercial de uma empresa chinesa que conseguiu meio bilhão de dólares em contratos sem licitação com o Estado. ( Revista Veja, 24.02.2016, p. 28) .

Gabriela foi detida no dia 26 de fevereiro por acusações de tráfico de influência. Foram encontradas cartas enviadas por ela a empresas públicas onde ela se identificava como representante do governo, o que configuraria uma usurpação de funções. ( F S P , 27.02.2016, p. A-12) .

Esse é um dos problemas da falta de alternância no poder. A corrupção tende a se espalhar em setores estratégicos e por exemplo o Fundo Indígena , vem sendo acusado de destinar fortunas a obras fantasmas.

Sua imagem está se desgastando e está perdendo a confiança de parte da base de apoio político a esquerda e os movimentos indígenas, mas segue com alta popularidade, diante de uma oposição fragmentada. ( F S P ,24.02.2016, p. A-9) .

Evo Morales, reconheceu no dia 24 de fevereiro a derrota no referendo que consultou a população sobre a possibilidade de se candidatar a um quarto mandato presidencial consecutivo em 2019, mas disse que “ a luta continua”.

“Respeitamos os resultados, faz parte da democracia. Perdemos a batalha, mas não perdemos a guerra”.

Com 99,8% das urnas apuradas, o “não” teve 51,3% dos votos e o “sim 48,7%. Morales venceu em três departamentos : La Paz, o mais populoso e onde está a capital, Cochabamba , o terceiro mais populoso , na região central e o vizinho Oruro. Venceu também entre os 81 mil bolivianos que votaram fora do país .

Mas foi derrotado em outros seis. O “ não” ganhou em Santa Cruz da La Sierra, bastião oposicionista e o segundo departamento mais populoso do pais; em Potosi, Chuquisaca e Tarija, no centro-sul e sul ; e nos amazônicos Beni e Pando.

Potosi é a cidade onde a mineração é a base da economia desde a colônia espanhola e a rejeição a Morales mostra que a queda nos preços das commodities impactou nas taxas de desemprego pois foi ali que o presidente teve uma de suas piores derrotas no plebiscito.

Foi a primeira derrota de Evo em uma década no poder. Para Jim Shultz , diretor executivo do Centro da Democracia na Bolívia, “ Essa mudança não é uma guinada à direita” , mas sim uma reprovação da corrupção e a afirmação de que “20 anos é tempo demais para uma pessoa ser presidente”. ( F S P , 25.02.2016, p. A-10) .

O resultado é uma demonstração de que o caudilhismo está chegando ao fim na América Latina e que os bolivianos também estão cansados de corrupção , essa praga que assola a América Latina e que aumenta com a permanência mais prolongada de um partido ou governante no poder.

Mas, como Morales ainda permanecerá na presidência mais quatro anos , até 2019, ele terá tempo e brechas jurídicas para tentar mudar o jogo a seu favor.

Pode voltar a apresentar uma proposta de plebiscito como mesmo teor do que perde, ou com alguma modificação caso observe uma melhora no cenário político que o favoreça.

Pode convocar uma Assembleia Constituinte para mudar a Constituição e permitir mais um mandato. Atualmente ele possui maioria maior do que dois terços , necessária para a aprovação do pedido.

Pode coletar assinaturas equivalentes a 20% da população para sustentar a mudança na Constituição que lhe permitirá concorrer novamente à reeleição.

Pode em última instância, compor uma chapa liderada por Alvaro Garcia Lineira , o atual vice-presidente, na qual obviamente continuaria mandando na presidência.

Desde que Morales assumiu, o PIB cresceu uma média anual de 5%, a taxa de pobreza caiu e sua popularidade disparou.

O populismo distributivista de Evo foi beneficiado pelo aumento do preço do gás natural puxado pela alta recorde do petróleo , a expansão das lavouras de soja e a valorização dos minérios.

Mas , a realidade atual é muito diferente. A desaceleração da China derrubou o preço das commodities , atingindo petróleo, gás natural, soja e minérios.

Mas, a Bolívia demora mais para sentir o impacto porque parte significativa do dinheiro que circula no país não tem origem na economia formal.

Segundo estimativas do governo americano, os bolivianos tem um potencial de produção anual de 210 toneladas de cocaína apenas nas áreas monitoradas. Isso resulta em receitas que podem superar US$ 3,1 bilhões, que contribuem para a estabilidade econômica do país. Altos membros do governo boliviano são alvo de investigações nos Estados Unidos por dar suporte aos cartéis locais.

Morales tem uma posição mais confortável do que Maduro e Dilma, mas a corrosão de sua imagem tende a se agravar com o avanço da crise. O agravamento da situação econômica pode ser a maior ameaça a qualquer manobra que ele faça para tentar se perpetuar no poder. ( Revista Veja, 2.3.2016, p. 64-67) .

CAMARÕES

No dia 10 de fevereiro , um ataque em uma aldeia fronteiriça feito por dois homens-bomba, vindos da Nigéria, matou dez pessoas. ( F S P , 11.02.2016, p. A-9) .

CHINA

Empresas americanas

Uma pesquisa recente da Câmara de Comércio Americana na China, feita em parceria com a consultoria Bain& Company, mostra um aumento no número de empresas americanas que estão tendo prejuízo ou operando sem lucro na China.

Em 2011, elas eram 24% do total e em 2015, são 36%.

As empresas estão preocupadas com o aumento dos custos e a perda da competitividade . ( Revista Exame, 17.02.2016, p. 74) .

COLÔMBIA

Barak Obama recebeu no dia 4 de fevereiro em Washington o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos que pediu que o governo americano retire as Farc de sua lista de grupos terroristas , assim que o acordo for assinado, provavelmente em março.

Para Santos, não haverá impunidade , e se voltarem ao crime, os membros das Farc perderão os benefícios. Segundo ele, o governo negociou com as Farc em uma posição de força, graças ao Plano Colômbia, pelo qual o país reduziu o número de famílias dedicadas ao cultivo de coca em mais de 60%. Este plano teve colaboração significativa dos EUA.

Obama pretende pedir ao Congresso mais verbas para ajudar a recuperação da Colômbia com foco na construção de escolas e projetos de infraestrutura. ( F S P , 5.2.2016, p. A-12) .

CONGO

Quando chegou á República Democrática do Congo , em junho de 2013, para assumir a maior força de paz da ONU, a Monusco, o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz se deparou com a ameaça do grupo rebelde M23, que havia tomado a cidade de Goma, na fronteira com Ruanda, e tentava criar um governo paralelo.

Cinco meses depois, as tropas da ONU ajudaram o exército congolês a derrotar o M23. O impacto foi visto em Goma e entre os 50 outros grupos rebeldes que atuam no país.

Segundo o general, que deixou o posto no fim de dezembro de 2015, mais de 5.000 combatentes de outros grupos se renderam voluntariamente após a queda do M23, que era o grupo armado mais forte.

Mas, o grupo rebelde Forças Democráticas Aliadas ( ADF) teve reduzida sua área de influência, mas continua numa guerra assimétrica contra as Forças Armadas do Congo e as tropas da ONU e combate-lo será um dos maiores desafios a ser enfrentado. ( F S P , 23.02.2016, p. A-12) .

CORÉIA DO NORTE

O Conselho de Segurança da ONU condenou no dia 7 de fevereiro o lançamento de um foguete pela Coréia do Norte e afirmou que irá adotar “medidas significativas” em resposta às violações das resoluções da ONU pelo governo de Kim Jong-un.

A Coréia do Norte anunciou no dia 7 de fevereiro ter colocado em órbita um satélite, mas como foi usado um foguete de longo alcance, a comunidade internacional condenou a ação , porque acredita que na verdade é o teste do Unha-3 , um míssil balístico internacional , com alcance de 10.000 km e que pode transportar 500 kg.

O arsenal norte-coreano tem vários mísseis: Nodong ( 1.300km), Taepodong-1 ( 1.600 km), Musudan ( 2.500-3.000 km) e Taepodong-2 ( 6.000 km).

As sanções da ONU em vigor proíbem qualquer atividade ligada a armas nucleares ou mísseis balísticos , estabelecem uma lista negra de indivíduos e empresas norte-coreanas e proíbe os líderes do país de importar artigos de luxo.

Agora , EUA e China começaram a discutir uma resolução para expandir as sanções existentes depois que o governo de Pyongyang conduziu um teste de bomba atômica em 6 de janeiro e agora o processo será agilizado.

O Itamaraty, surpreendentemente, saiu do silêncio e divulgou uma nota afirmando que o Brasil “deplora a decisão do governo norte-coreano de realizar lançamento de satélite com emprego de tecnologia de mísseis balísticos, em violação às resoluções”.

Poucas horas depois do anúncio, a Coréia do Sul e os EUA anunciaram o início de negociações para instalar um sistema antimísseis – o THAAD, um dos mais modernos do mundo- em solo sul-coreano. ( F S P, 8.2.2016, p. A-7) .

Chefe de Estado-maior executado

A agência de notícias sul-coreana , Yonhap, anunciou a execução do chefe do Estado-maior norte-coreano , Ri Yong-gil, acusado de corrupção e conspiração.

Ele estava no cargo desde 2013 e foi substituído por Ri Myong-su, ex-ministro da Segurança. Essa seria a última de uma série de execuções no alto escalão do governo , chanceladas pelo ditador Kim Jong-un, no poder desde 2011, após a morte de seu pai, Kim Jiong-Il . ( Revista Veja, 17.02.2016, p. 29).

CUBA

Perdão de parte da dívida com a França

Raúl Castro viajou a Paris e o presidente da França François Hollande assinaram uma série de acordos de cooperação em várias áreas e também uma reestruturação da dívida cubana

No dia 12 de dezembro, por influência francesa, o Clube de Paris [ grupo informal de 20 países credores] perdoou 8,5 bilhões de euros em dívidas do governo cubano com a promessa da ilha de pagar 11,1 bilhões de euros em 18 anos.

Destes 11,1 bilhões, 4 bilhões de euros são com a França e Cuba não honra seus débitos desde 1986. Agora , no dia 1º de fevereiro, Hollande afirmou que a França reduzirá progressivamente a dívida cubana e os juros originais de 530 milhões de euros. ( F S P , 2.2.2016, p. A-10) .

Raúl Castro vai deixar o poder

O ex-presidente uruguaio, José Mujica, 80, que visitou Havana no final de janeiro, disse que o ditador Raúl Castro , já tomou a decisão de deixar o governo por causa da sua idade que é de 85 anos. Porque? Mujica responde: “ Porque não se pode brigar com a biologia”. ( F S P , 9.2.2016, p. A-7) .

