Capitalismo Crise - Dezembro de 2.015

Fatos relevantes da economia e política internacionais em dezembro de 2.015

Conforme carta ao leitor de Veja, ‘É alvissareiro que o pêndulo da polícia na América Latina , depois de anos de doloroso neocaudilhismo , esteja, finalmente, voltando para a posição de equilíbrio, com a vitória eleitoral de um presidente não peronista na Argentina, e de uma maioria parlamentar antipopulista na Venezuela. Esses países se juntam à Colômbia, ao Peru , ao Paraguai e, ainda ao Chile , na formação de uma massa crítica racional em nossa vizinhança – com enorme chance de influenciar positivamente os eleitores brasileiros”. ( Revista Veja, 30.12.2015, p. 158) .

ARÁBIA SAUDITA

Pela primeira vez, 19 mulheres foram eleitas no dia 12 de dezembro para os conselhos municipais na Arábia Saudita.

São as primeiras eleições em que as mulheres participaram como eleitoras e candidatas. Das 130 mil eleitoras, 82% votaram e dos 1,5 milhão de eleitores, apenas 44% votaram.

As mulheres no país ainda são proibidas de dirigir automóveis e vivem sob a tutela de um “guardião” homem, que tem o poder de tomar decisões importantes sobre suas vidas.

Mas é uma questão de tempo . No dia 7 de dezembro , mulheres divorciadas e viúvas foram autorizadas a administrar seus negócios sem a aprovação de um homem ou ordem judicial. ( F S P , 14.12.2015, p. A-11) .

ARGENTINA

Os kirchneristas querem que Macri receba a faixa presidencial no Congresso , onde fará seu juramento, mas os aliados de Macri querem que a passagem da faixa ocorra na sede do governo , na Casa Rosada. Pretende retomar uma tradição interrompida pelos Kirchner.

O motivo é evitar a militância kirchnerista do La Câmpora que pretende levar uma multidão de integrantes para as galerias da Câmara. ( F S P , 2.12.2015, p. A-13) .

Cristina Kirchner não quer entregar a faixa e o bastão presidencial a Macri. Ela pretende deixa-los no Congresso . Macri já desistiu da ideia de receber a faixa de Cristina e convocou o presidente do Supremo, Ricardo Lorenzetti para as honras da cerimônia. ( F S P , 9.12.2015, p. A-12) .

Cristina Kirchner despediu-se dos militantes em um discurso na Praça de Maio , em frente à sede do governo argentino em 9 de dezembro . O discurso foi feito com a presença de Evo Morales, demonstrando seu lado bolivariano.

O presidente do Banco Central , Alejandro Vanoli, que tinha mandato até 2019 , anunciou sua renúncia no cargo, cedendo a pressões de Macri. ( F S P , 10.12.2015, p. A-12) .

Macri tomou posse em 10 de dezembro, como esperado sem a presença de Cristina Kirchner . Em seu primeiro discurso afirmou que os políticos devem superar os seus egos e prometeu combater a corrupção.

O economista Alfonso Prat-Gay, indicado para o Ministério da Fazenda confirmou que a Argentina já está negociando com os credores externos.

“Teremos uma negociação dura adiante , mas a maneira de encará-la é sentando-se para negociar , e não se fingindo de distraído”.

O Ministro da Agricultura , Ricardo Beryaille disse que o governo vai retirar os impostos sobre exportações de milho e trigo, o que vai fazer as exportações crescerem substancialmente. ( F S P , 11.12.2015, p. A-15) .

Clóvis Rossi destaca que Macri terá o desafio de desfazer o nó econômico sem mexer no avanço social.

O populismo que caracterizou os governos de Kirchner na Argentina, chavista na Venezuela e do PT no Brasil exige muito dinheiro.

Na Argentina, “a pobreza caiu de 57% em 2002 para os atuais 20% ou pouco mais. O desemprego baixou de 21% em 2002 para 7% agora. A cobertura educacional subiu de 62% para 80%”

O gasto público saltou de 17,4% do PIB em 204, para 32,7% em 2014 e o déficit fiscal em 2015 será superior a 7% do PIB , o maior percentual desde 1982 e o quinto consecutivo.

Ou seja, como o Brasil, a Argentina esta quebrada e o desafio de Maurício Macri é desfazer a herança maldita, em mexer na bendita. ( F S P , 13.12.2015, p. A-21) .

Carlos Menem

O ex-presidente da Argentina, Carlos Menem, com 85 anos, foi condenado no dia 1º de dezembro a quatro anos e meio de prisão por peculato por desviar dinheiro para pagamentos extras a secretários e ministros de seu governo ( 1989-1999) .

Ele já foi condenado a sete anos de prisão por responsabilidade na venda ilegal de armas á Croácia e Equador.

Menem é senador e tem foro privilegiado e só será preso no final de todos os processos que correm contra ele na Suprema Corte. ( F S P , 2.12.2015, p. A-13) .

Rival na embaixada dos EUA

O presidente eleito Maurício Macri, nomeou um rival para ocupar a embaixada argentina nos EUA, Martin Lousteau , deputado e candidato derrotado para o governo da cidade de Buenos Aires e que foi ministro da Economia de Cristina Kirchner em 2007 – 2008.

Macri continuou criticando Cristina Kirchner que faz o que pode para atrapalhar seu governo. Ela assinou um decreto , que eleva os repasses federais às províncias , obedecendo a uma decisão do Supremo e prevê retirar recursos da Previdência.

“Dá a sensação de que a ideia é seguir criando travas e problemas ao próximo governo. É triste a escolha da presidente: em vez de sair pela porta da frente, sai pela porta dos fundos e não quer contribuir com o nosso país”. ( F S P , 3.12.2015, p. A-13) .

Visita ao Brasil

Maurício Macri visita o Brasil no dia 4 de dezembro. Vai fazer uma passagem relâmpago por Brasília para um encontro rápido com Dilma Rousseff , o chanceler Mauro Vieira e o ministro de Indústria e Comércio , Armando Monteiro.

Depois , vai para São Paulo onde será recebido com pompa e circunstância na Fiesp, chefiada pelo peemedebista Paulo Skaf e depois segue para o Chile. ( F S P , 4.12.2015,p. A-18) .

Macri reuniu-se rapidamente com Dilma Rousseff e na saída fez questão de destacar que Argentina e Venezuela estão preocupados com a situação na Venezuela, ainda que “ cada um manifeste da sua maneira”.

Ou seja ele querendo aplicar a cláusula democrática do Mercosul contra a ditadura venezuelana e Dilma Rousseff fingindo que não sabe de nada.

Macri, ao contrário de Cristina Kirchner, quer fazer avançar o acordo de livre comércio com a União Europeia e isso vai beneficiar o Brasil. ( F S P , 5.12.2015,p. A-14) .

Em seguida, Macri veio para São Paulo, onde foi recebido de modo festivo na Fiesp. Após um discurso elogioso do presidente da entidade Paulo Skaf, Macri discursou para 200 empresários brasileiros e argentinos. Ele traz para a Argentina uma coisa que está em falta no Brasil : esperança.

Skaf elogiou Macri por tem “ uma visão liberal, de empresário e de alguém que crê que o governo não pode atrapalhar a vida das pessoas”. Acrescentou que a eleição que encerrou 12 anos de gestão kirchnerista, “ é sinal de modernidade para nosso continente e fará bem para os países vizinhos”.

Tudo o que falta ao Brasil. Macri convidou os empresários a fazer negócios na Argentina e disse que logo após tomar posse, a sua ideia é “eliminar impostos a exportações e eliminar restrições de exportações de produtos agroindustriais”. Aqui, a única ideia é aumentar impostos. ( F S P , 5.12.2015, p. A-16) .

Macri terá uma tarefa hercúlea: ajustar as contas públicas e promover o desenvolvimento. O ajuste será longo.

A inflação deverá fechar 2015 em 28%, há déficit fiscal há quatro anos , em dois dos últimos três anos o PIB foi negativo e deve crescer em 2015 apenas 0,5%.

As reservas internacionais de US$ 52 bilhões em 2010, caíram para US$ 25,8 bilhões, enquanto o Brasil tem US$ 370 bilhões.

Mas os agricultores seguraram e o estoque de soja é de 31,1 milhões de toneladas , 70% a mais do que o Brasil que produz um terço a mais.

Macri precisa superar o impasse com os “fundos abutres”, porque quer reintroduzir a Argentina no mercado internacional financeiro. Terá que pagar US$ 8 bilhões aos detentores de títulos da dívida que não aceitaram as reestruturações feitas em 2005 e 2010, como estabelecido pela Justiça americana. ( Revista Exame, 9.12.2015, p. 82-86) .

Pacto com o Irã

Assinado em 2013, um pacto com o Irã , teria o objetivo de interrogar suspeitos iranianos no ataque à bomba contra a entidade judaica Amia, em Buenos Aires, em 1994 quando morreram 85 pessoas e mais de 300 ficaram feridas , no maior atentado da história do país.

Nem a comunidade judaica, nem juristas argentinos apoiaram a iniciativa , que acabou tendo a constitucionalidade contestada. O argumento era de que a Argentina já havia recolhido as provas suficientes e que o pacto poderia enfraquecer o pedido do país por justiça.

O promotor Alberto Nisman , morto em janeiro de 2015 em um caso ainda sem explicações afirmava que o pacto era só uma fachada para esconder os reais interesses de Cristina que tentaria obter vantagens comerciais e financeiras no acordo com o Irã.

Segundo ele, Cristina teria tentado tirar os alertas vermelhos da Interpol contra os suspeitos e em troca a Argentina venderia trigo e compraria petróleo mais barato.

O novo ministro da Justiça do presidente Maurício Macri, German Garavano avisou que desistirá de lutar pela legalidade do tratado, questionado na Justiça argentina. ( F S P , 12.12.2015, p. A-18) .

A juíza Fabiana Palmaghini, responsável pelo caso da morte do promotor argentino Alberto Nisman afastou a promotora Viviana Fein e assumiu a investigação. A juíza ordenou novos procedimentos de investigação. Fein vinha sendo criticada pela família Nisman ao longo do ano, principalmente por não ter esmiuçado detalhes ainda obscuros do caso. ( F S P , 18.12.2015, p. A-15) .

INDEC

Terra arrasada , caos. Foi dessa maneira que o novo presidente do Indec , disse que encontrou o local. O economista Jorge Todesca disse que os que produziam os dados atuais de inflação “fugiram”.

“Não há manual, não há metodologia, não há pessoal”. ( F S P ,15.12.2015, p. A-13) .

Lei de Mídia

A Lei de Mídia, criada por Cristina Kirchner para perseguir o grupo Clarín será modificada, para anular o que foi feito . ( F S P ,15.12.2015, p. A-13) .

Nem precisou. O juiz federal Pablo Caysuals anulou em 18 de dezembro uma ordem de desmembramento forçado do grupo Clarín, determinada pelo órgão regulador Afsca ( Autoridade Federal de Serviços de Comunicação Audiovisual ) , no fim de 2014. A divisão estava suspensa por uma liminar que expiraria em janeiro.

Mas, a Lei da Mídia continua em vigor, mas não vai durar muito. ( F S P , 19.12.2015, p. A-14) .

Macri quer unir a Autoridade Federal de Serviços de Comunicação Audiovisual ( Afsca) e a Autoridade Federal de Tecnologia de Informação e Comunicação ( Aftic) , atualmente dirigias por ultrakirchneristas. ( F S P , 21.12.2015, p. A-12) .

Macri mostrou que não está para brincadeira. O governo publicou no dia 23 de dezembro um decreto removendo os presidentes das duas autarquias . Martin Sabatella e Norberto Berner foram retirados do cargo contra sua vontade, porque formalmente seus mandatos terminariam em 2017 e 2019.

Sabatella criou uma cena inusitada. Depois de saber que fora deposto, apareceu em frente á Afsca dizendo que resistirá até que a Justiça ordene a sua remoção. Afirmou que fez um pedido de habeas corpus para anular o decreto.

Militantes kirchneristas se concentraram na porta do edifício para protestar. Sabatella classificou o decreto como um “atropelo brutal” à legislação e aquartelou-se em seu escritório, no 6º andar, onde recebeu o apoio de políticos kirchneristas.

Sabatella será substituído por Augustín Garzón, 39 , ex-deputado pelo PRO , partido de Macri e Berner por Mario Frigerio , tio do ministro do Interior , Rogelio Frigerio. ( F S P , 24.12.2015, p. A-8) .

Devido à recusa em obedecer o decreto de Macri, Martin Sabatella foi acusado criminalmente de descumprimento dos deveres de funcionário público e abuso de autoridade.

O juiz Julián Ercolini determinou no dia 24 de dezembro que ele e seus aliados deixem a entidade. ( F S P , 25.12.2015, p. A-6) .

O chefe de gabinete da Presidência da Argentina, Marcos Peña , anunciou no dia 30 de dezembro que Maurício Macri decidiu alterar a Lei de Mídia do país para permitir a transferência e a venda de concessões de canais de TV.

Peña disse ainda que a regulação das TVs a cabo não será mais feita pela Lei de Mídia, mas pela Lei de Telecomunicações e com isso , deve cair o limite de 24 municípios em que uma operadora de TV a cabo pode operar.

