Capital humano: a importância do cliente interno

O cliente? Ele está sempre certo. Frase verdadeira até que se prove o contrário. Mesmo porque, ele faz parte do nosso sucesso (e sobrevivência!), além de ser uma de nossas razões de existir. Mas, quem é mesmo o meu cliente?

Capital humano é um conceito que relaciona os valores das pessoas envolvidas em uma empresa com suas funções, metas e objetivos. Visa valorizar efetivamente estes profissionais.

Um método simples que contribui e muito para uma efetiva gestão de qualidade desse capital é a implementação da nomenclatura cliente interno. Vamos conceituar:

Cliente externo: faz parte da nossa demanda, é nosso alvo, gera networking e lucro;
Cliente interno
: são os nossos funcionários, colaboradores, a nossa equipe. São eles os responsáveis por gerar os bons (ou maus) resultados da empresa.
Por que eles também devem ser chamados clientes? Porque, assim como os clientes externos, eles possuem necessidades e expectativas referentes à sua empresa que precisam ser sanadas.

Sabe aquela velha frase “O cliente sempre tem razão”? Pois bem, pense nela e relacione ao seu funcionário. Quer dizer que ele pode mandar e desmandar na companhia? Não exatamente. Mas, sua opinião deve ser levada em conta, afinal, os resultados que seus clientes externos receberão, também dependem dele.

Como tratar meu cliente interno?

Entenda que seu funcionário faz parte do capital humano de sua empresa. Agregue valor a ele (seja em benefícios, plano de carreira ou mesmo abertura para o diálogo), e ele devolverá este investimento com bons resultados.

Veja-os como sua equipe, não apenas um grupo. A equipe interage, compreende que suas ações influenciam nos resultados gerais, percebe e é reconhecido por isso. O grupo, pode ser simplesmente a união de pessoas em determinado espaço, sem interação ou compreensão da importância do outro em seus resultados.

Um bom exemplo é a lógica da arrumação. Sabemos que uma hora gasta em organização do guarda-roupa no final de semana, não será em vão, e sim, um investimento, pois com tudo em ordem, durante a semana, você ganhará muito mais tempo por encontrar facilmente tudo o que precisa.

Investir no cliente interno

Assim como na analogia da arrumação do guarda-roupa, precisamos investir em nosso cliente interno. E investir nem sempre é sinônimo de gastar dinheiro. Crie, junto às gerências, ao RH ou empresas de consultoria, práticas simples que valorizem o funcionário, como algum reconhecimento pelo cumprimento de um projeto.

Afinal, sua empresa necessita de uma base bem estruturada para funcionar, pois a inteligência dos clientes internos é o seu know-how, o diferencial que os clientes externos tanto valorizam, mesmo sem perceber. Mas isso é assunto para o próximo artigo.

Exibir