Manuel Morúa, 53,historiador e porta-voz do Arco Progressista, partido social-democrata que busca reconhecimento oficial destaca que Raúl vai se retirar da vida pública , mas vai continuar mandando no regime, ocupando o mesmo papel que Fidel ocupou quando se retirou. O mais realista para ele é haver “ uma sucessão de poder dentro do poder”.

Mas reconhece que a reaproximação de Cuba com os EUA, é “um sinal de esgotamento do modelo de Cuba. Raul e toda a cúpula política reconheceram que era preciso buscar uma reacomodação se quisessem ao menos dar continuidade à parte do processo político construído depois de 1959”.

Mas, por isso “ Hoje, em Cuba, Obama é o político mais popular - muito mais que Raul Castro. Há amigos que querem viajar do leste do país até a capital só para a visita”.

Mesmo com os comunistas lutando para manter o controle do poder, mudanças ocorreram: “ Os sucessores vão se ver obrigados a fazer muito mais reformas se quiserem ter maior apoio da sociedade. Os cubanos também passaram por uma mudança de mentalidade , e , ao contrário do que se pensa, muitos já querem eleições livres, outra realidade e outros atores. A Cuba oficial, hoje não reflete a Cuba real...

O governo ainda reprime muita gente e ainda há cerca de 60 opositores presos, mas o pretexto para atacar sistematicamente as alternativas que representamos já está debilitado. A sociedade também está mais aberta a escutar sobre propostas de mudança”.

Ele comentando a posição do Brasil deixa claro a posição do governo petista, em Cuba e na Venezuela de apoiar regimes ditatoriais e repressores de direitos humanos, por razões ideológicas: “ Infelizmente, em relação à Cuba, a visão política do governo brasileiro nos últimos anos não foi de Estado, mas ideológica. Uma visão de Estado suporia cobrar compromissos sobre direitos humanos e liberdades fundamentais , independentemente das relações próximas. E justamente por serem amigos, o Brasil estaria em melhores condições de pedir que os direitos humanos sejam respeitados em Cuba”. ( F S P , 29.02.2016, p. A-14) .

Retomada de voos comerciais

Cuba e Estados Unidos assinaram no dia 16 de fevereiro acordo que dá sinal verde à retomada de voos entre os dois países pela primeira vez em mais de 50 anos.

O acordo aéreo, concluído em dezembro de 2015, após meses de negociação, permitirá até 110 voos diários entre os EUA e dez aeroportos de Cuba. Várias empresas aéreas já anunciaram que estão interessadas em explorar a rota.

Viagens de turismo continuam proibidas. Somente podem visitar Cuba , americanos que se enquadram em uma das 12 categorias sancionadas pelo presidente Obama.

O governo americano aprovou a instalação da primeira fábrica americana em Cuba desde 1961. Uma empresa de Alabama produzirá mil tratores por ano na ilha. ( F S P , 17.02.2016, p. A-8) .

Visita de Obama

O presidente americano Barak Obama , informou no dia 18 d fevereiro que fará , nos dias 21 e 22 de março , uma visita histórica à Cuba, a primeira desde 1928.

O objetivo segundo ele : é pressionar o regime comunista a respeitar os direitos humanos e fortalecer as medidas para “melhorar a vida do povo cubano”. ( F S P, 19.02.2016, p. A-12) .

Dissidentes liberados

O governo cubano deu permissão para que sete dissidentes façam, cada um , uma viagem internacional e depois voltem a Cuba. Eles fazem parte dos 75 ativistas de oposição presos em uma onda repressiva do regime em 2003, conhecida como Primavera Negra. Mas , quatro tiveram o pedido negado.

A autorização tem relação com a visita de Barak Obama prevista para março. Obama deve se encontrar com dissidentes e grupos da sociedade civil. ( F S P , 25.02.2016, p. A-11) .

Havana

Segundo Leonardo Padura : “ a cidade de Havana não apenas ficou parada no tempo e no espaço, como foi caindo nesse marasmo de abandono em que se encontrava nos anos 1990 , quando chegou a grande crise econômica do momento pós-soviético e, com ela, a impossibilidade de melhorar o estado construtivo de uma cidade envelhecida que foi se povoando de ruínas, desastres urbanísticos e ruas esburacadas...

Hoje Havana , ou grande parte de Havana , é uma cidade ameaçada pelas ruínas. Ruas estragadas, rede de esgotos obsoleta e muitas construções em mau estado ou em ‘estática milagrosa’ ( porque só não caíram por milagre)”. Essa é uma bela descrição do paraíso socialista. ( F S P , 27.02.2016, p. C-8) .

ESPANHA

A polícia espanhola prendeu no dia 7 de fevereiro, sete pessoas suspeitas de ter ligação com grupos militantes islâmicos extremistas em uma busca em Alicante, Valência e Ceuta.

Os presos são suspeitos de operar uma rede de fornecimento para combatentes islâmicos na Síria e no Iraque, enviando dinheiro, armas equipamentos para computadores e materiais para fabricar explosivos em contêineres selados que passam por “ajuda humanitária”. Cinco são espanhóis descendentes de sírios , jordanianos e marroquinos. Há um sírio e um marroquino.

Em 2015, a Espanha prendeu 102 pessoas suspeitas de ligações com grupos terroristas, mais do que o dobro do ano anterior. ( F S P, 8.2.2016, p. A-7) .

EUA

Bancos

Vinte e cinco bancos menores nos EUA, com ativos entre US$ 5 bilhões e US$ 50 bilhões, estão desafiando os grandes bancos.

Trazem retorno “aceitável” para seus acionistas e, desde 2008 crescem em ritmo acelerado tomando cada vez mais participação de grandes bancos.

Conhecidos como “bancos desafiadores”, eles estão crescendo a taxas de 9% ao ano desde 2010. O Fed impôs duras regulações que obrigaram os bancos a reforças o caixa para garantir para a autoridade reguladora que seriam capazes de suportar estresses.

Em julho de 2015, o Fed apertou ainda mais o cerco ao obrigar os oito maiores bancos a ampliar o capital como proteção a eventuais perdas. Isso reduziu a lucratividade das operações das maiores instituições. ( F S P , 1.2.2016, p. A-14) .

Emprego

Após meses de forte expansão do mercado de trabalho nos EUA, a criação de vagas se desacelerou em janeiro, em mais um sinal de atenção para a recuperação americana.

O país gerou 151 mil empregos em janeiro e a taxa de desemprego caiu de 5 para 4,9%. Com estes números, o Fed pode não subir os juros na reunião de março. ( F S P , 6.2.2016, p. A-12) .

Barack Obama

David Brooks , colunista do “The New York Times já está começando a sentir saudades de Barack Obama, por qualidades que sabemos muito bem ele tem e não existem no Brasil.

Obama irradia integridade, humanidade, boas maneiras e elegância das quais começo a sentir falta e, suspeito, todos sentiremos um pouco, independentemente de quem o substitua.” ( F S P , 10.02.2016, p. A-7) .

Conforme destaca Roberto Pompeu de Toledo, “ a enumeração de Brooks equivale a uma súmula de qualidades que se exigem de um homem público – e a um soco no estômago dos brasileiros”. Isso porque , nenhum político de destaque atual na cena política passaria no teste dos cinco itens e isso inclui a atual presidente da República, o seu antecessor e os presidentes da Câmara e do Senado. ( Revista Veja, 17.02.2016, p.98) .

Barak Obama embora não seja um comunista , defende teses muito queridas dos esquerdistas.

Ele propõe aumento de impostos para os mais ricos , pela qual os milionários teriam que pagar ao menos 30% da renda em impostos, ideia que ficou conhecida domo a “regra Buffet”, porque foi defendida por Warren Buffet , a terceira pessoa mais rica do mundo, com US$ 60 bilhões;

Obama propõe taxar os ganhos de capital em 28% e as instituições financeiras teriam que pagar uma nova taxa, que variaria de acordo com os seus passivos.

Obama também propõe uma taxa de US$ 10 por barril de petróleo. O orçamento americano para o ano fiscal de 2017, que se inicia em outubro prevê um déficit de US$ 503 bilhões , ante déficit de US$ 616 bilhões em 2016 ( 3,3% do PIB). ( F S P , 10.02.2016, p. A-9) .

Guantánamo

O presidente Barak Obama enviou ao Congresso um plano para fechar a prisão de Guantánamo , uma de suas maiores promessas de campanha não cumprida.

Dos 800 detentos, restam apenas 91 e o plano prevê a transferência de 35 para outros países e o restante iria para penitenciárias dentro dos EUA.

Apenas em 2015 , foram gastos US$ 450 milhões para manter a prisão operando.

O país que receber estrangeiros deve se comprometer a adotar medidas de segurança para “ garantir que esses detentos não cometam atos de terrorismo”. As medidas geralmente incluem “restrições de movimento, inclusive retenção de passaporte e medidas para evitar que o indivíduo deixe o país ou cidades específicas : monitoramento que pode ser físico ou eletrônico ( tornozeleira); compartilhamento de informações sobre o detento com os EUA; e outras medidas para satisfazer os interesses de segurança nacional dos EUA e ajudar o detento a se reintegrar na sociedade, como assistência médica, treinamento de ofícios e língua”. É difícil imaginar que países queiram receber suspeitos de terrorismo por razões humanitárias. ( F S P ,24.02.2016, p. A-10) .

PIB americano

O PIB dos EUA no quarto trimestre de 2015 registrou crescimento de 1% e fechou o ano com alta de 2,4%. O aumento do PIB acima do esperado, alimenta expectativas de que o Fed poderá voltar a elevar os juros mais cedo do que o esperado o que seria desastroso para a combalida economia brasileira. ( F S P , 27.02.2016, p. A-22) .

Maconha em 2016

Em 2016, a comercialização para uso recreativo é permitida em apenas quatro Estados – Colorado, Oregon, Washington e Alasca e no Distrito de Colúmbia. Outros permitem venda para uso medicinal.

Mas, a maconha continua ilegal sob as leis federais , o que mantém a produção e o comércio sob rígido controle.

Um registro de cada planta deve ser mantido, mesmo antes de a semente germinar e é necessário atualizá-lo quando qualquer movimento significativo acontecer.

Os governos local, municipal e estadual, tributam as vendas em planta, frequentemente em alíquotas diferentes de local a local e superiores a de outros produtos.

Os compradores pagam impostos diferentes de acordo com a finalidade de uso: se sobre a substância em si , para fins médicos ou recreativos.

Certas jurisdições aplicam uma alíquota especial de imposto de venda. Oakland , na Califórnia , adiciona 5% à alíquota regular de 10% cobrada pelo município.