Disse ainda que a Afsca e a Aftic , serão fundidas em uma única entidade , a Enacom ( Ente Nacional de Telecomunicações).

As mudanças serão feitas por meio de um Decreto de Necessidade e Urgência e depois uma comissão mista será criada para avaliar as modificações que deverão passar pelo Congresso. O kirchnerismo taxou as mudanças de “loucura”. ( F S P, 31.12.2015, p. A-7) .

Exportação

Conforme prometeu, Macri formalizou no dia 14 de dezembro a retirada de impostos sobre a exportação de trigo, milho, girassol e carne , além da redução do percentual cobrado sobre a venda de soja de 35% para 30%.

Com isso, os produtores vão vender excedentes estocados e o governo espera aumentar as exportações entre US$ 8 e 11 bilhões, ajudando o país a enfrentar a severa escassez de dólares. ( F S P ,15.12.2015, p. A-17) .

Nomeação de juízes

Maurício Macri nomeou por decreto dois juízes para a Suprema Corte, causando a primeira crise em seu governo.

O dispositivo está previsto na Constituição, mas foi usado apenas uma vez em 1862 , pelo presidente Bartolomeu Mitre.

Críticos consideraram a nomeação um retrocesso institucional , porque o procedimento normal seria a convocação do Senado para sessões extraordinárias.

Macri nomeou Horacio Rossatti e Carlos Rosencrantz para um mandato provisório até novembro de 2016 e depois eles poderão ser mantidos no cargo. Os nomes são plenamente aceitos.

Mas Macri tem pressa, quer que a Suprema Corte trabalhe e ela estava com apenas três integrantes. ( F S P , 16.12.2015, p. A-13) .

Brasil

Macri escolheu para embaixador no Brasil , Carlos Magarinos, 53, secretário de Indústria e Comércio no governo de Carlos Menem ( 1989-99) e adido comercial na embaixada argentina em Washington entre 1993 e 1997.

Ele é dono de duas consultorias que prestam serviços a empresas com negócios no exterior: a Prospectiva 2020 e a Global Business Development Network e amigo de Macri. ( F S P , 16.12.2015, p. A-13) .

Câmbio

O novo governo argentino acabou no dia 16 de dezembro com o cerco ao dólar, ao eliminar os controles às despesas em moeda estrangeira.

As travas, criadas há quatro anos, tinham como objetivo evitar uma fuga de capitais e uma sangrias das reservas do Banco Central.

Mas acabaram freando importações e afugentando investimentos externos , o que estancou a atividade econômica argentina.

O fim dos controles facilitará o pagamento de despesas no exterior, mas terá como efeito colateral uma expressiva desvalorização do peso, o que deverá significar uma perda do poder aquisitivo dos salários.

A estimativa dos economistas argentinos é que a taxa oficial de câmbio , havia cinco em vigor e todas foram unificadas no dia 16, suba de 9,70 para um valor entre 14 e 15 pesos, o que representa uma desvalorização de 45%. A alta do dólar deverá acelerar a inflação que já está em 25% ao ano. ( F S P , 17.12.2015, p. A-26) .

No dia 17, o dólar foi negociado a 14 pesos , mas muitas casas de câmbio no centro de Buenos Aires estavam fechadas ou não operavam alegando ser necessário adequar o sistema com o novo sistema do Banco Central para fazer operações.( F S P , 18.12.2015, p. A-20) .

Onda de Otimismo

Que maravilha! A Argentina está vivendo uma onda de otimismo com o fim do ciclo kirchnerista e a entrada de Maurício Macri na presidência do país.

Jornais estão publicando matérias e colunas de opinião simpáticas ao novo presidente, sindicatos dão mais tempo para suas reivindicações e empresários estão eufóricos com o recém-anunciado fim das travas comerciais e do cerco ao dólar.

Nem a desvalorização do peso, provocada por uma alta de 40% do dólar na semana azedou o humor geral, embora a disparada muito provavelmente chegue aos preços ao consumidor. ( F S P , 23.12.2015, p. A-10) .

“678”

O programa de TV kirchnerista “678” criado em 2009 no primeiro mandato de Cristina Kirchner, e que se transformou em um dos principais espaços para políticos, intelectuais e jornalistas simpáticos ao governo, teve sua última edição exibida no dia 23 de dezembro. O programa teve a presença de Máximo Kirchner , filho de Cristina que atacou: “ Alguns falam em neofascismo, mas acredito que o governo de Macri seja um CEO do fascismo”, fazendo menção à presença de executivos no novo governo. ( F S P , 25.12.2015, p. A-6) .

Macri inocentado

A Justiça argentina inocentou no dia 29 de dezembro o presidente Maurício Macri em um processo que corria há cinco anos em que era acusado de suposta espionagem.

Foi acusado como governador de Buenos Aires de ordenar as escutas de conversas telefônicas do seu então cunhado , Néstor Leonardo , e do adversário político Sergio Burstein.

Para o juiz Sebastián Casanello não há provas que responsabilizem diretamente Macri pela espionagem . Outros , como o então chefe de polícia da capital, Jorge Palacios, seguem respondendo ao processo, pois segundo o juiz, Palacios teria interesses próprios na espionagem. ( F S P , 30.12.2015, p. A-7) .

BÉLGICA

Duas pessoas cuja identidade não foi divulgada foram presas no dia 27 de dezembro e no dia 28 , suspeitas de planejar um ataque em Bruxelas para a véspera do Ano Novo.

A polícia encontrou roupas militares, material de propaganda do Estado Islâmico e computadores , mas não havia armas e explosivos. Não há ligação com os atentados em Paris. ( F S P , 30.12.2015, p. A-8) .

Segundo o jornal francês “Le Monde”, os atentados simultâneos de 13 de novembro de Paris , que mataram pelo menos 130 pessoas, foram coordenados em tempo real a partir da Bélgica.

Um celular encontrado no lixo perto da casa de shows Bataclan, tem um SMS com a frase “Partiram. Comecem”, que deu início à ação dos terroristas que invadiram a Bataclan e abriram fogo contra o público.

Ás 21h42, quando a mensagem foi enviada, o remetente estava na Bélgica. A linha foi habilitada às 22h24 da noite anterior e desativada após a troca da mensagem, mas 25 mensagens foram trocadas nesse ínterim.

No dia do ataque, a partir das 14 horas, foram feitas pesquisas de fotos e mapas detalhados do Bataclan e, em seguida , da programação da semana da casa.

Um segundo número de telefone belga manteve contato com Abdelhamid Abaaoud , ligações feitas do mesmo lugar da mensagem do outro aparelho. Abaaoud, ligado ao Estado Islâmico, foi morto dias após os ataques em uma operação da polícia francesa em Saint Denis.

A investigação aponta intensa comunicação entre os responsáveis pelas bombas perto do Stade de France e nos restaurantes de Paris no dia 13. Três grupos diferentes foram comandados em tempo real a partir da Bélgica. ( F S P, 31.12.2015, p. A-8) .

BOLÍVIA

Em 21 de fevereiro os bolivianos irão às urnas para decidir se querem mudar a Constituição , para permitir que Evo Morales se eternize no poder, concorrendo a um quarto mandato, no qual já está desde 2006 e vai até 2020. É um ditador. Vai ficar 15 anos no poder e quer mais cinco. ( F S P , 29.12.2015, p. A-13) .

CAPITALISMO

Os problemas na economia capitalista estão encolhendo fortunas. As 400 pessoas mais ricas do mundo perderam parte de suas fortunas em 2015.

Segundo o Índice Bloomberg de Bilionários, os mais abastados tem US$ 19 bilhões a menos do que tinham em 2014.

A maior queda foi de Carlos Slim, atual quinto mais rico, cuja empresa América Móvil teve desvalorização de 25% em 2015. A mineradora Minera Frisco teve fraco desempenho e a valorização do dólar também contribuiu para o “empobrecimento” de Slim , que tem uma fortuna de apenas US$ 53,4 bilhões.

Warren Buffet , guru de investimentos e terceiro mais rico do mundo teve o seu pior ano no mercado de ações desde 2009, perdendo US$ 10,8 bilhões após o seu conglomerado Berkshire Hathaway sofrer com a queda nos preços do petróleo e o mau desempenho da IBM e da American Express.

Bill Gates, líder com US$ 84,4 bilhões, perdeu US$ 2,2 bilhões.

Amancio Ortega, dono da Zara, ganhou US$ 13,4 bilhões e tornou-se o segundo mais rico do mundo.

As 400 pessoas mais ricas controlam, segundo o índice Bloomberg, controlam US$ 3,9 trilhões, mais do que o PIB de todos os países do planeta, exceto EUA, China e Japão. ( F S P, 31.12.2015, p. A-14) .

CHINA

O FMI anunciou em 30 de novembro , a inclusão do yuan em sua cesta de moedas de reserva ( SDR) . Será o quinto integrante do clube, unindo-se ao dólar americano, ao euro, ao iene japonês e à libra esterlina.

A decisão tem importância simbólica , por reconhecer o peso da China como o segundo maior PIB do mundo, atrás do americano.

A curto prazo , o impacto é limitado , pois há poucos ativos precificados pela cesta de moedas do fundo.

Os Direitos Especiais de Saque ( SDR) foram criados em 1969 para complementar as reservas dos bancos centrais e dar apoio ao sistema de taxas de câmbio fixas estabelecidos pelos acordos de Bretton Woods , em 1944.

Para a inclusão de uma moeda no SDR dois critérios básicos são levados em conta. O primeiro é uma participação significativa nas exportações mundiais da economia atrelada à moeda , requisito amplamente cumprido pela China que já tem a maior fatia do comércio global. Em outubro, o yuan tornou-se a quarta moeda mais usada em pagamentos globais, com uma fatia de 2,8%.

O segundo critério é que a moeda seja plenamente conversível e que o Estado mantenha um sistema aberto para que investidores estrangeiros possam negociar ativos nessa moeda , com base nas forças de mercado. Nessa parte a China ainda deixa a desejar. A política monetária chinesa ainda precisará ser mais transparente para avançar neste quesito. ( F S P , 1.12.2015, p. A-15).

Li Daokui, 52 professor da Universidade Tsinghua , e um dos mais influentes economistas do país , afirma que a preocupação com a desaceleração da economia chinesa é exagerada.

Segundo ele, “ o mercado imobiliário está numa fase de ajuste. O total de construções de novas moradias só está crescendo 4% neste ano, enquanto o normal é mais de 10%. O segundo fator é internacional. A demanda por produtos chineses está menor e as exportações caíram 5% neste ano. O terceiro fator tem algo em comum com o Brasil. A China passa por uma campanha muito dura contra a corrupção , numa escala bem maior do que no Brasil. Por isso, muitas autoridades estão com medo e deixando investimentos de lado. Isso mudará em seis meses, eu espero, porque a liderança sabe do risco de uma desaceleração maior da economia”.

Para ele, a economia chinesa está operando em um mundo diferente. Conta com novos setores, como serviços, internet e indústrias voltadas para o consumo como turismo e entretenimento, e está menos dependente de setores tradicionais como ferro, aço, alumínio e construção. A renda da população rural aumenta mais rapidamente do que a da urbana. O país ainda tem muitas áreas pobres, esperando para ser desenvolvidas e por isso , o PIB deve continuar crescendo no mínimo em 7% ao ano até 2022. ( F S P , 26.12.2015, p. A-11).

COLÔMBIA

Farc

O governo da Colômbia e as Farc anunciaram no dia 15 de dezembro ter chegado a um acordo como será feita a reparação às vítimas do conflito que deixou 220 mil mortos em mais de 50 anos, o que mostra como é negativa e destrutiva a ideologia comunista.

As vítimas receberão reparação integral e reabilitação.

Uma corte especial ficará responsável por julgar crimes cometidos por guerrilheiros , paramilitares e militares. Os juízes poderão anistiar ou reduzir penas de pessoas que tenham cometidos crimes menos graves como roubo ou extorsão, caso os acusados deem informações que possam esclarecer outros fatos.

Não haverá anistia de crimes contra a humanidade , como sequestros e homicídios por razões políticas.

Uma Comissão da Verdade será criada , como instância temporária e extrajudicial, para apurar violações do Exército e da guerrilha no conflito.

O governo criará um órgão especial para revelar o paradeiro das pessoas que sumiram na guerra, que são milhares.

Álvaro Uribe , ex-presidente criticou: “ Ás Farc bastará reconhecer crimes menores não cometidos para se livrar da cadeia”.

Falta definir como será o desarmamento da guerrilha. ( F S P , 16.12.2015, p. A-12) .

Caça ao Tesouro

O governo colombiano anunciou ter localizado no litoral do país , o navio espanhol San José . Construído em 1698 , o galeão espanhol zarpou com 600 marinheiros de Portobelo , no Panamá em 1708.

O navio tinha um carregamento de 200 toneladas de ouro, prata e pedras preciosas, o equivalente a US$ 10 bilhões , das minas do Peru, Equador e Bolívia.

Seu destino era Cádiz na Espanha, com escalas em Cartagena (Colômbia) e Havana ( Cuba), mas quando se aproximou de Cartagena foi emboscado por navios ingleses , pois a Inglaterra estava em guerra com a Espanha.

O San José foi derrotado, apesar de possuir 30 canhões.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos declarou “ É um patrimônio colombiano para os colombianos. Agora muitos vão se dizer donos do navio, mas pertence à Colômbia”.

O governo espanhol discordou “ Trata-se de um barco de Estado , e não um navio privado. Há uma titularidade de Estado onde quer que ele esteja”, disse o chanceler espanhol , José Manuel Garcia Margallo.

O presidente equatoriano Rafael Correa disse a Santos que o tesouro do San José deveria ser repartido por todos os países latino-americanos , uma vez que viajava carregado de riquezas tiradas de vários países pelos colonizadores europeus. ( F S P , 20.12.2015, p. A-16) .

Maconha

O presidente Juan Manuel Santos assinou no dia 22 de dezembro , decreto que regulamenta o uso medicinal e científico da maconha.

O decreto visa complementar a lei que tramita no Congresso sobre o uso medicinal da drogas. Cultivo, transformação , importação e exportação da erva serão autorizados a partir de licenças a serem concedidas pelo Estado.

O uso da maconha é permitido na Colômbia desde 1986, mas a lei nunca teve regulamentação. Santos acrescentou que a decisão não muda o compromisso do país no combate ao tráfico de drogas. ( F S P, 23.12.2015, p. A-10) .

COREIA DO SUL

O Japão acertou no dia 28 de dezembro um acordo com a Coreia do Sul, com um pedido formal de desculpas e uma compensação financeira de 1 bilhão de ienes ( R$ 33 milhões).

O pacto tenta por fim a décadas de animosidade e desconfiança entre os dois países e pretende solucionar um impasse histórico relacionado á escravização sexual de mulheres sul-coreanas pelas Forças Armadas japonesas até 1945.

Estima-se que 200 mil mulheres tenham sido escravizadas sexualmente por militares japoneses , sobretudo na China e na península da Coréia , da década de 1930 até 1945. A península foi colônia japonesa de 1910 a 1945.

A maioria já morreu e os 1 bilhão de ienes serão destinados a projetos de apoio a 46 vítimas que ainda estão vivas , a maioria entre 80 e 90 anos.

A Coréia do Sul deixará de criticar o Japão publicamente sobre o assunto e negociará com movimentos civis a retirada de uma estátua que representa as vítimas , instalada em frente à embaixada japonesa em Seul. ( F S P , 29.12.2015, p. A-11) .

CUBA

Com a retomada das relações diplomáticas entre EUA e Cuba, crescem os rumores de que ocorrerá a suspensão da política de “pés secos, pés molhados”, que facilita a concessão de vistos de permanência aos cubanos que pisam em solo americano.

Os que são recolhidos no mar em botes improvisados, são devolvidos a Cuba.

O resultado é que quadruplicou o número de cubanos que cruzam oito países para sair do paraíso comunista.

A vida em Cuba é tão boa que cidadãos vendem tudo o que tem para comprar uma passagem para o Equador e iniciar uma jornada de 4.600 km, por terra e por mar, expondo-se a bandidos, sequestradores e cartéis de droga mexicana para fugir para os Estados Unidos.

Porém, o exército da Nicarágua está barrando os cubanos na fronteira com a Costa Rica. Milhares estão represados ali, sem poder alcançar o sonho da liberdade e com o risco de terem que voltar para o inferno. ( Revista Veja, 9.12.2015, p. 45) .

Voos comerciais

EUA e Cuba acertam retomada de voos comerciais, mas prazos ainda não foram definidos.

O fim do embargo econômico à ilha depende de solução das 5.913 ações indenizatórias , que somam US$ 1,9 bilhão.

Expropriações foram feitas contra empresas e cidadãos americanos pelo regime castrista e foram o motor para a adoção do bloqueio em 1962.

Cerca de 85% das ações, que não correm no sistema judicial, mas foram recebidas, avaliadas e referendadas por uma comissão especial do Departamento de Justiça, foram movidas por indivíduos.

Empresas são responsáveis por apenas 15% das reclamações, mas de US$ 1,7 bilhão do valor exigido.

Se Cuba não pagar essas indenizações , é pouco provável que o Congresso americano retire o embargo e os aviões cubanos ao pousarem em território americano podem ser confiscados, como forma de pagamento.

Por sua vez , o regime de Raúl Castro relatou á ONU que os EUA devem a Havana US$ 121 bilhões pelos danos causados pelo embargo à ilha, Uma alternativa é Cuba pagar o valor com um desconto. ( F S P , 17.12.2015, p. A-11) .

Acordo de aviação concluído em 17 de dezembro, em Washington prevê que EUA e Cuba serão interligados por até 110 voos diários. ( F S P , 18.12.2015, p. A-13) .

ESPANHA

O PP, partido conservador, ganhou as eleições do dia 20 de dezembro, mas as 123 cadeiras obtida são insuficientes para que o premiê Mariano Rajoy seja mantido como líder do governo.

O PSOE , partido socialista espanhol, rechaçou acordo com Rajoy em 23 de dezembro. ( F S P , 24.12.2015, p. A-8) .

O PIB espanhol deve crescer 3,2% em 2015, mas o desemprego embora tenha caído de 27% para 21%, continua elevado.

O PP e o PSOE , que vinha dominando a política nacional desde a queda do ditador Francisco Franco ,perderam a confiança devido a múltiplos casos de desvios de recursos .

A crise dessas duas siglas, abriu espaço a outras duas.

O Podemos , de ideologia chavista, cresceu abraçado a movimentos separatistas e à demagogia eleitoral. Sua proposta é dar uma renda mínima de 600 euros às famílias.

O partido Ciudadanos pede maior abertura à economia e menos impostos. ( Revista Veja, 30.12.2015, p. 44) .

Mas, na Espanha são quatro partidos em destaque. Mesmo assim, a fragmentação torna mais difícil manter a recuperação econômica de que o país necessita. Mas, o quadro espanhol nada tem a ver com a palhaçada com que se transformou a política brasileira com 35 partidos. Além de imensos gastos públicos com tantos partidos , a tarefa de governar torna-se uma tortura porque a barganha política tem que ser usada ao máximo, para contentar tantos grupos.

EUA

Aumento de Juros

Em discurso no dia 2 de dezembro, sobre a “recuperação significativa” da economia dos EUA, a presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, no Clube Econômico de Washington , reforçou a expectativa de aumento dos juros no país já em dezembro.

Yellen citou dados positivos do mercado de trabalho, demonstrou confiança na elevação da inflação e alertou para os riscos de adiar mais uma vez a decisão na última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto ( Fomc) , que deve ocorre em duas semanas.

Os EUA mantém a taxa básica praticamente zerada desde 2008 e deve haver um aumento , mas que não deverá ser superior a 0,25 ponto percentual.

O livro bege . divulgado em 2 de dezembro apontou expansão tímida em 12 regiões dos EUA entre meados de outubro e 20 de novembro.

O consumo cresceu em praticamente todo o país, incluindo as vendas de veículos leves, impulsionadas pelo preço baixo do combustível. Isso porque nos EUA, caiu o preço de petróleo e cai o preço do combustível, enquanto no Brasil é o contrário.

O mercado imobiliário e de construção civil melhorou , os preços em geral ficaram estáveis e os empregos aumentaram modestamente. ( F S P , 3.12.2015, Mercado 2, p. 1) .

Os EUA geraram 211 mil vagas em novembro , mantendo o desemprego em 5%, patamar considerado suficiente por economistas para elevar a taxa básica de juros. ( F s P , 5.12.2015, p. A-27) .

Para Janwillen Acket, economista chefe do banco suíço Julius Bar, China, Brasil, Rússia e Turquia são “estrelas cadentes” e vão sofrer com a alta dos juros nos EUA.

“O Brasil está numa recessão profunda , com inflação alta e juros altíssimos . O ajuste terá de ser cada vez maior em termos de reformas E isso será penoso”. ( F S P ,15.12.2015, p. A-19) .

Para agravar ainda mais a situação , o Federal Reserve , Fed, em 16 de dezembro, subiu os juros pela primeira vez em quase uma década, começando a desmontar o eixo central de sua política para enfrentar a pior crise da economia dos EUA desde a Grande Depressão , nos anos 1930.

O aumento, o primeiro desde junho de 2006, foi de 0,25 ponto percentual , elevando a taxa básica para uma faixa de 0,25% a 0,50%. Essa decisão sinaliza que o processo de alta será lento e gradual , o que suaviza o processo de fuga de dólares dos países emergentes.( F S P , 17.12.2015, p. A-26) .

Atentado

Dois atiradores bem equipados, invadiram em 2 de dezembro o centro Inland Regional , voltado para pessoas com deficiências em San Bernardino , na Califórnia e usando metralhadoras saíram atirando a esmo, matando 14 pessoas e deixando outras 21 feridas. ( F S P , 3.12.2015, p. A-12) .

A chacina foi a mais violenta nos últimos três anos nos EUA. O casal suspeito de ter executado o ataque, entregou a filha de seis meses para a avó antes da ação, aparentemente premeditada , informou a polícia americana.

O casal foi morto logo após a ação . Ninguém foi preso.

Eles teriam disparado 150 tiros durante a ação , na qual usaram dois fuzis de calibre 223, duas pistolas semiautomáticas e mais de 1.600 balas. Todas as armas foram adquiridas de forma legal. Mas duas armas foram compradas por uma terceira pessoa e a polícia ainda vai buscar explicações de como elas chegaram às mãos de Farook.

Segundo o “New York Times” , Farook viajou ao menos duas vezes à Arábia Saudita onde a mulher morava com a família antes do casamento realizado naquele país. ( F S P , 4.12.2015,p. A-16) .

O FBI afirmou em 4 de dezembro que “ há indícios de radicalização “ dos perpetradores e “ potencial inspiração em grupos terroristas estrangeiros”.

A coautora, a paquistanesa , Tashfeen Malik, 27, teria prometido lealdade ao Estado Islâmico usando pseudônimo no Facebook. ( F S P,5.12.2015, p. A-19) .

Uma mensagem de áudio divulgada no dia 5 de dezembro na internet e atribuída ao Estado Islâmico diz que o casal era seu seguidor. ( F S P , 6.12.2015, p. A-18) .

O ataque do casal configura o ataque de “lobos solitários”, que é quase impossível de prevenir. Os dois eram um casal que embora muçulmano, nunca havia demonstrado radicalismo, nem mesmo para o seu círculo íntimo. Não viviam em bairro problemático , nem frequentavam uma comunidade liderada por pregadores radicais. Estavam mais para cordeiros do que para lobos.

Farook parecia satisfeito com um salário de 10.000 reais como inspetor sanitário, conferindo as condições de higiene dos restaurantes e a quantidade de cloro das piscinas. Ele e sua mulher moravam em uma casa confortável e, segundo amigos, aproveitavam o melhor do “sonho americano”. É um contrassenso total que um casal nestas condições tenha pegado armas e sair atirando a esmo para matar seus amigos.

Syed Ritwan Farook, 28 americano, filho de paquistaneses e Tashfeen Malik, 27 , paquistanesa, mantinham em uma casa, 19 bombas, 3.000 cartuchos de munição e centenas de ferramentas para fabricação de explosivos.

Os achados levaram os promotores a pensar que eles planejavam mais mortes. Todos os aparelhos com memória digital foram destruídos e o computador foi encontrado sem disco rígido. Dois celulares foram encontrados quebrados numa lata de lixo perto de uma das cenas do crime e serão reconstruídos em busca de pistas. ( Revista Veja, 21.10.2015, p. 102-104) .

O diretor assistente do FBI em Los Angeles, David Bowdich afirmou que o casal fez um planejamento prévio extenso da ação que iria cometer e há provas de que os dois praticavam tiro ao alvo na região de Los Angeles, inclusive dias antes do ataque. ( F S P , 8.12.2015, p, A-13).

Para a procuradora-geral , Loretta Lynch, a mudança para alvos periféricos se deve ao sucesso dos serviços de contraterrorismo dos EUA em impedir grandes ataques a localidades mais visadas. ( F S P , 7.12.2015, p. A-12) .

Mas , ainda assim é aterrador. O jornal israelense ultraconservador “Israel Hayom”, referindo-se a San Bernardino , diz que “ o espírito do Estado Islâmico invade o Ocidente”. ( F S P , 7.12.2015, p. A-10) .

“A ameaça terrorista é real, mas nós a venceremos. Nós destruiremos a milícia do EI e outras organizações que tentam nos atingir. Nosso sucesso não depende de falar duro, de abandonar nossa ideologia, ou de ceder ao medo” . Barak Obama, 6 de dezembro de 2015. ( F S P , 13.12.2015, p. B-10) .

Barak Obama afirmou no dia 14 de dezembro “ Os líderes do EI não podem se esconder, e nossa mensagem a eles é simplesmente : vocês são os próximos”.

“Mesmo sem dar trégua, precisamos ter sabedoria , atingindo o EI cirurgicamente e com precisão”. ( F S P ,15.12.2015, p. A-14) .

Obama declarou em discurso no dia 18 de dezembro que , tem uma agenda ambiciosa para 2016 , seu último ano na Casa Branca, incluindo a destruição do grupo terrorista Estado Islâmico e o fechamento da prisão de Guantánamo.

Obama disse que as agências de segurança do país monitoram as redes sociais para detectar sinais de extremismo entre candidatos a visto de entrada.