A venda da maconha também continua a ser considerada como tráfico ilegal de drogas sob as leis federais.

Por isso a Receita proíbe empresas que trafiquem substâncias controladas de deduzir suas despesas de negócio, afora o custo do produto vendido, de suas declarações de renda. ( F S P , 28.02.2016, p. D-2) .

EURO

O PIB da zona do euro cresceu 0,3% nos últimos 3 meses de 2015, em relação ao terceiro trimestre. O resultado fraco, chama atenção porque aconteceu em um período em que a economia europeia teve algumas vantagens: o euro perdeu força, o que favorece o setor exportador, e a queda da cotação do petróleo, que derrubou o preço dos combustíveis, o que permitiria, em tese, que os consumidores gastassem mais em outros produtos.

Para economistas, o ritmo atual de crescimento não é capaz de gerar pressão inflacionária suficiente que leve o aumento de preços a um ritmo mais próximo ao desejado pelo BCE , de cerca de 2% ao ano. Em janeiro, a inflação foi de 0,4%.

Por isso já são pedidas novas medidas de estímulo pelo Banco Central Europeu e uma delas seriam novos cortes de juros, ou seja, aprofundar a política de juros negativos que passou a ser adotada em 2014.

Esta estratégia já adotada por Dinamarca , Suíça, Suécia e Japão, tem por objetivo fazer com que as instituições financeiras emprestem dinheiro para consumidores, em vez de deixa-lo depositado no Banco Central, já que na prática, elas teriam prejuízo. ( F S P ,13.02.2016, p. A-16) .

FRANÇA

O governo francês apresentou no dia 3 de fevereiro várias propostas contra ações terroristas , destacando-se um projeto de lei que permite que policiais usem suas armas para “neutralizar” alguém que acaba de cometer um ou vários assassinatos e provavelmente repetirá estes crimes.

Atualmente, a autodefesa é a única justificativa legal para um policial francês atirar em uma pessoa. O Estado de emergência, decretado após os ataques terroristas de 13 de novembro, deverá ser prorrogado por mais três meses, pois o entendimento é de que a ameaça terrorista ainda é extremamente alta na França e na Europa.

As medidas serão apreciadas pelo Parlamento,( F S P, 4.2.2016, p. A-11) .

A Assembleia Nacional Francesa aprovou no dia 16 de fevereiro a extensão, por mais três meses, do estado de emergência no país em vigor desde os atentados terroristas em novembro de 2015 e que expiraria em 26 de fevereiro. Desde sua aplicação, 344 pessoas já foram presas e 580 armas apreendidas ( F S P , 17.02.2016, p. A-10) .

HAITI

O Haiti dá seguidas mostras de que é um país inviável. Atingido por um terremoto em 12 de janeiro de 2010 que matou mais de 220 mil pessoas até hoje não se recuperou.

Dezesseis anos depois não consegue sequer realizar um processo eleitoral , mesmo com tropas da ONU ainda estacionadas em seu território, desde 2004.

O primeiro turno das eleições presidenciais foi realizado em outubro e a oposição alegou fraude em favor do candidato governista. Jude Célestin, candidato da oposição que passou para o segundo turno com 25,2% dos votos, alegou que houve fraude para favorecer o governista Jovenel Moise, que obteve 32,8% , e declarou diversas vezes que desistiria da candidatura.

O segundo turno deveria ter sido realizado em 24 de janeiro, mas diante de ameaças de boicote e violentos protestos nas ruas foi adiado sem data definida.

No dia 7 de fevereiro termina o mandato do presidente Michel Martelly , que anunciou que deixará o poder, mesmo sem estar definido quem assumirá em seu lugar.

Terá que ser formado um gabinete de transição, mas há divergências entre governistas e opositores sobre sua formação.

Isso ocorre em um país onde 51,3% da população adulta segundo a ONU é analfabeta ou semianalfabeta, renda per capita de US$ 1.490, expectativa de vida de 63 anos, mortalidade infantil de 73 por mil nascidos, 24% de acesso a saneamento e 75% de taxa de desemprego.

As forças de paz estão no Haiti desde 2004 para estabilizar o país e a situação em 2016 é de fracasso total. ( F S P , 6.2.2016, p. A-8) .

A OEA anunciou no dia 6 de fevereiro um acordo para formar um governo transitório no Haiti.

O entendimento foi assinado na noite do dia 5 pelo presidente Michel Martelly e pelos líderes do Legislativo e prevê que o Parlamento eleja um presidente interino para ficar no cargo por 120 dias e aponte, por consenso, um primeiro-ministro

O segundo turno fica marcado para 24 de abril e a posse do novo presidente para 14 de maio. ( F S P , 7.2.2016, p. A-14) .

O presidente haitiano Michel Martely cumpriu o acordo e deixou seu posto no dia 7 de fevereiro , mesmo sem um sucessor definido.

Até que se escolha um novo premiê, o atual Evans Paul, indicado por Martely seguirá no cargo. ( F S P, 8.2.2016, p. A-8) .

Após uma sessão de votação que durou mais de dez horas, o presidente do Senado do Haiti, Jocelerme Privet, 63, foi eleito presidente pela Assembleia , como chefe de Estado interino.

Privert foi ministro do Interior do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide , deposto em 2004 no que deu início a um interminável ciclo de instabilidade política no país, que levou a que tropas da ONU fossem mandadas para o país.

A escolha de um aliado de Aristide pode ajudar a por fim às manifestações que tomaram o país, muitas delas lideradas por seus apoiadores. Privert ficará na presidência até 14 de maio. ( F S P , 15.02.2016, p. A-11) .

IMIGRANTES

Alemanha

A polícia de Colônia, onde aconteceram vários delitos sexuais na virada do ano, informou que 22 queixas por insultos e agressões sexuais foram prestadas durante o primeiro dia de Carnaval. ( F S P , 6.2.2016, p. A-9) .

Mortes no Egeu

No dia 8 de fevereiro, ao menos 33 migrantes morreram em dois naufrágios no Mar Egeu, no litoral turco.

Um primeiro naufrágio registrou 11 vítimas perto de Dikili, na província de Izmir ( oeste) e um segundo deixou 22 mortos na província de Balikesir. ( F S P , 9.2.2016, p. A-7) .

Imigração em 2016

Nas primeiras seis semanas de 2016, entraram na Europa 76 mil pessoas, 70,365 imigrantes e refugiados que chegaram de mar à Grécia e 5.898 pela Itália.

O número é dez vezes maior em relação ao mesmo período de 2015. O número de mortes subiu de 69 para 409.

Em 2015, entraram 1,1 milhão de pessoas. ( F S P , 10.02.2016, p. A-9) .

Coibir a travessia de refugiados

A Otan anunciou no dia 11 de fevereiro que participará de uma operação no mar Egeu para coibir o tráfico humano , sobretudo o de refugiados que navegam por ele e pelo Mediterrâneo, da Turquia para a Grécia em busca de asilo na Europa.

Três navios de guerra foram enviados ao mar Egeu, onde o índice de mortandade tem superado o do Mediterrâneo e a ação de coiotes se mostra mais intensa. Pelo Egeu até 7 de fevereiro de 2016, já passaram 70.365 migrantes com 319 mortes e no Mediterrâneo Central apenas 5.898 , com 90 mortes.

É a primeira vez que recursos militares são usados nesta operação e como ela será feita ainda deverá ser melhor definido. ( F S P , 12.02.2016, p. A-10) .

Registro de imigrantes na entrada

Para o embaixador francês no Brasil, Laurent Bili, “Há a preocupação de que esse fluxo de refugiados , de pessoas inocentes, e que precisam de ajuda, possa ser usado por pessoas que querem se infiltrar dentro dos países europeus e cometer crimes terroristas. É claro, o refugiado não é terrorista, temos que separar as coisas. Mas não podemos deixar que esses fluxos sejam um instrumento para atacar nossos países. Neste caso, o mais importante é o papel dos países de entrada...Há a responsabilidade dos países de trânsito de fazer o registro daqueles que são refugiados políticos – porque dentro desses grupos temos situações muito diferentes”. ( F S P ,13.02.2016, p. A-11) .

Cúpula da União Europeia

Chefes de Estado da União Europeia se reúnem nos dias 18 e 19 de fevereiro em Bruxelas numa tentativa de gerir o que está sendo chamado de “multicrise”,

Dos 160 mil refugiados que os líderes europeus combinaram em redistribuir em setembro de 2015, apenas 497 foram de fato realocados.

Grécia e Itália, as duas portas de entrada estão sobrecarregadas , além de Alemanha e Suécia, os principais destinos do fluxo migratório.

Uma nova tentativa de solução seria a criação de uma Guarda Europeia de Fronteira e Costas.

Há a ameaça de excluir a Grécia do Espaço Schengen, zona de livre circulação de pessoas e mercadorias, dentro do qual o passaporte é dispensado.

Outra possível ruptura está em negociação entre David Cameron , e a Comissão Europeia. Pela proposta, o governo britânico poderia suspender por quatro anos o acesso a alguns benefícios sociais para trabalhadores de outros países que vivem em seu território.

Seria acionado um “freio de emergência”, sob a alegação de que o fluxo de imigração excede a capacidade dos serviços sociais britânicos.

O risco é de um eventual “Brexit”, aglutinação de “Britain” e “Exit”, ou “ saída britânica”. Os críticos alegam que essa concessão criaria níveis distintos de cidadania. ( F S P , 14.02.2016, p. A-14) .

Anistia Internacional

No relatório anual , publicado no dia 24 de fevereiro, a Anistia Internacional critica a maneira como a Europa tem lidado com os refugiados.

O texto repudia fortemente a Hungria por bloquear suas fronteiras para impedir a entrada de milhares de refugiados , obstruindo as tentativas regionais coletivas para ajuda-los.

“Esta Europa, o bloco mais rico do mundo, não é capaz de cuidar dos direitos básicos de algumas das pessoas mais perseguidas do mundo. É vergonhoso”, disse o indiano Salil Shetty, secretário-geral da Anistia.

Ele pediu aos países que encontrem formas legais e dignas de oferecer aos refugiados um local seguro e disse que 1,2 milhão deles precisam ser reassentados sem demora.

De acordo com o relatório, ao menos 30 países forçaram em 2015, ilegalmente , refugiados a regressar para os lugares de onde saíram por estar em perigo.

Para a Anistia, os governos violaram “flagrantemente” , o direito internacional.

Crimes de guerra e outras violações das “ leis de guerra” foram cometidas por governos e por grupos armados em pelo menos 19 países e ações draconianas de curto prazo levaram a um “ataque sem precedentes contra direitos humanos”.