“Vamos derrotar o EI. Faremos isso encurralando-o sistematicamente, cortando suas linhas de suprimento , cortando seu financiamento e atingindo a sua liderança”. ( F S P , 19.12.2015, p. A-17) .

Ameaça de atentado

Em 15 de dezembro, quase mil escolas ficaram fechadas em Los Angeles, devido a ameaças de ataques consideradas plausíveis pelas autoridades policiais.

E-mails enviados a funcionários de diferentes colégios na noite da segunda-feira dia 14, ameaçavam usar explosivos e armas.

A origem das ameaças está sendo investigada pelo FBI. ( F S P , 16.12.2015, p. A-14) .

Veto a islâmicos

O candidato a presidente, o bilionário Donald Trump em comunicado no dia 30 de novembro, propôs que os EUA barrem a entrada de muçulmanos até que o governo “ possa entender o que está acontecendo”.

“Nosso país não pode ser vítima de ataques horrendos por pessoas que só creem em Jihad e não tem sendo de razão ou respeito pela vida humana”. Donald Trump.

A proposta irritou a Casa Branca que acusou Trump de desqualificar-se para presidente com a declaração. ( F S P , 9.12.2015, p. A-13) .

Indústria Química

A Dow Chemical e a Dupont, duas das maiores companhias químicas dos EUA e do mundo, anunciaram em 11 de dezembro um acordo para uma fusão de US$ 130 bilhões.

Com isso, a nova companhia DowDuPont será dividida em três empresas dedicadas a setores específicos: uma se concentrará na produção de sementes e proteção a safras agrícolas; a segunda , em materiais plásticos ; e a terceira , em produtos químicos especializados. ( F S P , 12.12.2015, p. A-24) .

Classe Média

Segundo estudo divulgado pelo centro de estudos Pew , em Washington, a classe média representa 50% dos americanos, contra 61% em 1971.

Os EUA se transformaram em um polo de serviços financeiros e de alta tecnologia e, mais recentemente, no maior produtor de petróleo e gás natural do mundo.

Mas, nos últimos anos foram fechadas muitas fábricas que não conseguiram competir com as de países emergentes como Índia, México e China.

Ao perderem o emprego, muitos de seus funcionários , tipicamente brancos de classe média e sem nível superior, se viram sem alternativa.

Estudo do economista Angus Deaton, vencedor do Prêmio Nobel de 2015 mostrou um aumento significativo na taxa de mortalidade entre as pessoas da população branca de 45 a 54 anos, de 1990 a 2013. Depressivas e descrentes em relação ao futuro, elas passaram a usar mais drogas , legais e ilegais. O número de mortes por envenenamento , cirrose e suicídio nesse grupo social, praticamente dobrou em quinze anos.

De acordo com a Pew, desde 1970, a fatia que a classe média detém da renda nacional caiu de 62% para 43%.

A classe média foi o grupo mais afetado pela crise de 2008. Muitos perderam suas casas e poupanças.

As camadas mais ricas, ficaram mais ricas. Eram 14% da sociedade em 1971 e agora são 21%. Nesta faixa estão as profissões mais promissoras relacionadas com o mercado financeiro, com a área de saúde e a indústria de recursos naturais. O total de empregados no setor de óleo e gás dobrou em dez anos e superou nos 644.000 no fim de 2014.( Revista Veja, 23.12.2015, p. 82-83) .

EUROPA

As promessas do Banco Central Europeu para reanimar a economia da zona do euro , que vive um cenário de crescimento fraco e ameaça de deflação, não impressionaram os mercados financeiros que consideram o pacote abaixo das expectativas.

O BCE anunciou no dia 3 de dezembro que vai injetar mais 360 bilhões de euros na economia , por meio de seu programa de compra de títulos , que incialmente terminaria em setembro de 2016 e foi ampliado para março de 2017, “ ou mais além”

Cerca de 60 bilhões de euros são adquiridos por mês. A taxa de depósito passou de -0,2% para 0,3%, ou seja, os bancos estão pagando para deixar dinheiro no BCE e por isso são estimulados a emprestá-lo. ( F S P , 4.12.2015,p. A-24) .

FRANÇA

Mesquitas

O governo francês fechou três mesquitas. É a primeira vez que isso acontece. A medida é válida enquanto durar o estado de emergência , decretado após os atentados de 13 de novembro e válido por três meses.

Em 25 e 26 de novembro foram fechadas mesquitas em Gennevulliers ( na periferia norte de Paris) e em Arbresle, perto de Lyon. Além delas, quatro salas de oração clandestinas em Nice ( sul do país) tiveram as atividades encerradas.

No dia 2 de dezembro, uma mesquita em Lagny-sur-Marne , cidade de 21 mil habitantes , 35 km a leste de Paris foi fechada.

Nas casas de dirigentes do templo, foram apreendidos um revolver 9 mm , um HD externo e documentos sobre a jihad. O dono da arma teve sua prisão decretada e 22 indivíduos foram proibidos de deixar a França e outros nove colocados em prisão domiciliar.

Outros templos podem ser interditados a qualquer momento. Há na França , 2.200 endereços de culto muçulmano e 89 deles são administrados por indivíduos identificados como fundamentalistas e 41 deles são alvos de “ataques salafistas” ( F S P , 4.12.2015,p. A-19) .

Depois dos ataques, milhares de jovens se engajaram no Exército . O serviço militar na França é voluntário desde 1997 e aceita candidatura de cidadãos com idades entre 17,5 e 30 anos. Em 2014, 120 mil jovens se alistaram e 10 mil ingressaram nas fileiras do Exército francês.

Em 2015, os alistamentos devem pular para 170 mil e as contratações para 15 mil. Essa juventude foi tocada em seu cotidiano e sentindo-se ameaçada retoma valores tradicionais e quer servir ao país. ( F S P , 7.12.2015, p. A-10) .

O partido de extrema direita Frente Nacional foi o mais votado no primeiro turno das eleições regionais na França. Com discurso nacionalista e anti-imigração, a agremiação liderada por Marine Le Pen conseguiu 30% dos votos.

O partido de centro-direita Republicanos , liderado pelo ex-presidente Nicolas Sarkozy teve 27% dos votos e em terceiro ficou o Partido Socialista, do presidente François Hollande com 23% dos votos. Haverá segundo turno no dia 13 de dezembro. ( F S P , 7.12.2015, p. A-10) .

Ataque à Bataclan

O terceiro-homem bomba responsável pelo ataque à casa de shows Bataclan , onde cerca de 90 pessoas morreram no dia 13 de novembro foi identificado.

Trata-se de Fued Mohammed Aggad, 23, francês da região de Estrasburgo , no noroeste do país, perto da fronteira com a Alemanha.

A exemplo de outros, os vizinhos de Aggad se disseram surpresos com seu envolvimento no crime. Seu pai , Said, disse que “teria matado” o filho antes, se soubesse o que ele planejava.

Aggad viajou à Síria no fim de 2013, com o irmão mais velho, Karim, e um grupo de amigos. Os outros dois terroristas do ataque também eram cidadãos franceses, moradores da periferia de Paris e os três morreram no local após o ataque. ( F S P , 10.12.2015, p. A-14) .

Eleições

O partido de extrema-direita , Frente Nacional (FN), líder de votos das eleições regionais de primeiro turno da França, não conseguiu levar nenhum dos 13 governos locais no segundo turno realizado no dia 13 de dezembro.

Mas mesmo assim, a sigla amealhou 30% dos votos em nível nacional, marca muito expressiva , considerando que na eleição anterior, em 2010 , obteve só 9%.

Os socialistas lançaram artilharia pesada contra a FN. O primeiro-ministro Manuel Valls, disse que um governo de extrema-direita poderia conduzir o país à guerra civil e classificou de “enganação”, a plataforma política da sigla opositora. ( F S P , 14.12.2015, p. A-11) .

GRÉCIA

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras está pressionando para que o FMI fique de fora do terceiro pacote de resgate ao país e assim a responsabilidade de acompanhar as reformas econômicas no país ficaria apenas com os países da zona do Euro. Há discordâncias com o FMI em questões financeiras e fiscais. ( F S P , 21.12.2015, p. A-20) .

IÊMEN

Um atentado reivindicado pelo Estado Islâmico, matou no domingo dia 6 de dezembro, Jaafar Mohammed Saad, governador da cidade de Áden, no Iêmen e seis de seus guarda-costas.

O veículo em que estavam explodiu durante a passagem do comboio no qual Saad estava , no trajeto de sua casa para o trabalho. O carro ficou totalmente destruído.

O EI comemorou “ Com a ajuda de Alá e em uma operação de segurança planejada com precisão, houve o assassinato do apóstata e cabeça dos infiéis , Jaafar Mohammed Saad”.

No sábado dia 5, também em Áden, homens armados mataram o presidente de um tribunal especializado em casos de terrorismo. ( F S P , 7.12.2015, p. A-12) .

IMIGRAÇÃO

Alemanha

A chanceler alemã, Ângela Merkel prometeu ao seu partido no dia 14 de dezembro que o país irá “reduzir significativamente “ a entrada de refugiados.

“Queremos e reduziremos significativamente o número de refugiados, porque isso é do interesse de todos”. Para ela, mesmo um país forte como a Alemanha, será sobrecarregado no longo prazo se receber um número elevado de refugiados.

A Alemanha teve 1 milhão de pedidos de asilo em 2015. ( F S P ,15.12.2015, p. A-12) .

Merkel por sua forte atuação na questão dos imigrantes foi eleita pela “Time” e pelo “Financial Times”, como a personalidade do ano. A “Time”, que não concedia esse título a uma mulher desde 1986, a chamou de “ chanceler do mundo livre”. ( F S P, 31.12.2015, p. A-9) .

França

O presidente da França, François Hollande anunciou que seu projeto de revisão da Constituição vai incluir a possibilidade de retirar a cidadania francesa de condenados por terrorismo , portadores de dupla nacionalidade. A cassação de cidadania de terroristas comprovados não fere o direito internacional. ( F S P , 27.12.2015, p. A-13).

Deslocados e refugiados

O número de pessoas forçadas a deixar suas casas por causa de guerras, conflitos e perseguições deve ultrapassar 60 milhões em 2015 ,um recorde histórico , segundo a Acnur informou em 17 de dezembro.

A população de refugiados no mundo, aqueles que precisaram sair de seus países , chegou a 20,2 milhões em junho de 2015, contra 19,5 milhões um ano atrás.

Em apenas seis meses foram registrados 839 mil novos refugiados , taxa média de quase 4.600 pessoas forçadas a fugir de seus países por dia.

O número de deslocados internos , saltou de 26 milhões em junho de 2014, para 34 milhões em junho de 2015.

As solicitações de refúgio, passaram de 558,6 mil, para 993,6 mil.

O maior problema é da Síria. Desde 2011 houve um aumento de 4,7 milhões na população de refugiados no mundo, sendo que 4,2 milhões vieram da Síria.

Considerando a origem dos refugiados de janeiro a junho de 2015 da Síria vieram 4,2 milhões; Afeganistão, 2,6 milhões; Somália , 1,1 milhão; Sudão do Sul, 744.100; Sudão, 640.900; Rep. Dem. do Congo, 535.500; Rep. Centro Africana, 470.600; Mianmar , 458.400; Eritreia , 383.900 e Iraque, 377.700.

Entre os países que mais acolhem refugiados, a Síria recebeu 1,84 milhão; Paquistão, 1,5 milho; Líbano 1,2 milhão; Irã , 982 mil; Etiópia, 702.500; Jordânia, 664.100; Uganda, 428.400; Chade, 420.800; Sudão , 356.200.

A Alemanha tinha em junho 250.299 refugiados e 311.551 aguardavam decisão sobre o pedido de refúgio e os números demonstram que o peso maior recai sobre os países árabes e da África.

Mas a entrada na Europa está aumentando. No primeiro semestre, a Alemanha foi o maior receptor mundial de novas solicitações de refúgio – 159 mil , quase o total registrado em 2014. ( F S P , 18.12.2015, p. A-16) .

Segundo dados da Organização Internacional para as Migrações (OIM) , divulgados em 22 de dezembro, entraram 1.005.504 pessoas ilegalmente na Europa , entre 1º de janeiro e 21 de dezembro de 2015. O total equivale a um crescimento de 365% em relação ao mesmo período de 2014.

Deste total, 821.008 , ou 82% , desembarcaram na Grécia por mar e terra, tornando o país o principal ponto de entrada da Europa, que antes era ocupado pela Itália. O número pode ser ainda maior , porque alguns países tem dificuldades em registrar todas as chegadas. Cerca de 150,3 mil entraram pela Itália, 29.9 mil pela Bulgária, 3,8 mil pela Espanha, 269 por Chipre e 106 por Malta.

Cerca de 455 mil pessoas, 49%, vieram da Síria, 21% do Afeganistão, 8% do Iraque, 4% da Eritreia e 18% de outros países.

A maior parte dos imigrantes pretende chegar aos países mais prósperos da Europa, como a Alemanha e o Reino Unido.

Cerca de 3.692 pessoas morreram ou desapareceram no caminho até a Europa. ( F s P , 23.12.2015, p. A-12) .

IMPRENSA INTERNACIONAL

Pelo menos 67 jornalistas foram mortos em 2015 por razões ligadas ao exercício da profissão segundo relatório anual da ONG Repórteres sem Fronteiras sobre violência divulgado no dia 29 de dezembro. Outros 43 morreram por motivos ainda a elucidar.

Mas, ao contrário do que ocorreu em 2014, 2 a cada 3 jornalistas mortos em 2015 , perderam a vida em países considerados zonas de paz..

Em 2015 11 jornalistas morreram no Iraque e 10 na Síria, países em guerra. Mas oito morreram na França no ataque em 7 de janeiro de 2015 à Redação da publicação satírica “Charlie Hebdo”. Oito morreram também no México e no Iêmen. Nove perderam a vida na Índia, mas em quatro casos não é clara a relação com o ofício.

Desde 2005, 787 jornalistas morreram o que mostra que a violência contra jornalistas tem crescido e as iniciativas de proteção tem falhado. ( F S P , 30.12.2015, p. A-10) .

ÍNDIA

Impulsionado pela manufatura e por um governo eficiente, o PIB da Índia cresceu 7,4% no terceiro trimestre e superou o da China , que se expandiu 6,9% no período. ( Revista Veja, 9.12.2015, p. 49) .

O premiê indiano Narendra Modi , desembarcou em Lahoe no Paquistão no dia 25 de dezembro e foi recebido pelo colega paquistanês Nawaz Sharif.

Foi uma visita surpresa e é sinal de uma saudável tentativa de aproximação entre os dois países que são vizinhos e potências nucleares.

Desde que ficaram independentes do Reino Unido em 1947, Índia e Paquistão já travaram três guerras, duas delas pela Caxemira , região disputada pelos dois países e agora reuniões bilaterais terão início para melhorar as relações entre os dois países. ( F S P , 26.12.2015, p. A-8).

IRAQUE

Estado Islâmico”

“O estabelecimento do Estado Islâmico não reside apenas na luta do soldado , nem na evangelização nas mesquitas, mas num abrangente sistema que obrigue os líderes a construir os conceitos”. Documento interno do EI. (Revista Veja, 16.12.2015, p. 54) .

“[Terroristas] São verdadeiramente uns fanáticos. São como robôs. Eles só vão parar se forem mortos”. Laurent Saourisseau, cartunista sobrevivente do atentado ao Charlie Hebdo. ( F S P , 27.12.2015, p. C-2).

Arábia Saudita

A Arábia Saudita anunciou no dia 15 de dezembro a formação de uma coalizão militar de combate ao terrorismo formada por 34 países de maioria islâmica , liderada pelos sauditas e com centro de comando em Riad, capital do país.

A iniciativa corresponde ao “ dever de proteger a nação islâmica da maldade de todos os grupos terroristas”. O Irã não vai participar. A Arábia Saudita também integra a aliança com os EUA. ( F S P , 16.12.2015, p. A-14) .

Ramadi retomada

O Exército iraquiano anunciou em 27 de dezembro ter retomado o controle de Ramadi, que havia sido ocupada pelo Estado Islâmico em maio.

Ramadi é a capital da província de Al-Anbar , de maioria sunita e às margens do rio Eufrates e sua retomada será uma das mais importantes vitórias das forças iraquianas.

A ofensiva durou seis dias e centenas de armadilhas e explosivos espalhados pela cidade, combinados com kamikazes e franco-atiradores dificultaram o avanço.

Agora as forças iraquianas planejam a retomada de Mossul , o maior centro populacional sob controle do EI, no Iraque e na Síria. ( F S P , 28.12.2015, p. A-10) .

Retomada de Mossul

A retomada de Mossul , de maioria sunita, será tarefa difícil, já que os atores locais e regionais no norte do Iraque tem agendas bastante diferentes.

A região é um mosaico de diferentes grupos étnicos e religiosos que vivem entre a Turquia, a Síria e o Curdistão iraquiano. Para recuperar Mossul, o exército iraquiano precisará da ajuda dos curdos.

Segundo o Ministro das Finanças do Iraque, Hoshiyar Zebari, a retomada de Mossul seria o fim do califado proclamado pelo Estado Islâmico. ( F S P , 30.12.2015, p. A-8) .

Dirigentes do Ei morto

No dia 24 de dezembro uma ofensiva aérea da coalizão matou Charaffe al Mouadan, membro do EI na Síria. El era diretamente ligado a Abdelhamid Abaaoud , suposto líder dos ataques em Paris.

Abdul Qader Hakim, que ajudou a planejar ações terroristas no exterior e tinha laços com o Estado Islâmico morreu em um ataque realizado pelas forças que combatem o Estado Islâmico, realizado no dia 26 de dezembro.

Segundo Steve Warren, coronel do Exército dos EUA ,e porta-voz da coalizão, “Ao longo do último mês, matamos dez figuras do Estado Islâmico, com ataques aéreos direcionados , incluindo vários organizadores de ataques externos , alguns dos quais estão ligados aos ataques em Paris”.

Para ele, parte dos sucessos em ofensivas terrestres, como a retomada de Ramadi , “ pode ser atribuída ao fato de que a organização está perdendo os seus líderes”. ( F S P , 30.12.2015, p. A-8) .

IRLANDA

Dois anos depois de deixar o programa de resgate do FMI e da União Europeia, a República da Irlanda é a economia que mais cresce na zona do euro, com alta do PIB de 6% em 2015.

A crise no país foi desencadeada pelo estouro de uma bolha imobiliária em meio ao abalo financeiro global.

Após um ajuste fiscal que envolveu aumento de impostos e redução expressiva de despesas públicas , incluindo corte em salários de servidores, o país vê sua dívida pública recuar pelo segundo ano consecutivo. Caiu de 123% do PIB em 2013 para 100% em 2015.

Em Dublin, a capital devido ao estouro da bolha imobiliária em 2007, os investimentos em construção despencaram e agora um dos problemas da cidade é a falta de moradias atrativas. ( F S P , 7.12.2015, p. A-16) .

ISRAEL

Uma corte de Jerusalém condenou no dia 30 de novembro, dois jovens israelenses pela morte de um palestino de 16 anos. O assassinato foi parte de uma cadeia de evento que levaram a uma guerra em Gaza em 2014. Os dois são menores de idade o que mostra que em Israel , a idade não representa impunidade para ninguém.

O veredito para o terceiro e principal suspeito, Yosef Haim Bem David, 31, foi adiado devido a uma alegação de insanidade de última hora, o que gerou críticas de palestinos , que disseram que Israel é leniente com infratores judeus, enquanto trata duramente os palestinos.

O tribunal considerou os dois menores culpados pelo assassinato de Mohammed Abu Khdeir, que foi sequestrado , espancado até ficar inconsciente e, em seguida, queimado vivo com gasolina em julho de 2014.

Os três disseram que mataram Mohammed como vingança pelo sequestro e assassinato dos adolescentes israelenses Eyal Yifrah , Gilad Shaar e Naftali Fraenkel por agentes do Hamas na Cisjordânia.

As mortes dos três israelenses desencadearam uma ofensiva israelense na Cisjordânia contra o Hamas, que respondeu com foguetes a partir da faixa de Gaza. O confronto se transformou em uma guerra em que mais de 2.200 palestinos e 73 israelenses morreram. ( F S P , 1.12.2015, p. A-13).

Diplomacia

Israel vai suspender o relacionamento diplomático com a União Europeia devido à decisão do bloco de retirar a inscrição “Fabricado em Israel” de produtos de empresas israelenses fabricados nos territórios ocupados da Cisjordânia, Jerusalém Oriental e Colinas de Golã. O Brasil criou problemas com Israel devido á nomeação do embaixador e pode haver reações semelhantes.

Israel vai abrir uma representação em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, com quem nunca teve relações diplomáticas. Não será uma embaixada, mas um escritório ligado à Agência Nacional para Energia Renovável, organização criada em 2009 com sede no Emirado Árabe.

Um dos motivos da aproximação seria a oposição de ambos ao acordo nuclear entre as potências e o Irã e o surgimento de novos inimigos em comum , como o Estado Islâmico. ( F S P , 7.12.2015, p. A-11) .

Belém

Devido á onda de violência de palestinos, a expectativa é de que haja uma queda de 20% na visita de turistas à cidade onde Jesus Cristo nasceu, em relação a dezembro de 2014, quando 80 mil pessoas visitaram a cidade. ( F S P , 24.12.2015, p. A-9) .

Rebelião das Facas

Convencidos de que foram abandonados pelos próprios dirigentes, como a corrupta Autoridade Palestina , e pelas monarquias sunitas, que se aliaram ao governo de Israel para combater os interesses xiitas na Síria , jovens árabes israelenses e palestinos pegaram em facas e saíram atacando judeus indiscriminadamente.

Os jovens , alguns de 13 anos , não obedeceram a nenhum chamado organizado. Eles se radicalizaram pela internet e inspiraram-se em vídeos do Estado Islâmico , da mesma forma que os “lobos solitários”, como são chamados os terroristas que atacam espontaneamente na Europa e nos EUA. O Hamas tentou colher o “crédito” pela onda de ataques, sem sucesso. ( Revista Veja, 30.12.2015, p. 97) .

LÍBANO

Hizbullah

Um dos líderes do grupo libanês Hizbullah , Samir Qantar, 53, foi morto em ataque atribuído a Israel em Damasco, na Síria , no noite do dia 19 de dezembro.

Israel celebrou a morte de Qantar e disse que ele atuava na preparação de ataques a partir da Síria, mas não confirmou nem negou sua responsabilidade.

Condenado à prisão em Israel em 1979, por matar israelenses em um atentado, ele foi libertado em 2008 como parte de uma troca de prisioneiros. ( F S P , 21.12.2015, p. A-12) .

MEIO AMBIENTE

Se as metas de redução de emissões de gases de efeito estufa não forem ampliadas, a temperatura mundial pode subir 2,7 graus até 2.100.

Cerca de 17% das espécies de animais e plantas correrão risco de desaparecer. Cerca de 50 milhões de pessoas poderão sofrer com enchentes e outros 50 milhões ficarão sem água.

Cerca de 70% das emissões de gases de efeito estufa precisariam ser cortadas até 2050 e 100% até 2.100, caso se queira aliviar o quadro catastrófico. Essa seria a meta mais ambiciosa que se esperaria do protocolo a ser anunciado no final da COP 21. ( Revista Veja, 9.12.2015, p. 48) .

A COP 21 aprovou no dia 12 de dezembro, por aclamação dos delegados de 195 países um acordo histórico que obriga pela primeira vez todos os países signatários da comissão do clima ( 1992) a adotar medidas de combate à mudança climática , o que antes era obrigação apenas dos países ricos.

O Acordo de Paris estabelece como teto para o aquecimento global “ bem menos de 2º C”, na direção de 1,5º C. Os países ricos se obrigaram a destinar US$ 100 bilhões por ano para a ajuda aos mais pobres e a cada cinco anos haverá um balanço global das metas, o primeiro apenas em 2023.

O Protocolo de Kyoto , assinado em 1997 , naufragou pela ausência de apoio maciço da iniciativa privada e dos EUA. Agora , pelo menos 500 companhias que juntas, detém US$ 3,4 trilhões em ativos, comprometeram-se a evitar ou reduzir a utilização de combustíveis fósseis.

O mundo terá que baratear as fontes renováveis e a tecnologia de captura de carbono. ( Revista Veja, 23.12.2015, p. 94-97) .

O cumprimento das promessas de cada país em cortar emissões de carbono ( INDCs) não é obrigatório e verificável. ( F S P , 13.12.2015, p. A-16) .

MERCOSUL

A presidente Dilma Rousseff sinalizou ser contrária à aplicação da cláusula democrática do Mercosul para suspender a Venezuela como quer o presidente eleito argentino, Maurício Macri.

“ A cláusula democrática é integrante do Mercosul, mas para você usar não pode ser com hipóteses, você tem de qualificar o fato”, afirmou em Paris no COP21.

Ou o Brasil está muito mal informado sobre a situação na Venezuela , ou não se incomoda com ditaduras. ( F S P , 1.12.2015, p. A-12).

O Paraguai propôs aos sócios do Mercosul a criação de uma comissão para tratar de temas ligados aos direitos humanos, com o objetivo de punir a Venezuela de uma forma mais simples do que a cláusula democrática. ( F S P , 21.12.2015, p. A-13) .

Na cúpula de Assunção, no dia 21 de dezembro, os países do Mercosul firmaram declaração especial ressaltando o compromisso de todos os membros com a promoção dos direitos humanos e prevendo a criação de uma comissão de monitoramento.

Foi uma vitória da Paraguai e da Argentina e o Brasil vai continuar em cima do muro. Maduro , prevendo que o tema de direitos humanos dominaria a reunião, acovardou-se e cancelou sua participação na última hora e mandou a chanceler Delcy Rodriguez como representante.

Na cúpula Macri criticou abertamente a Venezuela : “Não pode haver lugar para a perseguição política por razões ideológicas , nem a privação ilegítima de liberdade por alguém pensar de maneira distinta”

A chanceler venezuelana reagiu de maneira histriônica.

Acusou Macri de “ingerencismo “(sic), nos assuntos da Venezuela e de ter prometido a libertação de responsáveis por tortura, desaparecimentos e assassinatos durante a ditadura argentina , coisa que Macri nunca afirmou.