O ocorrido em Bangladesh e Mianmar foi considerado um dos casos mais gritantes, porque os traficantes de seres humanos deixaram milhares de pessoas à deriva, sem comida e sem água em mar aberto e nenhum dos dois países aceitaram a entrada destes imigrantes e acredita-se que centenas tenham morrido de sede e fome.

A ONG afirmou ainda que a Arábia Saudita cometeu crimes de guerra com os bombardeios no Iêmen e criticou o país por obstruir um inquérito da ONU para investigar as violações. ( F S P , 25.02.2016, p. A-12) .

Grécia

O primeiro-ministro grego , Alexis Tsipras, convocou de volta a Atenas no dia 25 de fevereiro, seu embaixador em Viena , em protesto contra a iniciativa da Áustria de realizar na dia 24 de fevereiro uma reunião com nove países dos Balcãs ( três deles membros da União Europeia), para discutir ações de contenção do fluxo de imigrantes. Os gregos não foram convidados.

O encontro em Viena deixou claro que a Europa rachou, entre países que se dispõe a receber refugiados e países que não querem saber deles.

A Alemanha , está trabalhando com um grupo pequeno de países, que inclui Suécia, Finlândia e Holanda , que se disponham a receber grandes contingentes diretamente da Turquia , sem necessidade de que arrisquem suas vidas na travessia. O grupo já está sendo chamado de “ coalizão dos dispostos”.

Com o fechamento parcial da fronteira da Macedônia com a Grécia, os acampamentos de refugiados na Grécia estão superlotados. Desde novembro, a Macedônia estabeleceu que apenas sírios , iraquianos e afegãos poderiam cruzar suas fronteiras. Agora o acesso foi restrito apenas a sírios e iraquianos , desde que tenham passaportes válidos.

A Grécia tem capacidade de albergar 3.700 pessoas, mas apenas 1.000 vagas são para pessoas em trânsito. Todos os dias tem chegado a Atenas cerca de 1.700 pessoas, a maioria sírios. Com o fim do inverno europeu em abril, deve aumentar o número de pessoas dispostas a enfrentar a travessia.

Em 2015 de janeiro a junho foram 100 mil refugiados entrando na Europa. Mas no ano de 2015 foram 1.015.078.

Em janeiro e fevereiro de 2016, já são 110.054 mil, 54% mulheres e crianças. Cerca de 102.547 entraram pela Grécia e 7.507 pela Itália. Cerca de 413 morreram na viagem.

Há risco de colapso do sistema na Grécia. O ministro grego da Imigração , Yannis Mouzalas afirmou no dia 25 de fevereiro: “ A Grécia não aceitará se tornar o Líbano da Europa , um depósito de almas , ainda que isso fosse feito com financiamento [ da União Europeia]”. .( F S P , 26.02.2016, p. A-12) .

França

Uma corte da França , deu aval em 25 de fevereiro para que autoridades desalojem centenas de imigrantes de um acampamento em Calais, no norte do país.

Foi autorizada a retirada das tendas e dos barracos na porção sul do acampamento, conhecido como “ a selva”. Escolas e templos deverão ser preservados.

Até 3.000 pessoas podem estar vivendo no local, em condições precárias. Calais fica no acesso ao Eurotúnel , que faz a ligação com a Inglaterra. .( F S P , 26.02.2016, p. A-12) .

ÍNDIA

O PIB da Índia avançou 7,3% no último trimestre de 2015, em relação ao mesmo período de 2014. Com isso o país fica consolidado como a economia que mais cresce entre as maiores do mundo.

Segundo as previsões oficiais, o PIB indiano vai fechar o ano fiscal ( período de abril a março), com uma alta de 7,6%, a maior expansão em cinco anos. No ano fiscal anterior o país cresceu 7,3%.

A economia chinesa cresceu 6,9% em 2015. A Rússia encolheu 3,7% e o Brasil também.

A Índia é beneficiada pela queda na cotação internacional do petróleo , já que é um grande importador. As estimativas dão conta de que a queda no petróleo contribuiu para a alta do PIB em um ponto percentual. ( F S P , 9.2.2016, p. A-8) .

IRAQUE

Estado Islâmico – Mais mortes

Dois ataques à bomba coordenados , deixaram no domingo dia 28 de fevereiro, ao menos 59 mortos e 95 feridos em um mercado no distrito xiita de Cidade Sadr , em Bagdá.

Foi o ataque mais violento em Bagdá em 2016, e mais uma vez ocorre em local público para atingir pessoas inocentes .

Um homem-bomba em uma bicicleta se explodiu no mercado Mredi, que estava cheio na hora do ataque . Minutos depois , um segundo homem-bomba detonou explosivos no meio da população que se reunia no local do atentado.

Esse é o tipo de ação mais covarde que pode existir porque significa uma pessoa se detonar , um forma impossível de ser prevista e que é fatal para os que estão próximos.

O Estado Islâmico mais uma vez comemorou o ato sanguinário: “ Nossas espadas não cessarão de cortar as cabeças dos politeístas que rejeitam Alá , onde quer que estejam”. Ou seja, praticam assassinato de pessoas inocentes, em local público e ainda tem a ousadia de mencionar o nome de Alá, como se Alá fosse o responsável pelos crimes.

Um segundo ataque atribuído ao EI, matou ao menos 12 membros do governo e das forças paramilitares no subúrbio de Abu Ghraib , a oeste de Bagdá.

Horas antes das explosões no mercado em Bagdá, três carros-bomba foram usados no ataque a um quartel das forças de segurança , enquanto atiradores abriram fogo.

Na cidade de Mahmoudiya , a 30 km ao sul de Bagdá, três pessoas foram mortas e dez ficaram feridas com a explosão de uma bomba.

Outras quatro pessoas morreram em um ataque à bomba, nas redondezas de Dora, ao sul da cidade.

O Estado Islâmico já perdeu partes de Anbar e será atacado em Mossul. Por isso reage desta forma covarde, que é utilizando sorrateiramente homens-bomba. Somente muita lavagem cerebral poderia explicar que uma pessoa pode sair de uma região civilizada e culturalmente avançada que é a Europa , para ir até Bagdá , com explosivos no corpo, para matar a si próprio e às pessoas inocentes que estiverem a seu lado. ( F S P , 29.02.2016, p. A-11) .

ISRAEL

Em 2015, quando Binyamin Netanyahu foi reeleito premiê , ele formou o que alguns veem como o governo mais direitista da história do país.

Cargos chave foram ocupados por parlamentares ultranacionalistas , como a ministra da Cultura, Miri Regev ( Likud) que defende uma lei que lhe permita cancelar o financiamento a instituições que planejem espetáculos ou obras que, a seu ver, “denigram o país”.

Paralelamente, os ministros da Justiça , Ayelet Shaked , e da Educação, Naftali Bennet ( do ultranacionalista Casa Judaica), apresentaram outro projeto de lei que obriga ONGs de esquerda a revelarem financiamento externo, alegando que elas recebem fundos de países “hostis” , ou críticos demais a Israel. O mesmo não é exigido de ONGs de direita.

É nesse contexto que o Brasil rejeita a indicação de embaixador por Israel. ( F s P , 7.2.2016, p. A-15) .

Diminuição de impostos

O governo de Israel vem fazendo algo que no Brasil com Dilma Rousseff é impensável. Está reduzindo impostos.

Em outubro de 2015 diminuiu de 18% para 17% o VAT, imposto sobre o consumo, e de 26,5% para 25% , o CIT , taxa sobre as corporações.

Outra coisa impensável no Brasil é a redução da dívida pública que era de 90% do PIB em 2003 e está em 65% e a meta é chegar a 60% em 2020. O Brasil é o contrário. Está em 65% e a meta é chegar a 80% em 2018.

Em Israel existe uma política fiscal responsável. No começo da década passada, o governo israelense impôs um teto de 2,6% ao ano para a elevação dos gastos. Desde 2003, o PIB cresceu , em média 4% ao ano. No Brasil também é o contrário. Não tem meta para elevação dos gastos, eles só crescem e o PIB diminui ano a ano. ( Revista Exame, 17.02.2016, p. 75) .

Ehud Olmert

O ex-primeiro-ministro Ehud Olbert , 70 , tornou-se no dia 15 de fevereiro , no primeiro ex-chefe de governo israelense a ser preso , ao começar a cumprir uma pena de 19 meses por corrupção e obstrução à Justiça.

Quando prefeito de Jerusalém, entre 1003 e 2003 ele aceitou propina para promover um grande projeto imobiliário na cidade. Portanto , em Israel, político recebendo propina dá cadeia. ( F S P , 16.02.2016, p. A-11) .

LÍBANO

Hezbollah

O Hezbollah, grupo fundamentalista de vertente xiita do Islã , baseado no Líbano , apesar de receber suporte financeiro e militar do Irã, reforçou suas receitas por meio de atividades ilícitas.

As autoridades americanas afirmar que o Hezbollah lavou centenas de milhões de dólares da venda ne Europa de cocaína de origem boliviana e colombiana por meio de operações bancárias fraudulentas.

Desde o início dos anos 1990, o Hezbollah está envolvido com cartéis , mas só depois da chegada de Hugo Chávez ao poder na Venezuela em 1999, os libaneses passaram a traficar grandes quantidades, porque com Chávez o aparato estatal venezuelano foi empregado para acobertar as remessas de drogas a partir dos portos e aeroportos do país.

Em outubro de 2011, os agentes do FBI e do DEA, desmontaram uma joint venture do Hezbollah com o narcotráfico com o objetivo de realizar um atentado terrorista em solo americano.

A polícia prendeu o iraniano naturalizado americano Manssor Arbasiar, quando ele tentava desembarcar no aeroporto JFK, proveniente do México, onde havia se reunido com representantes dos Zetas, um dos mais sangrentos cartéis de drogas.

O objetivo era acertar detalhes do assassinato do então embaixador da Arábia Saudita , em Washington, Adel al-Jubeir ( atual ministro das Relações Exteriores). O atentado seria patrocinado pelo Irã , com a participação de altas autoridades do regime.

Ainda em 2011, os investigadores prenderam Ayman Joumaa, um dos principais elos do Hezbollah com os cartéis. Libanês, com passaporte colombiano, ele foi responsável pelo envio de 85.000 quilos de cocaína da milícia xiita ao cartel dos zetas e lavou US$ 900 milhões em operações por meio do Banco Libanês Canadense.

Agora, uma força-tarefa de oito países, coordenada pelos investigadores americanos resultou em sanções para uma centena de pessoas e empresas ligadas ao Hezbollah e na prisão, na França , de quatro operadores financeiros do esquema de lavagem de dinheiro originário do tráfico de drogas.