Delcy chamou ainda de terroristas os estudantes que foram às ruas protestar contra o governo chavista em 2014.

A chanceler chegou ao cúmulo de afirmar:” A Venezuela é um modelo para o mundo”. Diante de tantas sandices, Macri a ignorou. ( Revista Veja, 30.12.2015, p. 45) .

Entidades industriais do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai divulgaram no dia 21 de dezembro declaração conjunta pela retomada da agenda econômica do Mercosul e o avanço das negociações do acordo de livre comércio com a União Europeia, que já duram 15 anos . ( F S P , 21.12.2015, p. A-21) .

Os países do Mercosul , finalmente finalizaram a proposta para negociar a liberação do comércio com a União Europeia. A expectativa é que o intercâmbio de propostas seja concluído no primeiro trimestre de 2016.

Deverão ser aceleradas ainda tratativas com países da Aliança do Pacífico da América Latina: Chile, Colômbia, Peru e México. ( F S P , 22.12.2015, p. A-18) .

OTAN

Os ministros das Relações Exteriores dos países da Otan, convidaram no dia 2 de dezembro Montenegro, que fazia parte da antiga Iugoslávia, a fazer parte da aliança militar ocidental.

O convite revela a intenção da Otan de expandir sua área de influência em direção aos Balcãs e irritou a Rússia, que desde a Guerra Fria, controla a região.

A Geórgia está em processo de adesão desde 2009 e a Ucrânia manifestou em 2014 seu interesse de integrar a aliança. ( F S P , 3.12.2015, p. A-15) .

PETRÓLEO

O barril do petróleo tipo Brent, foi negociado a US$ 40,73 no dia 7 de dezembro em Londres, a menor cotação desde dezembro de 2008, quando o barril estava em US$ 40,55.

O petróleo acumula uma queda de 41% em um ano , quando os preços estavam cotados em US$ 69,07. O petróleo em Nova York , do tipo West Texas foi comercializado em US$ 37,65, o menor valor desde 2009 e queda de 42% em um ano. ( F S P , 8.12.2015, p. A-19) .

A freada chinesa está derrubando o preço das commodities. O minério de ferro também está no menor nível desde o início da negociações no modelo atual, em 2009. ( F S P , 9.12.2015, p. A-18) .

Caiu mais ainda. O Brent chegou a ser negociado a US$ 36,05 em 21 de dezembro, menor cotação desde 2004, mas fechou o dia a US$ 36,35. O petróleo WTI, que serve de referência para a produção nos EUA fechou em US$ 34,74. Desde o pico de junho de 2014, de US$ 115, o petróleo caiu quase 70%.

Os estoques estão subindo , já chegando a quase 3 bilhões de barris nos países desenvolvidos , quase um mês de produção mundial e o Irã deve voltar ao mercado . ( F S P , 22.12.2015, p. A-22) .

A Opep busca derrubar o preço para expulsar do mercado competidores que tem utilizado novas tecnologias de custo mais elevado , como a produção de óleo de xisto nos EUA.

Com isso as previsões são de que o preço vai continuar em 2016 na faixa dos US$ 40 e só poderia ultrapassar os US$ 50 a partir de 2017, ou mesmo depois.

RÚSSIA

Pelo terceiro ano consecutivo, Vladimir Putin foi eleito o homem mais poderoso do mundo pela revista “Forbes”. Putin conseguiu dar a volta por cima da situação na Ucrânia e com sua intervenção militar na Síria, mudou completamente as perspectivas em relação ao governo de Bashar al-Assad e ao avanço do Estado Islâmico e por isso ganhou merecida projeção mundial. ( F S P , 25.12.2015, p. A-7) .

Putin, ao fincar suas botas no Oriente Médio, tornou-se imprescindível para barrar o fluxo de refugiados sírios para a Europa e para participar de fato, na luta contra o Estado Islâmico . Putin pode desempatar a guerra contra o Estado Islâmico em favor do Ocidente. ( Revista Veja, 30.12.2015, p. 95) .

SINGAPURA

Quando se tornou independente, há cinquenta anos, Singapura era mais um país pobre da Ásia. Hoje tem uma das maiores rendas per capita do mundo, US$ 56,2 mil , contra US$ 11,5 mil do Brasil.

O país conseguiu cria uma cultura de profissionalismo no serviço público. Ao final de cada ano, os servidores públicos passam por um processo de avaliação, que determina o pagamento de bônus e promoções.

O servidor e seus chefes diretos avaliam sua performance nos 12 meses anteriores e indicam as áreas que precisam ser melhoradas.

Os chefes avaliam o servidor levando em conta temas como capacidade de trabalhar em grupo, análise e execução para estimar seu potencial de crescimento.

Os servidores recebem notas ao final da avaliação : alto desempenho, bom desempenho, dentro do esperado e abaixo do esperado.

Os que ocupam cargos hierárquicos mais baixos recebem um salário fixo maior. Nos postos mais altos, a porção variável pode chegar a 50% do salário.

Singapura arrecada menos de 20% do PIB e tem o melhor governo do mundo.

O país gasta apenas 3,3% do PIB em educação , mas seus alunos são os segundos em matemática e ciência do Pisa. O Brasil gasta mais de 6% do PIB e está na 58ª e 59ª posição. Aqui ao invés de aumentar a eficiência da educação com os recursos disponíveis, decidiu-se aumentar a obrigação de gastos para 10% do PIB, ou seja, decidiu-se jogar mais dinheiro fora. ( Revista Exame,23.12.2015, p.108-112).

SÍRIA

Barak Obama e Vladimir Putin encontraram-se na COP21 em Paris e Obama pediu a Putin que concentre sua ação na Síria para combater o Estado Islâmico e reforçou a posição de que a solução do conflito passa pela saída do ditador Bashar al Assad, aliado de Moscou. ( F S P , 1.12.2015, p. A-10).

O Exército dos EUA está ampliando a presença de tropas especiais na Síria e no Iraque , em apoio aos combatentes locais que lutam contra o Estado Islâmico.

A declaração é de Ashton Carter, secretário de Defesa americano, dada em 1º de dezembro , que enfatizou que o continente adicional, que é pequeno, ajudará no treinamento de forças iraquianas e curdas, coletará informações sobre o inimigo e fará operações nos dois países.

Carter em seu depoimento no Congresso disse ter cobrado da Turquia que faça mais para fechar sua fronteira e impedir que membros do EI entrem e saiam do país com a facilidade atual. ( F S P , 2.12.2015, p. A-16) .

Reino Unido autorizado a atacar o EI

O Parlamento Britânico aprovou no dia 2 de dezembro, autorização para a realização de ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria.

A autorização, solicitada pelo primeiro-ministro David Cameron foi aprovada com 397 votos a favor e 223 contrários. ( F S P , 3.12.2015, p. A-15) .

“A questão é se o Reino Unido deve perseguir os terroristas em seus territórios , de onde planejam ataques, ou sentar-se e esperar que nos ataquem”. David Cameron . ( Revista Veja, 9.12.2015, p. 52) .

Rússia apoia rebeldes

O presidente Vladimir Putin afirmou no dia 11 de dezembro que apesar da aliança de Moscou com o regime de Bashar al-Assad, as Forças Armadas Russas estão oferecendo cobertura aérea , armas e suprimentos para o Exército Livre da Síria (ELS).

Assad , em entrevista à agência Efe disse que está pronto para negociar com a oposição, mas não com grupos armados. “ Para nós na Síria, todos que empunham uma arma, são terroristas”. ( F S P , 12.12.2015, p. A-17) .

Putin defendeu a continuidade da ação russa até que a população síria decida dialogar pela paz. “ Nós acreditamos que apenas o povo sírio pode decidir sobre quem deve governa-los”. ( F S P , 18.12.2015, p. A-14) .

Segundo a ONG Anistia Internacional, em relatório publicado no dia 23 de dezembro, ataques aéreos russos mataram pelo menos 200 civis na Síria. Foram pesquisados mais de 25 ataques entre 30 de setembro e 29 de novembro e alguns parecem ter tido civis como alvo deliberadamente, já que não havia presença militar nas proximidades. Moscou negou que tenha alvejado civis , dizendo que toma cuidado para evitar bombardear áreas residenciais. ( F S P, 24.12.2015, p. A-8) .

Processo de Paz

O secretário de Estado americano , John Kerry , em visita a Moscou, reuniu-se com seu colega russo, Serguei Lavrov , e com o presidente Vladimir Putin e disse que EUA e Rússia concordaram em acelerar o processo de paz na Síria e uma potencial transição política no país, para tirar do poder o ditador Bashar al-Assad. ( F S P , 16.12.2015, p. A-14) .

Torturas

A ONG Human Rights Watch revelou no dia 16 de dezembro que identificou 27 vítimas em uma coleção de 28 mil fotografias de prisioneiros mortos quando estavam sob a tutela do ditador da Síria , Bashar al-Assad.

As imagens são “provas autênticas e cabais de crimes contra a humanidade” cometidas pelo regime sírio.

As imagens foram feitas por um militar que era responsável pelos registros fotográficos do Exercito sírio e desertou em 2013, levando os registros.

As fotos expõem as condições enfrentadas por detentos em cinco centros de detenção por onde passaram 117 mil pessoas desde o início da guerra em 2011.

Há mais de 55 mil fotografias , tiradas entre maio de 2011 e agosto de 2013. Destas mais de 28 mil são de corpos de 6.786 detidos nas prisões militares.

Algumas das fotografias analisadas mostram prisioneiros com grandes ferimentos cranianos expostos, ferimento de bala e sangue expelido por orifícios corporais. Muitas das fotos são de corpos descarnados, com marcas de tortura. ( F S P , 17.12.2015, p. A-15) .

Acordo histórico na ONU

O Conselho de Segurança da OMNU aprovou por unanimidade no dia 18 de dezembro uma resolução que prevê negociações na Síria a partir de janeiro, entre o ditador Bashar al-Assad e a oposição.

O processo de paz, a ser supervisionado pela ONU e seu enviado especial , Staffan de Mistura, será garantido por um cessar fogo e deve culminar em eleições um ano e meio depois de iniciado.

Mas a possibilidade de Assad disputar as eleições, segue em aberto, mas a Casa Branca, França e Reino Unido são contrários e a Rússia favorável. John Kerry disse que o Estado Islâmico e a Frente al-Nusra, ligada à Al Qaeda, estão automaticamente excluídos das negociações. A composição dos grupos de oposição ainda não foi definida. ( F S P , 19.12.2015, p. A-16) .

SUIÇA

A Suíça elevou no dia 10 de dezembro, ao máximo o seu alerta contra o terrorismo e prendeu, em Genebra , no dia 11 de dezembro dois homens de origem síria após os agentes acharem vestígios de explosivos no carro da dupla.

A CIA teria dito que quatro supostos membros do Estado Islâmico teriam entrado no país, pela França, no dia 8 de dezembro em uma van com placas da Bélgica.( F S P , 12.12.2015, p. A-17) .

TURQUIA

Em Paris, o vice-conselheiro de Obama para assuntos de segurança nacional, Bem Rhodes, disse que Obama expressou a Putin suas condolências , mas enfatizou a necessidade de Rússia e Turquia superaram o episódio da derrubada do avião para “evitar desdobramentos que impeçam o progresso que precisamos fazer juntos para resolver a situação na Síria”.

O premiê turco , Ahmet Davutoglu, em Bruxelas onde se reuniu com o secretário-geral da Otan, descartou qualquer pedido formal de desculpas: “ A proteção do espaço aéreo turco é um dever e nosso Exército fez o seu trabalho”.

Putin acusou a Turquia de ter derrubado o avião militar russo para proteger rotas de tráfico de petróleo que o governo de Ancara compra do EI:

“ Recebemos mais informações que confirmam, infelizmente, que grandes quantidades de petróleo extraído de zonas sob controle do Estado Islâmico estão entrando no território turco. A decisão de derrubar o avião foi feita para defender essas rotas”.

O presidente turco Recep Tayipp Erdogan negou: “ Não é moral acusar a Turquia de comprar petróleo do EI. Se há provas, deveriam mostra-las. E se for provado, sairei do meu cargo. E digo ao senhor Putin: E você? Ficará em seu cargo se não for?”, disse em Paris. ( F S P , 1.12.2015, p. A-10).

Mas, o vice-ministro da Defesa russo, Anatoly Antonov em 2 de dezembro, apresentou imagens de satélite de comboios de caminhões-tanque deixando a Síria e o Iraque e chegando á Turquia. Segundo ele, o EI arrecada US$ 2 bilhões por ano com o comércio de petróleo . Ele também acusou a Turquia de usar as mesmas rotas para enviar armas à facção. ( F S P , 3.12.2015, p. A-15) .

Putin declarou em 17 de dezembro, ser “quase impossível” chegar a um acordo com o governo do presidente Recep Tayyip Erdogan. “ Mesmo quando dizem que concordam, eles nos apunhalam pelo lado ou pelas costas”. ( F S P , 18.12.2015, p. A-14) .

Uma bomba de fabricação caseira explodiu no viaduto de uma autoestrada ao lado da estação de metrô de Bayrampasa, no lado europeu de Istambul em 1º de dezembro, deixando ao menos cinco pessoas feridas.