O Hezbollah montou laboratórios de refino no Líbano. Em 2015, um policial boliviano apreendeu uma carga de 27 toneladas de erva-mate que seria embarcada no terminal que a Bolívia possui no porto chileno de Arica. A inspeção mostrou que não eram folhas de mate, mas de coca que não são identificadas pelos cães farejadores. Depois de refinadas nos Líbano, as folhas resultariam em 135 quilos de cocaína pura, que renderiam mais US$ 16,2 milhões para financiar as operações do Hezbollah.

Mais de 400 atentados foram perpetrados pela organização. Em abril de 1983, um ataque suicida contra a embaixada americana em Beirute deixou 63 mortos e 120 feridos.

Em outubro de 1983, a explosão de caminhões bomba contra bases militares americanas em Beirute deixou um saldo de 241 mortos.

Em 1994, com a ajuda do Irã , o Hezbollah mandou para os ares a sede da Associação Mutual Israelita da Argentina (Amia), em Buenos Aires.

O presidente Barak Obama não liga o Hezbollah ao Irã, apesar de todas as evidências. ( Revista Veja, 10.02.2016, p. 60-61).

LÍBIA

Estado Islâmico

Os EUA bombardearam uma base de treinamento do Estado Islâmico nas imediações da cidade de Sabratha, no norte da Líbia . Foi a segunda ofensiva aérea americana no país em três meses.

Ao menos 41 pessoas morreram e seis ficaram férias no bombardeio na região de fronteira com a Tunísia.

O bombardeio mostra que o vazio político e as disputas pelo poder que ocorrem na Líbia desde a queda do ditador Muammar Gaddafi em 2011, abriram espaço para a entrada do Estado Islâmico.

A facção tomou a cidade de Sirte ( norte do país) e atacou portos de escoamento de petróleo.

Segundo o Pentágono, o principal alvo da operação foi Nouredine Chouchane, terrorista que estaria envolvido em dois grandes atentados na Tunísia em 2015: contra o Museu do Bardo, em que 22 pessoas morreram e outro em uma praia turística em Sousse, que deixou 38 mortos. ( F S P , 20.02.2016, p. A-14) .

MÉXICO

Confronto no presídio de Topo Chicom em 11 de fevereiro, envolvendo integrantes dos cartéis Los Zetas e do Golfo resultou em ao menos 52 pessoas mortas. Os dois cartéis já estiveram em guerra no Estado de Nuevo León e em Tamaulipas entre 2010 e 2012 e em fevereiro de 2012, membros dos Zeras assassinaram 44 homens ligados ao Golfo em um presídio federal lotado em Apodaca. ( F S P , 12.02.2016, p. A-11) .

NIGÉRIA

Empréstimo Emergencial

A queda nos preços do petróleo está fazendo seus estragos. A Nigéria, um dos maiores produtores globais de petróleo, pediu ao Banco Mundial e ao Banco de Desenvolvimento Africano (ADB), um empréstimo emergencial de US$ 3,5 bilhões, para cobrir o déficit em seu orçamento que pode chegar a US$ 15 bilhões.

A Nigéria é a maior economia da África e as receitas do país com petróleo devem cair de 70% do total, para 33% do total em 2016.

Pelas regras do Banco Mundial, o empréstimo, que será de US$ 2,5 bilhões, precisará do endosso do FMI às políticas econômicas do governo, mas com exigências menores do que se fosse um empréstimo direto do FMI. (F S P, 1.2.2016, p. A-16).

Atentado do Boko Haram

O grupo extremista Boko Haram realizou um ataque no dia 30 de janeiro no vilarejo de Dalori e em dois acampamentos que abrigam 25 mil refugiados , a cinco quilômetros de Maiduguri, berço da milícia.

Ao menos 86 morreram. Um sobrevivente escondido numa árvore contou ter visto integrantes da milícia incendiando cabanas e ouvido gritos de crianças sendo queimadas até à morte.

Dezenas de corpos ficaram espalhados pelas ruas após a ação. Tiroteios, incêndios e explosões de homens-bomba se seguiram por aproximadamente quatro horas.

Tropas nigerianas só chegaram a Dalori por volta das 20h40, com efetivo insuficiente e os terroristas só recuaram quando chegou reforço de armamento. ( F S P , 1.2.2016, p. A-9) .

Novo atentado do Boko Haram

Duas mulheres suicidas se explodiram em um campo de refugiados em Dikwa, no nordeste da Nigéria, berço do Boko Haram e mataram ao menos 56 pessoas , ferindo 80 no dia 9 de fevereiro. O campo abriga 50 mil pessoas que fugiram de suas casas.

Uma terceira mulher-bomba foi presa e deu informações sobre outros atentados que estavam sendo planejados.

Em seis anos, o Boko Haram já matou aproximadamente 20 mil pessoas e obrigou 2,5 milhões de nigerianos a deixarem suas casas e uma parte saiu do país. ( F S P , 11.02.2016, p. A-9) .

ORIENTE MÉDIO

Primavera Árabe

Para a professora canadense Bessma Momani às vésperas do aniversário de cinco anos da derrubada do ditador egípcio Hosni Mubarak , o quadro no Oriente Médio não está tão ruim como pode parecer.

Cresce uma geração cosmopolita , educada e comprometedora com a mudança política , apesar dos recentes fracassos em países como Síria, Líbano e Iêmen.

Há altas porcentagens de jovens matriculados na universidade em países como a Arábia Saudita . No Líbano, mais de um terço das mulheres são empreendedoras e as populações estão cada vez mais urbanas e com acesso à internet.

Cerca de 20% dos árabes tem entre 14 e 25 anos.

A Primavera Árabe não trouxe transformações significativas de regime em grande parte da região , exceto pela Tunísia, mas a revolução política ainda não terminou.

Jovens estão aprendendo religião ouvindo sermões no You Tube, e não sendo aqueles do Estado Islâmico e similares, poderão levar a uma postura religiosa mais equilibrada.

Mas, o terrorismo, a radicalização e a violência ainda estão muito presentes. ( F S P , 10.02.2016, p. A-8) .

PERU

Keiko Fujimori, 40, favorita para vencer as eleições presidenciais de 10 de abril no Peru, disse no dia 14 de fevereiro, que se eleita, não dará indulto a seu pai , o ex-presidente Alberto Fujimori, condenado a 25 anos de prisão em 2007 por crimes de lesa-humanidade e corrupção.

“A decisão sobre a liberdade do meu pai será tomada pela via legal e constitucional. Está é uma decisão que a família já tomou , com ele”. ( F S P , 15.02.2016, p. A-11) .

PETRÓLEO

A possibilidade de um corte na produção mundial de petróleo fez o preço do barril de petróleo ter uma recuperação no final de janeiro, mas a proposta de redução não veio da Arábia Saudita , segundo a rede de TV al-Arabiya, que é de propriedade saudita e tem sede em Dubai.

Mas, ainda de acordo com a TV, os sauditas estão dispostos a colaborar com outros países produtores a reanimar o mercado de combustível.

Em 28 de janeiro, o ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, afirmou que a Opep propôs uma redução de 5% na produção para ajudar a diminuir a oferta de óleo e estimular os preços, na primeira ação global deste tipo em mais de uma década.

Com a notícia, a cotação do tipo Brent chegou a US$ 36, dias após atingir US$ 27, o menor valor em 12 anos.

Mas, apesar da alta, ainda existe ceticismo no mercado sobre a possibilidade de uma ação coordenada para reduzir a oferta de petróleo. Não se tem um quadro concreto ainda, de quanto aumentará a oferta de petróleo do Irã, que volta ao mercado internacional com o fim das sanções internacionais. ( F S P , 1.2.2016, p. A-16) .

Depois de um relatório da AIE mostrando que a oferta de petróleo ficou praticamente estável em janeiro, o petróleo tipo Brent, no dia 9 recuou 7,7% para US$ 30,32 e o WIT , teve baixa de 5,89% a US$ 27,94, atingindo seu menor nível desde setembro de 2003. ( F S P , 10.02.2016, p. A-9) .

Em 11 de fevereiro relatório de que os estoques de óleo em Oklahoma(EUA) , um dos mais importantes do mundo, bateram recordes na semana anterior, fizeram o petróleo WTI cair 5% , para US$ 26,05, o menor valor em 12 anos e o Brent , 0,62% , a US$ 30,65.

Para analistas, o preço do petróleo não se recupera antes de 2017. ( F S P , 12.02.2016, p. A-12) .

O ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos, Suhail bin Mohammed al-Mazrouel declarou no dia 12 de fevereiro que a Opep está disposta a negociar um corte na produção. Porém ele afirmou que esse movimento só acontecerá se houver “cooperação total” de outros países que não integram o cartel.

Com isso, o petróleo WTI subiu 12,3% para US$ 29,4, a maior valorização desde 2009

Em 15 de fevereiro , alimentada pela notícia de que o ministro do Petróleo na Rússia, Alexander Novak, que não é da Opep ,vai participar de reunião em Doha, com colegas da Arábia Saudita, Venezuela e Qatar, para tentar conter a queda nos preços do petróleo, o Brent subiu 1,89%, a US$ 33,99 e o WTI, 1,09% , a US$ 29,76. ( F S P , 16.02.2016, p. A-15) .

Rússia e Arábia Saudita, responsáveis por um quarto da produção global de petróleo fecharam um acordo para congelar, nos próximos meses, a produção no patamar de janeiro.

O primeiro acordo em uma década, foi fechado em Doha e teve o aval da Venezuela, Qatar e Kuait , integrantes da Opep.

Mas, para ir adiante, o acerto precisa ter o aval de outros grandes produtores , e o Irã já se manifestou que vai continuar aumentando a sua produção, aproveitando o fim das sanções ocidentais ao país.

Sem o aval de Teerã, os investidores ficaram reticentes sobre o acordo e a cotação do barril de petróleo continuou o seu declínio. O Brent recuou 3,6% para US$ 32,20. ( F S P , 17.02.2016, p. A-14) .

POLÔNIA

Lech Walesa

Documentos recém-descobertos mostram que o ex-presidente da Polônia, Lech Walesa ( 1990-95), fundador do sindicado Solidariedade foi pago para ser informante dos serviços de segurança comunistas entre 1970 e 1976.

Documentos foram apreendidos na casa do último ministro do Interior sob o comunismo, general Czeslaw Kiszczak ( jpá morto), incluindo um acordo para passar informações à polícia secreta assinado com o nome de Walesa e seu codinome, Bolek. Há ainda relatórios e recibos assinados por Walesa. ( F S P, 19.02.2016, p. A-14) .

REINO UNIDO

HSBC

O HSBC, o maior banco da Europa decidiu congelar os salários e novas contratações globalmente em 2016. Em 2015, o banco vendeu sua filial brasileira para o Bradesco, por US$ 5,2 bilhões. ( F S P , 1.2.2016, p. A-15) .

Permanência na União Europeia

Um acordo com o objetivo de assegurar a permanência do Reino Unido na União Europeia , foi fechado no dia 19 de fevereiro entre o premiê David Cameron e os líderes dos demais 27 países do bloco.

O pacto, para evitar o “Brexit” ( saída do Reino Unido da UE), restringe direitos de imigrantes europeus que trabalham no país . Eles perderão uma complementação paga aos trabalhadores de baixa renda, durante período de até quatro anos.

O Reino Unido terá o direito de acionar um “freio de mão”, para suspender o pagamento desse benefício aos demais europeus por um período de até sete anos.

Benefícios a filhos menores de idade também serão afetados. O valor passará a ser calculado segundo o custo de vida no país de origem, caso as crianças não tenham se mudado para o Reino Unido junto com o pai ou com a mãe.

Será realizado um referendo no dia 23 de junho , para decidir sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia. ( F S P , 20.02.2016, p. A-16) .

Cameron em discurso no Parlamento afirmou que deixar o bloco seria “ dar um salto no vazio”.

Se o Reino Unido sair da União Europeia pode aumentar o custo do comércio, pode mudar a posição do país como um lugar atraente para as empresas montarem suas bases de investimento para a Europa e haverá a perda da influência sobre as regulamentações europeias e redução da capacidade de resolver disputas comerciais com as maiores economias mundiais.

Segundo o economista inglês Jonathan Portes, as questões mais importantes para a economia britânica são domésticas e dependem pouco das decisões do bloco e por isso não faria sentido deixar a União Europeia.

A Inglaterra representa apenas 16% do comércio total da UE, mas é o destino de 44,6% das exportações britânicas. Ou seja, se saísse do bloco, os ingleses teriam que negociar suas relações comerciais com a UE do zero e com menos poder de barganha. O Reino Unido portanto, tem mais a perder do que a ganhar com a saída. ( Revista Veja, 2.3.2016, p. 68-69) .

RÚSSIA

Mario Sergio Conti destaca que vai completar 60 anos em 23 de fevereiro, a leitura, na tribuna do 20º Congresso do Partido Comunista da União Soviética , do Relatório Kruschev.

Um governante russo incriminou pela primeira vez Josef Stálin, enterrado três anos antes no Kremlin com a auréola de santo.

No relatório Kruschev afirmou que Stálin mandara torturar e matar centenas de milhares de inocentes. Deportara povos e perseguira etnias. Provocou crises alimentares e instituiu o trabalho forçado. Fez um pacto com Hitler que levou 22 milhões de soviéticos á morte, na Segunda Guerra Mundial.

Os 1.450 delegados do partido ficaram em choque, mas não receberam o documento impresso. O relatório, mesmo censurado pela imprensa passou a ser o assunto principal em Moscou. Todos os 25 milhões de filiados do PC e da Juventude Comunista o leram.

O partido stalinista da Polônia traduziu o texto e depois , retraduzido , em junho de 1956, ele foi publicado pelo “The New York Times” e pelo “Le Monde”. Os militantes do mundo inteiro tomaram conhecimento que o socialismo desandara em terror policial.

Ficou-se sabendo depois que quem redigiu o relatório foi um stalinista de quatro costados, Piotr Pospelov, que fizera a biografia oficial do ditador e editara o “Pravda”.

Kruschev o leu com objetivo tríplice: Queria fazer frente á explosão social iminente, precaver-se contra o surgimento de uma nova esquerda e manietar a ala dura do stalinismo que engendrava a sua derrubada.

O resultado do relatório de Kruschev na URSS só veio depois, com Gorbatchev. ( F S P , 9.2.2016, p. A-5) .

SÍRIA

Atentado em Damasco

Um ataque com três bombas matou pelo menos 60 pessoas no subúrbio de Damasco e feriu outras 40 , no domingo , 31 de janeiro.

As explosões, primeiro de um carro-bomba em uma parada de ônibus e, depois de dois suicidas que detonaram seus coletes, atingiram prédios a 600 metros da mesquita de Sayeda Zeinah, uma das mais sagradas para os muçulmanos xiitas.

Muçulmanos continuam matando muçulmanos e a ação foi reivindicada pelo Estado Islâmico.

Sayeda Zeinah, está a 17 km ao sudeste do centro de Damasco e é protegida pelo grupo xiita libanês Hisbullah, que em 2012 enviou homens para zelar pelo santuário contra ataques de sunitas. ( F S P , 1.2.2016, p. A-9) .

Negociações de Paz em Genebra

O principal grupo de oposição, reuniu-se no dia 31 de janeiro com o mediador da ONU, Staffan de Mistura e classificou as conversas como muito positivas, mas alertou que poderia se afastar das conversas se o sofrimento de civis na guerra , não cessar. ( F S P , 1.2.2016, p. A-9) .

Um acordo foi anunciado na noite de quinta feira dia 11 de fevereiro, após negociações entre potências internacionais, incluindo EUA e Rússia.

Ataques podem ser interrompidos em uma semana, e ajuda humanitária pode ser entregue em áreas sitiadas.

Mas, a trégua não é um cenário garantido. As organizações terroristas Estado Islâmico e Jabhat al-Nusra, não participaram das discussões.

Não está claro se o acordo levará à interrupção dos bombardeios russos, e nem qual será o comprometimento da milícia libanesa Hizbullah.

Assad disse à agência de notícias AFP, que está comprometido a retomar todo o país , o que poderia demorar “bastante”.

Se o confronto for congelado neste momento, será uma vantagem para Assad , que tem retomado território no entorno de Aleppo , no norte do país. ( F S P ,13.02.2016, p. A-11) .

Ganha também Vladimir Putin , pois foi graças a ele que Assad se consolidou Ao fortalecer-se pode ver derrubadas as sanções que asfixiam sua economia , satisfazendo-se com uma Ucrânia fraca.

Ganha o Irã que demonstra força geopolítica na região.

Perdem o Estado Islâmico e os grupos islâmicos radicais.

No dia 21 de fevereiro , o secretário de Estado americano, John Kerry , anunciou um “acordo provisório”, com seu colega russo, Sergei Lavrov para um cessar-fogo na região. O acordo precisa ser retificado pelos presidentes Obama e Putin. Os russos estão pressionando o ditador sírio Bashar al-Assad para que ele também cumpra o cessar-fogo. ( F S P , 22.02.2016, p. A-10) .

EUA e Rússia combinaram uma nova tentativa de trégua para o sábado dia 27 de fevereiro. Ataques contra o Estado Islâmico e a Frente Al Nusra, ligada à Al Qaeda devem continuar. O cessar-fogo precisa ser aceito formalmente até o dia 26 pelo governo sírio e pelos grupos armados de oposição.

O ditador Bashar al-Assad anunciou eleições parlamentares no dia 13 de abril. Feitas a cada quatro anos, a última ocorreu em 2012. ( F S P , 23.02.2016, p. A-11).

Ajuda

David Cameron anunciou em 4 de fevereiro que 70 países reunidos em Londres para conferência de doadores para a Síria e nações vizinhas se comprometeram a repassar US$ 11 bilhões em ajuda humanitária a cidadãos sírios até 2020, sendo US$ 6 bilhões já em 2016.

O Brasil vai doar US$ 1,3 milhão, por meio da Acnur. ( F S P , 5.2.2016, p. A-11) .

Aleppo

Com apoio de Moscou e do Irã, o Exército da Síria passou a avançar em direção à fronteira com a Turquia.

Aleppo, a maior cidade da Síria , funciona como um centro logístico dos grupos rebeldes. Por ali chegam armas, dinheiro e recrutas.

No dia 8 de fevereiro, militares sírios recapturaram Kfeen , vila ao norte de Aleppo , que estava com opositores.

Milícias apoiadas pelo Irã tiveram papel fundamental em solo , e caças russos intensificaram os bombardeios, o que permitiu que o Exército sírio assumisse o controle de áreas importantes no norte, pela primeira vez em mais de dois anos. Os russos , em quatro meses, fizeram diferença na guerra a favor de Assad.

Com a ofensiva aérea dezenas de milhares de sírios fugiram de Aleppo em direção à Turquia. Até 35 mil estariam na fronteira, fechada há quatro dias. A cidade está em ruínas.

A situação escandalizou a chanceler alemã , Ângela Merkel “ Estamos horrorizados com o sofrimento de dezenas de milhares de pessoas em meio a ataques com bombas , inclusive com bombas vindas do lado russo”.

Cerca de 2,5 milhões de sírios estão na Turquia. Merkel encontrou-se com o premiê turco , Ahmet Davutoglu e anunciaram em Ancara que os dois países concordaram em desenvolver uma “iniciativa diplomática conjunta”, para parar os ataques contra Aleppo. ( F S P , 9.2.2016, p. A-7) .

A França e o Reino Unido exigiram no dia 10 de fevereiro que a Rússia cesse os bombardeios sobre Aleppo e que o regime sírio facilite o acesso da ajuda humanitária à população.

François Delattre, embaixador francês na ONU disse: “ Não é um favor o que pedimos, é uma obrigação do direito internacional”. ( F S P , 11.02.2016, p. A-8) .

Ataque a hospitais

Ataques com mísseis atingiram pelo menos cinco instalações hospitalares e duas escolas em duas cidades controladas por rebeldes sírios nas províncias de Idilib e Aleppo , matando pelo menos 50 pessoas no dia 15 de fevereiro.

Um dos hospitais atingidos, em Maaret al Numan, em Idilab é apoiado pela ONG Médicos sem Fronteiras.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos afirmou que o ataque a esse hospital teve autoria russa. ( F S P , 16.02.2016, p. A-10) . Os russos negaram a autoria do ataque. O regime sírio acusou a coalizão pelos ataques.

Relatório da ONG Médicos Sem Fronteiras divulgado no dia 18 de fevereiro, mostra que mais de 60 instalações apoiadas pela ONG foram atingidas por 94 ataques na Síria durante 2015, das quais 12 foram completamente destruídas.

Uma das questões em debate é se a ONG deveria informar suas coordenadas aos atores envolvidos no conflito, o que não vem fazendo.

A infraestrutura de saúde no país foi “dizimada”, segundo o estudo. Estima-se em 470 mil o número de mortos na guerra civil desde seu início em 2011. ( F S P , 19.02.2016, p. A-15) .

Ação militar por terra

A Turquia está pressionando os países que fazem parte da coalizão liderada para combater o Estado Islâmico , liderada pelos EUA, para enviar forças terrestres à Síria.