A intenção , fracassada, era atingir um comboio da polícia que passava. Nenhuma organização assumiu o ataque. ( F S P , 2.12.2015, p. A-15) .

Terroristas detidos

A polícia turca deteve dois suspeitos de planejar atentados suicidas , na capital do país , Ancara, durante a celebração do Ano-Novo, na praça de Kizilay, onde tradicionalmente reúnem-se milhares de pessoas.

Os dois foram presos em uma batida no bairro de Mamak, em Ancara. Possuíam coletes-bomba, fortalecidos com barras de metal. ( F S P, 31.12.2015, p. A-8) .

VENEZUELA

Assassinato de Luiz Manuel Diaz

O Ministério Público da Venezuela disse no dia 30 de novembro a prisão de três suspeitos de participara do assassinato do dirigente oposicionista Luiz Manoel Dias em Guarico.

A oposição atribui os ataques a simpatizantes chavistas , mas Maduro diz que a vítima integrava uma quadrilha dedicada a roubos e sequestros.

Os suspeitos foram presos por agentes do CICPC , equivalente local da polícia civil , na cidade Altagracia de Orituco, onde o assassinato ocorreu.

A mídia local diz que os suspeitos confessaram o crime e seriam membros de uma facção criminosa conhecida como “El Malony”.

O deputado chavista, Jesús Faria, candidato à reeleição pelo PSUV por Caracas na eleição do dia 6 de dezembro, membro da cúpula do partido e um dos principais ideólogos da sigla , minimiza as pesquisas que dão vitória à oposição:

“ Nosso partido está batalhando contra as mentiras da direita em todo o território nacional. Precisamos posicionar o comandante eterno Hugo Chávez no centro do debate”. Ele tem que recorrer a Chávez que já morreu, porque Maduro não tem nenhum carisma.

“ É impossível que um povo de trabalhadores dedicados , decentes e honestos vote a favor de seus carrascos do passado. Esses verdugos querem entregar o país aos inimigos e ao FMI”. ( F S P , 1.12.2015, p. A-12).

Eleições de 6 de dezembro

Governo e oposição acirram seu confronto na reta final da eleição, com promessas antagônicas para tirar o país da crise.

Com Maduro com apenas 22% de aprovação, a oposição lidera as pesquisas de intenção de voto com folga.

O slogan da MUD é: “a Venezuela quer mudança”.

Setores mais radicais, como os aliados de Leopoldo López que está preso, falam abertamente em tomar a Assembleia Nacional para pôr fim à chamada revolução bolivariana por meio de um referendo revogatório ou de uma emenda constitucional.

“Vamos tirar Maduro da Presidência”, discursou o candidato Freddy Guevara. Isso será possível se a oposição conquistar dois terços das cadeiras. ( F S P , 2.12.2015, p. A-12) .

Governos e organizações internacionais pressionam para que o governo Maduro permita uma disputa justa e cesse a escalada incendiária que já resultou na morte de um opositor.

No dia 3 de dezembro, a Espanha cobrou que Caracas “ garanta que as eleições serão limpas , justas e transparentes.

EUA, Reino Unido, OEA e o Conselho de Direitos Humanos da ONU tinham feito apelo similar.;

O Itamaraty surpreendeu e pediu no dia 3 de dezembro que “ o pleito se desenvolva dentro do marco da democracia, da transparência e da participação plena de toda a cidadania”.

O presidente do Paraguai, Horácio Cartes, num dos gestos de desafios mais estridentes a Maduro, recebeu no dia 2 de dezembro, Lilian Tintori, mulher do opositor Leopoldo López , preso há um ano e meio sob acusação de instigar violentos protestos antigoverno. O Paraguai tem motivos para retaliar , porque foi suspenso do Mercosul em 2012 e a Venezuela estava por trás da suspensão. ( F S P , 4.12.2015,p. A-18) .

O antropólogo brasileiro Renato Pereira, 56 anos, trabalhou para a coalizão anti-Maduro. Por isso , pode detalhar com precisão como são eleições em uma ditadura:

“ É praticamente impossível trabalhar para a oposição ali. Não existe horário eleitoral gratuito, então compramos espaço na mídia privada., que por sua vez é tutelada pelo governo. Fazer referência a desabastecimento de produtos básicos e inflação – justamente os dois maiores problemas do país - é expressamente proibido na TV . Tratamos desses assuntos sem usar as palavras vetadas....

Eles tem três canais de TV que propagam proselitismo oficialista o dia inteiro. Além disso, o presidente Maduro veicula discursos em cadeia nacional falando tudo o que quer: detona o tempo todo os adversários e os Estados Unidos...

Nesta eleição, decidiu-se que a cédula teria pela primeira vez o símbolo dos partidos. O da oposição, MUD , sempre usou a cor azul, enquanto a situação, o vermelho. Pois agora uma das agremiações que apoiam Maduro trocou não só de cor , como de nome: adotou a sigla MU e a cor azul. Resultado MUD versus UM, ambas com o símbolo azul. Ninguém tem dúvidas sobre as razões da súbita mudança. Isso para não falar da bagunça que fizeram na composição das chapas.

Precisamos mudar em cima da hora todas as chapas porque o governo estabeleceu que a metade dos candidatos teria de ser de mulheres. E mais: eles já diminuíram no Parlamento o peso dos estados em que a oposição possuía mais votos. Há ainda uma forte possibilidade de esvaziamento do poder do Congresso”

Para ele o populismo está em baixa: “ Ninguém suporta mais conchavos , vida de luxos , corrupção e o teatro político que sai artificial e não traduz as demandas da população Observa o desgaste dessa fórmula na Argentina, na Venezuela e, sim, no Brasil. ”

E isso vai chegar ao Brasil: “ Além da derrocada econômica, vivemos uma crise moral em que o povo não acredita mais na maioria dos seus representantes. O candidato que transmitir um projeto identificado com valores e conseguir evitar a disputa raivosa pelo poder, será o mais bem sucedido”. ( Revista Veja, 9.12.2015, p. 106-108) .

Colômbia, Peru, Argentina e Paraguai decidiram boicotar a missão de acompanhamento da Unasul. O motivo é o mal estar gerado pela suspensão da participação do TSE brasileiro.

Apenas quatro governos da Unasul enviaram representantes de seus respectivos órgãos eleitorais: Equador, Bolívia, Chile e Uruguai.

No dia 3 de dezembro, participantes da comissão da Unasul tiveram seu primeiro episódio de desconforto.

Tomaram conhecimento de que os quatro principais canais de TV exibiriam ao vivo longo programa dedicado só a candidatos governistas e por isso, transmitiram aos chavistas que poderia se tratar de violação das regras de equidade da presença na mídia.

As autoridades responderam que não havia nenhuma irregularidade porque era um “programa jornalístico”. O programa, uma transmissão a partir do Quartel da Montanha, lugar símbolo do chavismo no oeste de Caracas, quatro chavistas expuseram programas e atacaram a oposição durante duas horas. E isso é “programa jornalístico”. ( F s P , 5.12.2015, p. A-17) .

A eleição transcorreu em 6 de dezembro com os problemas esperados. O abuso mais significativo foi o da TV estatal que realizou cobertura o dia todo em favor dos candidatos chavistas , numa violação da lei que proíbe propaganda após o término da campanha, encerrada no dia 3 de dezembro.

Diosdado Cabello, chavista e candidato à reeleição, pediu ao vivo votos para o PSUV.

“Ponto vermelhos” , mesas de assistência ao voto chavista eram instaladas ao lado da entrada para votação, quando deveriam estar a 200 metros.

Carros de som com músicas chavistas eram comuns. ( F S P , 7.12.2015, p. A-8) .

O governo bolivarista de Nicolás Maduro sofreu uma derrota arrasadora na Venezuela.

Na composição atual o governo tinha 100 cadeiras na Assembleia Nacional e caiu para 46, perdendo a maioria. Os opositores tinham 54 cadeiras e aumentaram para 99, havendo ainda 19 vagas a definir.

Com 84 deputados , a oposição já pode eleger o presidente da Assembleia, convocar e organizar referendos, aumentar poderes de prefeitos e governadores , avaliar decretos de estado de exceção e iniciar trâmites de reforma constitucional.

Com 101 deputados que vai alcançar a oposição poderá destituir o vice-presidente e ministros e sancionar as leis habilitantes.

A MUD anunciou no dia 8 de dezembro ter conseguido 112 , das 167 cadeiras, maioria de 2/3 e poderá afastar deputados, criar ou eliminar comissões, aprovar e alterar as leis orgânicas, destituir juízes do Supremo , designar reitores do Conselho Nacional Eleitoral e aprovar reforma constitucional.

Cerca de 74,2% dos eleitores compareceram em um país onde o voto é facultativo.

Poderá ser convocado em 2016, um referendo revogatório para destituir o presidente Nicolás Maduro, mas vai haver resistência.

Considerando toda a pressão que marcou o período pré-eleitoral, com maciça propaganda chavista, o fiasco eleitoral reflete o sentimento de que a população cansou do bolivarismo.

A vitória acaba com 16 anos de governo hegemônico do chavismo e coloca Maduro em uma situação semelhante à de Dilma Rousseff no Brasil. Seria melhor que renunciasse. ( F S P , 9.12.2015, p. A-11) .

O bolivarismo conseguiu destruir a iniciativa privada, estabelecer o controle estatal dos meios de produção e de comunicação , suprimir qualquer voz dissidente , tornando a população profundamente dependente do Estado para garantir fidelidade em uma democracia de fachada e , por fim, impor a submissão dos outros poderes da República, especialmente o Judiciário. Essa foi a obra de Chávez, que Maduro tentou dar continuidade de implantação do modelo socialista “ que é a salvação da humanidade”. ( Revista Veja, 16.12.2015, p. 93) .

Estima-se em 2 milhões o número de chavistas que votaram na oposição. A cientista política Elsa Cardozo, da Universidade Simón Bolívar afirma: “ O apoio ideológico ao chavismo desapareceu. Sobrou apenas o voto utilitarista , das pessoas que acham que podem perder algo com o fim do regime, seja um cargo público, seja algum benefício”.

O movimento enfraqueceu-se tanto que até os militares , categoria cuja lealdade foi comprada à custa de muitas regalias e de aumentos salariais acima da média , estão insatisfeitos.

Não é por menos. Todos sofrem com uma inflação de 220% ao ano, a mais alta do mundo e escassez que afeta a mais da metade dos produtos básicos e condena os cidadão a um bizarro sistema de racionamento , a filas colossais nos supermercados e a preços extorsivos no mercado negro. ( Revista Veja, 16.12.2015, p. 95) .

Marialbert Barrios, 25 da MUD será a deputada mais jovem da história do Legislativo venezuelano.

“Lutei contra milhares de funcionários mobilizados e cabos eleitorais, contra veículos de comunicação autocensurados e contra uma estrutura que controla quase tudo, inclusive o acesso aos mercados.

Nossa resposta foi ir de casa em casa e falar com todo mundo, em pontos de ônibus ou no meio da rua. Conversamos até com quem discordava de nós. A máquina do governo não foi suficiente para fazer as pessoas abandonarem a intenção de votar pela mudança...

Os setores populares que deveriam ter sido os mais beneficiados pelo chavismo são os mais afetados. Ao mesmo tempo, formou-se uma oligarquia de políticos e empresários que se apoderaram dos recursos do país e se tornaram milionários enquanto o povo foi empobrecendo...

Ganhamos para por ordem no país e fazer com que todos prestem contas.” ( F S P , 9.12.2015, p. A-12) .

Três dias após a derrota massacrante, Nicolás Maduro prometeu usar os poderes Executivo e Legislativo , sob seu controle para resistir a planos opositores de alterar os rumos de seu governo.

Ele ameaçou vetar o projeto de lei para anistiar políticos e estudantes presos e disse que resistirá à ideia de setores direitistas de convocar um referendo revogatório para derrubá-lo a partir de 2016.

“ O povo e as Forças Armadas saberão o que fazer comigo”, afirmou Maduro. Ganharam os maus (...) Esta é uma Assembleia Nacional contrarrevolucionária”. ( F S P , 10.12.2015, p. A-11) .

Para o sociólogo Trino Márquez , da Universidade Central da Venezuela, essa estratégia de desqualificar quem votou contra ele e de confrontar os vitoriosos “ vai conduzir o presidente ao suicídio político”.

Nicolás Maduro agora passa a ficar em uma situação semelhante à de Dilma Rousseff. Alejandro Plaz, dirigente do partido Voluntad Popular afirma: “Ninguém mais acha plausível esperar até 2019 , data das próximas eleições presidenciais”.

Maria Corina Machado, do partido Vente Venezuela, faz uma afirmação que já está sendo cogitada no Brasil : “ Defendo a ideia de que ele reconheça que foi derrotado nesse plebiscito e que, pelo bem da Venezuela e por seu próprio bem, renuncie”.

Também na Venezuela, como aqui no Brasil há motivos para que os que estão encastelados no poder não queiram sair. Carlos Guyon , um ex-chavista afirma: “Eles sabem que o dia em que serão enviados para uma prisão americana se aproxima , e estão apavorados”. No caso referindo-se não a escândalo de petróleo, mas ao envolvimento de figurões do governo com tráfico internacional de drogas. ( Revista Veja, 16.12.2015, p. 96) .

Juíza que condenou López

A retaliação já começou. A Assembleia Nacional venezuelana, com sua composição derrotada, escolheu no dia 10 de dezembro, às vésperas de ceder o lugar para a oposição, a juíza Susana Barreiras, que condenou o opositor Leopoldo López em um processo fajuto, com provas forjadas , a quase 14 anos de prisão, como nova defensora-geral da República.

A nomeação soa como desafio aos planos da oposição de votar uma lei de anistia par López e dezenas de outros antichavistas , tão logo assuma o plenário , em 5 de janeiro.

A juíza ficará no cargo por sete anos. A oposição , que atualmente é minoria, votou contra a nomeação. A escolha de Barreiras dificilmente é reversível.

Uma lei de anistia aprovada pode ser vetada por Maduro , e poderia o veto ser derrubado no Parlamento.

Mas , o governo pode submeter a lei ao Tribunal Superior de Justiça , que é controlado pelo chavismo, sob pretexto de inconstitucionalidade. ( F S P , 11.12.2015, p. A-15).

Anistia de Presos

A coalizão MUD, vencedora nas eleições apresentou no dia 11 de dezembro suas propostas para a próxima legislatura que tem início em 5 de janeiro.

O destaque é o projeto que propõe “anistia geral e plena” a todos os que estão em investigação criminal , administrativa ou policial ou foram submetidos a procedimentos administrativos ou penais por “participarem de protestos políticos ou terem posições dissidentes”.

Outras propostas irão deixar Nicolás Maduro maluco. Independência do poder Judiciário, descentralização da Segurança Pública dando mais poderes a forças estaduais e municipais e “reversão de expropriações”, para devolver empresas expropriadas pelo chavismo. ( F S P , 12.12.2015, p. A-18) .

Tráfico de drogas

Procuradores federais dos EUA acusam o comandante da Guarda Nacional Bolivariana, Néstor Reverol de receber dinheiro de traficantes , para informa-los sobre operações policiais ou até para bloquear investigações.

As acusações contra Reverol e Edilberto Molina, ex-dirigente da agência antidrogas venezuelana, serão em breve anunciadas pelo tribunal federal do Brooklyn.

Boa parte da cocaína que sai da Colômbia passa pela Venezuela e de lá é colocada em aviões que chegam aos EUA via América Central ou Caribe. ( F S P , 17.12.2015, p. A-14) .

Caracas disse em 17 de dezembro que as acusações dos EUA são parte de uma campanha de “terrorismo judicial”, orquestrada por Washington.

Os dois sobrinhos da primeira-dama da Venezuela , Cilia Flores, detidos por suspeita de narcotráfico se declaram inocentes no dia 17 de dezembro e a próxima audiência será em 29 de fevereiro. ( F S P , 18.12.2015, p. A-13) .

Oposição

Freddy Guevara, 29 do partido Vontade Popular foi eleito deputado e promete retomar manifestações de rua se o chavismo continuar com manobras.

“Esperávamos muito mais da presidente Dilma Rousseff . Ela optou por solidariedade ideológica e interesses econômicos em vez de defender os direitos humanos. Houve uma mudança de tom nas últimas semanas, mas deveria ter ocorrido muito antes”. ( F S P , 17.12.2015, p. A-13) .

A oposição duas semanas depois da eleição ainda não chegou a um acordo sobre quem assumirá a presidência da Assembleia Nacional. O único consenso é sobre a rotatividade do cargo , um presidente por ano. ( F S P , 21.12.2015, p. A-13) .

Lei Antidemissão

Maduro aproveitou os últimos dias da Lei Habilitante para decretar, na noite do dia 29 de dezembro, a extensão até 2018, da legislação que praticamente proíbe empresas de demitir funcionários.

A Lei de Inamovibilidade Laboral, vigente desde 2002 dificulta cortar funcionários até em casos de justa causa e por isso são altos os índices de absenteísmo e baixa produtividade nas empresas privadas porque os empregados sabem que não podem ser demitidos e se comportam como se fosse empregados de empresas públicas. ( F S P, 31.12.2015, p. A-7) .

Maduro ameaça radicalizar

Embora tenha reconhecido a derrota e prometido fazer uma reforma ministerial, Maduro em discurso a militares no dia 12 de dezembro , disse que seguirá lutando pelo país “até o infinito e além”.

Eximiu-se da responsabilidade pela derrota. Disse que os culpados são a “guerra econômica” , movida por empresários que geram desabastecimento para jogar a população contra o governo e a população carente que “votou errado”.

“Eu queria construir quatro milhões de casas populares , mas agora não sei. Pedi o seu apoio e você não me deu”, bradou na TV, apontando o dedo para a câmera.

Maduro disse que bloqueará qualquer lei que “prejudique o povo e os trabalhadores”, ou seja pode vetar medidas que atenuem os controles de preços e de câmbio. ( F S P , 13.12.2015, p. A-18) .

O governo venezuelano aposentou 12 dos 32 juízes do Tribunal Superior de Justiça , de forma antecipada, sem qualquer justificativa, para nomear os substitutos ainda na atual legislatura e garantir nomes favoráveis ao chavismo. Mas , a oposição com dois terços das cadeiras terá o direito de destituir juízes da corte.

Mas, como Clóvis Rossi destaca, na Venezuela, a esquerda demole a esquerda.

O educador e pesquisados Javier Vivas Santana, classifica a gestão de Maduro como “nefasta, sectária, corrupta e vulgar” e defende a saída de Diosdado Cabello, o presidente da Assembleia Nacional e segundo homem na hierarquia boliviariana.

Carlos Sánchez, não deixa pedra sobre pedra no edifício governamental:

Na Saúde , “ os hospitais estão caindo aos pedaços , sem insumos, sem camas, sem instalações adequadas, sem ambulâncias . Neles, o único que é grátis é a atenção dos profissionais de saúde, porque tudo o mais ou você compra, ou não lhe atendem”. Parece o Brasil.

Na Educação: “Os docentes venezuelanos gozam dos piores salários da América Latina, se se comparam com os professores de outros países. Sem mencionar que a maioria das escolas e liceus tem uma infraestrutura péssima e sem os serviços mínimos requeridos para atender à educação”.

“Em vez de investir dinheiro em resolver o problema econômico , o que se fez foi regalar o dinheiro em carros, tablets e até casas. E, como é evidente, as pessoas só valorizam o que se ganha com o trabalho, e não o que é dado”.

A corrupção “ é um dos piores males que influíram nestas eleições. E não se ataca a corrupção de frente porque há muitos intocáveis”.

Insegurança: “ é o problema mais importante dos venezuelanos e é o menos enfrentado. Parece que se apoiam as gangues , em vez de combate-las”. ( F S P , 14.12.2015, p. A-11) .

A ditadura chavista sabota o resultado das eleições:

  1. Parlamento Comunal

O governo chavista manobra ainda para aumentar seu controle sobre o TSJ , com a aposentadoria antecipada de 12 dos 32 magistrados da corte.

Juristas opositores falam em “fraude constitucional”, já que as aposentadorias antecipadas e o processo seletivo para as substituições ocorre de forma arbitrária e sem condições de respeito aos prazos legais. ( F S P , 11.12.2015, p. A-15).

O presidente da Assembleia Nacional, o chavista Diosdado Cabello, aproveitou no dia 15 de dezembro, a última sessão da atual legislatura para aprovar a criação de um Parlamento Comunal , uma alternativa ao domínio da oposição.

O “Parlamento paralelo”, reunirá apenas representantes chavistas para aprovar leis por meio do sistema de comunas, entidade de contornos jurídicos vagos. É mais uma manobra chavista para tentar impedir a ação da oposição. Cabello entregará a presidência da Câmara à oposição em 5 de janeiro. ( F S P , 16.12.2015, p. A-13) .

Nicolás Maduro declarou no dia 17 de dezembro em seu programa de TV : “ Eu vou dar todo o poder ao Parlamento Comunal , e esse Parlamento será uma instância legislativa do povo desde a sua base”.

Segundo ele, a nova entidade já tem 600 legisladores “ de todos os Parlamentos Comunais de base”, para fortalecer as instituições em direção ao Estado comunal.” ( F S P , 17.12.2015, p. A-12) .

  1. Substituição de 13 juízes do STJ

Em sua última sessão antes da posse da maioria opositora em janeiro, o Parlamento venezuelano aprovou no dia 23 de dezembro a substituição de 13 dos 32 magistrados do Supremo Tribunal de Justiça, máxima autoridade judiciária do país. Também foram escolhidos 21 suplentes.

Trata-se de manobra escusa para tentar blindar Nicolás Maduro contra a coalizão opositora MUD que assume o Legislativo em 5 de janeiro com amplas prerrogativas para legislar e fiscalizar os outros Poderes.

Os magistrados, escolhidos a dedo, devem ficar no cargo por 12 anos e serão incumbidos, dentre outras coisas, de avaliar eventuais procedimentos contra qualquer autoridade, principalmente Maduro.

Os 13 substituem juízes que foram obrigados a se afastar por não demonstrar lealdade ao chavismo . A oposição diz que as nomeações são irregulares , pois seria necessária maioria qualificada de dois terços e a bancada governista obteve apenas maioria simples.

Também não foi respeitado o prazo mínimo de 26 dias entre a apresentação dos candidatos e a votação do plenário para permitir eventuais questionamentos e impugnações. A lista dos 387 postulantes foi divulgada há duas semanas.

Por isso, para reverter as nomeações, o MUD poderá alegar vício de forma e violação da Constituição no processo seletivo, mas este caminho pode ser impugnado pelo próprio TSJ.

Outra possibilidade é derrubar os magistrados sob o argumento de falta grave, mas a elaboração das sanções aos membros da suprema corte depende do chamado Poder Cidadão, órgão controlado pelo chavismo.

Opções mais radicais seriam emendas constitucionais ou a convocação de uma Constituinte. Lutar contra uma ditadura não é fácil. ( F S P, 24.12.2015, p. A-8) .

  1. Impugnação de opositores eleitos

Candidatos chavistas derrotados nas eleições parlamentares de 6 de dezembro apresentaram recurso ao Tribunal Superior de Justiça da Venezuela (TSJ), que é dominado pelos chavistas, para invalidar os resultados em seis circunscrições que elegeram oito deputados da oposição.

O motivo citado não está claro , mas a oposição diz que a alegação é compra de votos.

O TSJ interrompeu o recesso para receber os recursos que pedem “medida cautelar de suspensão de efeitos”.

Como a corte é alinhada ao chavismo, irá impedir os oito deputados de tomarem posse no dia 5 de janeiro e com isso a oposição perderá maioria de dois terços ( 112 das 167 cadeiras) do Parlamento unicameral com a qual o antichavismo esperava pressionar por mudanças nos rumos políticos e econômicos do país.

O MUD ficará privado do poder de emendar a Constituição, aprovar Constituinte ou destituir altos funcionários.

Uma maioria de 104 deputados ainda garante o direito de aprovar uma lei de anistia para os opositores presos ou organizar referendos consultivos , o que poderia amparar politicamente a convocação de um referendo revogatório contra Maduro a partir de abril, quando se encerra a primeira metade de seu mandato de cinco anos.

O pedido de invalidação afeta o resultado de jurisdições nos Estados de Amazonas, Aragua e Yaracuy , além do circuito especial na região sul, que elegeu um dos três integrantes da cota indígena. São áreas remotas, pouco povoadas e tradicionalmente dominadas pelo chavismo.

O secretário-geral da MUD, Jesus Torrealba, disse no Twitter: “ O banditismo eleitoral ataca de novo: a cúpula derrotada introduziu recursos contra a vontade do povo expressada em 6 de dezembro”. ( F S P , 30.12.2015, p. A-7) .

No dia 30 outro recurso foi apresentado, por Nicia Maria Maldonado, candidata do PSUV, derrotada no Estado de Amazonas.

Maduro disse que o oposição comprou votos e infiltrou equipes de técnicos responsáveis pelas mesas de votação.

A MUD apontou “golpe judicial” e enviou carta pedindo apoio à ONU, OEA, Unasul e União Europeia: “ O comportamento irresponsável do partido no poder coloca o país à beira de um desastre que teria graves consequências para a região”. ( F S P, 31.12.2015, p. A-7) .

ZIMBÁBUE

O Zimbábue encorajará o uso do yuan para o pagamento de toda espécie de transação , como compras de mantimentos e suvenires turísticos , em uma medida em que o governo do ditador Roberto Mugabe busca de aproximar mais de Pequim a fim de escorar a combalida economia do país.

A China concordou em perdoar US$ 40 milhões em dívidas que vencem em 2015.

Os países ocidentais vem tratando Mugabe como pária desde os anos 2.000 , em razão do confisco de terras de agricultores brancos imposto por seu regime e dos abusos praticados contra os direitos humanos de opositores políticos.

Cerca de 85% das transações do país são realizadas em dólares americanos. O rand, moeda da África do Sul, também é muito utilizado.

A moeda zimbabuana, o dólar foi abandonado em 2009, depois de um período de hiperinflação que atingiu níveis recordes , com o banco central emitindo notas em valor de 100 trilhões do dólares do Zaire que perdiam o valor praticamente no momento em que saiam das impressoras.( F S P, 23.12.2015, p. A-19) .

ExibirMinimizar
aci institute 15 anos compartilhando conhecimento