As ações militares do regime sírio, apoiados por bombardeios russos, fizeram com que as tropas avançassem no norte do país, na região de Aleppo , chegando a 25 km da fronteira com a Turquia.

Os EUA já declararam não estar dispostos a enviar tropas, à exceção de pequenos grupos de forças especiais.

Bashar al-Assad , disse que qualquer incursão por terra em seu país terá “ repercussões globais”. ( F S P , 17.02.2016, p. A-10) .

Estado Islâmico

A Arábia Saudita anunciou em 4 de fevereiro que está pronta para enviar tropas terrestres para lutar contra o Estado Islâmico se os líderes da coalizão que enfrenta a facção terrorista concordarem. ( F S P , 5.2.2016, p. A-11) .

Uma série de atentados foram realizados na Síria no domingo dia 21 de fevereiro , pelo Estado Islâmico, deixando ao menos 146 pessoas mortas e centenas feridas.

Na cidade de Homs, ao norte de Damasco, a explosão de dois carros-bomba, matou pelo menos 59 pessoas e feriu cem. As explosões atingiram o distrito de Al-Zahraa , controlado pelo regime de Bashar al-Assad, no qual vivem muitos alauítas.

Horas depois , no santuário xiita de Sayeda Zeinab, ao sul da capital, Damasco, três ataques deixaram ao menos 87 mortos e 180 feridos. ( F S P , 22.02.2016, p. A-10) .

Responsáveis pela escalada do conflito

Os atores internacionais e regionais que mais pedem uma solução pacífica para a Síria são os mesmos que alimentam a escalada do conflito, concluiu a Comissão Independente Internacional de Investigação sobre a Síria, liderada pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro.

O relatório , uma memorável descrição da situação em que está a Síria, foi feito de julho de 2015 a janeiro de 2016 e teve como base 415 entrevistas conduzidas na Síria e à distância, além de análises acadêmicas e relatórios governamentais.

Segundo o texto, nenhuma das partes parece estar apta à vitória, mas todas tem capacidade de manter suas operações militares indefinidamente, perpetuando as mortes e a destruição do país , com uma guerra que completa cinco anos em março.

As coalizões lideradas por Rússia e EUA reduziram a capacidade financeira e operacional do Estado Islâmico , mas os extremistas continuam a atacar em regiões importantes, incluindo rotas de suprimentos.

Assad passou a recrutar milicianos estrangeiros para suas ofensivas, levando à fragmentação das forças do governo e à descentralização da autoridade do Estado.

As consequências dos cinco anos de conflito são devastadoras. Mais de 3 milhões de crianças sírias deixaram de ir à escola regularmente. As instituições educacionais , alvos de ataques por todas as partes , estão sendo usadas para propósitos militares e muitos professores ou foram mortos ou engrossaram o enorme fluxo de refugiados que chega à Turquia, Jordânia e Europa.

A infraestrutura de saúde também foi destruída com ataques deliberados contra hospitais e clínicas, atingindo remédios e suprimentos médicos. Os civis passaram a ter pouco ou nenhum acesso a cuidados médicos.

A violência de gênero também se agravou: foram documentados estupros em prisões do governo sírio e, em áreas do Estado Islâmico mulheres foram proibidas de estudar e trabalhar e as da minoria religiosa yazidi, mesmo crianças , são vendidas como escravas sexuais.

A guerra criou uma economia paralela , baseada em oportunismo , violência e desrespeito. Em áreas cercadas, o preço dos produtos básicos explodiu.

Milhões no país tem pouco ou nenhum acesso à eletricidade , às vezes cortada deliberadamente , e à água potável, o que ajuda a proliferar doenças.

O Estado Islâmico está destruindo patrimônio histórico e cultural , tentando impor sua obscura visão de mundo e fazer do contrabando de relíquias uma fonte de renda. ( F S P , 23.02.2016, p. A-11).

SUÍÇA

A ChemChina está próxima de chegar a acordo para adquirir o grupo suíço de agribusiness Syngenta por US$ 43 bilhões, no que seria a maior aquisição internacional de uma empresa chinês de todos os tempos.

A Syngenta aceitou a proposta, mas depende do aval dos acionistas para ir adiante e depois das autoridades regulatórias.

A ChemChina comprou a italiana Pirelli em 2015, por US$ 7,9 bilhões e em janeiro de 2016, fechou acordo para adquirir a fabricante de maquinaria alemã Krauss Maffee. ( F S P, 4.2.2016, p. A-15) .

TECNOLOGIA

Robotização

Noel Sharkey, especialista em robótica alerta “ Já chegamos ao número de robôs que estava previsto para 2018. O processo de robotização está acontecendo numa velocidade mais rápida do que era esperado há alguns anos. Eles podem ter impactos negativos que nem imaginamos , e não estamos debatendo isso”. ( Revista Exame, 17.02.2016, p. 90) .

TRANSPORTE AÉREO

Com quatro acidentes fatais , 2015 foi o ano mais seguro da história da aviação comercial. Foram 136 mortes , contra a média anual de 504 registradas entre 2010 e 2014. ( Revista Veja, 24.02.2016, p. 32) .

TURQUIA

Atentado

Um ataque a bomba matou no dia 17 de fevereiro ao menos 28 pessoas e feriu mais de 60 em Ancara. Um carro bomba explodiu na hora do rush , no início da noite na capital turca , ao lado de dois ônibus militares que estavam parados num semáforo , num local perto do quartel general das Forças Armadas e a cerca de 500 metros do Parlamento..

Pode ser uma ação do Estado Islâmico ou do PKK ( Partido dos Trabalhadores do Curdistão). ( F S P , 18.02.2016, p. A-10) .

O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, disse no dia 18 de fevereiro que um homem de nacionalidade síria, Sanin Neccar , foi o autor do atentado e fez o ataque em cooperação com um grupo rebelde curdo na Turquia. Nove pessoas que podem ter conexão com o ataque foram detidas.

Algumas horas após o ataque, jatos turcos realizaram ataques contra posições de rebeldes curdos no norte do Iraque. ( F S P , 19.02.2016, p. A-15) .

VENEZUELA

Prisão de ex-chefes de estatais

As autoridades venezuelanas prenderam , o ex-presidente da Corporación Venezuelana de Alimentos, Heber Aguilar e a ex-presidente da rede Bicentenário , Barbara Gonzáles, acusados de desviar produtos subsidiados e embolsar o dinheiro das vendas. Outros quatro funcionários foram detidos. Os produtos eram vendidos para restaurantes e vendidos a preços “especulativos”. ( F S P , 1.2.2016, p. A-8) .

Problemas na Fronteira com Colômbia

Integrantes da Polícia da Colômbia e do Exército da Venezuela , trocaram tiros na noite do sábado dia 30 de janeiro, no rio Arauca, fronteira entre Venezuela e Colômbia , quando militares venezuelanos perseguiam um grupo de canoeiros. Não houve vítimas. ( F S P , 1.2.2016, p. A-8) .

Oposição Ação Diplomática

A Assembleia Nacional da Venezuela vai começar pelo Brasil uma ofensiva diplomática para justificar seu plano de reduzir o mandato do presidente Nicolás Maduro pela via constitucional.

Uma comitiva de deputados liderados pelo presidente da Comissão de Política Exterior do Parlamento, Luís Florido, será recebida em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado, em Brasília, no dia 25 de fevereiro.

Depois a delegação viajará para Bruxelas , sede da União Europeia e Madri. Representantes serão enviados a países sul-americanos , entre os quais a Argentina.

Florido e aliados trabalham em uma emenda constitucional para abreviar o mandato presidencial de seis para quatro anos. Assim, o mandato de Maduro terminaria em 2016.

A emenda poderia ser aprovada pela maioria dos deputados , ser submetida a consulta popular e ainda assim , o TSJ poderá bloqueá-la.

Outra opção seria promover um referendo revogatório quando acaba a primeira metade do mandato presidencial em abril, Para organizá-lo é preciso que 20% dos eleitores registrados ( 4 milhões de venezuelanos), assinem em favor da proposta.

Se o referendo for aprovado com votação igual ou maior do que Maduro teve em 2013, ele seria destituído . Se for até o início de 2017, novas eleições são marcadas. Se depois, quem completa o mandato é o vice-presidente. ( F S P, 4.2.2016, p. A-10) .

Agravamento da crise econômica

O desabastecimento atinge níveis recordes desde novembro. Proliferam saques e pancadarias no comércio. Incidentes são filmados e propagados na internet.

Entre os 6.000 medicamentos registrados no país, menos de 450 estão disponíveis. Há risco de uma crise humanitária.

“Se realmente é você quem lê esses comentários, eu me sinto no direito de lhe dizer que o senhor deveria dar uma volta pelos hospitais públicos e comprovar como morrem os venezuelanos , já que não há nem ao menos álcool para limpar suas feridas”. Comentário postado na página do Facebook de Nicolás Maduro. ( Revista Veja, 17.02.2016, p.34) .

Racionamento de água foi anunciado em janeiro pelo governo, que culpa a seca, mas que é acusado de ter sucateado a infraestrutura hídrica.

A inflação chegou em 2015 a 180,9%, a mais alta do mundo e caminha para 720% em 2016, de acordo com o FMI. Um quilo de tomate ou uma lata de atum estão custando 1.000 bolívares, 10% do salário mínimo que equivale a US$ 10 na cotação paralela.

Caracas acaba de ser proclamada a cidade mais violenta do mundo, fora das áreas de guerra, por uma ONG mexicana que emite ranking a cada ano. No Natal de 2015 em Caracas, houve 30 assassinatos. A taxa de homicídios por 100.000 habitantes subiu de 19 em 1998 para 90 em 2015.

Em 17 anos de poder, o chavismo expropriou centenas de empresas , muitas das quais hoje estão abandonadas, prendeu empresários e impôs controles de câmbio e de preços que minaram a produção e o investimento. Ou seja, o chavismo destruiu a economia na Venezuela.

Sem dinheiro para importar e sem produzir, o governo acelerou a impressão de moeda explodindo a inflação. Contraiu dívidas para tentar manter programas sociais e subsídios que são sua marca registrada.

O crescimento do PIB em 2015 foi negativo em 5,7%. A pobreza voltou a crescer. Era de 62,1% dos lares em 2003, caiu para 25,4% em 2012 e agora está em 73%. São os piores indicadores entre países da América Latina.

Em 2014, o PIB já havia recuado 3,9% e a inflação atingido 68,5%, segundo dados oficiais.

O castigo veio nas urnas. Maduro sofreu uma derrota fulminante , com a oposição ganhando com folga a eleição parlamentar. ( F S P, 4.2.2016, p. A-10) .

Emergência alimentar

A Venezuela que já estava sob forte racionamento de energia, teve decretado no dia 11 de fevereiro, pela Assembleia Nacional em estado de emergência alimentar. ( Revista Veja, 17.02.2016, p.30) .

País já implodiu

Para a historiadora e cientista política Margarita López Maya, “ O cenário mais barato e menos traumático é a renúncia, Maduro tem uma carta na manga, que é ter sido designado por Chávez, mas é incapaz, ignorante e indeciso.

Ele está na política desde os 14, foi chanceler, presidente da Assembleia , mas revelou-se uma nulidade. Isso gera angústia no chavismo.

O país já implodiu . Mas antes de implantar um pacote é preciso adotar medidas sociais de emergência para proteger as pessoas que dependem de produtos com preços regulados. Sem essas medidas, haverá fome”. ( F S P , 11.02.2016, p. A-9)

Tribunal Superior de Justiça desautoriza Congresso.

A situação institucional na Venezuela está um caos. O Tribunal Supremo de Justiça , que é claramente formado por juízes chavistas, declarou no dia 11 de fevereiro ser válido o decreto de emergência econômica anunciado pelo presidente Nicolás Maduro em 14 de janeiro, que prevê novas intervenções do governo no setor privado.

Nicolás Maduro decretou no dia 15 de janeiro “estado de emergência econômica”.

A medida mais grave é que as autoridades poderão intervir em empresas públicas e privadas para recolher definitivamente ou temporariamente meios de transporte, depósitos, fábricas e outros bens para garantir o abastecimento.

Ou seja, a saída é a mais estatização dos meios de produção de primeira necessidade, o aprofundamento do estatismo comunista. Para Maduro, a crise é produto de guerra econômica , mas para a oposição é devido á absurda incompetência do governo.

O governo declarou guerra ao setor privado e está radicalizando um modelo fracassado.

O desabastecimento afeta até 87% dos produtos , e o PIB afundou 8.2% em 2015 , e vai afundar ainda mais,. A inflação chegou a 148% em 12 meses.

O governo prevê usar poupança feita no Orçamento de 2015 e recursos previstos para 2016 em investimentos para elevar a produção , garantir o abastecimento de alimentos e outros itens e melhorar o atendimento na saúde , na educação e na habitação.

Fará compras sem licitação em caso de urgência e liberará das restrições no câmbio órgãos e empresas que importem produtos em falta no mercado venezuelano.

O decreto é ridículo pois ao mesmo tempo em que prevê expropriações, o governo promete “ adotar as medidas necessárias “ para aumentar o investimento estrangeiro na Venezuela para desenvolver a indústria e a agropecuária no país. ( F S P , 16.01.2016, p. A-11) .

Como não poderia deixar de ser, a Assembleia Nacional da Venezuela rejeitou em 22 de janeiro o decreto de Maduro, por 107 dos 163 deputados sob a justificativa de que agravaria a crise.

Não teria o menor sentido a Assembleia dar poderes excepcionais a Maduro na atual situação. ( F S P , 23.01.2016, p. A-10).

Dirigentes chavistas após o texto ter sido barrado recorreram à Justiça.

Para o TSJ embora o Legislativo tenha controle político sobre estados de exceção, podendo revogar sua prorrogação, quando os motivos que levaram ao seu decreto tenham cessado, a Casa não tem poder para afetar a “legitimidade, a validez, a vigência e a eficácia jurídica” dos mesmos.

Além disso, segundo o TSJ, o Parlamento não cumpriu o prazo previsto na lei para analisar o decreto, ou seja, não garantiu a legalidade processual e a segurança jurídica de sua decisão.

Segundo Ramos Allup, presidente da Assembleia Nacional, a ação do TSJ foi inconstitucional e o Legislativo levará o caso à Organização dos Estados Americanos: “O TSJ acredita ter o luxo de interpretar a Constituição contra o próprio texto da Constituição”.

Para Allup, a decisão do TSJ fragiliza ainda mais o governo Maduro: “ Não é nenhum segredo que há pessoas muito influentes dentro do próprio governo e um movimento crescente, pedindo a renúncia do presidente”.

Se a OEA condenar a decisão do TSJ pode ser que o governo chavista faça pouco caso. Em 2015, a Venezuela vetou uma missão de observação da OEA, para as eleições de dezembro e em outubro de 2015 recusou um pedido da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), vinculada à OEA, para visitar o país. ( F S P , 13.02.2016, p. A-11).

Ministros vão à Assembleia

O ministro da Informação da Venezuela, Luis Marcano, afirmou no dia 14 de fevereiro que o vice-presidente e os demais ministros irão atender às convocações feitas pela Assembleia Nacional para explicações sobre o decreto de emergência anunciado pelo governo, que foi derrubado na Assembleia e considerado legal pelo TSJ. ( F S P , 15.02.2016, p. A-10) .

Antonio Ledezma

O Ministério Público da Venezuela, totalmente controlado pelos chavistas, ratificou no dia 15 de fevereiro a acusação de conspiração e formação de quadrilha contra o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma e pediu 16 anos de prisão para o opositor. Ledezma, da ala mais radical da oposição, está cumprindo prisão domiciliar. ( F S P , 16.02.2016, p. A-11) .

Aumento da gasolina

O presidente Nicolás Maduro anunciou aumento do litro da gasolina a partir de 19 de fevereiro , de 0,070 bolívares por litro, para 1 bolívar por litro, elevação de 1.328,5%. Mesmo assim, na cotação paralela, encher um tanque continuará custando menos de US$ 1 ,por que 1 dólar equivale a 1000 bolívares na cotação paralela .

O salário mínimo passou de 9.649 para 11.578 bolívares, cerca de US$ 11,50 pelo câmbio paralelo. Para Vitor Olivo as medidas de Maduro equivalem a “receitar chá de camomila a quem tem câncer”. ( F S P , 19.02.2016, p. A-13) .

Diplomatas impedidos de ter contato com Assembleia

Mostrando bem a absurda situação em que se encontra a Venezuela, a ministra Delcy Rodrigues, que é uma chavista militante, reuniu-se com embaixadores credenciados no país , convocados às pressas em 7 de janeiro, para dizer a eles que o governo da Venezuela proibiu o corpo diplomático em Caracas de qualquer contato com a Assembleia Nacional , sem autorização do Ministério das Relações Exteriores.

Quando a Assembleia era dominada pelo chavismo não havia problema algum. Agora que é dominada pela oposição então não pode mais.

Muitos embaixadores vão simplesmente ignorar esta ordem absurda, pois o contato com diferentes poderes da República faz parte de suas atividades normais e não precisam ficar pedindo autorização ao governo para decidir o que devem ou não fazer. Evidentemente, a embaixada do Brasil, um país submisso , vai seguir à risca a determinação. ( F S P , 20.02.2016, p. A-15) .

Filha de Diosdado Cabello no Brasil

A cantora pop Daniella Cabello, filha do chavista Diosdado Cabello que foi presidente da Assembleia até janeiro, e reeleito deputado , está inscrita para cursar ciência política e sociologia na Unila ( Universidade Federal de Integração Latino-Americana), em Foz do Iguaçu , no Paraná.

Metade das vagas de todos os cursos é destinada a estrangeiros e a seleção é feita por uma banca, não há vestibular , nem prova escrita. ( F S P , 23.02.2016, p. A-10) .

Aumento da emigração

Milhares de venezuelanos estão saindo do país, pelo agravamento da crise econômica e pelo aumento da criminalidade. Cerca de 27,8 mil pessoas foram assassinadas no país em 2015, o que equivale a 90 para cada 100 mil habitantes.

Estima-se que haja 1,5 milhão de emigrantes da Venezuela , algo entre 4% e 6% da população.

Milhares foram para a Argentina. No primeiro semestre de 2015 , 2.722 entraram com pedido de residência no país, alta de 61,3% em comparação com o mesmo período de 2014. Em segundo lugar aparecem os equatorianos, com um avanço de 10,8%.

Os venezuelanos nunca tiveram uma comunidade grande na Argentina, eram 17,9 mil em junho de 2015, mas a presença deles cresce de forma acelerada.

Os que migram aproveitam a facilidade nos trâmites de migração entre os países do Mercosul , mas o motivo da preferência pela Argentina é a fama de local seguro que tem o país. Mas a Argentina não oferece nenhum auxílio que atraia os migrantes.

Quem está saindo é a classe média e a maioria dos que emigram tem ensino superior completo e está cansada de chavismo e se as coisas continuarem do jeito que estão, muitos milhares ainda sairão. ( F S P , 25.02.2016, p. A-10) .

Deputados no Brasil

Em missão oficial ao Brasil, o presidente da Comissão Permanente de Política Externa da Assembleia Nacional da Venezuela , Luis Florido, cobrou que o governo brasileiro tenha posição mais firme em relação ao governo Nicolás Maduro.

Em audiência pública na Comissão das Relações Exteriores do Senado , realizada no dia 25 de fevereiro, ele pediu apoio do Brasil para a estratégia da oposição , que tenta, pelas vias constitucionais , reduzir o mandato do presidente e retirá-lo do comando do país a tempo de se realizarem novas eleições.

Ou seja, ele veio pedir o apoio a uma espécie de impeachment de Maduro. Ele alertou que a situação na Venezuela está muito grave : “ Estamos falando não mais de uma crise humanitária e social, mas uma catástrofe humanitária que está acontecendo na nossa Venezuela”.

A oposição deve apresentar uma solicitação formal de renúncia de Maduro, um projeto de emenda Constitucional para reduzir o seu mandato e um referendo revogatório em abril, quando acabar a primeira metade do mandato presidencial. Maduro vai resistir a tudo isso.

Florido e o deputado William D’Avila reuniram-se também com o chanceler brasileiro Mauro Vieira, a primeira reunião com membros da oposição venezuelana e o Itamaraty em 17 anos. Mas , no governo Dilma, a possibilidade de o Brasil ser hostil a Maduro é zero, até porque agora os dois estão em situação muito semelhante. .( F S P , 26.02.2016, p. A-14) .

Expulsão de Diplomata

Nicolás Maduro não admite críticas. Em novembro foi ao Conselho de Direitos Humanos da ONU , em Genebra, defender-se de acusações de abusos. Na rua, sua comitiva foi alvo de um grupo de venezuelanos que gritavam: “ Maduro traidor, assassino e ditador”.

Agora , em retaliação, a Venezuela expulsou discretamente o chefe da missão diplomática da Suíça , Benedict De Cerjat, encarregado de negócios que estava no cargo havia cinco meses. ( F S P , 27.02.2016, p. A-12) .

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento